Turismo de guerra: um lugar para dirigir e disparar um tanque de verdade

publicado no El Pais

Um menino de 12 anos, com um sorriso de orelha a orelha, dispara um verdadeiro tanque de guerra. Uma mulher e dois homens passam por cima de um carro, montados nesses tanques de combate. Não é ficção, isso acontece no país onde mais de 33.000 pessoas são mortas todos os anos por armas de fogo e que, há 10 dias, sofreu a pior matança de sua história: os Estados Unidos.

No rancho OX Hunting, localizado na cidade de Uvalde, a duas horas a oeste de San Diego (Texas), qualquer pessoa pode dirigir tanques e disparar armas de guerra. Até meninos de 8 anos de idade pisaram neste lugar, como diz o site da empresa Drive Tanks. “É responsabilidade dos pais e da capacidade das crianças de seguir as instruções”, afirma a empresa. Mas homens e mulheres de todas as idades também se divertem puxando o gatilho. Não é necessário que nenhum deles tenha experiência; em menos de uma hora os funcionários do centro ensinam a lidar com essas armas mortais.

“Este é o único lugar no mundo onde você pode dirigir tanques reais e disparar balas de verdade”, afirma com orgulho Todd DeGidio, proprietário do campo, um ex-sargento de demolições das Forças Especiais do Exército dos EUA que, durante sete anos, procurou, comprou e restaurou esses produtos bélicos de museus, colecionadores e veteranos de guerra. Forças de segurança e veteranos de guerra constituem a maioria da equipe neste negócio.

Estes singulares turistas de guerra podem ficar no rancho de duas horas até dois dias. A partir de cerca de 624 reais, podem disparar entre três e cinco armas diferentes e, por 26.000 reais, podem viver uma experiência completa, que inclui o disparo de diferentes modelos de pistolas e o manuseio de três tanques diferentes.

Os visitantes podem passear em um tanque norte-americano Sherman, da Segunda Guerra Mundial, em um russo T-34, fabricado na década de 1940, ou em um Leopard, um tanque de combate da época da Guerra Fria, dentre outros. Também podem disparar com morteiros, metralhadoras ou lança-chamas.

Além disso, neste verdadeiro parque bélico as munições e animais se misturam. Nos 18.000 hectares de colinas e caminhos de terra, há um safari onde se pode observar mais de 50 espécies diferentes de animais, como búfalos, cangurus e zebras. O parque também dispõe de quartos em barracas decorados ao estilo da Segunda Guerra Mundial para aqueles que queiram prolongar o combate.

Com iniciativas como esta, o Texas, um dos nove Estados que permitem levar armas para a sala de aula e onde, esta semana, um aluno da Universidade Tecnológica do Texas assassinou um policial, parece ter se tornado um verdadeiro campo de batalha.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Turismo de guerra: um lugar para dirigir e disparar um tanque de verdade

1 Comentário

  1. Renato disse:

    O número de homicídios com armas de fogo nos Estados unidos não chegam nem a 12 mil em 2016 o número total de homicídios foi pouco mais de 15 mil. 1/4 do número total de homicídios no Brasil que tem uma população menor e um número de armas per capita muito menor. Os Estados unidos não aparecem nem mesmo na lista dos 15 países com maior índice de homicídios. Ou seja o acesso LEGAL a armas não causa, necessariamente, violência

Deixe o seu comentário