Americana de 113 anos mente idade para entrar no Facebook

Face-da-Vovó

Publicado no Catraca Livre

Ontem, véspera de seu aniversário de 114 anos, a americana Anna Stoehr decidiu entrar no Facebook, mas percebeu que o ano de seu nascimento, 1900, não foi listado como uma opção para registro de idade na rede social.

Sem alternativa, recorreu ao que muitos jovens fazem todos os dias para ter acesso ao site: mentiu a idade, já que na rede social só é possível colocar a data a partir de 1905. Para o Facebook, Anna tem 99 anos.

Facebook-Vovó

A americana passou a se interessar por tecnologia quando ficou amiga de Joseph Ramireza, um representante de vendas da Verizon que vendeu um iPhone para seu filho de 85 anos de idade.

Ele comentou a idade da mãe, e Joseph quis conhecê-la. Ficaram tão amigos que ele passou a ensinar Anna a ser uma pessoa conectada. Hoje, com seu iPad, é comum vê-la conversando com amigos e familiares pelo Face Time.

Para chamar à atenção do fundador da rede social, Mark Zuckerberg, a americana, também com a ajuda de Joseph, escreveu uma carta, na qual ela diz: “Eu ainda estou aqui”. Sim, usando uma máquina de escrever.

Nos registros de uma organização que mapeia indivíduos centenários, Anna, que é de Minessota, é a sétima pessoa norte-americana mais velha. A mais idosa é uma morada de Arkansas, de 116 anos.

Comentários

Leia Mais

Petrobras lança cartão fidelidade para a base aliada

Abasteça os cofres públicos com combustível aditivado e ganhe milhas para viajar em jatinhos de empresários
Abasteça os cofres públicos com combustível aditivado e ganhe milhas para viajar em jatinhos de empresários

Publicado impagavelmente no site da Piauí

POSTO IPIRANGA – Preocupada com a possível fuga de clientes VIP, a diretoria de abastecimentos ilícitos da Petrobras lançou um cartão de fidelidade para a base aliada. “Cada centavo desviado se transforma em pontos, que podem ser trocados por viagens a paraísos fiscais, jantares de luxo na Ilha de Caras, passeios de iate e ingressos para visitas guiadas ao Instituto Lula”, diz o texto publicitário.

Insatisfeito com as condições do programa, o PMDB enviou um lobista para negociar quilômetros de vantagem. “Queremos que 3% de cada contrato seja revertido para ações de caridade”, reiterou o partido.

A base aliada pleiteia ainda um sorteio mensal batizado de Fidelidade Premiada.

Comentários

Leia Mais

Pessoas em casamentos felizes vivem mais, afirmam pesquisadores

foto: Corbis
foto: Corbis

Publicado no F5

Quanto tempo uma pessoa pode viver?

Tentando responder a essa questão, dois pesquisadores da Universidade da Pensilvânia desenvolveram um questionário com oito perguntas.

Elas foram desenvolvidas baseadas em dados da população americana e está disponível em inglês.

O internauta responde se é casado (ou pretende se casar ou está solteiro), cor, sexo, se fuma, idade e quanto tempo se exercita por semana, além de confessar se usa sempre cinto de segurança e quantas milhas roda de carro por ano.

“Esses são os maiores fatores de risco que nós temos sólidas evidências”, disse Lyle Ungar, professor de ciência da computação e informação da Universidade da Pensilvânia, à revista “Time”.

“Se você está em um casamento feliz, você tem grandes chances de viver mais. Isso talvez seja mais importante quanto fumar, o que quer dizer que é muito importante”, ele acrescentou.

Comentários

Leia Mais

Igreja Universal vai indenizar ex-pastor incentivado a fazer vasectomia para ser promovido a bispo

Igreja Universal do Reino de Deus pagará R$ 100 mil a ex-pastor que teria sido obrigado a fazer vasectomia (foto: Carlos Ivan / Agência O Globo)
Igreja Universal do Reino de Deus pagará R$ 100 mil a ex-pastor que teria sido obrigado a fazer vasectomia (foto: Carlos Ivan / Agência O Globo)

Publicado no Extra

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) terá que pagar uma indenização de R$ 100 mil a um ex-pastor. O religioso foi incentivado a fazer cirurgia de vasectomia com a promessa de promoção para o cargo de bispo da congregação. A decisão foi tomada pela Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

No processo, o ex-pastor informou que trabalhou na igreja entre 1995 e 1997, em Itapevi, na Região Metropolitana de São Paulo. Ele recebia um salário que chegava a R$ 1 mil, com comissões. Em reuniões na cúpula da igreja, ele teria recebido a promessa de promoção ao cargo de bispo na África. Só que para isso teria de fazer a vasectomia. De acordo com ele, o motivo da exigência era que a nova função exigiria dedicação total, e o desempenho poderia ser prejudicado se tivesse filhos.

Na ação trabalhista, ele disse que essa exigência era sempre lembrada, inclusive com promessas de salário maior, apartamento e carro de luxo. No ano de 1996, submeteu-se à cirurgia, às custas da Igreja Universal. No processo, contou que a essa “imposição” frustrou sua ex-esposa, que queria ser mãe, e causou o divórcio do casal em 1997.

A IURD se defendeu lembrando que na Igreja a maioria dos pastores e bispos casados possui filhos, e que o grau de zelo para com o ministério religioso não é avaliado pela ausência de prole. “Esta não é condição para o seu exercício”. Ainda segundo a igreja, a opção de submeter-se à cirurgia e a escolha do momento decorreu da manifestação de vontade do ex-pastor.

O processo

Primeiramente, a Primeira Vara do Trabalho de Itapevi (SP) julgou improcedente o pedido. O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP), porém, condenou a Universal a pagar indenização por danos morais.

Para o TRT, a exigência da vasectomia, paga pelo empregador, como condição “para a obtenção, manutenção, exercício ou promoção no trabalho, ainda que na profissão da fé”, é “conduta altamente reprovável” e contraria os direitos à dignidade da pessoa humana e de personalidade, de integridade psicofísica, intimidade e vida privada.

A Universal recorreu da decisão no TST. No entanto, o recurso não foi aceito pelo tribunal.

Comentários

Leia Mais

Para pagar TV, Valdemiro exige que fiéis doem R$ 15 milhões

Ricardo Feltrin, no UOL

Valdemiro Santiago (foto: Isadora Brant/Folhapress)
Valdemiro Santiago (foto: Isadora Brant/Folhapress)

O apetite de Valdemiro Santiago por dinheiro parece ser insaciável. O autointitulado “apóstolo” e líder da Igreja Mundial acaba de lançar mais um “carnê-desafio” destinado a arrecadar uma fortuna. Ele quer que 50 mil fiéis de sua igreja se mobilizem e se voluntariem a doar R$ 300, cada um, para a igreja. E essa doação tem de ser feita até o próximo dia 30. Segundo o pastor, o dinheiro será usado para pagar horários de TV que ele compra na TV aberta e os canais por assinatura que ele mantém.

“Também tem aluguéis das igrejas”, brada Santiago em pregação exibida pela TV Ideal (ex-MTV). O religioso também subiu o tom de seu discurso, quase que menosprezando fiéis que não teriam como colaborar. “Eu prego só para quem acredita, quem não acredita que fique de fora, não me importo.”

Depois, tentou se desculpar pelo tom mais agressivo. “Desculpem estar azedo, mas tenho muitas responsabilidades.”

A Igreja Mundial enfrenta grave crise financeira há quase dois anos, desde que uma longa reportagem exibida no “Domingo Espetacular” denunciou Santiago por apropriação de doações da igreja em benefício próprio, para compra de fazendas, gado e outros imóveis e propriedades.

Investigado pelo Ministério Público (e possivelmente pela Receita Federal), acabou tendo de vender muitos bens, inclusive a suntuosa fazenda e o gado que apareceram na reportagem da Record. A denúncia causou ainda um êxodo de fiéis assustados com a denúncia, mas outro tanto acreditou no discurso do pastor: era tudo intriga e perseguição da Igreja Universal (de Edir Macedo, dono da Record).

Macedo literalmente acabou por tirar Santiago quase que completamente da TV aberta, comprando quase todos os horários de outras emissoras que eram vendidos para a Mundial.

Entre outras TVs, a Universal conseguiu tirar o canal 21 da Mundial, que o havia alugado da Band. O motivo da rescisão de contrato da Band foi justamente devido a atrasos constantes no pagamento do aluguel. A Universal também passou a ocupar as madrugadas da Band no lugar da Mundial.

Graças à fiscalização tacanha e quase inexistente e a uma legislação arcaica, nebulosa e jamais obedecida, a compra de horários de TVs por igrejas e demais programas de televendas (os chamados caça-níqueis)  não é fiscalizada e nem sequer disciplinada pelo Ministério da Comunicação ou Anatel — órgãos que pouco ou nada fazem para coibir que muitos vendilhões ocupem horários de TVs.

Comentários

Leia Mais