Cinco músicas que você provavelmente não sabia, mas são sobre Deus

Publicado na BBC

Relatos na imprensa internacional sugerem que o mega-astro da música pop Justin Bieber estaria gravando um álbum fortemente inspirado em temas religiosos.

Alguns jornais, como o tabloide britânico The Sun, chegaram a dizer que novo álbum inteiro seria um “trabalho conceitual” inspirado na aproximação do cantor com uma igreja pentecostal, a Hillsong.

Segundo o The Sun, o cantor pop estaria à procura de músicas com mensagem cristã.

“Há temas-chave de amor e redenção nas faixas que ele criou até agora”, disse uma fonte ao jornal. “Isso certamente surpreenderá alguns fãs.”

Em geral, as pessoas torcem o nariz para músicas pop com temática religiosa. O diabo, como se diz, tem as melhores músicas.

Mas há muitos exemplos de artistas consagrados transformando sua fé em grandes canções pop – desde Blinded By Your Grace (“Oh meu Deus, que Deus eu sirvo”, diz a letra), de Stormzy, a One Love, de Bob Marley (“Dê graças e louve ao Senhor/e eu vou me sentir bem”).

A BBC selecionou outras 5 músicas que você pode não perceber, mas falam de Deus.

1) Lenny Kravitz – ‘Are You Gonna Go My Way’

Um dos riffs de guitarra mais grudentos do rock vem acompanhado de uma letra sobre uma figura messiânica recrutando discípulos.

“Eu sou o escolhido/ eu sou o único”, canta Kravitz. “Mas o que eu realmente quero saber é / você vai seguir meu caminho?”

A música chegou ao cantor em um lampejo de inspiração – ele se lembra de rabiscar a letra, que reflete sua fé na vida real, em uma sacola de papel marrom.

Kravitz tem uma tatuagem nas costas que diz “Meu coração pertence a Jesus” e uma vez declarou que Cristo era “a melhor estrela do rock”.

2) Candi Staton – ‘You Got The Love’

A diva da música disco Candi Staton gravou You Got The Love nos anos 80, depois de dar as costas à música secular e se dedicar à igreja.

Estranhamente, a música originalmente apareceu em um vídeo sobre o homem mais gordo do mundo e seu esforço para perder peso.

A canção só ficou famosa quando o The Source a remixou em 1991 – levando a letra, que diz “O amor do meu salvador é real” para as pistas de dança.

O sucesso da música levou Staton a reavaliar sua carreira.

“Foi uma música tão inspiradora que me permitiu repensar”, disse ela ao The Guardian. “As pessoas na igreja costumavam me dizer que a música secular era a música do diabo – mas eu percebi que não era.”

3) U2 – ‘Until The End Of The World’

Há um forte tema espiritual percorrendo toda a carreira do grupo irlandês U2 – em um determinado momento, eles até consideraram abandonar a banda para se dedicar à igreja.

Como muitas de suas músicas são baseadas em ensinamentos bíblicos, algumas igrejas começaram a realizar o que batizaram de “U2Charist”, em que trocam os hinos religiosos tradicionais pelas canções do grupo irlandês.

Sua música mais poderosa, narrativamente falando, é Until The End of The World (Até o fim do mundo), que é cantada a partir da perspectiva de Judas Iscariotes no Jardim do Getsêmani.

A música fala de quando Judas trai Jesus – ele combina com os guardas que aquele que beijaria seria Jesus. O ato, segundo a Bíblia, levaria Jesus à prisão e crucificação.

“Eu beijei seus lábios e parti seu coração”, canta Bono/Judas. “Você estava agindo como se fosse o fim do mundo.”

4) The Byrds – ‘Turn! Turn! Turn!’

“Um tempo para nascer, um tempo para morrer / Um tempo para plantar, um tempo para colher / Um tempo para matar, um tempo para curar /Um tempo para rir, um tempo para chorar.”

O hit de 1965 do grupo americano The Byrds é baseado, quase textualmente, no capítulo três do Livro de Eclesiastes da Bíblia, no qual o rei Salomão contempla o sentido da vida, Deus e a eternidade.

Foi “provavelmente a única vez em que uma música saída diretamente da Bíblia chegou ao primeiro lugar nas paradas”, disse posteriormente o baixista Chris Hillman à Biblioteca do Congresso dos EUA. “Eu sei que Pete [Seeger, compositor] ficou com metade dos direitos autorais. Não sei se os herdeiros do rei Salomão receberam um centavo”.

Hillman não era religioso no momento de escrever a canção – na verdade, ele disse que as letras eram quase “irônicas” -, mas, depois, se converteu ao cristianismo.

5) Prince – ‘Let’s Go Crazy’

Com um som de órgão ao fundo, a música começa com Prince fazendo um sermão – mas muitas pessoas perderam a mensagem religiosa de Let’s Go Crazy em meio às letras sobre sexo e “bananas roxas” (não pergunte) do cantor.

A canção é um apelo para aproveitar ao máximo a vida sem sucumbir às tentações do diabo, que está tentando “nos derrubar”.

Para aqueles que estão no caminho da justiça, a recompensa é o outro mundo: “Um mundo de felicidade sem fim [onde] você pode sempre ver o sol, o dia ou a noite”.

Prince gravou músicas que eram mais explicitamente religiosas (incluindo o álbum conceitual The Rainbow Children, baseado em temas da religião que abraçou no fim da vida, a Testemunhas de Jeová), mas ele nunca fez a fé parecer tão divertida novamente.

Outras canções que falam de Deus:
-Kanye West – Jesus Walks

-Mumford and Sons – The Cave

-Carrie Underwood – Jesus, Take The Wheel

-Nina Simone – Sinnerman

-Bob Dylan – Gotta Serve Somebody

-The Fray – You Found Me

-Mary Mary – Shackles (Praise You)

-Bob Marley – Redemption Song

-David Bowie – Word On A Wing

-Kendrick Lamar – Faith

-The Headhunters – God Made Me Funky

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Cinco músicas que você provavelmente não sabia, mas são sobre Deus

Deixe o seu comentário