Arquivos da categoria: mundo

Pela 1ª vez, astrônomos encontram outro planeta semelhante à Terra

Salvador Nogueira, no Mensageiro Sideral

Título original: Momento histórico: encontramos outra Terra no Universo

Desde a descoberta do primeiro planeta a orbitar uma estrela similar ao Sol, em 1995, a humanidade estava à espera deste anúncio. Finalmente ele chegou, com toda pompa e circunstância, num artigo publicado no periódico científico “Science”: encontramos um planeta praticamente idêntico à Terra orbitando outra estrela numa região que o torna capaz de abrigar água líquida — e vida — em sua superfície.

Concepção artística do planeta Kepler-186f: mesmo tamanho da Terra e capaz de abrigar água em estado líquido

Concepção artística do planeta Kepler-186f: mesmo tamanho da Terra e capaz de abrigar água

O anúncio está sendo feito neste momento numa entrevista coletiva conduzida pela Nasa (uma reportagem mais completa sobre o achado, produzida por este escriba, estará amanhã nas páginas da Folha). O planeta orbita uma estrela chamada Kepler-186 e tem, segundo as estimativas, praticamente o mesmo diâmetro da Terra — 1,1 vez o do nosso mundo. Até onde se sabe, ele é o quinto a contar de seu sol e leva 129,9 dias terrestres para completar uma volta em torno de sua estrela. Ou seja, um ano lá dura mais ou menos um terço do que dura o nosso.

A estrela-mãe desse planeta é uma anã vermelha com cerca de metade do diâmetro do nosso Sol, localizada a cerca de 490 anos-luz daqui. Um dos aspectos interessantes dessa descoberta em particular é que, além de estar na chamada zona habitável — região do sistema em que o planeta recebe a quantidade certa de radiação de sua estrela para manter uma temperatura adequada à existência de água líquida na superfície –, o planeta está suficientemente distante dela para não sofrer uma trava gravitacional. Caso fosse esse o caso, o Kepler-186f, como foi batizado, teria sempre a mesma face voltada para a estrela, como acontece, por exemplo, com a Lua, que sempre mostra o mesmo lado para a Terra. Embora modelos mostrem que a trava gravitacional não é um impeditivo definitivo para ambientes habitáveis (a atmosfera trataria de distribuir o calor), é sempre melhor ter um planeta com dias e noites, em vez de um em que um hemisfério é sempre aquecido pelo Sol e outro passa o tempo todo na fria escuridão.

Numa nota pessoal, lembro-me de ter já conversado antes com Elisa Quintana, pesquisadora da Nasa que é a primeira autora da descoberta. Em 2002, ela produziu uma série de simulações que mostravam que o sistema Alfa Centauri — o trio de estrelas mais próximos de nós, sem contar o Sol — podia abrigar planetas de tipo terrestre na zona habitável. Imagino a realização pessoal dela de, depois de “conceber” por tantos anos mundos como esse em computador, finalmente poder reportar uma descoberta dessa magnitude. Não de uma simulação, mas da fria realidade da observação!

Trata-se de um momento histórico. A partir de agora, os astrônomos devem se concentrar cada vez mais na busca de outros mundos similares à Terra e a Kepler-186f, gerando alvos para futuras observações de caraterização — a efetiva análise da composição desses mundos e suas atmosferas –, em busca, quem sabe, de evidências de uma outra biosfera.

Nosso planeta está prestes a ganhar muitas companhias.

Restaurante norte-americano lança pulseira de frango

publicado no Extra

A rede de restaurantes norte-americana KFC apresentou, na última semana, uma novidade em seu menu: uma pulseira de frango. O acessório, na verdade, é um corsage, uma pulseira feita com flores verdadeiras que, por tradição, nos Estados Unidos, é dada pelo acompanhante para a menina na noite de formatura. A versão mais suculenta custa US$ 20, cerca R$ 50.

O acessório de frango custa US$ 20, cerca de R$ 50

Lançado em parceria com uma florista de Kentucky (estado de origem da rede especializada em frango frito), vem com um ramo de flores brancas e um voucher de US$ 5 para gastar no KFC. Apesar de parece brincadeira de 1º de abril, o acessório está à venda pela internet, apenas nos Estados Unidos.

A menina devora a pulseira de frango, no vídeo promocional

Nas redes sociais, muita gente adorou a ideia e resolver brincar com a novidade. Um casal chegou a posar com a pulseira no Twitter. O KFC ainda lançou um vídeo em que simula o ritual de entrega do corsage e a emoção da presenteada. Mas, na hora de trocar um beijo… Nhac!

Um casal posou com um corsage de frango

Nave para ‘turistas astronautas’ é mostrada

Ônibus espacial pertence à companhia comercial Virgin Galactic, do britânico Richard Branson

SpaceShipTwo foi desenvolvido na Califórnia - Divulgação

Rafaela Borges, no Estadão

A primeira nave espacial comercial de transporte de passageiros do mundo, a SpaceShipTwo, foi apresentada nesta segunda-feira, durante o Salão de Nova York, nos Estados Unidos. A nave pertence à companhia espacial comercial Virgin Galactic, do empresário britânico Richard Branson, fundador do grupo Virgin.

A Virgin Galactic aceitou cerca de US$ 85 milhões, aproximadamente R$ 187 milhões, em depósitos de mais de 700 indivíduos, o que é aproximadamente 20% mais do que o número total de pessoas que já foram para o espaço. A nova nave espacial foi desenvolvida para a frota de veículos da Virgin Galactic pela Scaled Composites, em Mojave, na Califórnia. O veículo vai permitir uma experiência de gravidade zero, com vistas do planeta a partir do espaço sideral para “turistas astronautas”.

Crianças reagem horrorizadas a Walkman e fitas cassetes

img-1022621-kids-react

Publicado na Rolling Stone

Para a maioria dos adultos de hoje em dia, a era antes dos iPhones, Shazam e Spotify traz um sentimento de nostalgia. Para as crianças de 2014, soa como um tempo cruel com punições estranhas. Em seu último vídeo da série “Kids React” [Crianças reagem], os irmãos Benny e Rafi Fine, do canal TheFineBros no YouTube, juntaram sua gangue de meninos e meninas para apresentar a eles uma relíquia estranha, o Walkman – prepare-se para reações hilárias.

Depois de se deparar com o objeto, Krischelle, de 9 anos, achou que se tratava de um telefone. Depois, percebeu que estava errada: “O que é essa coisa?”. Enquanto isso, Jayka, de onze anos, pegou o aparelho e começou a apertar botões aleatórios – provavelmente, esperando que Siri se manifestasse para ajudá-la. Outra excelente reação veio de Derek, de 13 anos, que manuseou o Walkman como um cubo mágico.

Os entrevistadores fizeram algumas perguntas às crianças, começando com a mais óbvia. Quando tentaram adivinhar o que era o tocador de música antiquado, chutaram “walkie-talkie” e “boombox”. “São que nem os dos filmes?”, pergunta Krischelle. A partir daí, elas tentaram ligar o aparelho, levando a uma série de tentativas diferentes para colocar a fita cassete. Além disso, as crianças também ficaram horrorizadas com os fones dos anos 1980, a ideia de correr com um objeto tão pesado e o conceito de rebobinar e “fast-foward”.

“Eu não consigo me imaginar vivendo na época de vocês”, confessou uma das crianças chocadas, examinando o Walkman como se fosse um ovo de dinossauro.

Agência recruta funcionários para o trabalho mais difícil do mundo

24 candidatos foram testados para a vaga, mas nenhum aceitou os termos. Você aceitaria?

Eber Freitas, no Administradores

Quem iria querer um trabalho desses? Full time, sem hora para descanso, 135 horas por semana, que exige o máximo do funcionário, conhecimentos em medicina, finanças e culinária, sem férias nem feriados (incluindo Natal e Ano Novo), sem hora para dormir e o pior: sem nenhuma remuneração, apenas por amor.

Provavelmente, você achará essas exigências insanas e ilegais. Os 24 candidatos entrevistados para o posto também acharam. Mas milhões de pessoas exercem esse emprego sem sequer reclamar: as mães.

A campanha, em homenagem ao Dia das Mães, foi realizada pela agência Mullen. Foram publicados anúncios reais na internet e em jornais. Nenhum dos candidatos conhecia o propósito real da campanha. O Dia das Mães neste ano será comemorado no dia 11 de maio.

Confira abaixo o vídeo e veja as reações dos candidatos. Realmente é um trabalho pesado, mas extremamente compensador.