Antes de atirar a primeira pedra

janela_quebrada_atirar_pedraRicardo Gondim

“Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra…”.
João 8:7

Para ganhar o direito de apontar o dedo, cabe a cada um o dever de olhar para dentro de si. Para julgar é preciso ter consciência de que a régua que mede os demais também mede o juiz. Quem deseja manter contabilidade dos erros alheios tem que estar ciente do livro que vem sendo redigido sobre os próprios pecados.

Antes de atirar a primeira pedra convém fazer algumas perguntas:

  1. A injustiça social, tão condenada na tradição profética da Bíblia, me incomoda? Eu a considero pecado?
  2. Consumismo e materialismo me fascinam? Perco a tranquilidade por não alcançar os desejos suscitados pela propaganda?
  3. Amo o resplendor do poder, a pompa da glória e a espetaculosidade que o dinheiro promove?
  4. Minha vida se caracteriza por frivolidade? Os novos ricos superficiais me consideram um dos seus?
  5. Gasto quanto tempo de minha vida engajado em procurar o direito do órfão e da viúva – metáforas vivas do pobre?
  6. Sou intolerante e raivoso com os diferentes? Perco a paciência ao perceber outras pessoas com a razão que, outrora, eu entendia estar comigo?
  7. Nutro inveja? Quando noto outras pessoas preferidas acima de mim fico amuado? Me ressinto de que exista gente mais inteligente, mais rica, mais bem relacionada e mais saudável que eu?
  8. Me sinto ofendido com facilidade? Quando outros parecem não perceber minha presença ou sem valorizar o tanto que eu acho merecer, fico chateado?
  9. Orgulho se insinuou em minha alma? Dou excessiva importância a posição, título e reputação? Tenho medo de perder dinheiro, audiência, respeitabilidade e bom trânsito entre meus pares se expor honestamente minhas convicções?
  10. Meus negócios e minha vida profissional precisam de anonimato? O meu metro tem cem centímetros? O meu quilo tem mil gramas?
  11. Divulgo bisbilhotices? Nutro um prazer mórbido de conversar sobre fracassos alheios? Fantasio histórias inverídicas sobre a vida particular dos outros?
  12. Critico sem amor? Minha fala vem com ranho?
  13. Sou verdadeiro no que falo, ou antes exagero, procurando dar uma impressão falsa sobre mim e sobre minhas convicções?
  14. Vivo sem compromisso com o futuro, na lógica do “comamos e bebamos porque amanhã morreremos”?
  15. Caminho sob a bandeira da gratidão, constantemente reconhecido das inúmeras pessoas que me deram a mão, investiram, perdoaram e cuidaram de mim? E que sem elas eu não seria quem sou hoje?

Só depois desse olhar introspectivo alguém pode ser atrever a sentar na cadeira de Moisés, julgar e sentenciar um apedrejamento.

Eu não me atrevo.

Soli Deo Gloria

fonte: site do Ricardo Gondim

Comentários

Bebês choram à noite para… impedir noite romântica dos pais

Segundo estudo, filhos são ‘programados’ para monopolizar atenção dos pais e impedir que tenham forças para tentar outra gravidez

De acordo com autor da pesquisa, nascimento de irmãos mais novos em pouco tempo está ligado a aumento da mortalidade infantil

Bebês choram para impedir que pais tenham energia para tentar outra gravidez (foto: StockPhoto)

Bebês choram para impedir que pais tenham energia para tentar outra gravidez (foto: StockPhoto)

Publicado em O Globo

Pais com bebês pequenos ficam tão cansados que, quando estão na cama, sozinhos, só pensam em dormir. Isso não é novidade e acontece com casais de todas as classes sociais. A novidade é que os bebês fazem tudo de caso pensado. Segundo estudo americano, eles são “programados” para chorar à noite e deixar seus pais exaustos. O motivo? Eles não querem a concorrência de irmãozinhos mais novos.

A pesquisa da Universidade de Harvard afirma que a questão é biológica. O nascimento de um irmão mais novo em curto período de tempo está associado ao aumento da mortalidade infantil, especialmente em famílias com poucos recursos e em locais com surtos de doenças infecciosas.

De acordo com os cientistas, a amamentação durante a noite também é uma adaptação dos bebês na estratégia de não permitir a nova gravidez. Mulheres que dão de mamar de madrugada têm um período de infertilidade maior.

- Noites de vigília aumentam na segunda metade do primeiro ano de vida infantil e são mais comuns em bebês alimentados com leite materno – disse David Haig, biólogo evolucionista e autor do estudo, ao “Daily Mail”. – A seleção natural é preservada … o comportamento de crianças que suprimem a função ovariana das mães acontece pois elas se beneficiam com o atraso do próximo nascimento.

Haig afirma que, apesar de saberem os benefícios da amamentação, muitas mães desconhecem que o fato de dormirem pouco também pode ajudar:

- A fadiga materna pode ser vista como parte integrante da estratégia de uma criança para estender o intervalo entre nascimentos.

Segundo Siobhan Freegard, fundador de um dos maiores sites de paternidade da Inglaterra, é tudo um plano da Mãe Natureza.

- O espaçamento entre irmãos daria mais tempo para a mãe se recuperar do parto e também para a criança se tornar mais independente da amamentação, aumentando suas chances de sobrevivência. Por isso esta pesquisa faz todo o sentido – Analisou Freedard. – A última coisa que novas mães esgotadas querem é pensar em outra gravidez.

Comentários

Quanto mais tempo no Facebook, mais as mulheres ficam inseguras com a aparência

Segundo estudo, fotos de conhecidos podem influenciar mais na impressão negativa do que as de celebridades

Pesquisaram acompanharam a relação de 881 estudantes do sexo feminino nos Estados Unidos com a rede social (foto: REUTERS/Dado Ruvic/File)

Pesquisaram acompanharam a relação de 881 estudantes do sexo feminino nos Estados Unidos com a rede social (foto: REUTERS/Dado Ruvic/File)

Publicado em O Globo

Passar muito tempo no Facebook olhando as fotos de amigos pode tornar as mulheres inseguras sobre sua imagem corporal, sugere uma nova pesquisa feita por especialistas do Reino Unido e dos Estados Unidos. Quanto mais elas estão expostas a “selfies” e outras imagens semelhantes em mídias sociais, maior é a comparação negativa. Ainda segundo o estudo, as fotos de amigos e conhecidos pode influenciar mais nessa avaliação do que a de celebridades.

O trabalho foi o primeiro a relacionar o tempo gasto em redes sociais à impressão de má aparência corporal. Os resultados apontam que os meios de comunicação são conhecidos por influenciar a forma como as pessoas se sentem sobre sua aparência. No entanto, pouco se sabia sobre o impacto das mídias sociais na autoimagem.

A pesquisa avaliou que as mulheres jovens são grandes usuárias de redes sociais e postam mais fotos próprias do que os homens. Para realizar a avaliação, os pesquisadores da universidade britânica de Strathclyde e das universidades americanas de Ohio e de Iowa pesquisaram 881 estudantes do sexo feminino. Elas responderam perguntas sobre uso Facebook, alimentação, regime, exercícios e imagem corporal.

Conclusões

As conclusões foram apresentadas em uma conferência em Seattle. Não foi encontrada nenhuma ligação entre as redes sociais e transtornos alimentares. No entanto, ficou clara a relação entre o tempo gasto em redes sociais e comparações negativas sobre imagem corporal.

- A atenção aos atributos físicos pode ser ainda mais perigosa nas mídias sociais que na mídia tradicional, pois os participantes são pessoas que conhecemos – descreveu a professora da Universidade de Strathclyde Petya Eckler.

Ela salientou que a imagem corporal é parte fundamental para a formação do nosso senso de identidade, não sendo apenas uma questão de vaidade pessoal.

- A preocupação com o peso e a forma é um fenômeno global e uma das principais características da cultura popular atual. O fascínio com celebridades, seus corpos, roupas e aparência aumentou a pressão que as pessoas normalmente sentem em relação à sua aparência – observou Petya.

Comentários

Guitarrista espanhol “briga” com gato em vídeo

Publicado no Guitarload

Um vídeo do guitarrista espanhol Tony Martinez está fazendo sucesso no YouTube. O músico tentava gravar um vídeo quando foi interrompido por seu gato, chegando a entrar em uma “briga” com o bicho de estimação.

Assim que começa a tocar a música, o gato sobe no colo de Tony e faz questão de não descer de seu cantinho confortável. Enquanto Martinez faz de tudo para continuar a tocar o instrumento, o felino vai ficando bravo e chega a morder a mão do próprio dono, que cai na risada.

Comentários

Sucesso na rede, fotos de família ‘constrangedoras’ ganham mostra nos EUA

Publicado na BBC Brasil

O museu Califórnia Heritage, em Los Angeles, exibe até o dia 27 de julho a mostra “The Awkward Family Photos” (as fotografias de família constrangedoras, em inglês), organizada pelos criadores do site de mesmo nome.  A exposição – divida em temas como férias, crianças, avós, casamentos e aniversários – pretende entreter os visitantes com cliques feitos em família que em na maioria dos casos resultaram em fotografias pra lá de estranhas.

140409011639_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com

O site Awkwardfamilyphotos.com nasceu por iniciativa dos amigos Mike Bender e Doug Chernack, que começaram um blog em 2009 depois que um deles viu uma foto de família constrangedora pendurada na parede da casa de seus pais. Bender e Chernak pensaram que devia haver mais gente com fotografias tão estranhas quanto. Por isso, criaram a página onde fosse possível compartilhá-las.

140409011549_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com

Eles começaram colocando fotos de família próprias e de amigos. Em pouco tempo, o site virou um sucesso. A exposição foi feita para celebrar ‘a experiência de ser parte de uma família’ e permitir que sejam vistos estes momentos ‘deliciosamente constrangedores’ que fazem parte da vida de membro de uma família.

140409011510_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com

No museu, os visitantes ainda podem fazer fotos com seus parentes que sejam capazes de rivalizar com as da exposição. Os responsáveis pela exposição dizem que escolheram as fotografias que fizeram mais sucesso no site e algumas de suas imagens favoritas. ”Fazia tempo que tínhamos a ideia de fazer uma exposição. É uma forma de celebrar as famílias”, dizem os organizadores.

140409011359_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com

“Esta exposição enfatiza o fato que todos somos estranhos e temos isso em comum com todas as outras famílias”, dizem os dois criadores do site.

 

140409011310_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com 140409011149_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com 140409010833_familia_976x549_awkwardfamilyphotos.com 140409011103_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com 140409010938_awkwardfamilyphotoscom_976x549_awkwardfamilyphotos.com

Comentários