Arquivo da tag: AIDS

Estuprador pode ter contraído vírus HIV da vítima no Reino Unido

Resultado dos exames deve sair nesta sexta-feira. Apesar de já conhecer a mulher, ele não sabia que ela tinha Aids.

publicado no G1

O britânico Richard Thomas, condenado a cinco anos e quatro meses de prisão na última segunda-feira (2) por estupro, pode ter sido contaminado pela vítima soropositiva, diz o jornal Daily News. O resultado dos exames deve sair na sexta-feira.

Segundo policiais, ao ser informado sobre essa possibilidade, durante o interrogatório, Thomas entrou em choque e pediu para ser levado para fazer os testes.

O homem confessou ter invadido a casa da vítima na noite do dia 20 de julho e cometido o estupro. Apesar de não se lembrar do fato por estar sob efeito de álcool, cocaína e ecstasy, ele diz que “a mulher não iria mentir, ela diz a verdade. Se ela diz que eu fiz isso, eu fiz isso”, de acordo com a advogada Virginia Hayton.

Estuprador e vítima já se conheciam, entretanto, Thomas afirma não saber que ela é portadora do vírus HIV. “Mas isso tudo é culpa dele. Se ele não tivesse cometido o abuso, não teria se colocado nessa posição”, completa a advogada.

HIV-budding-Color

 

Vírus da Aids ajuda enfrentar câncer

Publicado no Catraca Livre

Vítima de leucemia, a menina Emma Whitehead estava prestar a sofrer falência múltipla dos órgãos. Morreria em poucas horas.

No desespero submeteram a menina a uma experiência nos Estados Unidos.

Injetaram nela o vírus da Aids modificado – ou seja, ele não produz Aids, mas poderia ajudar a combater o câncer.

Deu resultado: ela já voltou a estudar.

Veja as imagens de Emma e as explicações do médicos ( com legenda em português) sobre a experiência, que ainda está em fase de análise.

emma_cancer5

emma_cancer_interna

Assista:

Pastor Marco Feliciano chama religiosos à ‘batalha’ contra gays

A ‘maior das batalhas’: família e igrejas X  gays, lésbicas, bissexuais e travestis

A ‘maior das batalhas’: família e igrejas X gays, lésbicas, bissexuais e travestis

Josias de Souza, no Blog do Josias

Sob críticas desde que foi escolhido para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado-pastor Marco Feliciano (PSC-SP) tenta converter a polêmica numa cruzada religiosa. Em panfleto veiculada no Facebook, ele convocou líderes evangélicos e católicos da cidade de Ribeirão Preto e arredores para uma reunião nesta segunda-feira (11).

Valendo-se de linguagem bélica, anotou que o alvo de seus antagonistas não é ele: “Estamos vivenciando a maior de todas as batalhas contra a família brasileira.” Sustenta que é a igreja que “está sendo bombardeada”. Identifica a munição e aponta o inimigo: são “mentiras insinuadas por grupo de bandeira LGTB (gays, lésbicas, bissexuais e travestis)”.

Feliciano chama pastores e padres para a reunião em que se discutirá “o futuro de nossas igrejas diante deste grande embate”. Parece interessado em exibir sua infantaria: “Toda a imprensa estará presente, precisamos mostrar nossa união”, realça o panfleto.

No Twitter, Feliciano divulgou neste sábado (9) uma espécie de resposta à apresentadora Xuxa. Ela o havia chamado de “monstro” numa nota pendurada no Facebook na véspera. “Gente!!!! Socorro! Vamos fazer alguma coisa!”, escrevera Xuxa (repare abaixo). “Esse deputado disse que negros, aidéticos e homossexuais não têm alma. Existem crianças com Aids. Para este senhor, elas não têm alma? […] Esse homem não é um religioso, é um monstro. Em nome de Deus ele não pode ter poder.”

xuxaFelicianoFacebook2

“Deus te abençoe, Xuxa”, respondeu o deputado-pastor no Twitter. Ele anotou que, por ironia, falara de Xuxa em seu programa televisivo de domingo passado. Ofereceu aos seus seguidores um link que conduz a um vídeo. A peça foi ao ar na emissora CNT. Mostra uma entrevista de Feliciano com uma fiel que diz ter tomado gosto pela música ouvindo, em criança, a rainha dos baixinhos.

“Minha inspiração era a Xuxa”, ela diz. Feliciano intervém para contar que conhecera o autor da canção Ilariê, um dos maiores sucessos de Xuxa. Chama-se Cid Guerreiro. Virou cantor gospel. “Eu vi tanta gente falar besteira sobre essa música”, diz Feliciano no vídeo. “Falaram que a música era do diabo, que o Ilariê ali era o erê do terreiro de Umbanda.” Algo que o autor, agora “um servo de Deus”, desmentiu. “Isso é para desmistificar, porque tem muita mãe que vê a Xuxa cantar Ilariê e faz até o sinal da cruz”, encerra o deputado-pastor (assista abaixo).

Alvo de manifestações de rua convocadas pelas redes sociais, Feliciano serviu-se da mesma trincheira, a internet, para reagir. Numa das frases que o fizeram polêmico, o pastor escrevera no ano passado que “os africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé.” Daí, segundo ele, as doenças e os flagelos que se abatem sobre a África.

FelicianoMaePadrastoDivulgacaoNeste sábado, numa tentativa de exorcizar a pecha de racista, os assessores escreveram na sua conta no Twitter: “Pastor Feliciano com a mamãe e o padrasto.” Segue-se um link que leva à foto ao lado. Na imagem, uma mãe morena com um comanheiro negro. Noutro front, seu site pessoal, o novo mandachuva dos Direitos Humanos da Câmara tentou imunizar-se contra outro veneno que o alcançou na web.

Na semana passada, escalou a rede um vídeo no qual Feliciano aparece comandando uma coleta de dízimos. Ele aceita de tudo –dinheiro, cheque, moto… A certa altura, exibe um cartão. E queixa-se do doador: “É a última vez que eu falo. Samuel de Souza doou o cartão, mas não doou a senha. Aí não vale. Depois vai pedir o milagre pra Deus e Deus não vai dar. E vai falar que Deus é ruim” (reveja aqui).

Pois bem. Em nota veiculada no seu site, o pastor difunde uma entrevista supostamente concedida pelo dono do cartão. Fez isso para desmentir manchetes de “jornais tendenciosos”, publicadas sob influência de “ativistas do grupo LGBT”. Diz o texto que, ao pedir a senha do cartão, Feliciano “estava brincando”. Hã?!? Queria, em verdade, “devolver o cartão” que poderia ter chegado à sacolinha de ofertas “por engano”.

Samuel de Souza, por sua vez, declara que nem tinha mais dinheiro para oferecer à igreja. Por que diabos seu cartão foi parar no balaio? “[…] Resolvi fazer um ato profético de consagrar simbolicamente a minha conta corrente. Coloquei meu cartão nas salvas de oferta e, com fé, acreditei que isso abençoaria minhas finanças.”

E funcionou? “[…] Em um ano, minha vida deu uma reviravolta. Conheci uma pessoa maravilhosa, nos casamos, tenho uma linda casa toda mobiliada, não pago aluguel e consegui emprego como inspetor de manutenção elétrica. Na época, era apenas obreiro. Hoje, sou diácono e sonho um dia ser um pastor usado como o pastor Marco Feliciano, para pregar a palavra de Deus…” Aleleuia!

A exemplo de sua ovelha, também o pastor é um ser abençoado. Ex-vendedor de picolé e ex-engraxate, Feliciano fundou em 2008 a igreja Assembléia de Deus do Templo do Avivamento. Abriu o santo negócio na cidade paulista de Orlândia, com 39 mil habitants. Hoje, controla outros 13 templos na região.

O repórter Sérgio Roxo foi até Orlândia. Em visita ao templo do Avivamento, deparou-se com um painel no qual anotaram-se 11 razões para o pagamento do dízimo. Lê-se numa das linhas: “Porque não quero que Deus me chame de ladrão”. Na sala que serve de escritório para o pastor Feliciano, avista-se cofre de um metro de altura –evidência da fidelidade do rebanho e de que o Padre Eterno não é o único a preocupar-se com os ladrões.

O passado de privações deu lugar a uma vida faustosa. Feliciano mora numa mansão. Guarda na garagem uma coleção de carros importados. “Você tem que considerar que numa cidade pequena as coisas são muito mais baratas do que numa cidade grande”, afirma o humano direito que passou a presidir a Comissão de Direitos Humanos.

Feliciano diz que amealhou patrimônio graças a palestras. Quanto cobra? “As igrejas, em geral, me fazem uma oferta, mas isso muda muito”, ele desconversa. Ele jura que não belisca os dízimos. Dinheiro que recolhe de fronte alta. “Não me envergonho da oferta. O dízimo está na Bíblia. O PT também cobra dízimo dos seus filiados”, compara.

Admirador do messias do petismo — “O Lula foi um dos maiores estadistas do século”—, o deputado-pastor, investigado no STF por estelionato e homophobia, defende-se atacando o PT. “Não tem nada contra mim. Não roubei. Não sou envolvido com mensalão. Sou um brasileiro e como tal um sobrevivente.”

O deputado-pastor Marco Feliciano ainda não se deu conta, mas a vitrine da Comissão de Direitos Humanos tornou-o um personagem de alta visibilidade. Antes, tinha sobre si um telhado de vidro. Hoje, tem camisa de vidro, gravata de vidro, paletó de vidro…

Amor, sexo, internet e prazer em 2013

JAIRO BOUERé médico formado pela USP, com residência em psiquiatria. Trabalha com comunicação e saúde. E-mail: jbouer@edglobo.com.br (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)

JAIRO BOUER
é médico formado pela USP, com residência em psiquiatria. Trabalha com comunicação e saúde. E-mail: jbouer@edglobo.com.br (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)

Jairo Bouer, na Época

O que esperar do próximo ano em questões que envolvem comportamento, saúde e sexualidade dos jovens, temas frequentes desta coluna? Quando se trata desses assuntos, é importante lembrar que é difícil fazer previsões de curto prazo. Novos padrões se estabelecem de forma gradual, e as mudanças, quando acontecem, tendem a ser processos prolongados. De qualquer forma, vamos arriscar alguns palpites do que esperar em 2013.

Sexo: a tendência a um início precoce deve continuar. Há alguns anos, trabalha-se com a perspectiva de que metade dos garotos e um terço das garotas iniciam a sua vida sexual antes dos 15. Ao encerrar o ensino médio, três em cada quatro jovens já fazem sexo. O diálogo sobre o tema, em casa e na escola, deveria ser reforçado. Que pais conseguem conversar sobre isso com os filhos?

Aids: apesar de a epidemia estar, segundo o Ministério da Saúde, sob controle, foram notificados 39 mil casos novos em 2011, o maior número de registros dos últimos anos. Mais da metade em jovens de 15 a 24 anos. Isso acentua a necessidade de reforçar a prevenção nessa faixa etária. Se o garoto faz sexo com outros homens, o risco é ainda maior. A maioria dos casos novos em jovens acontece entre homo e bissexuais.

Gravidez precoce: embora haja uma tendência de queda da gestação na adolescência em praticamente todo o país, muitas garotas de nível social mais baixo ainda enxergam na maternidade um projeto de vida. Sem perspectivas de crescimento pessoal, muitas copiam o modelo das mães e avós e engravidam cedo. A nova gestação, em geral, reforça um ciclo de abandono por parte do parceiro e de distanciamento da educação e do sucesso profissional. Se houver uma manutenção da estabilidade econômica no país e de projetos sociais eficazes, essa situação pode melhorar.

O vazamento de fotos e vídeos com conteúdo íntimo na internet continuará

Prevenção: se dá para remediar, por que prevenir? No universo de vida do jovem, onde o tempo é curto e a pressa é grande, tudo acontece rápido. As preocupações estão muito mais voltadas para aqui e agora, do que para um incerto futuro distante. Para que perder tempo se protegendo e se prevenindo, quando pode haver uma solução mais rápida e imediata se algum problema aparecer? Não é à toa que o consumo de anticoncepcional no país ainda é baixo entre os jovens e que o uso consistente da camisinha tem caído ano após ano. Em contrapartida, a pílula do dia seguinte, um método de emergência, é tomada cada vez mais. Essas tendências devem se manter no próximo ano.

Internet: cada vez mais jovens passarão mais tempo na rede. Com o crescimento da banda larga e do Wi-Fi em casa e com a profusão da venda de tablets, PCs e smartphones, não deve causar espanto se um jovem trocar almoço, jantar e televisão pela internet. Menos horas de sono e de estudo pela frente! Em compensação, maior risco de exposição na rede e de invasão e evasão da privacidade. Episódios de vazamento de fotos e vídeos de conteúdo mais íntimo devem continuar a pipocar. É fundamental discutir a questão da conduta na rede para evitar riscos e exageros.

Bebida: da mesma forma que sexo começa cedo, o contato com a bebida também. Na geração em que tudo é precoce, é importante o cuidado para evitar que problemas maiores apareçam. Pressionado a tomar decisões, muitas vezes nos momentos em que a maturidade ainda não deu as caras em sua vida, o jovem pode se expor a riscos. Pesquisas mostram que um em cada sete jovens que começam a beber terá complicações como abuso e dependência. Sem contar os riscos de acidentes de trânsito associados ao consumo de álcool. Houve uma explosão de casos em 2012. A lei promete vir mais dura em 2013, mas será que os jovens entenderão o impacto que isso pode ter em sua vida?

Consumo: cada vez mais o jovem pressionará seus pais para ganhar tecnologia. E essa pressão pode começar muito cedo. Se consumir é importante para essa geração, o que dizer, então, de produtos que agreguem a possibilidade de conexão com o mundo, uma das razões de existir para eles. Tablets, smartphones, netbooks e tudo o que seja fácil de carregar e rápido de conectar será motivo de muito choro, pedido insistente e chantagem emocional.

“Eu sou bissexual e daí?”, diz o ator José de Abreu

O ator José de Abreu e a mulher, Camila Paola Mosquella, em evento

O ator José de Abreu e a mulher, Camila Paola Mosquella, em evento

publicado no Entretenimento, da UOL

O ator José de Abreu levantou uma polêmica no Twitter ao afirmar ser bissexual e contar que viveu com um casal de gay e com sua mulher sob o mesmo teto, junto com dois de seus cinco filhos.

“Eu sou bissexual e daí? Posso escolher quem eu beijo? Quando quero beijar uma pessoa não peço atestado de preferência sexual, só depende dela querer. Não posso obriga-la a me beijar. Pouquíssimos gays se atreveriam a fazer que eu fiz em 1975 – Viver com minha mulher (na época  a professora Nara Keiserman) e dois filhos (2 e 3 anos) e com um casal gay que viviam maritalmente durante 2 anos”, escreveu o ator no microblog, na última terça-feira (8).

Após sua declaração, diversos seguidores começaram a questionar o ator e a querer saber detalhes de seus casos amorosos. Um deles quis saber a identidade do casal gay. “Pena que o Caio Fernando Abreu [jornalista, dramaturgo] morreu. Também morei com ele. Um morreu de AIDS, cuidado pela minha mulher, eu já tinha me separado dela, o outro é um grande diretor de teatro, não vou dizer”.

O assunto se desencadeou após Abreu defender os homossexuais e condenar atitudes de políticos e religiosos conservadores. “Tem dias que prefiro homens, tem dias que prefiro mulheres.Tenho que mudar? Eu sou assim, ué. Tenho que ser igual aos outros? Prefiro o que me dá prazer. E prefiro ter a ‘preferência’ que deixa-la nas mãos da natureza… Ou de Deus. Prefiro homens e mulheres que me interesses sexualmente”, defendeu.

O artista ainda contou sobre uma relação que teve com bissexual que durou nove anos. “Em 1989 me apaixonei por uma bi. Ficamos juntos e resolvemos ‘tentar’. Seu último namoro tinha sido uma mulher”.

“Eu me relaciono com pessoas, não com rótulos: gay, homossexuais, hétero, sexualidade, sexualismo, opção sexual, estou andando. Se há amor ou tesão, foi. Acho o suprassumo da caretice dividir o mundo entre gays e não gays. Ninguém me ensinou a amar assim. Aprendi a amar na Igreja”, escreveu Abreu.

Antes de voltar a discutir assuntos políticos, como costuma  fazer diariamente, com cerca de seus 69 mil seguidores, Zé de Abreu disse não se importar com o que as pessoas pensam dele. “Estou andando para o que pensam de mim. Sou o que sou, a vida me fez assim. Sem medo de ter medo”.

Com 46 anos de carreira, o último trabalho de Abreu foi como Nilo da novela “Avenida Brasil”, da Rede Globo. O papel teve uma grande repercussão, assim como a novela, e chamou atenção não só pela interpretação do ator, mas também pelo fato dele ter deixado a barba crescer durante um ano e quatro meses.