Arquivo da tag: batalha

Protestos em SP: 5 fatos que você precisa saber

tumblr mocyq2ag6Q1svdbg3o1 1280 Protestos em SP: 5 fatos que você precisa saber

Manifestante caído durante confusão com a polícia na rua da Consolação (foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

publicado no SBTZ

Estamos no quarto dia de protesto do Movimento Passe Livre contra o aumento das passagens de transporte público na cidade de São Paulo. O ticket de transporte que era R$3, na semana passada começou a valer R$3,20 causando o início das revoluções tanto físicas quanto digitais pelo país. A manifestação hoje ocorreu ao longo de dois quilômetros que vão do Teatro Municipal até a esquina da Consolação com a Rua Maria Antônia.

As revoltas começaram por volta das 19h10, pela ação da polícia militar, precisamente por um grupo de 20 homens do batalhão de choque. Até então, as manifestações eram de caráter pacífica – segundo as testemunhas locais.


1. Anonymous invade site do governo

Anonymous 20130613102913 Protestos em SP: 5 fatos que você precisa saber
O grupo Anonymous conhecido por derrubar sites e organizar movimentos ativistas na internet invadiu o site da Secretaria de Educação do estado de SP para ajudar a divulgar o Movimento Passe Livre, contra o aumento das passagens de ônibus da cidade de São Paulo. O site foi invadido ontem a noite mas seguiu fora do ar até hoje na parte da manha.

Os manifestantes realizaram modificações na página do site para exibir material que auxiliaria na divulgação dos movimentos na cidade – e também causar um buzz na internet e na mídia. No site, havia escrito o seguinte texto:

“Exigimos a redução da tarifa! Os supostos representantes devem ouvir a vontade do povo! Basta de políticos inócuos! Estamos acordados! Seus dias de fartura estão contados!”

Além de ser utilizado para protestar, o site foi utilizado para organizar um novo protesto no dia de hoje as 17h, na frente ao Teatro Municipal de SP.


2. A PM começou a batalha?

Por volta das 17h, quando ocorreu o início das manifestações, na escadaria do teatro estava tudo ocorrendo bem. Só uma hora depois a coisa começou a crescer. Nessa hora, havia por volta de uns 10 policiais. O tempo ia passando e os políciais começavam a se juntar, chegaram a fechar a Consolação mas acabaram recuando. Tudo que os manifestantes faziam era gritar: “Você é soldado, você também é explorado” ou “Sem violência”.

Por volta das 19h do nada apareceu um grupo de 20 PMs com viseiras, escudos e tudo que tem direito. Sem nenhuma advertência, megafones ou nada começaram a arremessar bombas de efeito moral e rojões.

 


 


3. O que a mídia não mostra

 


4. O poder das mídias sociais – #protestosp #passelivre

 

 


5. Feridos no protesto

 

Elio Gaspari: A PM começou a batalha na Maria Antonia

pmsatirando1pmsatirando2

Elio Gaspari, na Folha de S.Paulo

Quem acompanhou a manifestação contra o aumento das tarifas de ônibus ao longo dos dois quilômetros que vão do Theatro Municipal à esquina da rua da Consolação com a Maria Antônia pode assegurar: os distúrbios começaram às 19h10, pela ação da polícia, mais precisamente por um grupo de uns 20 homens da Tropa de Choque, com suas fardas cinzentas que, a olho nu, chegaram com esse propósito.

Pelo seguinte: Desde as 17h, quando começou a manifestação na escadaria do teatro, podia-se pensar que a cena ocorria em Londres. Só uma hora depois, quando a multidão engordou, os manifestantes fecharam o cruzamento da rua Xavier de Toledo.

Nesse cenário havia uns dez policiais. Nem eles hostilizaram a manifestação, nem foram por ela hostilizados.

Cerca das 18h30 a passeata foi em direção à praça da República. Havia uns poucos grupos de PMs guarnecendo agencias bancárias, mais nada. Em nenhum momento foram bloqueados.

Numa das transversais, uns 20 PMs postaram-se na Consolação, tentando fechá-la, mas deixando uma passagem lateral. Ficaram ali menos de dois minutos e retiraram-se. Esse grupo de policiais subiu a avenida até a Maria Antonia, caminhando no mesmo sentido da passeata. Parecia Londres.

Voltaram a fechá-la e, de novo, deixaram uma passagem. Tudo o que alguns manifestantes faziam era gritar: “Você é soldado, você também é explorado” ou “Sem violência.” Alguns deles colavam cartazes brancos com o rosto do prefeito de São Paulo, “Maldad”.

Num átimo, às 19h10, surgiu do nada um grupo de uns 20 PMs da Tropa de Choque, cinzentos, com viseiras e escudos. Formaram um bloco no meio da pista. Ninguém parlamentou. Nenhum megafone mandando a passeata parar. Nenhuma advertência. Nenhum bloqueio, sem disparos, coisa possível em diversos trechos do percurso.

Em menos de um minuto esse núcleo começou a atirar rojões e bombas de gás lacrimogêneo. Chegara-se a Istambul.

Atiravam não só na direção da avenida, como também na transversal. Eram granadas Condor. Uma delas ficou na rua que em 1968 presenciou a pancadaria conhecida como “Batalha da Maria Antonia”. Alguns sobreviventes da primeira batalha, sexagenários, não cheiram mais gás (suave em relação ao da época), mas o bouquet de vinhos.

Seguramente a PM queria impedir que a passeata chegasse à avenida Paulista. Conseguiu, mas conseguiu que a manifestação se dividisse em duas. Uma, grande, recuou. Outra, menor, conseguiu subir a Consolação.

Eram pessoas perfeitamente identificáveis. A maioria mascarada. Buscaram pedras e também conseguiram o que queriam: uma batalha campal.

Foi um cena típica de um conflito de canibais com os antropófagos.

fotos: Feridos no Protesto em SP

EUA vão liberar pílula do dia seguinte sem restrição de idade, diz agência

Governo americano disse que não vai mais recorrer de medida judicial.
Decisão encerra uma batalha sobre a pílula que durou mais de uma década.

Publicado originalmente no Bem Estar

Pílula do dia seguinte é contraceptiva, não abortiva (Foto: Ian Hooton/I2H/Science Photo Library/ Arquivo AFP)

Pílula do dia seguinte é contraceptiva, não abortiva
(Foto: Ian Hooton/I2H/Science Photo Library/
Arquivo AFP)

O governo do presidente Barack Obama afirmou nesta segunda-feira (10) que cumprirá a decisão judicial e permitirá a venda da chamada ‘pílula do dia seguinte’ para meninas de qualquer idade, suspendendo sua tentativa de restringir a disponibilidade do medicamento, informaram agências internacionais.

Isso significa que qualquer mulher, inclusive adolescente, poderá comprar a pílula do dia seguinte em uma farmácia, sem a necessidade de receita médica, informou a agência France Presse.

Segundo a Reuters, a informação foi dada pelo Departamento de Justiça dos EUA em uma carta, que acrescentava que o governo não iria mais recorrer à decisão da Justiça que determinava a venda indiscriminada.

A decisão encerra uma batalha sobre a pílula que durou mais de uma década, mas poderia levantar nova polêmica para o presidente Barack Obama, informou a Reuters.

Até recentemente, a pílula estava disponível sem receita médica para as mulheres de 17 anos ou mais, que apresentassem comprovante de idade e receita médica no balcão do farmacêutico. Com a decisão da Justiça, isso não seria necessário. Os críticos dizem que o acesso irrestrito poderia levar a promiscuidade, abuso sexual e menos visitas ao médico.

Mas os defensores das pílulas de emergência dizem que elas ajudam a reduzir gravidez indesejada ou abortos e que o acesso rápido para as mulheres de todas as idades é fundamental para que o medicamento faça efeito, já que a pílula é mais eficaz quando tomada no prazo de 72 horas após a relação sexual.

A decisão “vai tornar disponível a contracepção de emergência nas prateleiras das lojas, assim como os preservativos, e as mulheres de todas as idades poderão obtê-la rapidamente, a fim de evitar gravidez indesejada”, disse Cecile Richards, presidente da Federação Americana de  Planejamento Familiar à agência Reuters.

Em uma carta enviada ao juiz Edward Korman, o governo americano informa que a FDA, a agência federal de alimentos e medicamentos, ‘solicitou ao fabricante da (pílula) Plan B One-Step (PBOS) o envio de um pedido suplementar para a aprovação do medicamento sem qualquer restrição’ de venda.

‘Assim que a FDA receber a solicitação complementar, será aprovada rapidamente’.

Mudanças de curso
A pílula do dia seguinte foi aprovada pela FDA em 1999, mas só em 2009 chegou ao mercado, ainda que de forma limitada.

Em 2011, a FDA decidiu aprovar vendas da droga sem limite de idade. Mas a secretária de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Kathleen Sebelius, ordenou que a agência revertesse a decisão, restringindo o acesso da pílila às menores de 17 anos sem receita médica.

Obama apoiou essa restrição, invocando as suas filhas. À época, 11 meses antes da eleição presidencial, o caso provocou críticas que diziam que ele estava tentando acalmar os conservadores sociais.

Novo filme de Superman resgata paralelos com Jesus Cristo

O diretor Zack Snyder e o roteirista David Goyer falam sobre simbolismos e destruição promovida por deuses

O-Homem-de-Aco-16Mai2013

Érico Borgo, no Omelete

“Quando você tem dois deuses batalhando, é como se o seu mundo fosse feito de papel”, disse Zack Snyder, o diretor de O Homem de Aço. “Deuses não são cuidadosos. Um deles é, pelo menos, mas isso não importa muito no calor da batalha”, comentou em coletiva de imprensa na tarde de sexta em Los Angeles, referindo-se aos antagonistas do filme, Superman (Henry Cavill) e o General Zod (Michael Shannon).

O exagero na ação e destruição desses encontros é um contraponto interessante no filme com os temas e simbolismos. “Nosso objetivo foi pegar um quadrinho e levá-los às telas da melhor maneira possível, sem preocupações com realismo e fatos do mundo real. É uma obra de ficção, mas com preocupações verdadeiras sobre o que ela representa. Superman é uma metáfora sobre encontrar seu lugar no mundo, para essa jornada. Todo mundo é incompreendido quando jovem, quando criança. Esse um sentimento universal”, segue Snyder. homem-de-aco-poster

Segundo o roteirista David Goyer, “todos conseguem se identificar com não ser compreendido e buscar seu lugar no mundo. Mas a grande diferença é que Kal-El tem a responsabilidade de escolher entre mudar o planeta ou não. Ele conta com os ensinamentos de seus pais para escolher, mas ao final é a voz de seu pai biológico, Jor-El, que o guia na decisão definitiva. Kryptonianos não escolhem seus destinos – essa é a diferença fundamental entre os humanos e eles”.

Uma das grandes preocupações sobre o papel do Superman nos dias de hoje, quando há super-heróis muito mais “malandros” nas telas, é como torná-lo “bacana” outra vez. “Superman é legal? É legal fazer o certo. Ele é um trabalhador voluntário em escala global, alguém que não busca glórias pelo que faz. Superman é legal, sim”, garante Snyder.

O simbolismo religioso é outro elemento que O Homem de Aço resgata. “A relação entre Jesus Cristo e Superman não foi inventada por nós. Existe desde a criação do personagem. Mas é uma dessas coisas que desapareceram nas últimas décadas… eu achei que deveríamos voltar a falar dessa mitologia e da importância desse personagem e sua relevância para o momento”, explica Snyder. “A mitologia da história estabelece um paralelo interessante com a história de Cristo, dando uma camada de interesse extra ao filme. Filosofia, religião, respeito aos quadrinhos, tudo isso nos interessou”.

Goyer também exalta outras referências mitológicas “O mito de Moisés é outra influência. Superman tem raízes no Novo e também no Velho Testamento. Ele é um personagem messiânico e ao mesmo tempo meio Beowulf, meio Gilgamesh, entre outros heróis clássicos que representam a conciliação entre os deuses e nós”.

O Homem de Aço estreia em 14 de junho nos EUA e 12 de julho no Brasil.

Estrela da Morte vs U.S.S. Enterprise

Por Fábio Zonatto, no Blogs Pop

NDeathStarPriseAs duas naves mais respeitosas e famosas do universo nerd enfrentam-se finalmente!

Não é nada oficial, algo que tenha sido planejado pelos herdeiros de Gene Roddenberrye/ou George Lucas, mas neste vídeo muito bem bolado finalmente podemos ver o que aconteceria se as duas maiores estações espaciais do universo nerd se encontrassem para um tira-teima. E o resultado não deve agradar à todos, claro.

Para início de conversa, o confronto acontece em uma realidade paralela aqui na Terra mesmo. Porém nesta história, nosso planeta foi dominado e agora é controlado por nada menos que o Império de Darth Sidious e Lorde Darth Vader – temos Stormtroopers a fazerem o policiamento pelas ruas e naves imperiais a trafegarem livremente pelos céus. Tudo parece até tranquilo quando em São Francisco, nos EUA, um cinegrafista amador capta algo que nunca ninguém viu antes: uma enorme e estranha nave a trafegar pelo espaço aéreo da cidade.

Embora imediatamente a identifiquemos como sendo a famosa U.S.S. Enterprise, os civis não fazem ideia do que se trata. “Não parece ser japonesa!” um deles ainda observa comicamente.

A cidade é rapidamente colocada sob estado de alerta, um toque de recolher é dado pelo Império e os Troopers enxameiam pelas ruas. Situações extremas pedem medidas extremas: era chegada a hora de acionarem sua mais poderosa arma para rechaçarem os invasores: a Estrela da Morte!

Assista agora o vídeo da Machinima e acompanhe toda esta ação com seus próprios olhos: