Arquivos da categoria: celebridades

Narrador Luciano do Valle morre aos 70 anos após passar mal em avião

 

Publicado no Estadão

Luciano do Valle, narrador esportivo da Rede Bandeirantes, morreu neste sábado aos 70 anos. De acordo com a emissora, o locutor começou a passar mal às 15h15, quando viaja a Uberlândia, onde narraria a partida entre Atlético-MG e Corinthians. A morte ocorreu às 16h15. A Band, emissora que ele ajudou a alavancar como o “Canal do Esporte”, até as 17h15, afirmava que ainda não sabia a causa da morte.

Em 2012, Luciano chegou a se afastar dos trabalhos na Bandeirantes devido a problemas de saúde. Na ocasião, ele sofreu uma leve isquemia cerebral, um tipo leve de AVC (acidente vascular cerebral).

“Foi o cara que deu um novo sentido à televisão brasileira. A visão que o Luciano tinha de televisão e profissionalismo estava muito adiante do tempo dele. Viveu um vida feliz, plena de realizações”, disse, bastante emocionado, o jornalista e apresentador José Luiz Datena, à Band.

Luciano era uma das maiores referências na locução esportiva. Desde 1971, passou pela Rede Globo, pela Record e pela Bandeirantes, onde trabalhou por mais de 30 anos. Em 2013, completou 50 anos de carreira. Seu último jogo foi a final do Campeonato Paulista.

O narrador teve papel fundamental no esporte brasileiro, uma vez que ele impulsionou diversas modalidades que não tinham espaço na TV aberta. Organizou o jogo memorável entre Brasil e URSS, no Maracanã, que mudou o vôlei brasileiro. Abriu espaço para Hortência e Paula, transmitiu jogos de futebol feminino, alavancou a carreira de Maguila e deu o início para transmissões da NBA, da Fórmula Indy e do futebol americano no Brasil.

“A Bandeirantes nunca mais será a mesma, com certeza. Nunca mais terá uma pessoa no esporte como foi o Luciano do Valle. Outros virão, mas a falta dele é insuperável. A ausência nos deixa sem termos, sem definição. É um dia de muita tristeza, de muito pesar. Está certo aquele que diz que parte feliz quem deixa uma obra e ele deixa algo inigualável.”, disse Datena.

Comentarista da Band e com Luciano do Valle há dez anos, o ex-jogador Neto quase não conseguiu falar do amigo. Chorando muito, com voz embargada, o camisa 10 fez um emocionante discurso sobre um de seus conselheiros.

“Sei da dificuldade que ele estava passando como pessoa, não estava muito bem de saúde, não. É muito triste, porque estava com vontade tão grande de fazer essa Copa do Mundo de 2014. Ninguém sabia que ele estava um pouco doente”, disse Neto.

Valesca Popozuda fala em preconceito após ser chamada de pensadora em prova

Publicado no UOL Música

Valesca Popozuda usou seu perfil no Facebook, na manhã desta terça-feira (8), para comentar a polêmica causada depois que um professor de filosofia do Distrito Federal elaborou uma questão em uma prova em que os alunos deveriam completar um trecho da música “Beijinho no Ombro”. O enunciado ainda dizia que a letra é de “uma grande pensadora contemporânea”.

“Eu acho uma bobagem isso tudo, talvez se ele tivesse colocado um trecho de qualquer música de MPB ou até mesmo de qualquer outro gênero musical que não fosse o Funk, talvez não tivesse gerado tal problema”, escreveu Valesca em seu perfil.

A questão foi elaborada pelo professor Antonio Kubitscheck, que trabalha uma escola pública de Ensino Médio do Distrito Federal. Surpreendidos com a questão, alguns alunos fotografaram a prova e publicaram nas redes sociais.

No depoimento, ela ainda escreve que gostaria de agradecer ao professor por se sentir honrada pela homenagem, mas se recusou a aceitar o título de pensadora. “Diva, Diva sambista, Lacradora, essas coisas eu já estou pronta, ok, mas PENSADORA CONTEMPORANEA ainda não ( mas prometo que vou trabalhar isso)”, escreveu.

BkqYyXmCcAAyVxg

Ela ainda critica os que se julgam capazes de criticar o professor. “É todo mundo perfeito, o funk não presta e a Popozuda não pode ser pensadora contemporânea. Então vamos tacar pedra na professora (sic) porque o resto vai continuar da mesma forma”.

Para a cantora, o que mais espanta é o fato das pessoas se preocuparem com isso sem analisar o que há por trás. “E se o professor colocou a questão dentro do contexto da matéria? E se o professor quis ser irônico com o sucesso das músicas de hoje em dia? E se o professor quis apenas distrair a turma e fez a questão apenas pra brincar?”.

Morre o ator José Wilker

Jos-Wilker-05Publicado no G1

O ator José Wilker morreu na manhã deste sábado (5) no Rio de Janeiro. Ainda não há informações oficiais sobre a causa da morte, mas suspeita-se que ele tenha sofrido um infarto.

A última participação do ator em novelas foi em 2013, em “Amor à Vida”, de Walcyr Carrasco, na qual interpretou o médico Herbert. Em 2012, ele foi o coronel Jesuíno no remake de “Gabriela”, baseado no livro “Gabriela Cravo e Canela”,  de Jorge Amado. Em 2008, na novela Duas Caras, o ator fez o papel do professor Fernando Macieira.

Começo
José Wilker de Almeida nasceu em Juazeiro do Norte no dia 20 de agosto de 1946 e se mudou com a família, ainda criança, para o Recife. A mãe, Raimunda, era dona de casa e o pai, Severino, caixeiro viajante.

Sua carreira no teatro começou no Movimento Popular de Cultura (MPC) do Partido Comunista, onde ele dirigiu espetáculos pelo sertão e realizou documentários sobre cultura popular.

Em 1967, Wilker se mudou para o Rio para estudar Sociologia na PUC, mas abandonou o curso para se dedicar exclusivamente ao teatro.

Em 1970, após ganhar o prêmio Molière de Melhor Ator pela peça “O Arquiteto e o Imperador da Assíria”, foi convidado pelo escritor Dias Gomes o para o elenco de “Bandeira 2″ (1971), sua primeira novela.

Wilker interpretou o primeiro protagonista em 1975: foi Mundinho Falcão em “Gabriela”, adaptação de Walter George Durst do romance de Jorge Amado, um marco na história da teledramaturgia brasileira.

Personagens conhecidos
Wilker tem em seu currículo personagens memoráveis, como o jovem Rodrigo, protagonista da novela “Anjo Mau” (1976), de Cassiano Gabus Mendes. Em 1985, viveu Roque Santeiro, personagem central da trama homônima escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Em 2004 interpretou o ex-bicheiro Giovanni Improtta, de “Senhora do Destino”, de Aguinaldo Silva, um personagem com diversos bordões como “felomenal” e “o tempo ruge e a Sapucaí é grande”.

O artista dirigiu o humorístico “Sai de Baixo” (1996) e as novelas “Louco Amor” (1983), de Gilberto Braga, e “Transas e Caretas” (1984), de Lauro César Muniz. Durante uma rápida passagem pela extinta TV Manchete, acumulou direção e atuação em duas novelas: “Carmem” (1987), de Gloria Perez, e “Corpo Santo” (1987), de José Louzeiro.

Apaixonado pelo cinema, o ator participou de filmes como “Xica da Silva” (1976) e “Bye Bye, Brasil” (1979), ambos de Cacá Diegues, e foi o personagem Antônio Conselheiro em “Guerra de Canudos” (1997), de Sérgio Rezende.

Wilker também se destacou em minisséries como “Anos Rebeldes” (1992), de Gilberto Braga; “Agosto” (1993), adaptada da obra de Rubem Fonseca; e “A Muralha” (2000), escrita por Maria Adelaide Amaral e João Emanuel Carneiro. Em 2006, interpretou o presidente Juscelino Kubitschek na minissérie “JK”, de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira.

O artista ainda escreveu textos para revistas e jornais e comentou a cerimônia do Oscar durante vários anos.

Nigella Lawson é banida dos Estados Unidos por ter confessado usar cocaína

Nigella Lawson é persona non grata nos Estados Unidos Sang Tan/AP

Nigella Lawson é persona non grata nos Estados Unidos Sang Tan/AP

Apresentadora do programa de culinária “Nigella” foi impedida de embarcar em um voo que ia de Londres para Los Angeles no último domingo

Publicado em O Globo

A chef e apresentadora britânica Nigella Lawson foi banida dos Estados Unidos quatro meses após confessar ter usado cocaína. Ela foi impedida de embarcar em um voo de Londres a Los Angeles no último domingo segundo informações do jornal The Guardian.

No ano passado, Nigella, de 54 anos, foi forçada a confessar no trubunal que ela consumia cocaína e fumava maconha na frente de seus dois filhos, Bruno, hoje com 17 anos, e Cosima, de 19.

A apresentadora do “Nigella”, programa de culinária exibido no Brasil pelo GNT, e jurada do “The taste”, reality culinário exibido pela rede americana ABC, chegou a fazer o check in no terminal 5 do aeroporto de Heathrow para o voo da British Airways. Mas, antes de embarcar, foi abordada por funcionários da companhia aérea, que a pediram para recolher suas bagagens.

“Ela não disse nada, mas não parecia satisfeira”, contou uma testemunha que não quis se identificar.

Agora espera-se que Nigella acione seus advogados para garantir trânsito livre para os |Estados Unidos a passeio e a trabalho. O Departamento de Segurança de Fronteiras dos Estados Unidos afirmou que não tem autorização para comentar casos individuais. No entanto, uma fonte interna revelou que estrangeiros que admitem o uso de drogas em solo americando ou não são considerados “inadimissíveis.

Em julho do ano passado, a chef e apresentadora se divorciou do então marido Charles Saatchi, a quem acusou de agressão. Foi Saatchi quem revelou à corte que Nigella era dependente química.