Vídeo de cérebro “fresco” mostra como sua consistência é sensível

publicado na Galileu

A Universidade de Neurociência de Utah, nos Estados Unidos, publicou em 2013 um vídeo no YouTube de um cérebro recém retirado de uma autopsia.

Segundo a instituição, a proposta foi aumentar o acesso e entendimento dos alunos a cérebros “frescos”, visto que muitos laboratórios de ensino apenas possuem órgãos preservados, modelos artificiais e imagens.

“Estudantes tendem a pensar na consistência do cérebro como uma bola de borracha”, disse Suzanne Stensaas, professora e neuroanatomista. “Todavia, se você é um cirurgião de trauma ou neurocirurgião, você perecebe que o cérebro é bem macio, e mais vulnerável do que parece.”

Para exemplificar, Stensaas falou que o cérebro é muito mais macio e suave que a carne que encontramos no mercado.

A faculdade ainda declarou que a intenção do vídeo foi “ressaltar a vulnerabilidade do cérebro para destacar a importância de usar capacetes, cintos de segurança e de cuidar do órgão”.

O cérebro mostrado pesa 1,4 kg e pertenceu a uma pessoa que morreu de complicações de transplante de células. A análise e autopsia só foram possíveis porque a pessoa doou seu corpo para a ciência.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Vídeo de cérebro “fresco” mostra como sua consistência é sensível

Deixe o seu comentário