Arquivo da tag: Astro

Sean Penn faz churrasco para ator brasileiro com síndrome de Down; veja foto do encontro

O ator Ariel Goldenberg com seu ídolo, o também ator Sean Penn

O ator Ariel Goldenberg com seu ídolo, o também ator Sean Penn

Rodrigo Salem e Fernanda Ezabella, na Folha de S.Paulo

O sonho do ator Ariel Goldenberg, do filme “Colegas”, de encontrar o astro Sean Penn foi realizado nesta sexta-feira (15), em Los Angeles. De acordo com Marcelo Galvão, diretor do longa, o brasileiro foi com a mulher, Rita Pokk, à casa de Penn, na praia de Malibu, sem avisar e tocou a campainha.

“Foi tudo de surpresa. Teve uma americana no local dizendo que essas coisas são proibidas e que chamaria a polícia se tocássemos a campainha. Mas o próprio astro atendeu e, como conhecia a campanha Vem Sean Penn, foi superbacana com Ariel”, conta à Folha o cineasta, que ficou no Brasil por causa de problemas no visto e mandou dois assistentes para acompanhar a empreitada.

A Folha recebeu a foto do encontro com exclusividade.

“Nós batemos na porta com a cara e a coragem. Eu achava que era a maior roubada do mundo, que éramos loucos, mas ele [Sean Penn] atendeu [a porta]“, disse Carlos Cardinalli, amigo de Ariel e de Galvão que mora em San Diego (Califórnia) e está ajudando na viagem. “Penn o chamou para andar na praia e fez um churrasco para Ariel, que ficou muito feliz.”

O ator hollywoodiano, segundo o diretor, pensou em viajar para o Brasil para encontrar Ariel Goldenberg e o elenco de “Colegas”, mas não queria sua imagem ligada a nenhum tipo de patrocínio. “Em compensação, Penn tirou da parede o certificado do Oscar que venceu por ‘Milk’ e deu para Ariel com um pôster autografado”, revela Galvão.

Protagonizado por um trio de atores com síndrome de Down (incluindo Ariel Goldenberg e Rita Pokk), “Colegas” já foi visto nos cinemas por mais de 96 mil pessoas ao longo de duas semanas em cartaz.

O casal Rita Pokk e Ariel Goldenberg no apartamento em que moram, em São Paulo foto: Zé Carlos Barretta/Folhapress

O casal Rita Pokk e Ariel Goldenberg no apartamento em que moram, em São Paulo foto: Zé Carlos Barretta/Folhapress

Menina decide mudar de sexo para ficar igual a astro teen

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Lorran Schoechet, no Pode isso?

A jovem moradora da cidade de Lisboa (Portugal), Catrina Best, é fã incondicional de Harry Styles, vocalista da banda britânica One Direction. Porém, essa paixão tomou conta da garota de 20 anos e ela decidiu mudar de sexo para ficar parecida com o astro teen.

Catrina já veste roupas parecidas com as de Harry e usa o mesmo penteado do menino. Ela espera ficar igual a ele após a mudança de sexo, segundo o tablóide ‘The Sun’.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

“Quando ouvi pela primeira vez o One Direction, eu não sabia como os integrantes eram. Mas gostei da música deles. E, quando vi Harry pela primeira vez, eu disse: Meu Deus, poderíamos ser irmãos!”, afirmou Catrina, que agora quer ser apenas chamada de Best.

E aí, achou parecidos?

#Podeisso, One Direction?

A indústria da salvação

Show de Damares: estrela da música religiosa, ela vende dez vezes mais discos que as rainhas do axé Ivete Sangalo e Claudia Leitte

Show de Damares: estrela da música religiosa, ela vende dez vezes mais discos que as rainhas do axé Ivete Sangalo e Claudia Leitte

Paulo Vasconcellos, no Valor Econômico

A maior praça de Guapimirim, cidade de 50 mil habitantes na subida da serra do Rio, a 60 quilômetros da capital fluminense, ficou pequena numa noite de sexta-feira de novembro, para o show da cantora Damares em homenagem aos 22 anos do município. Nona colocada na lista dos dez artistas que mais venderam discos no ano passado, com 400 mil cópias do CD “Diamante”, ela costuma desfilar no palco um cardápio musical variado no ritmo, do pop ao forró, e trivial nas letras, recheadas de substantivos como fornalha, salvação e vitória. Entre uma canção e outra, faz orações com a voz carregada de dramaticidade. A plateia vibra. Alguns não escondem as lágrimas. O cachê, de R$ 25 mil a R$ 50 mil, ainda está longe dos R$ 250 mil cobrados por cantores sertanejos mais estelares, mas trata-se de um nicho novo que garante ao menos dois shows por semana, em geral pagos pelas prefeituras do interior. Neste mês, fez espetáculos em Rolim de Moura e Porto Velho, em Rondônia, e Chapadinha e Arame, no Maranhão.

A paranaense Damares de Alvez Bezerra de Oliveira, de 32 anos, 1,60 m de altura, cabelos pretos longos como convém a uma seguidora da Assembleia de Deus, é a encarnação de um novo gênero de “pop star” no Brasil: o astro da música religiosa. A lista é farta. Reúne tanto católicos quanto evangélicos. São artistas que só perdem na vendagem de CDs e DVDs para cantores e cantoras seculares, como Luan Santana ou Paula Fernandes, e deixam para trás nomes do porte de Marisa Monte e Caetano Veloso ou até mesmo estrelas internacionais, como Lady Gaga e Justin Bieber. Ivete Sangalo e Claudia Leitte, que nada. Damares vende muitas vezes mais discos que as rainhas do axé.

Quatro dos vinte escritores que mais vendem livros no país são religiosos – dois deles católicos: o padre Marcelo Rossi lidera a lista

O fenômeno se espalha da música para o cinema, da literatura para as mídias digitais. A venda apenas de discos e livros de conteúdo religioso movimenta mais de meio bilhão de reais por ano. A estatística está longe de refletir o tamanho exato do mercado não só por causa da pirataria, mas porque as gravadoras essencialmente religiosas, entre elas a MK Music, que domina 70% do segmento, não comunicam à Associação Brasileira dos Produtores de Disco (ABPD) quantos CDs e DVDs vendem nas igrejas ou nos portais de comércio que mantêm na internet. A estimativa de especialistas é que pelo menos metade do mercado musical religioso brasileiro esteja à margem dos números oficiais. Ainda assim, a produção de artistas católicos e evangélicos, que representa uma fatia de aproximadamente 20% do faturamento anual de R$ 373 milhões da indústria fonográfica nacional, rende cerca de R$ 75 milhões.

Já a literatura religiosa girou sozinha, no ano passado, R$ 483,7 milhões. É exatamente 10% de todo o mercado editorial brasileiro, que atingiu um faturamento de R$ 4,8 bilhões, de acordo com uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe/USP) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Embora tenha registrado queda de 5,99% no faturamento em 2011, na comparação com 2010, o segmento de livros religiosos acumulou um aumento de 18,9% nas vendas entre um ano e outro, atrás apenas da vendagem dos livros científicos, técnicos e profissionais, que cresceu 33,9%.

Não há milagre. Os evangélicos, que se multiplicam a uma taxa de mais de 6% a cada censo do IBGE, somam 42 milhões de consumidores potenciais e fiéis a tudo o que a igreja produz. É o que explica parte do desempenho de “Nada a Perder”. Primeiro dos três volumes da biografia do bispo Edir Macedo, o livro publicado pela editora secular Planeta vendeu 500 mil exemplares do lançamento, em agosto, ao Natal. Pela velocidade com que sai das estantes das livrarias deve fechar o ano atrás apenas do best-seller internacional “Cinquenta Tons de Cinza”. Cristiane Cardoso, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, é a única que pode ameaçar o reinado literário do empresário religioso. “Casamento Blindado”, que ela escreveu a quatro mãos com o marido e foi publicado pela Thomas Nelson Brasil, já vendeu meio milhão de exemplares.

Padre Marcelo Rossi (à esq.), autor de "Ágape", e o bispo da Diocese de Santo Amaro, d. Fernando Figueiredo: livro já teve 8,4 milhões de exemplares vendidos desde 2010 até o Natal

Padre Marcelo Rossi (à esq.), autor de “Ágape”, e o bispo da Diocese de Santo Amaro, d. Fernando Figueiredo: livro já teve 8,4 milhões de exemplares vendidos desde 2010 até o Natal

Os católicos, que crescem menos a cada censo, mas ainda são mais de 130 milhões de brasileiros, reagem com estrelas da Renovação Carismática. De acordo com o acompanhamento do portal Publishnews sobre o mercado editorial, 4 dos 20 escritores que mais vendem livros no país são religiosos – 2 deles católicos. O padre Marcelo Rossi lidera a lista, com 8,4 milhões de exemplares de “Ágape” vendidos até o Natal desde que foi publicado, em 2010, pela também secular Globo Livros. “Agapinho”, versão infantil das reflexões do autor sobre passagens bíblicas, atingiu em um ano a marca de 800 mil exemplares vendidos. O padre Fábio de Mello, com 380 mil exemplares de “Tempo de Esperas” (Planeta), é o 18º do ranking. E, seguindo a máxima de que a união faz a força, o disco e o DVD “Ágape Amor Divino”, de Rossi, Mello e convidados, venderam juntos, até a semana passada, 700 mil exemplares, em apenas seis meses desde o seu lançamento. Continue lendo

Mãe de ator de “Two and Half Men” teme que ele esteja sendo explorado por igreja

Angus T. Jones, astro de "Two and a Haf Men", que deu depoimento a um programa cristão pedindo que os espectadores parem de ver a série
Angus T. Jones, astro de “Two and a Haf Men”, que deu depoimento a um programa cristão pedindo que os espectadores parem de ver a série

Publicado originalmente no UOL

A mãe do ator Angus T. Jones, o Jake da série “Two and a Half Men”, afirmou ao tabloide inglês “Daily Mail” que o jovem de 19 anos está sendo explorado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Em um vídeo divulgado esta semana, Angus aparece dizendo que a série da qual faz parte é “suja” e pede que os espectadores parem de vê-la.

“Se você assiste ‘Two and a Half Men’, por favor, pare de assistir. Eu estou em ‘Two and a Half Men’ e não quero estar. Por favor, parem de assistir e de encher suas cabeças com sujeira”, diz o ator em um depoimento ao “Forerunner Chronicles”, programa ligado à igreja Adventista.

Carey Jones, 42, afirmou ao “Daily Mail” que está preocupada com seu filho. “Estou preocupada que ele esteja sendo explorado pela igreja”, explicou, recusando-se a dar mais detalhes.

Angus, que participa da série desde os 9 anos, ganha 350 mil dólares por episódio.

Os produtores de “Two and a Half Men” ainda não comentaram o caso e não se sabe se Angus tentou demitir-se do programa.

Segundo informações do The Hollywood Reporter, o ator não vai aparecer nos dois últimos episódios da série que serão filmados este ano, antes da pausa para as festas. No entanto, fontes disseram ao site que a ausência de Angus não tem nada a ver com os vídeos e que os produtores de “Two and a Half Men” ainda não conversaram com ele.

Angus começou a frequentar a Igreja Adventista do Sétimo Dia em Los Angeles este ano.

foto: Michael Nelson/Efe