Garota de 8 anos é considerada a “menina mais bonita do mundo”

A russa Kristina Pimenova atua como modelo desde os três anos de idade

ru1

Publicado no Zero Hora

Com mais de dois milhões de seguidores no Facebook, Kristina Pimenova, de oito anos, já é considerada, segundo internautas, a menina mais bonita do mundo.

Em seu perfil oficial em uma rede social, Kristina é apresentada como filha de um jogador de futebol e de uma ex modelo que resolveu levar Kristina, então com três anos de idade, para modelar após ouvir diversas vezes como a filha era bonita.

Confira algumas fotos da garotinha:

ru2

ru3

ru4

dica do Gerson Caceres Martins

Leia Mais

China tem só 5 dias de férias por ano; saiba como são as regras no mundo

foto: Carolyn Kaster/AP
foto: Carolyn Kaster/AP

Ricardo Marchesan, no UOL

Os dias de férias estabelecidos por lei não são iguais ao redor do planeta. Os 30 dias de repouso anual do brasileiro seriam considerados um imenso privilégio em países como a China e a Nigéria, onde o mínimo são cinco dias de descanso por ano.

O direito a um mínimo de três semanas de férias remuneradas está previsto em convenção da OIT (Organização Internacional do Trabalho), agência ligada à ONU. Mas isso não significa que todos os países a sigam.

Segundo dados da própria OIT, Estados Unidos, Índia, Paquistão, Sri Lanka, Kiribati e Gâmbia não estipulam dias de férias em sua lei. Já a União Europeia determina o mínimo de quatro semanas para seus países membros.

A maior parte dos países tem entre 20 e 23 dias úteis (não-consecutivos, ou seja, são excluídos os fins de semana).

Comparação entre países

Jon Messenger, especialista de condições de trabalho da OIT, afirma que é difícil estabelecer uma comparação exata entre os países, porque as leis são diferentes. Alguns, como o Brasil, consideram dias corridos, incluindo os finais de semana na conta total, outros levam em consideração apenas dias úteis.

Os países com mais dias de férias, segundo esse estudo, são os Emirados Árabes e o Iêmen, com 30 dias úteis. China e Nigéria são os que determinam menos dias por lei (cinco).

O Brasil não está incluído entre os que têm mais dias de férias. Apesar de ter 30 dias para o repouso, não são dias úteis. A conta inclui os finais de semana. Para a OIT, o país tem o equivalente a 21 dias úteis de férias.

Para o cálculo, no caso do Brasil, a OIT considera cinco dias de trabalho por semana. Ela então calcula 5/7 (cinco sétimos) do estipulado pela lei. No caso do Brasil, o resultado desta conta é 21,42.

Mais e menos férias que a lei

O especialista da OIT também afirma que o limite estabelecido por lei não significa, necessariamente, a quantidade de dias que um trabalhador costuma tirar por ano.

Nos Estados Unidos, único país desenvolvido sem um limite mínimo, as férias são vistas como um benefício concedido pelas empresas, e a maior parte da população recebe duas semanas.

Na Alemanha, apesar de o mínimo ser de 20 dias, o trabalhador acaba descansando mais. Isso porque os acordos coletivos das categorias costumam estabelecer mais dias de férias. “Na prática, as férias na Alemanha podem chegar a 30 dias”.

No Japão, segundo Messenger, a maior parte dos profissionais acaba tirando apenas a metade dos oito dias a que tem direito.

Férias X produtividade

Messenger afirma que não há estudos o suficiente que estabeleçam uma relação entre a produtividade de um país e a quantidade de dias de férias.

Ainda assim, ele diz que há uma ligação direta entre descanso e produtividade. “Há uma percepção de que mais horas de trabalho resulte em maior produção, o que não é verdade. De maneira geral, é o contrário”.

O especialista diz que é necessário um distanciamento do trabalho para “recuperar as energias”. A falta de descanso leva a problemas de saúde, maior risco de acidentes de trabalho, aumento de conflitos familiares e faltas, por exemplo. “O ideal é que o trabalhador consiga produzir mais e melhor no menor tempo possível.”

Férias em cada país (em dias úteis)

  • Não há mínimo por lei
    Estados Unidos e Índia
  • 5 dias
    China e Nigéria
  • 6 dias
    México
  • 8 dias
    Japão
  • 10 dias
    Vietnã, Argentina, Canadá, Colômbia, Equador e Paraguai
  • 12 dias
    Indonésia e Turquia
  • 13 dias
    África do Sul, Bolívia, Chile e Qatar
  • 18 dias
    Angola, Egito e Marrocos
  • 20 dias
    Senegal, Austrália, Nova Zelândia, Uruguai, Bélgica, Finlândia, Alemanha, Itália, Holanda, Rússia e Suíça
  • 21 dias
    Brasil, Cuba, Peru, Arábia Saudita, Bahrein, Noruega e Espanha
  • 22 dias
    Portugal
  • 25 dias
    Áustria, Dinamarca, França, Suécia, Kuait e Síria
  • 28 dias
    Reino Unido
  • 30 dias
    Emirados Árabes Unidos e Iêmen

Leia Mais

Nova espécie de camarão que brilha no escuro pode ser a chave para vida alienígena

denselygroupedshrimp-main_1
publicado no O Globo

Camarões que rastejam em torno de chaminés de rochas que expelem água quente, no fundo do mar do Caribe, podem ser uma pista essencial sobre os tipos de vida que podem existir em ambientes extremos de outros planetas, segundo a NASA.

A nova espécie de crustáceo, batizada como Rimicaris hybisae, vive em bando, aglomerada, em fontes hidrotermais submarinas a 2.300 metros de profundidade, onde as temperaturas chegam a 400 graus Celsius e é muito, muito escuro. A água ao redor das fontes, no entanto, é morna o suficiente para que o camarão possa viver nela. Já a água extremamente quente que sai das aberturas é onde cresce o alimento desses animais. Esses camarões-vagalume, que brilham no escuro, se alimentam do carboidrato produzido pelas bactérias que vivem dentro das fendas. Eles são cegos, mas têm sensores térmicos na parte de trás de suas cabeças.

E o que isso tem a ver com os alienígenas? Se esssas bactérias podem sobreviver em condições tão extremas na Terra, talvez outros seres também sejam capazes de viver em ambientes semelhantes, em outros planetas, como, por exemplo, na gelada lua de Júpiter, Europa, que tem um oceano subterrâneo.

— Durante dois terços da história da Terra, a vida existiu apenas como vida microbiana”, diz Max Coleman, pesquisador sênior do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, na Califórnia, em entrevista ao próprio site da agência espacial americana. “Na [lua] Europa, a melhor chance para a vida seria microbiana”.

Se os camarões comem o carboidrato produzido pelas bactérias, o que esses seres microscópicos comem então? Os cientistas explicam que as bactérias obtêm sua energia por meio de reações químicas, uma vez que o sulfeto de hidrogênio é abundante nas fendas submarinas, através de um processo chamado quimiossíntese, que funciona na ausência de luz solar. Elas utilizam o gás — que tem odor de ovos podres e carne em decomposição — para produzir matéria orgânica.

— Se um animal como este poderia existir na Europa depende muito da quantidade real de energia que é liberada lá, através de fontes hidrotermais — explica Emma Versteegh, uma estudante de pós-doutorado no laboratório.

Porém, se os camarões, que vivem na costa oeste de Cuba, não conseguem encontrar bactérias para produzirem carboidrato, eles não morrem. Se tornam carnívoros ou até canibais. Os pesquisadores encontraram pedaços de crustáceos nas entranhas dos camarões e, já que não há uma grande oferta de animais da família dos crustáceos nessa região, os cientistas acreditam que eles comem seus semelhantes quando necessário.

Leia Mais

Cidade polonesa veta Ursinho Pooh por “sexualidade duvidosa”

“O problema com esse urso é que ele não tem um guarda-roupa completo”, disse o prefeito da cidade de Tuszyn

poloniaurso-poohgettymichael-buckner

Publicado no Terra

As autoridades da cidade polonesa de Tuszyn, no centro da Polônia, vetaram o Ursinho Pooh, popular personagem infantil de Walt Disney, porque tem uma “sexualidade duvidosa”, “não se veste adequadamente” e “é interssexual”.

A polêmica surgiu recentemente quando um membro da prefeitura propôs dar o nome de Pooh a uma área de lazer para crianças, algo que bateu de frente com a oposição de vários vereadores e do próprio prefeito da cidade.

“O problema com esse urso é que ele não tem um guarda-roupa completo”, disse então o prefeito de Tuszyn, Ryszard Cichy, de 46 anos, em uma conversa que foi gravada por um dos vereadores, que depois a passou para a imprensa local.

“Essa nudez parcial é totalmente inapropriada para crianças”, acrescentou o prefeito desta pequena cidade de pouco mais de sete mil habitantes.

Cichy propôs outro urso, também popular nos contos infantis poloneses, “um urso polonês que esteja vestido dos pés à cabeça, e não só com uma camiseta (como o Ursinho Pooh)”, detalhou.

Mas o debate não parou aí, uma vez que, como mostra a gravação, um dos funcionários uniu-se à discussão assegurando que Pooh “não usa cuecas porque não tem sexo, possivelmente é interssexual”.

Outra das vereadoras presentes, Hanna Jachimska, também questionou a conveniência de dar o nome do popular personagem infantil à área de lazer, e foi além ao criticar seu criador, o britânico Alan Milne.

“Eu acredito que o autor tinha um problema com sua identidade sexual”, disse a vereadora entre risos.

O intenso debate não decidiu o nome da área de lazer de Tuszyn, embora pareça pouco provável que o Ursinho Pooh siga sendo um candidato em uma cidade onde sua sexualidade suscitou um debate desse nível.

O caso de Tuszyn lembra ao que também aconteceu na Polônia em 2007, quando a então defensora de menores, Ewa Sowinska, pediu a um grupo de psicólogos que analisasse se os Teletubbies, também personagens populares de uma série infantil, apresentavam algum indício de homossexualidade.

Sowinska estava preocupada se a série escondia algum tipo de “propaganda” que pudesse afetar crianças, e considerava que esse tipo de programação não podia ser transmitida na televisão pública.

Quem levantou as suspeitas da funcionária foi o personagem Tinky Winky, o boneco de cor roxa, que motivou um estudo completo sobre o comportamento dos Teletubbies.

“Me dei conta que Tinky Winky carregava uma bolsa, mas não sabia que era um menino”, declarou então Sowinska à revista Wprost”, onde mostrou seu temor a que estes personagens infantis escondessem “um nexo homossexual oculto”.

Embora a Polônia seja um país que mudou muito desde sua entrada na União Europeia em 2004, ainda existe uma ampla porcentagem da população com uma moral ultraconservadora, muito influenciada por um catolicismo radical.

Esse setor da população teme que os novos ares europeus acabem com as tradições polonesas e tragam muita tolerância em relação a comportamentos considerados reprováveis por eles, como a homossexualidade.

Leia Mais

Agência funerária divulga lista com as canções mais tocadas em cerimônias fúnebres no Reino Unido

foto: Reprodução/Facebook
foto: Reprodução/Facebook

Publicado na Rolling Stone

O site Gigwise divulgou uma lista um tanto quanto inusitada contendo as músicas mais tocadas em funerais no Reino Unido. Monty Python, Frank Sinatra e Céline Dion estão no top 20 das canções mais populares em cerimônias fúnebres.

“Always Look on the Bright Side of Life” do Monty Phyton lidera o ranking de canções mais populares, do qual também fazem parte “My Way” de Frank Sinatra, “Angels” de Robbie Williams e “My Heart Will Go On”, tema de Céline Dion para trilha sonora do filme Titanic.

Segundo David Collingwood, diretor da empresa Funeral Care – responsável pelo levantamento -, “a música é algo muito importante na vida das pessoas e tem ocupado um espaço cada vez maior nas cerimônias de despedida dos entes queridos e amigos”.

“Algumas pessoas escolhem previamente as canções que deverão ser tocadas no funeral delas, assim como escolhem um caixão e as flores”, finaliza. Além dos canções, há uma nova tendência: pessoas vestidas como os artistas preferidos de quem está sendo velado.

Veja a lista completa abaixo:

1. “Always Look on the Bright Side of Life” (Eric Idle – Monty Python)
2. “The Lord is My Shepherd Psalm 23/Crimond” (Tradicional)
3. “Abide with Me” (Tradicional)
4. “Match of the Day theme”
5. “My Way” (Frank Sinatra)
6. “All Things Bright and Beautiful” (Tradicional)
7. “Angelsv (Robbie Williams)
8. “Enigma Variations” – Nimrod (Elgar)
9. “You’ll Never Walk Alone” (Gerry and the Pacemakers)
10. “Cricket Theme / Soul Limbo” (Test Match TV Theme / Booker T. & the MG’s)
11. “Canon in D” (Pachelbel)
12. “Love Theme from Titanic / My Heart Will Go On” (Celine Dion)
13. “Last of the Summer Winev (Theme Tune)
14. “Only Fools and Horses” (Theme Tune)
15. “Time to Say Goodbye” (Sarah Brightman & Andrea Bochelli)
16. “Four Seasons” (Vivaldi)
17. “Ave Maria” (Schubert)
18. “You Raise Me Up” (Westlife)
19. “Rugby Theme / World in Union” (Dame Kiri Te Kanawa e outras versões)
20. “Nessun Dorma” (Puccini)

Top de canções pop/rock
1. “My Way” (Frank Sinatra)
2. “Angels” (Robbie Williams)
3. “Time to Say Goodbye” (Sarah Brightman & Andrea Bochelli / Katherine Jenkins)
4. “You Raise Me Up” (Westlife)
5. “Over the Rainbow” (Eva Cassidy)
6. “Wind Beneath My Wings” (Bette Midler)
7. “Simply the Best” (Tina Turner)
8. “You’ll Never Walk Alone” (Gerry & The Pacemakers)
9. “I Will Always Love You” (Whitney Houston/Dolly Parton)
10. “Angel” (Sarah McLachlan)
11. “Unforgettabl”e (Nat King Cole)
12. “How long will I Love You” (Ellie Goulding)
13. “My Heart Will Go On” (Celine Dion)
14. “Stairway to heaven” (Led Zeppelin)
15. “We’ll Meet Again” (Vera Lynn)
16. “Flying Without Wings” (Westlife)
17. “Dancing Queen” (Abba)
18. “Fields of Gold” (Eva Cassidy)
19. “Who Wants” To Live Forever (Queen)
20. “Smile” (Nat King Cole)

dica do Rogério Moreira

 

Leia Mais