Bela Dilma ova (6)

Senhora – diz o obstetra – apesar de faltarem dois meses para dar a luz já sabe o nome que dará à sua nenê?

- Não doutor, vamos aguardar o final das eleições, não podemos ainda dar nome à nossa filha.

- Mas…. por quê?

- Doutor, vai depender do partido que ganhar, aí sim saberemos qual o nome que daremos à nenê.

- Sua filha vai se chamar Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Social Democrata do Brasil (PSDB), PSOL, Partido Verde (PV)?

- Não, não.

Se ganhar o PSOL o nome será Consuelo.
Se ganhar o PSDB a chamaremos Vitória.
Se ganhar o PV a chamaremos Esperança.
Se ganhar o PT a chamaremos de Socooooorro.

dica da Mercia Carvalhaes

Comentários

Um executivo que garante que vai para o céu

Desde que foi escolhido para a presidência executiva da maior produtora de carne dos Estados Unidos, em novembro, Donnie Smith ajudou a salvar a Tyson Foods Inc. de um dos momentos mais difíceis de sua história.

O esbelto Smith, de 50 anos, trabalha à sombra de uma das famílias mais poderosas no mundo da alimentação. A família de Don Tyson, o magnata de 80 anos que ajudou a transformar a produção de frango num negócio de escala industrial, possui cerca de 70% das ações da empresa com direito a voto, e seu filho, John, preside o conselho.

Smith, que dá aula de catecismo aos domingos, diz que uma de suas tarefas mais importantes como diretor-presidente é promover uma cultura ética. A empresa emprega 120 capelães e Smith publica no blog da empresa textos sobre a importância da integridade. Ele diz que não está preocupado com o risco de não ir para o céu, porque “alimentar as pessoas é um objetivo louvável”.

De seu escritório oval, Smith falou sobre conduzir um rebanho. Trechos:

WSJ: Em seu blog interno na empresa, o sr. menciona que seu livro favorito é a Bíblia. A fé do sr. influencia a maneira como administra?

Smith: Não dá para dizer “cuido da minha fé no domingo de nove ao meio dia, e no resto do tempo cuido é de mim ou administro meu negócio”. Minha fé influencia a maneira como penso, o que faço, o que digo. Há muitos ensinamentos bíblicos fundamentais para gerir um bom negócio. Ser justo e dizer a verdade são ensinamentos da Bíblia.

WSJ: Mas até que ponto vai a moral numa empresa?

Smith: Vamos fazer o que é certo. E vamos fazer o que é certo por uma razão: porque é o certo. Veja bem, temos 117.000 empregados. Sempre vai existir alguém que vai driblar isso. Mas vamos corrigir isso.

WSJ: A Bíblia diz que as chances de um homem rico ir para o céu não são muito grandes. Será que o diretor-presidente de uma companhia na lista de 500 maiores da “Fortune” vai para o céu?

Smith: Este aqui vai, porque fiz o que a Bíblia disse que tinha de fazer para ir para o céu. Alimentar as pessoas é um objetivo louvável para se ter na vida.

Scott Kilman, no The Wall Street Journal [via Valor Econômico]
dica da Marília César

Comentários

A igreja traiu Jesus

Juan G. Bedoya

Jesus, o fundador cristão, levantou-se contra a casta sacerdotal de seu tempo. Os teólogos da Associação João XXIII o fazem agora contra o poder episcopal. Confirmaram-no ontem com um manifesto no qual lançam “um desafio” aos fiéis no nazareno crucificado junto a Jerusalém há mais de dois mil anos. “Acabou-se o tempo dos silêncios. São tempos de testemunho, de compromisso, de avivar a fé em Jesus, de seguir suas pegadas, fazer nossas as demandas de serviço e solidariedade com os mais deprimidos, e ajudar a implantar o reino de Deus entre nós como reino de justiça, de paz, de liberdade, de igualdade e fraternal solidariedade”, proclama a mensagem final do trigésimo congresso da organização.

Pouco antes, o jesuíta Jon Sobrino (foto ao lado) dissera em sua palestra de fechamento que “a Igreja traiu Jesus”. “Esta igreja não é a que Jesus quis. Esta é a idéia que tenho agora, velho e meio cego, na espera da morte”, disse ele aos congressistas. Mais tarde, na coleta celebrada durante a eucaristia, foram arrecadados 17.000 euros que se destinarão a projetos de solidariedade com a África, a América Latina e a Ásia.

O paraninfo do sindicato Comissiones Obreras em Madri sentiu-se pequeno para acolher os pensadores cristãos convocados pela Associação João XXIII para refletir sobre Jesus de Nazaré. Isso se esperava. Ninguém como o fundador cristão gera na Igreja católica tanto entusiasmo e tanta polêmica, desde os que sublinham sua face humana, radical, corajosa, combativa contra os poderosos, aos que o preferem como um ser supremo e divinamente pacificador. Grande parte das sanções da Congregação para a Doutrina da Fé, que é como se chama agora o velho e sinistro Santo Ofício daInquisição, tem origem em escritos sobre o famoso nazareno crucificado.

Para manter-se saudável, a mensagem do congresso inicia com uma proclamação doConcílio de Calcedônia, do ano de 451. “Reafirmamo-nos na doutrina de que Jesus Cristo é perfeito na divindade e na humanidade, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, pelo qual suas duas naturezas, a divina e a humana, estão unidas sem confusão”.

Os teólogos fundem, assim, o Jesus histórico e o Cristo da fé, porém não renunciam aos seus princípios, que tanto incomodam os bispos. “À pergunta de Jesus aos seus discípulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?”“, fiéis católicos, ortodoxos e protestantes, numa manifestação de ecumenismo ativo, expressaram a dimensão da fé num Jesus libertador, companheiro de viagem, plenamente atual para um mundo que sofre a violência, a discriminação, a intolerância, os fanatismos, os abusos com as classes mais desfavorecidas, a fome…”, acrescentam.

Tampouco se esquece o manifesto direito do discreto papel das mulheres na Igreja romana. “Jesus abre uma porta de esperança e produz segurança, respeito e dignidade à mulher em meio a uma sociedade que com frequência a rechaça, e na qual os órgãos de decisão e poder procuram convertê-la em instrumento de prazer ou serviço, reduzindo-a a um plano de subordinação com respeito ao varão; considera-se totalmente contrário à prática da lapidação ou à negativa à ordenação de mulheres, considerada maneirosamente pela hierarquia como um grave delito, ao mesmo nível que a pederastia”.

Jesus manteve uma relação de amizade com as mulheres, “na qual fica patente a cumplicidade e a sintonia”, acrescenta a mensagem. A teóloga Mariola López Villanueva, da congregação dos Sagrados Corações, havia colocado antes que, quem sabe, em vez de perguntar-se o que Jesus ensinava às mulheres, seria melhor perguntar-se o que Jesus aprendeu das mulheres.
Continue lendo

Comentários