Conteúdo marcado como alma

Uma prece… de Clarice Lispector

Uma prece… de Clarice Lispector
“… alivia a minha alma, faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha,  faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não Te […]

Cientistas afirmam que a alma pode abandonar o corpo e observá-lo

Cientistas afirmam que a alma pode abandonar o corpo e observá-lo
publicado no History Channel A alma das pessoas que passam por um estado de morte clínica abandona o corpo físico e pode observar nitidamente o que acontece em seu entorno, segundo o estudo de uma equipe de pesquisadores holandeses. Os médicos reuniram mais de 70 casos de pessoas que conseguiram relatar suas experiências durante o lapso em que estiveram clinicamente mortas e estabeleceram que a consciência pode viver além do […]

Renascer como fênix

Renascer como fênix
Ricardo Gondim Os vivos albergam três inimigos que podem surpreender nas madrugadas insones: fracasso, impotência e culpa. Quem lida mal com as próprias inadequações sofre horrores. A percepção da fraqueza existencial, faca de dois gumes, tanto ajuda como destrói. Quem reluta contra sua condição frágil arquejará, invariavelmente, sob o peso de seus erros. Exigências sociais também podem deixar qualquer um como peixe fora d’água, arfando. Não há fadiga mais debilitante do […]

Laicos, graças a Deus

Laicos, graças a Deus
João Pereira Coutinho, na Folha de S.Paulo Leio nas notícias que um tribunal do Sudão condenou uma mulher à morte. Mas, na hora da sentença, os juízes confrontaram-se com um pormenor: a referida mulher está grávida de oito meses. O tribunal foi salomônico: a mulher pode dar à luz primeiro e só depois ser enforcada. Justíssimo. Mas qual foi o crime hediondo de Meriam Yehya Ibrahim? Eis a história, contada […]

Alegria em conta-gotas

Alegria em conta-gotas
Ricardo Gondim Alegria é pepita descoberta depois do vendaval. Ela nasce do instante; sua pouca duração é causa do arrepio. Como clarão na madrugada invernal, A alma não foge de encarar qualquer desafio. Alegria é elétron que espalha energia pelo corpo. Na soma de cores o espírito avança. O choro perde força. Sorrateiras lágrimas somem frente à calma mansa. Alegria serve de torniquete, para estancar a sangria que desperdiça felicidade. […]