Eclipse total deixará Lua avermelhada na madrugada de quarta

eclipse-lunar-podera-visto-todo-brasil-madrugada-amanha
publicado no Planeta Sustentável

Um eclipse total da Lua acontece na madrugada desta quarta-feira (8). Segundo a NASA, o fenômeno será mais bem observado no oceano Pacífico e em seu entorno. Mas também será visível em diversos estados brasileiros.

No Brasil, quanto mais a oeste estiver o observador, melhor ele poderá ver o eclipse. No Acre e no extremo oeste do Amazonas, o fenômeno deve começar por volta das 5h30, permitindo boa visualização.

Nessa área, quem acordar de madrugada e olhar em direção à Lua, a oeste, verá o satélite natural escurecido e tingido por um tom avermelhado.

Na faixa que inclui Roraima, a maior parte do Amazonas, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o eclipse começa em torno de 6h30. Mesmo com o dia claro, deve ser possível notar a mudança na coloração da Lua nessas áreas.

No restante das regiões Norte e Centro-Oeste, e também no Sul e no Sudeste, o eclipse vai começar às 7h30, já de dia, o que vai dificultar sua visualização. No Litoral do Nordeste, o fenômeno não será visível.

A zona ideal para observar esse eclipse inclui a costa oeste dos Estados Unidos, o norte do Japão, o leste da Austrália, a Nova Zelândia, o Havaí e a Polinésia.

Quem estiver lá vai poder apreciar plenamente os tons turquesa e cor de cobre que devem colorir a Lua enquanto a Terra bloqueia os raios solares que a iluminam.

Especialistas da NASA explicam que essas cores são resultado da filtragem da luz solar nas várias camadas da atmosfera terrestre. Raios luminosos que atravessam as camadas inferiores ficam avermelhados. Já aqueles que cortam a camada de ozônio na estratosfera ficam azulados.

Ao passar pela atmosfera terrestre, a luz solar sofre refração e difração. Uma pequena parte dela chega até a Lua, o que faz com que o satélite natural não fique totalmente escuro durante o eclipse.

Comentários

Leia Mais

Consciência pode permanecer por até três minutos após a morte, diz estudo

morte_verbena5
publicado no O Globo

Aquele túnel com uma luz brilhante no fundo e uma sensação de paz descritos por filmes e outras pessoas que alegaram ter passado por experiência de quase morte podem ser reais. No maior estudo já feito sobre o tema, cientistas da Universidade de Southampton disseram ter comprovado que a consciência humana permanece por ao menos três minutos após o óbito biológico. Durante esse meio tempo, pacientes conseguiriam testemunhar e lembrar depois de eventos como a saída do corpo e os movimentos ao redor do quarto do hospital.

Ao longo de quatro anos, os especialistas examinaram mais de duas mil pessoas que sofreram paradas cardíacas em 15 hospitais no Reino Unido, Estados Unidos e Áustria. Cerca de 16% sobreviveram. E destes, mais de 40% descreveram algum tipo de “consciência” durante o tempo em que eles estavam clinicamente mortos, antes de seus corações voltarem a bater.

O caso mais emblemático foi de um homem ainda lembrou ter deixado seu corpo totalmente e assistindo sua reanimação do canto da sala. Apesar de ser inconsciente e “morto” por três minutos, o paciente narrou com detalhes as ações da equipe de enfermagem e descreveu o som das máquinas.

– Sabemos que o cérebro não pode funcionar quando o coração parou de bater. Mas neste caso, a percepção consciente parece ter continuado por até três minutos no período em que o coração não estava batendo, mesmo que o cérebro normalmente encerre as atividades dentro de 20 a 30 segundos após o coração – explicou ao jornal inglês The Telegraph o pesquisador Sam Parnia.

Dos 2.060 pacientes com parada cardíaca estudados, 330 sobreviveram e 140 disseram ter experimentado algum tipo de consciência ao ser ressuscitado. Embora muitos não se lembrassem de detalhes específicos, alguns relatos coincidiram. Um em cada cinco disseram que tinha sentido uma sensação incomum de tranquilidade, enquanto quase um terço disse que o tempo tinha se abrandado ou se acelerado.

Alguns lembraram de ter visto uma luz brilhante, um flash de ouro ou o sol brilhando. Outros relataram sentimentos de medo, afogamento ou sendo arrastado pelas águas profundas. Cerca de 13% disseram que se sentiam separados de seus corpos.

De acordo com Parnia, muito mais pessoas podem ter experiências quando estão perto da morte, mas as drogas ou sedativos utilizados no processo de ressuscitação podem afetar a memória:

– As estimativas sugerem que milhões de pessoas tiveram experiências vivas em relação à morte. Muitas assumiram que eram alucinações ou ilusões, mas os relatos parecem corresponder a eventos reais. E uma proporção maior de pessoas pode ter experiências vivas de morte, mas não se lembrarem delas devido aos efeitos da lesão cerebral ou sedativos em circuitos de memória.

Comentários

Leia Mais

Papa pede debate franco sobre gays, divórcio e anticoncepcionais

VATICAN-RELIGION-POPE-SYNOD

Publicado em O Povo

O papa Francisco pediu ontem aos bispos, na Cidade do Vaticano, para opinar sem medo sobre questões contenciosas como contracepção, gays, casamento e divórcio. O apelo foi feito na III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família, que durará duas semanas. O encontro tem o objetivo de transformar os ensinamentos da Igreja Católica sobre a família, relevantes para os católicos atuais.

Francisco disse aos prelados que eles nem deviam temer lhe mostrar desrespeito, afirmando querer um debate franco que não deveria ser amenizado por temores em relação a algumas questões vistas tão como tabu que nem deveriam ser discutidas.

“Vocês devem dizer o que sentem que o Senhor diz a vocês”, afirmou o sumo pontífice. Ao mesmo tempo, ele pediu aos quase 200 cardeais, bispos e padres reunidos para ouvir uns aos outros com humildade e “receber com boa vontade o que os outros irmãos têm a dizer”. Em sermão solene em missa na basílica de São Pedro, que abriu formalmente o sínodo no domingo, 5, o santo padre fez o mesmo apelo, deixando claro que não lhe agradou uma disputa interna pública que precedeu o encontro.

Polêmica

O pontífice se referia ao fato de que, no mês passado, o cardeal norte-americano conservador Leo Raymond Burke e outros religiosos publicaram um livro defendendo com força que se continue negando a comunhão aos fiéis que se divorciam e voltam a se casar.

O principal alvo da recomendação foi o cardeal alemão Walter Kasper, para quem a Igreja deve encontrar formas de mostrar misericórdia às pessoas cujos primeiros casamentos fracassaram e que querem permanecer como parte integral da Igreja. (das agências)

Comentários

Leia Mais

Comunidade médica prega holocausto no Nordeste em campanha contra Dilma na web

Publicado no Último Segundo

Uma comunidade de quase 100 mil usuários numa rede social, que se declaram profissionais da classe médica brasileira, se tornou palco de uma guerra de classes no entorno da corrida presidencial, entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

Com o título de “Dignidade Médica”, as postagens do grupo pregam “castrações químicas” contra nordestinos, profissionais com menor nível hierárquico, como recepcionistas de consultório e enfermeiras, e propõe um “holocausto” entre os eleitores da petista.

7xqs4l622cxrbk7zpjgg3tfnb

Médicos, professores e estudantes de medicina estão entre os 97.901 membros da comunidade na rede social Facebook. Entre postagens de revolta com a situação da econômica do País e xingamentos a nordestinos, os participantes confessam que fazem campanha pró-Aécio até dentro do próprio consultório – público ou privado – convencendo os seus pacientes. Eles dizem que colocam “a recepcionista no lugar dela” com ameaças de que perderia o emprego com a reeleição de Dilma.

O discurso de ódio com conta com frases de “nível de conversa que pobre entende” e ameaças de expulsão do grupo caso o usuário se manifeste contra os ideais da página. Um usuário protesta: “70% de votos para Dilma no Nordeste! Médicos do Nordeste causem um holocausto por aí! Temos que mudar essa realidade!”.

tumblr_nd0xbqUItP1u0dgyno1_400

tumblr_nd0xkl28ex1u0dgyno1_400

tumblr_nd1kleUU7M1u0dgyno1_400

tumblr_nd1klhEBi61u0dgyno1_500

tumblr_nd1majjEOE1u0dgyno1_1280

As manifestações, no entanto, saíram das redes e foram denunciadas pelo tumblr “Médicos Indelicados”, que reúne os post mais inflamados e dá comentários irônicos aos desabafos dos profissionais de jaleco branco.

Procurado pelo iG, o Conselho Federal de Medicina (CFM), com sede em Brasília, afirmou ser “contra qualquer comentário ou ação que denote atitude preconceituosa”. Em nota, o órgão ponderou dizendo que todos os profissionais podem manifestar opiniões, “inclusive políticas”, mas considerando o “comportamento ético e o respeito às leis”. O CFM cita ainda uma investigação em casos que “extrapolem esses limites”.

tumblr_nd2i25kh2a1u0dgyno1_400

tumblr_nd2nypIrud1u0dgyno1_400

tumblr_nd3ettGM8G1u0dgyno1_400

Leia abaixo a íntegra da nota CFM ao iG sobre o caso:

“O Conselho Federal de Medicina (CFM) é contra qualquer comentário ou ação que denote atitude preconceituosa praticada por qualquer pessoa por conta de aspectos como etnia, origem geográfica, gênero, religião, classe social, escolaridade, orientação sexual ou posicionamento ideológico, entre outros. Esse entendimento representa a percepção da classe médica brasileira.

Para a Autarquia, o Brasil é um país democrático, onde todos os cidadãos devem e podem manifestar suas opiniões, inclusive políticas. No entanto, esta expressão deve ter como parâmetros o comportamento ético e o respeito às leis. Casos que extrapolem esses limites devem ser investigados pelas autoridades competentes.”

Comentários

Leia Mais

‘Chega de PT’, ou ‘Mais PT’, esta será a escolha que o eleitorado fará

ilustração: Internet
ilustração: Internet

No segundo turno, um plebiscito

Elio Gaspari, na Folha de S.Paulo

A doutora Dilma vai para o segundo turno sem uma plataforma clara. Em junho, durante a convenção do PT, ela anunciou um “Plano de Transformação Nacional” no qual, além de generalidades, prometeu uma reforma dos entraves burocráticos e um projeto de universalização do acesso à banda larga. Como? Não explicou. No seu lugar entraram autolouvações e manobras satanizadoras contra os adversários. Delas, a mais mistificadora é aquela que confunde os oito anos de Fernando Henrique Cardoso com uma ruína econômica e social. Foi o período de esplendor da privataria, época em que um hierarca do Ministério do Trabalho dizia que o aumento do número de brasileiros sem carteira assinada era uma boa notícia, mas deve-se ao tucanato algo muito maior: o restabelecimento do valor da moeda. Sem isso, Lula, Dilma e o PT não teriam conseguido quaisquer avanços sociais. Por questão de justiça, reconheça-se que o DNA demofóbico de parte do tucanato seria um obstáculo para que fizesse o que Lula fez.

A ideia segundo a qual o PT precisa continuar no poder porque no poder deve continuar é pobre e pode funcionar como uma armadilha. Na noite de domingo, a doutora Dilma afirmou que o “povo brasileiro vai dizer que não quer os fantasmas do passado de volta”. Pode ser, desde que se entenda que o Brasil de FHC foi um castelo mal-assombrado. Mesmo nesse caso, o PT faz sua campanha pretendendo continuar no governo pelos defeitos do adversário, e não pelas suas próprias virtudes. Colocando a questão dessa maneira, deu a Aécio Neves a oportunidade de responder: “O Brasil tem medo dos monstros do presente”.

O desempenho da doutora no primeiro turno foi o pior desde 1998. Ficou em terceiro lugar em São Bernardo, no coração do ABC paulista. A bancada petista no Congresso perdeu 18 cadeiras. Em Pernambuco, foi dizimada. Boa notícia o PT só recebeu de Minas Gerais, onde o eleitorado negou ao PSDB o mandato que lhe daria 16 anos de poder ininterruptos. É isso que o PT busca na esfera federal. Nunca na história deste país um grupo político homogêneo ficou no poder por 16 anos.

Dilma vai para o segundo turno com a arma do favoritismo de quem ganhou no primeiro. Contudo faltam-lhe dois amparos. Agora o tempo de televisão será o mesmo e os debates serão mano a mano. Aécio, como fez o petista Fernando Pimentel em Minas, falará em desejo de mudança. É o “Chega de PT”. Dilma defenderá o “Mais PT”. Darão ao pleito um tom plebiscitário. Seria melhor se discutissem propostas para os próximos quatro anos. O PT carrega êxitos e escândalos, porém o programa de Aécio é mais uma coleção de platitudes e promessas. Seus capítulos para a educação e a saúde não enchem um pires. Se Marina Silva obtiver dele a meta de implantar em quatro anos o tempo integral nas escolas públicas, terá justificado sua passagem pela disputa. Em qualquer país que tivesse um sistema universal de saúde com uma clientela de 150 milhões de pessoas, suas deficiências seriam discutidas por todos os candidatos. O assunto ficou fora dos debates. Aconteceu a mesma coisa com os planos privados, que coletam recursos de 48 milhões de fregueses e financiam generosamente seus candidatos.

Comentários

Leia Mais