Conheça o apartamento mais caro do mundo avaliado em 475 milhões de dólares

publicado no Hypeness

Depois de divulgarmos o descolado apêbalada em São Paulo, chegou a hora de algo mais luxuoso e absurdamente mais caro. No topo do Tour Odéon, em um arranha-céu em Mônaco, um extravagante apartamento de 475 milhões de dólares está à venda para algum ricaço ao redor do mundo arrematar.

Desenvolvido pelo Groupe Marzocco, empresa focada em imóveis de luxo, o prédio com 70 apartamentos, espalhados nos 49 andares, tem 170 metros de altura e virá com a premissa de oferecer uma “experiência cinco estrelas” aos futuros moradores, com chaves em mãos a partir de setembro de 2015. Entre os itens que somente muito dinheiro pode comprar, um concierge à disposição durante 24h por dia, uma área de entretenimento com sala de cinema privada, balada e um “centro de bem-estar”, que inclui sauna, ginásio, spas privados e uma seleção de piscinas.

Já a Sky Penthouse, o apartamento mais caro do mundo, com cinco andares só pra ele, terá 3.300 metros quadrados, e entre inúmeras outras coisas, sala de estar, sala de jantar, home-cinema, cinco quartos, uma cozinha por andar (conectadas através de um elevador) e uma incrível piscina infinita com direito a escorregador. A vista de tirar o fôlego será um privilégio para este e outros dois apartamentos duplex de 1.200 metros quadrados.

odeon5

odeon17

odeon19

odeon12

odeon16

odeon22

odeon15

odeon13

odeon10

odeon11

odeon14

odeon9

odeon

odeon6

odeon4

odeon7

odeon2

odeon3

odeon8

Leia Mais

Conscientização: sobrevivente de câncer testicular empurra uma bola imensa pelos EUA

mr-ballsy-600x477

publicado no Mistura Urbana

Vocês sabiam que câncer testicular, é um tumor menos freqüente, mas com o agravante de ter maior incidência em pessoas jovens em idade produtiva (entre 15 e 34 anos)?
Mas, se por um lado é uma doença agressiva, por outro lado é de fácil diagnóstico e um dos tumores com maior índice de cura.

Sabemos que a população masculina não é lá muito fã daquele check-up periódico que deve ser feito no urologista, mas um diagnóstico precoce sempre aumenta suas chances de sobrevivência.

mr-ballsy3-600x503

E é isso que Thomas Cantley quer: conscientizar os homens sobre a importância da visita ao médico. Cantley, sobrevivente do câncer testicular resolveu então chamar atenção para o assunto de uma forma que é tudo, menos convencional: empurrando uma imensa bola inflável pelos Estados Unidos. Diagnosticado em 2009, ele conta que vinha sofrendo de dores abdominais e nas costas mas não fazia ideia de que isso eram sinais de que poderia estar com câncer nos testículos, pois nunca leu nada a respeito ou ficou sabendo sobre doença e seus sintomas.

Assim como vários homens, ele só foi ao médico quando seu estado se tornou emergencial e foi quando descobriu que estava com o câncer no terceiro estágio. Sorte dele, o tratamento funcionou e ele está livre da doença desde 2010 mas ele não parou por aí.

mr-ballsy2-600x581

Aproveitando sua saúde, ele agora caminha, todos os dias, de seis a oito horas empurrando a bola, carinhosamente chamada de “Lefty” (vulgo “Canhotinha” numa tradução livre). O que começou no Canadá, já foi para a California e ele pretende chegar até Nova York, levando informação sobre o assunto para outras pessoas.

mr-ballsy4-600x402

Sua bola já foi “autografada” e já recebeu diversas mensagens de apoio de pessoas que conheceu no caminho. Confira abaixo algumas fotos e se quiser continuar acompanhando a jornada de Thomas, o instagram dele você encontra neste link AQUI.

Leia Mais

Jovem de 17 anos lidera protestos em Hong Kong

Fã dos protestos pacíficos, Joshua Wong diz que às vezes é preciso lançar mão da ‘desobediência civil’

Joshua Wong tem apenas 17 anos, mas se tornou um dos principais líderes dos protestos pela democracia (foto: Getty)
Joshua Wong tem apenas 17 anos, mas se tornou um dos principais líderes dos protestos pela democracia (foto: Getty)

Publicado no G1

Ele vem sendo chamado de “extremista” e de “fanfarrão” por muitos chineses. Mas Joshua Wong, um estudante de 17 anos, parece não se importar. Ele está mais interessado em tentar liderar uma revolução social em seu país.

Joshua vive em Hong Kong, uma ex-colônia britânica que foi devolvida à China em 1997 e hoje é uma região autônoma com alguns direitos, como liberdade de expressão e eleições locais.

Mas críticos dizem que o governo chinês está tentando minar algumas das autonomias obtidas quando o poder foi transferido – e muitos, como Joshua, vêm protestando contra isso.

“O povo não devia ter medo do governo”, diz o jovem, citando o filme V de Vingança (2005). “O governo é que deve ter medo do povo.”

Seu ativismo político, no entanto, teve início bem antes da atual onda de protestos.

Com apenas 15 anos, ele e alguns amigos criaram um grupo, chamado Scholarism, para, segundo ele, dar aos estudantes uma voz política.

Em uma entrevista recente a um jornal local, ele explicou melhor sobre essa iniciativa. “Apesar de os estudantes serem menores de idade, ainda não terem uma profissão nem um status social, eles têm, sim, um papel para influenciar nas políticas do governo.”

E suas ações já tiveram um impacto na política de Hong Kong.

Em 2012, seu grupo liderou um protesto de 120 mil estudantes que ocupou a sede do governo, ajudando a derrubar um programa nacional de educação que era visto como pró-China.

‘Semi-democracia’
Agora, dois anos depois, ele está liderando os protestos novamente, em um movimento contra a decisão de que a China escolha o candidato à eleição em Hong Kong.

Em 2007, o governo chinês prometeu aos residentes de Hong Kong que eles teriam direito ao “sufrágio universal”, no qual todos poderiam votar.

Essa era a teoria. No entanto, na prática, os eleitores de cada região podem apenas selecionar seu candidato de uma lista pré-selecionada por Pequim.

A China alega que liberar o voto direto e aberto causaria uma “sociedade caótica”.

Joshua diz que isso faz com que Hong Kong seja apenas “semi-democrática” e por isso acredita que outros estudantes precisam “se importar mais” com a política.

Para ele, estudante são as pessoas ideais para divulgar essa mensagem porque eles são, por natureza, “idealistas”.

Sua mensagem é clara: ele quer uma sociedade livre em que todos tenham a possibilidade de nomear e votar em candidatos para o executivo de Hong Kong. Ele quer democracia.

Joshua acredita que uma manifestação específica é o ideal, mas que às vezes é preciso lançar mão da “desobediência civil”.

Assim, ele e seus colegas tomaram as ruas e estão bloqueando a região central de Hong Kong.

Os protestos foram inicialmente planejados pelo movimento Ocuupy Central para começarem nesta semana, mas seus membros se juntaram às manifestações antes.

“Em vez de encorajar os estudantes a se unirem (aos protestos), fomos encorajados pelos estudantes a nos unirmos a eles”, disse Benny Tai, um dos líderes do Occupy.

“Estamos impressionados e comovidos com o trabalho desses estudantes.”

Ameaça
Joshua foi oficialmente classificado como uma ameaça à segurança pelo Partido Comunista. Ele foi uma das 78 pessoas presas durante um protesto na sede do governo, e ficou detido por mais de 40 horas.

Apesar de ter liberado o estudante, a polícia deixou claro que tem o direto de voltar a prendê-lo.

Temendo que as redes de celular fossem derrubadas, ele – em outro ato de desobediência – orientou seus seguidores a baixar o aplicativo Firechat.

O app permite que os usuários se comuniquem por mensagens mesmo sem acesso à internet e já foi baixado mais de 100 mil vezes desde domingo.

Ao deixar a prisão, cansado e com alguns ferimentos, o estudante prometeu se unir novamente aos protestos:

“Você precisa encarar cada batalha como se fosse a batalha final. Só assim você terá determinação para lutar.”

Leia Mais

Lontra recupera iPhone após visitante deixá-lo cair em piscina de santuário

Caso ocorreu no santuário de animais de Cornish, no Reino Unido.
Animal segurou aparelho com patas e o entregou para funcionária.

Lontra recuperou iPhone após visitante deixá-lo cair em piscina (foto: Reprodução/Facebook/Cornish Seal Sanctuary)
Lontra recuperou iPhone após visitante deixá-lo cair em piscina (foto: Reprodução/Facebook/Cornish Seal Sanctuary)

Publicado no G1

Uma visitante deixou cair seu iPhone em uma piscina em um santuário de animais de Cornish, no Reino Unido, e o aparelho acabou resgatado por uma lontra.

A Lontra-anã-oriental chamada Starsky mergulhou até o fundo da piscina e segurou com as patas o iPhone. Ao retornar à superfície, o animal entregou o aparelho para a funcionária do santuário Jenny Lewis.

Leia Mais

Montanhistas gravam erupção vulcânica que deixou 31 mortos no Japão

4z358apcwwu4svqwheo9pbxhp

publicado no iG

O momento da inesperada erupção foi registrada pela câmera de celular de um dos montanhistas que estavam no local.

Assista clicando no link abaixo:

Montanhistas gravam erupção de vulcão que matou 31 no Japão

Centenas de pessoas caminhavam pela montanha quando o vulcão entrou em erupção. A maioria conseguiu sair com segurança, mas muitos foram atingidos pela chuva de rochas e cinzas e nuvens de gás tóxico lançadas pelo vulcão.

O número de pessoas que ainda estão na região é incerto. Fumaça continuava saindo do vulcão nesta segunda-feira (29). Mais de 1.100 homens trabalham na operação de busca.

Leia Mais