Os brasileiros segundo o Google

Publicado na Istoé

Um país de fãs de afiadores de facas, filmes de terror e músicas melosas; de obcecados por campeonatos juniores de futebol, peixes nórdicos e pela convocação da seleção sueca de futebol. Esse é um dos recortes possíveis para quem quisesse entender o brasileiro a partir de suas buscas mais feitas no Google ao longo de 2018. A gigante das buscas — e de tantas outras facetas da vida conectada, incluindo os dados de localização de seus usuários — revelou recentemente quais foram os termos mais buscados em sua plataforma pelos usuários brasileiros, convenientemente dividindo-os em categorias como “como fazer?”, “cultura” e “mortes”. É um documento interessante, ainda que com distorções, sobre os temas que fizeram nossa cabeça nesse ano atribulado.

Antes de tudo, é óbvio que nem todos os resultados surpreendem. Os mais buscados, como era de se esperar, foram “Copa do Mundo”, “Big Brother Brasil”, “Eleições 2018” e “Jair Bolsonaro”. São assuntos perenes, como o interminável reality show, e outros particulares ao nosso ano, como o nome do presidente-eleito. Ainda assim, há bastante espaço para buscas, no mínimo, interessantes. No mesmo Top 10 figuram o “Horário de Brasília” (possivelmente por conta da pane nos relógios dos celulares), a Copa São Paulo de Juniores (que aparece na frente de seu parente profissional, o Brasileirão) e até mesmo o falecido quadrinista Stan Lee.

No relatório, alguns dados saltam aos olhos. Na categoria “O que é?”, assuntos que dominaram o noticiário são refletidos, como a busca pela definição do Fascismo , Intervenção Militar e da Ursal, a inventiva União das Repúblicas Socialistas da América Latina antagonizada por Cabo Daciolo (que não aparece na lista). Há outros termos que passaram batidos, como a doença tuberculose ganglionar, a palavra “momo”, a condição física afonia e até a chaira, que, confesso, fui pesquisar no Google e descobri ser outro nome para amolador de faca.

Já na seara das ações práticas, ou seja, as pesquisas de “como fazer”, o grande vencedor é o Slime, um “brinquedo” que nada mais é do que uma gosma colorida e que parece voltar aos holofotes da juventude com alguma frequência. Também têm destaque as dúvidas de “como fazer figurinhas no Whatsapp” (o que já rendeu belos memes ao longo do ano) e “como fazer gasolina”, que suponho ter sido impulsionada pela greve dos caminheiros, outro tema muito destacado no Google esse ano. Há espaço também para “como fazer bacalhau”, o peixe norueguês que todo ano desafia cozinheiros e cozinheiras natalinos pelo país.

Nos “por quês?”, a primeira colocação fica com a Guerra da Síria. É um tema difícil e arenoso, e em uma dimensão abstrata, realmente sem justificativa, e que deve ser questionado. Logo atrás vem “Por que votar no Bolsonaro?”. É de se pensar quantas dessas buscas no site foram convertidas em votos para o capitão reformado — e vale notar que o “por que não votar em Bolsonaro?” aparece em sexto lugar, logo à frente das dúvidas sobre a expulsão da concorrente Nadja do programa A Fazenda . O Google parece também ter servido de disk-dúvidas sacras, com internautas encucados com os motivos de não poderem comer carne na Sexta-Feira Santa (dica: tem a ver com a Paixão de Cristo). Houve até quem fizesse a mais abstrata questão: “Por que quarta-feira de Cinzas?”.

De volta ao mundo da carne, chegamos à categoria de Celebridades. Além de estrelas desse ano como a Pablo Vittar, MC Loma e o involuntariamente polêmico Roger Waters, uma surpresa e tanto: o famoso mais buscado no Brasil foi o ator-brucutu Sylvester Stallone. Nem ouso conjecturar o motivo. No Top 10 dos esportistas, duas surpresas em primeiro e décimo lugar: o jovem craque francês Kyllian Mbappé encabeça a lista, que é completa por Lyoto Machida, lutador brasileiro de MMA conhecido por seus chutes e por ter migrado do UFC para a rival Bellator neste ano.

Também é importante destacar os filmes e músicas mais buscados no ano: entre as produções cinematográficas estão o terror “A Freira” (que fica muito atrás em qualidade se comparada aos antecessores Invocação do Mal 1 e 2) e o filme de heróis Deadpool 2. Nas músicas, foram mais buscadas as letras da prosaica “Era uma Vez” de Kell Smith e a bombada “Que Tiro Foi Esse” de Jojo Toddynho, que também apareceu como meme do ano no buscador.

Ainda falando em memes, o top 10 conta também com políticos (Bolsonaro e Lula), famosos (Fábio Assunção e Neymar) e alguns memes de fato, como o “é verdade esse bilete” e as imagens do ratinho Pikachu ( :O ) e do cantor Akon.

Já entre as mortes, o top 5 fica por conta de Stan Lee, o Dj Avicii, o cantor Mr. Catra, o rapper americano XXXTentacion e a política assassinada em um caso ainda sem resposta, Marielle Franco. Entre os acontecimentos, dominaram a lista, como dito, a Copa do Mundo, as Eleições, a Greve dos Caminhoneiros, a Copinha São Paulo, o Brasileirão, a Prisão de Lula e o Horário de Verão, que ainda choca os brasileiros apesar de acontecer anualmente desde 1985.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Os brasileiros segundo o Google

Deixe o seu comentário