Foto em rede social faz musa da torcida belga perder contrato de modelo

axellePublicado no UOL

Durou pouco o sonho de Axelle Despiegelaere, a jovem torcedora belga de 17 anos que fez sucesso na Copa, nas arquibancadas brasileiras. Dois dias depois do anúncio de que a empresa L’Oreal a contratou como modelo, os laços foram cortados. Tudo por conta de uma foto em uma rede social.

O grande problema é que Axelle postou em seu Facebook uma foto participando de uma caçada.

aaaa

“Caçar é mais do que uma questão de vida ou morte. É muito mais importante que isso. Foto tirada há cerca de um ano. Hoje é dia de caçar americanos”, riu ela, em um post de 1 de junho.

Quando soube da imagem, a L’Oréal preferiu encerrar a parceria com ela, que participaria de tutoriais sobre cabelos.

Ao The Independent, a marca não confirmou que foi por conta da foto. Preferiu ser mais política: “A L’Oréal Professionnel da Bélgica colaborou com ela em uma propaganda veiculada em um vídeo promovido em vídeos sociais da Bélgica. O contrato foi concluído”.

A L’oreal, maior marca de cosméticos do mundo, diz não realizar testes em animais e faz campanhas sobre isso.

Comentários

7 fatos que provam que você e o cosmos estão intimamente conectados

Foto em longa exposição mostra a trajetória de estrelas durante a noite (Foto: flickr/creative commons/ ben a. king)

publicado na Galileu

que antes pertencia ao domínio da religião e do mito está, cada vez mais, tornando-se consenso na ciência: todas as coisas do Universo estão profundamente relacionadas umas com as outras.

Acredite: conforme os cientistas vão escavando os mistérios da realidade, fica cada vez mais evidente que parece haver uma profunda interdependência entre as coisas. Esta convicção, que já foi muitas vezes trazida à tona pela intuição humana, tem ganhado cada vez mais espaço na comunidade científica.

Existem certos fatos, já familiares à ciência, que podem dar origem a uma espécie de espiritualidade, similar àquela proporcionada pela religião. São descobertas grandiosas que nos recordam que fazemos parte de um grande todo, do qual somos inseparáveis. Elas reforçam a ideia de que a velha distinção homem versus natureza não faz sentido algum.

Separamos sete destes fatos, que têm grande impacto filosófico e podem te fazer olhar de outra forma para a realidade ao seu redor. Confira:

1 – Somos todos poeira das estrelas

A frase, tornada famosa pelo astrônomo Carl Sagan, significa basicamente que todos os elementos que formam os seres humanos, os vegetais, as rochas e tudo o mais que existe no planeta foram formados há bilhões de anos, durante a explosão de estrelas a anos luz de distância daqui. É isso mesmo: elementos pesados como o ferro que corre no nosso sangue, ou o ouro que compõe as nossas jóias, só podem ser sintetizados na natureza em condições extremas de temperatura e pressão – ou seja, quando uma estrela morre e explode violentamente, virando uma supernova. O material formado, então, se espalha pelo espaço interestelar, podendo dar origem a novas estrelas e planetas.

2 – Os átomos do seu corpo já pertenceram a outros seres vivos

A Terra é praticamente um sistema fechado – a matéria que existe aqui não escapa naturalmente para o espaço sideral. Logo, podemos concluir que todos os átomos existentes no planeta estiveram aqui desde o início, e circularam ao longo das eras por incontáveis ciclos químicos e biológicos. Isto quer dizer que os elementos que hoje compõem nossos corpos podem, perfeitamente, ter feito parte de um tiranossauro rex no passado, ou de uma árvore, uma pedra, ou até mesmo de outros seres humanos.

3 – Toda a vida na Terra tem um grau de parentesco

Quando olhamos para a exuberante biosfera que  existe em nosso planeta, é difícil acreditar que, nos primórdios da vida, o único ser se resumia a um organismo unicelular. Ao longo de bilhões de anos de evolução, as espécies foram se diferenciando e se adaptando a diferentes ambientes. Mas, por mais distintas que pareçam, todas têm um grau de parentesco umas com as outras, sem exceção. Todas tiveram um ancestral comum em algum momento.

4 – Quimicamente, animais e plantas se complementam

As árvores são nossas “primas”, e podem ser compreendidas como complexas fábricas naturais que sintetizam o gás carbônico, eliminando o oxigênio. No nosso caso, o processo é reverso – nós respiramos o oxigênio e expelimos gás carbônico. Podemos dizer então que os vegetais e os animais são, evolutivamente falando, perfeitos uns para os outros, e mantém uma relação de interdependência.

5 – Seu corpo é perfeitamente adaptado para viver na Terra

Não apenas o corpo humano, mas todos os seres vivos do planeta, são minuciosamente moldados para sobreviver no ambiente terráqueo. Se vivêssemos em um lugar com maior gravidade, por exemplo, nossos músculos e estrutura óssea teriam de ser bem mais resistentes para aguentar a pressão. O implacável processo de seleção natural se encarrega de escolher as espécies mais aptas à sobrevivência. De certa forma, toda a vida que conhecemos tem a cara da Terra, porque é perfeita para ela.

6 – No nível quântico, não existem objetos sólidos

Quando tocamos em qualquer objeto, sentimos claramente que se trata de algo sólido, palpável. No entanto, a sensação não passa de um engano de nossos sentidos: são apenas as nuvens de elétrons dos átomos de nossa pele interagindo com as nuvens eletrônicas do objeto. O que se pode chamar de sólido é o núcleo dos átomos, mas eles jamais se tocam. Os átomos são compostos quase que inteiramente de vazio.

7 – Partículas subatômicas podem estar conectadas mesmo a milhões de anos luz uma da outra

Não importa que uma das partículas esteja na Via Láctea e a outra na vizinha Andrômeda – se houver entre elas o chamado entrelaçamento quântico, uma é parte indissociável da outra. Elas se influenciam instantaneamente, superando até mesmo a velocidade da luz. Isto é possível pois o princípio sugere que a matéria universal esteja interligada por uma rede de “forças”, sobre a qual pouco conhecemos, que transcende até mesmo nossa concepção de tempo e espaço.

 

Comentários

Garota de 17 anos com 2,13 m de altura é a adolescente mais alta do mundo

publicado no Jornal Ciência

Rumeysa Gelgi que tem uma altura total de 213,6 centímetros, recebeu o prêmio Guinness World Record em uma apresentação especial em sua cidade natal de Safranbolu, Karabük.

Rumeysa é uma estudante do ensino médio do 11º ano e vive em casa com seus pais e irmãos mais velhos, que são todos de altura “normal”. Sua altura é causada por uma doença chamada Síndrome de Weaver – um problema genética raro que causa um rápido crescimento.

Além de sua altura, as mãos de Rumeysa cresceram em um tamanho total 24,5 centímetros e pés 30,5 centímetros – o equivalente a um número maior que a média que homens usam.

Seu tamanho dá a ela uma série de problemas e, alguns deles, é a mobilidade, já que ela necessidade andar boa parte do tempo em cadeira de rodas.

Os sapatos de Rumeysa são feitos nos Estados Unidos porque não existem números compatíveis com o dela em sapatos femininos na Turquia. Ela disse que, apesar de ter sido alvo de provocações cruéis sobre sua aparência no passado, a negatividade das pessoas já não a perturba, e ela não se importa com pessoas ignorantes.

Ela disse que em vez disso, ela se concentra nos aspectos positivos de ser alta: “Eu gosto de ser diferente de todos os outros. É interessante e me faz sentir especial. A altura também me proporciona fácil acesso a lugares altos, e olhar para as pessoas de cima não é uma coisa ruim”.

O Dr. Ömer Hakan Yavaşoğlu foi o responsável por realizar as medições oficiais de Rumeysa. De acordo com as diretrizes do Guinness World Records, elas foram realizadas em três momentos diferentes no mesmo dia. A representante oficial do Guinness declarou: “Guinness World Records celebra a diversidade e reconhece pessoas extraordinárias em todo o mundo. A Rumeysa Gelgi tem mostrado grande coragem na maneira como lida com sua condição e é hora de conhecê-la e premiá-la com o título de mais alta adolescente do mundo”.

Os médicos disseram que Rumeysa não deve crescer mais, ou seja, ela dificilmente baterá o recorde de pessoa mais alta do mundo, superando seu compatriota, Sultan Kösen, que mede 251 centímetros e tem o título de homem vivo mais alto.

A mais alta adolescente feminina do mundo foi a canadense Anna Haining Swan, que nasceu em 06 de agosto de 1846 e morreu em 5 de agosto de 1888, alcançando a incrível marca de 241,3 centímetros.

O homem mais alto já registrado é o americano Robert Wadlow que mediu 272 centímetros em 1940. O recorde de Rumeysa será apresentado em 2015, mas esse livro já estará disponível nas lojas a partir de setembro deste ano.

Comentários

30 coisas que você deve parar de fazer a si mesmo

publicado no Awebic

Marc e Angel são dois escritores que mantém um blog de mesmo nome (Marc and Angel Hack Life, em inglês). Por lá você encontra dicas para uma vida mais produtiva, mais saudável. Uma vida melhor.

Confira a lista de 30 coisas que você deve parar de fazer a si mesmo. Tradução feita pelo site LifeBuzz.com.

1. Pare de perder tempo com as pessoas erradas

A vida é muito curta para perder tempo com pessoas que sugam a sua alegria para fora de você. Se alguém quer você em sua vida, eles vão criar espaço para você. Você não deveria ter que lutar por um lugar. Nunca, jamais insista em aparecer diante de alguém que subestima o seu valor. E lembre-se, seus verdadeiros amigos não são as pessoas que estão ao seu lado quando você está vivendo seus melhores dias, mas sim aqueles que permanecem mesmo nos piores momentos.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (2)

Fonte: flickr.com

2. Pare de fugir dos seus problemas

Encare-os de frente. Não, não vai ser fácil. Não há ninguém no mundo capaz de sair ileso de cada pancada que leve. Não é esperado que estejamos aptos a imediatamente resolver quaisquer problemas. Simplesmente não somos feitos desta forma. Na verdade, somos feitos para nos irritarmos, nos entristecermos, nos machucarmos, tropeçarmos e cairmos. E é por isto ser a razão mesma de viver – encarar problemas, aprender, se adaptar, e resolvê-los ao longo do tempo. Isso é o que efetivamente nos molda na pessoa que nos tornamos.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (3)

Fonte: huffpost.com

3. Pare de mentir para si mesmo

Você pode mentir para qualquer outra pessoa no mundo, mas você não consegue mentir para si mesmo. Nossas vidas melhoram apenas quando arriscamos encarar as oportunidades, e a primeira e mais dificil oportunidade que podemos encarar é sermos honestos conosco mesmos.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (4)

Fonte: aberrantbeauty.tumblr.com

4. Pare de colocar as suas necessidades em segundo plano

A coisa mais dolorosa é perder-se de si mesmo no processo de “amar” alguém demais, e esquecer de que você é especial, também. Sim, ajude aos outros; Mas ajude-se também. Se existe um momento para correr atrás de sua paixão e fazer algo que realmente importa para você mesmo,este momento é agora.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (5)

Fonte: pinterest.com

5. Pare de tentar ser alguém que você não é

Um dos maiores desafios na vida é ser você mesmo em um mundo que tenta fazê-lo igual a todos os outros. Alguém sempre vai ser mais bonito, alguém sempre será mais esperto, alguém sempre será mais jovem, mas eles jamais serão você. Não mude para que os outros passem a gostar de você. Seja você mesmo e as pessoas certas vão amar quem você é de verdade.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (6)

Fonte: rawpowerlifter.com

6. Pare de se apegar ao passado

Você não pode iniciar o próximo capítulo da sua vida se você continua relendo o anterior.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (7)

Fonte: cmjornal.xl.pt

7. Pare de ter medo de cometer erros

Fazer algo e falhar é ao menos dez vezes mais produtivo do que não fazer nada. Todo sucesso deixa uma trilha de falhas atrás de si, e cada falha é um passo rumo ao sucesso. Você acaba se arrependendo muito mais das coisas que NÃO fez, do que daquelas que fez.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (8)

Fonte: imgwykop.pl

8. Pare de se reprender por velhos tropeços

Nós podemos amar a pessoa errada e chorar sobre as coisas erradas, mas não importa o quão erradas as coisas se tornem, uma coisa é certa, os enganos nos ajudam encontrar a pessoa e as coisas que são certas para nós. Todos cometemos enganos, temos tropeços e mesmo nos arrependemos das coisas em nosso passado. Mas você não é seus enganos, nem seus tropeços, e você está aqui AGORA com o poder de definir o seu dia e o seu futuro. Toda e cada coisa que aconteceu na sua vida está te preparando para um momento que ainda virá.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (9)

Fonte: ytimg.com

9. Pare de tentar comprar felicidade

Muitas das coisas que desejamos são caras. Mas a verdade é que, as coisas que realmente nos satisfazem, são totalmente grátis – amor, risadas e trabalhar naquilo que nos apaixona.

Coisas que você deve parar de fazer a si mesmo (10)

Fonte: wordpress.com

Continue lendo

Comentários

Aplaudir pôr do sol, abraçar… Veja o que surpreendeu os estrangeiros

Turistas que vieram para a Copa listam o que acharam mais surpreendente.
Pão de queijo, compras parceladas e falta de pontualidade foram citados.

O chileno Richard, o americano Joe, a estoniana Elsa e o suíço Lukas Bärtschi (foto: Arquivo pessoal)

O chileno Richard, o americano Joe, a estoniana Elsa e o suíço Lukas Bärtschi (foto: Arquivo pessoal)

Flávia Mantovani, no G1

O americano Joe Bauman, que veio para a Copa do Mundo no Brasil, achou estranho ver que todo mundo colocava algo que parecia areia na comida. Foi assim que ele descobriu a farofa e virou adepto. “Comecei a colocar farofa em tudo”, conta ele, que também ficou surpreso com as paisagens naturais, a obrigatoriedade de votar nas eleições e o interesse das brasileiras pelos gringos.

O G1 perguntou a Joe e a outros 11 estrangeiros que visitaram o Brasil durante o Mundial o que eles acharam mais curioso ou diferente aqui em relação a seus países de origem. As respostas foram variadas, mas um ponto se repetiu em quase todos os depoimentos: a surpresa positiva com o jeito alegre e receptivo do povo. Confira a seguir o que os turistas responderam:

O canadense Florent Garnerot (foto: Florent Garnerot/Arquivo pessoal)

O canadense Florent Garnerot
(foto: Florent Garnerot/Arquivo pessoal)

Florent Garnerot, do Canadá

- Na praia, os brasileiros ficam de frente para o sol, e não para o mar. Achei interessante!

- Os brasileiros se encontram, bebem juntos e dividem a conta. No Canadá, cada um paga o que consome.

- Aqui os casais se beijam e demonstram afeto em público, o que não acontece no Canadá.

- As mulheres sempre usam joias, maquiagem… Elas se arrumam muito.

- Quando quero encontrar um amigo no Canadá, preciso planejar com pelo menos uma semana de antecedência. Eles precisam falar com suas mulheres, etc. No Brasil, isso é muito mais espontâneo.

Joe, dos EUA (foto: Joe Bauman/Arquivo pessoal)

Joe, dos EUA (foto: Joe Bauman/Arquivo pessoal)

Joe Bauman, dos Estados Unidos

- Quando cheguei aqui, me perguntava por que todo mundo colocava areia na comida. Depois provei e vi que tinha gosto de bacon. E finalmente comecei a colocar farofa em tudo.

- Os brasileiros bebem muito. Todos os compromissos sociais envolvem amigos e cerveja.

- Achei estranho ver que muitas famílias de classe média têm empregadas domésticas. Nos EUA, só os ricos têm. Fiquei um pouco desconfortável de ver que uma estranha ia fazer minha cama, lavar minha roupa ou preparar meu café da manhã.

- Os brasileiros adoram dar comida para as visitas. É a forma de eles cuidarem de você.

- Fiquei impressionado de saber que os adultos são obrigados a votar. Nos Estados Unidos, temos taxas vergonhosamente baixas de comparecimento nas eleições.

- Fiquei maravilhado com as belezas naturais. As montanhas, as praias, a vegetação, tudo é diferente de onde eu moro. Não podia acreditar que existisse um parque do tamanho do da Tijuca dentro de uma grande cidade como o Rio.

- Fiquei impressionado de saber que foram criadas tantas Constituições no país e que a versão atual recebeu tantas emendas. É muito diferente da Constituição americana, que é muito antiga e foi modificada poucas vezes.

- Achei meio nojento ver que aqui jogam o papel higiênico na lixeira [e não no vaso sanitário]. Não fica um cheiro ruim?

- Aqui passam muitos programas de TV americanos, mas tudo da década de 1990. Achei engraçado ver que os brasileiros adoram o seriado “Friends”, que não vai ao ar nos EUA há mais de dez anos.

- As brasileiras parecem adorar os gringos. Estranho, né? Mas achei isso ótimo. Aliás, minha parte favorita do Brasil, com certeza, foram as brasileiras. Eu me apaixonei. Mais de uma vez. Certamente voltarei um dia ao Brasil para encontrar minha futura mulher.

- O coração e a alma deste país maravilhoso são os brasileiros. Eles queriam me mostrar tudo e se certificar de que eu tivesse uma boa experiência – e eu certamente tive!

O esloveno Luka (foto: Luka Jesih/Arquivo pessoal)

O esloveno Luka (foto: Luka Jesih/Arquivo pessoal)

Luka Jesih, da Eslovênia

- Os brasileiros falam alto, quase gritando, e muito rápido.

- Vocês comem MUITO. Muito mesmo. Passei uma semana com uma família brasileira e sempre tinha alguma comida ou fruta na mesa.

- Na Europa, tudo é mais calmo. No Brasil, quando as pessoas cantam o hino, elas choram, cantam alto e com muita emoção.

Richard Diaz (foto: Richard Diaz/Arquivo pessoal)

Richard Diaz (foto: Richard Diaz/Arquivo pessoal)

Richard Diaz, do Chile

- Fiquei surpreso de ver como é rápido fazer amigos aqui, tanto na favela quanto nos condomínios mais exclusivos.

- Percebi que os homens são muito machistas. Eles tratam as parceiras como empregadas deles, especialmente em relação às tarefas domésticas.

Adam, Pete e Dave (foto: Flávia Mantovani/G1)

Adam, Pete e Dave (foto: Flávia Mantovani/G1)

Adam Burns, David Bewick e Pete Johnston, da Inglaterra

- Achamos estranho ver que aqui vocês comem coração de galinha.

- Os brasileiros são muito vivos e cheios de energia. Vocês se mexem muito, estão sempre se mexendo.

- Vocês também sorriem muito.

Mohamed, da Argélia (foto: Flávia Mantovani/G1)

Mohamed, da Argélia (foto: Flávia Mantovani/G1)

Mohamed Moulkaf, da Argélia

- Na Argélia, não há mulheres que dirigem motos.

- Quase todas as lojas daqui parcelam as compras em várias vezes sem juros. Gostei disso. Dá para pagar o mesmo preço dividindo até em dez meses.

- Os seguranças de banco aqui andam armados. Lá, não é assim.

Kyle Dreher (foto: Kyle Dreher/Arquivo pessoal)

Kyle Dreher (foto: Kyle Dreher/Arquivo pessoal)

Kyle Dreher, do Canadá

- Quando você conhece alguém, dá dois beijinhos na bochecha. Isso é muito diferente do aperto de mão que a gente dá no Canadá.

- Adorei o queijo coalho com orégano na praia! E o milho também! Todo dia eu comia.

- No Brasil, as pessoas aproveitam mais a vida e o presente que no Canadá. Lá, todo mundo é muito focado em trabalho, dinheiro e status.

- Na favela perto de onde eu estava hospedado, soltavam fogos de artifício toda hora, de dia e de noite. No começo, achei que fossem tiros de revólver, mas depois descobri que é um sinal de que as drogas estão chegando por lá. Acabei me acostumando.

O chileno Rodrigo Escobar Rebolledo (foto: Rodrigo Escobar/Arquivo pessoal)

O chileno Rodrigo Escobar Rebolledo
(foto: Rodrigo Escobar/Arquivo pessoal)

Rodrigo Escobar Rebolledo, do Chile

- A amabilidade, a forma de receber as pessoas, a alegria e a simplicidade do povo brasileiro foram o que mais me chamou a atenção. Fomos tão bem recebidos em Cuiabá, que isso me marcou. Você perguntava algo e te indicavam tudo, te convidavam para churrascos.

- Vocês sempre têm um sorriso para mostrar. Nós chilenos também somos acolhedores, mas somos mais sérios, formais, calados.

- As garotas são lindas, carinhosas e simpáticas. Quero um dia ter uma esposa brasileira.

- Os brasileiros são muito relaxados, mais até do que se deve, às vezes. A turma marca de se encontrar “amanhã às 10h” e ninguém aparece.

- A parte ruim foi encontrar muita obra inacabada, pelo menos em Cuiabá.

Elsa (foto: Fernando Nunes/Arquivo pessoal)

Elsa (foto: Fernando Nunes/Arquivo pessoal)

Elsa Saks, da Estônia

- Estranhei o arroz com feijão. No início, pensei: “É sério isso?”. Mas acabei achando superdelicioso.

- Gostei muito do pão de queijo. Tão bom! Adorei.

- Músicos não são pagos pelo bar onde tocam, mas pelo couvert que os clientes pagam.

- Brasileiros jantam tarde. É normal comer às 22 horas.

- Os brasileiros não são bons em pontualidade.

Lukas (foto: Lukas Bärtschi/Arquivo pessoal)

Lukas (foto: Lukas Bärtschi/Arquivo pessoal)

Lukas Bärtschi, da Suíça

- Foi ótimo ver todo mundo na rua usando roupas amarelas, desde uma senhora idosa com chapéu do Brasil até uma criança com a camisa da Seleção.

- Ficamos surpresos de ver como tudo foi bem organizado. O ônibus para o estádio, as informações para o aeroporto, tudo funcionou muito bem.

- Muita gente se esforçava para falar inglês. Quando estive no Brasil antes, há seis anos, ninguém falava nem uma palavra.

- Foi muito especial ver que cada estádio servia a comida típica da região. E todas eram muito gostosas.

- As pessoas são todas alegres e recebem você de braços abertos.

O inglês Daniel com a mulher, que é brasileira (foto: Daniel Lane/Arquivo pessoal)

O inglês Daniel com a mulher, que é brasileira
(foto: Daniel Lane/Arquivo pessoal)

Daniel Lane, da Inglaterra

- Os brasileiros muitas vezes usam roupas muito apertadas.

- As pessoas chegam atrasadas para tudo.

- Vocês abraçam muito mais.

- Vocês falam “Boa praia!” para as pessoas.

- As pessoas são bem mais religiosas – geralmente, nós só somos religiosos quando queremos muito uma coisa: por exemplo, que nosso time avance na Copa do Mundo.

George mostra o ingresso para um jogo da Copa (foto: George Woolley/Arquivo pessoal)

George mostra o ingresso para um jogo da Copa
(foto: George Woolley/Arquivo pessoal)

George Woolley, dos EUA

- As pessoas aplaudem o pôr do sol na praia do Rio. Isso nunca aconteceria nos Estados Unidos.

- Poder beber cerveja em público também é algo que não acontece nos EUA, exceto em lugares como Nova Orleans.

- O fato de que as pessoas são tão felizes por estarem vivas é algo muito diferente e palpável.

Comentários