A trajetória da cantora pop Sinéad O’Connor, recém-convertida ao islã

Publicado na BBC

Ela é conhecida como Sinéad O’Connor, mas agora se chama “Shuhada”.

A cantora irlandesa, alçada à fama mundial com sua famosa versão da música Nothing Compares 2 U, de 1990, se converteu ao islã e anunciou a mudança de nome.

Em uma mensagem no Twitter, agradeceu aos muçulmanos por seu apoio.

Disse que sua decisão foi “a conclusão natural de qualquer caminho teológico inteligente” e publicou um vídeo cantando o adhan, a chamada islâmica para a oração.

Em suas postagens após a conversão, ela se disse “feliz”.

Antes disso, a cantora vinha falando abertamente sobre sobre seus problemas de saúde mental. Em novembro de 2015, afirmou ter sobrevivido a uma overdose. Em agosto de 2017, postou no Facebook um vídeo no qual chorava e contava sobre seus pensamentos suicidas.

“Saúde mental é como drogas, não importa quem você seja e, o que é pior, o estigma não se importa com quem você é. Não há ninguém na minha vida no momento, exceto pelo meu psiquiatra (…) e essa é a única coisa a me manter viva no momento, o que é um pouco patético”, afirmou na época.

“Minha vida inteira revolve ao redor de não morrer, e isso não é viver.”

Na quinta-feira, o imã irlandês Umar al-Qadri publicou um vídeo da cantora declarando sua fé islâmica.

Caminhada religiosa
Essa não é a primeira vez que O’Connor, que no ano passado mudou legamente seu nome para Magda Davitt, falou publicamente sobre religião.

Em 1992, ela protagonizou uma polêmica ao rasgas uma foto do papa João Paulo 2º em frente às câmeras de uma rede de televisão americana como forma de criticar a Igreja Católica. Ela se opunha à forma como a instituição lidava com os escândalos de abuso sexual de menores por membros da igreja.

Sete anos depois, ela foi ordenada sacerdotisa em um igreja cristã dissidente em Lourdes, na França. A Igreja Católica, que não permete que as mulheres sejam sacerdotisas, não reconheceu a cerimônia.

Desiludida com o catolicismo por conta dos relatos de abusos, ela passou a descrever o Vaticano como “um ninho de demônios” e, em 2011, pediu para ser excomungada pelo papa Francisco.

A cantora irlandesa ficou famosa nos anos 1980 com discos como The Lion and the Cobra (O Leão e a Cobra), de 1987, que vendeu 2,5 milhões de cópias.

O álbum I do Not Want What I Haven’t Got (Eu Não Quero o Que Eu Não Tenho), de 1990, trazia uma versão da música composta por Prince, Nothing Compares 2 U, que entrou para a lista das 500 melhores músicas da história da revista Rolling Stone.

O disco vendeu 7 milhões de cópias e lhe rendeu um Grammy por melhor intérprete de música alternativa.

Anos depois, em 2015, ela recebeu tratamento médico após deixar um bilhete em que insinuava que tirar se suicidar.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A trajetória da cantora pop Sinéad O’Connor, recém-convertida ao islã

1 Comentário

  1. […] Fonte: A trajetória da cantora pop Sinéad O’Connor, recém-convertida ao islã | Pavablog […]

Deixe o seu comentário