Game baseado em passagens da Bíblia tenta lançamento no PlayStation

the-bible-video-game-1412265639036_450x253

Publicado no UOL

O jogo “The Bible Video Game” (“O videogame da Bíblia”, em português), foi enviado para aprovação da Sony para ser lançado nos consoles PlayStation 4, PlayStation 3 e no portátil PS Vita.

A informação foi divulgada na página do game no site Kickstarter, onde o estúdio Tornado Twins pede US$ 35 mil para desenvolver os três primeiros episódios. Faltando 29 dias para o fim da campanha, o jogo da Bíblia havia arrecadado US$ 26 mil.

Além dos consoles PlayStation, “The Bible Video Game” está previsto para PC, Linux e Mac. Não há planos para levar o game para consoles Xbox ou Nintendo.

Produzido por um time de veteranos de games das séries “Lego”, “Star Wars” e “Assassin’s Creed”, o game da Bíblia é dividido em 10 episódios, sendo o primeiro “David: Rise of a King”, baseado na história de David e Golias.

O estúdio é liderado pelos irmãos gêmeos Ruben e Efraim Meulemberg, que promete “transformar o livro mais amado do mundo em um jogo de qualidade”. Na página do game no Kickstarter, a dupla diz que planeja “criar uma experiência de jogo de primeira, que permitirá aos jogadores experimentar as histórias da Bíblia como nunca antes”, e avisa: “O jogo será fiel à Bíblia”.the-bible-video-game-1412265734149_450x253

Sem sucesso

No começo do ano, a produtora Phoenix Interactive Studios também tentou emplacar um projeto de jogo bíblico, chamado “The Call of Abraham”, através do site de financiamento coletivo Indiegogo, mas não obteve sucesso. “The Call of Abraham” conseguiu angariar apenas US$ 875 dos US$ 50 mil pedidos para a produção do game.

Em 2010, a alemã FiAA anunciou o desenvolvimento de “The Bible Online: Heroes”, game onde o jogador participa dos eventos do primeiro capítulo do Livro Sagrado, o Gênesis, e tem a oportunidade de conhecer a história de Abraão e seus descendentes, os primeiros escolhidos de Deus. Pouco conhecido mas ainda disponível, o jogo lembra a série de estratégia “Civilization”.

Leia Mais

Cid Moreira: ‘Você começa a ler a Bíblia e as coisas vão acontecendo’

“Estou na minha fase derradeira e gloriosa”, diz Cid Moreira

(foto: Alexandre Campbell - 21.ago.1998/Folhapress)
(foto: Alexandre Campbell – 21.ago.1998/Folhapress)

Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo

Cid Moreira, que apresentou o “Jornal Nacional” durante 27 anos, entre 1969 e 1996, diz que segue em sua “fase bíblica”. Ele falou com a Folha na noite de entrega do Prêmio Comunique-se, na terça-feira.

*

Folha – O que o senhor tem feito ultimamente? Tem trabalhado em projeto pessoal?
Cid Moreira - Olha, a minha vida é de fases. Tive fase do rádio, fase de cinema, fase de TV, e agora estou na fase bíblica. Estou divulgando a Bíblia. Tenho conseguido resultados maravilhosos. Por exemplo, a Bíblia que eu gravei, com trilha de cinema, efeitos, personagens, vamos dizer assim, o cego vê as imagens. A intenção é que as pessoas vejam. Essa Bíblia foi incluída num aplicativo que tem acesso de mais de cem milhões de pessoas no mundo.

Em várias línguas?
Não. Em português é a minha gravação. E é gratuito [o aplicativo], claro.

O senhor é muito religioso?
Não era, mas agora eu sou.

O que mudou?
Milagre da Bíblia. Você começa a ler a Bíblia, trabalhar com a Bíblia, e as coisas vão acontecendo.

Quando começou a ler?
No início da década de 1990, quando gravei salmos. A Globo me ajudou muito. Gravei vários clipes, trechos da Bíblia, enfim Começou a fase que vai ser a minha fase derradeira e gloriosa. Estou completando no final do mês 70 anos de carreira.

O que mais gostou de fazer?
O que estou fazendo agora.

O senhor acha que mudou muita coisa na televisão?
Sim, melhorou muito. Não só a imagem, que é digital, mas mesmo os apresentadores estão mais soltos, mais informais. Está ótimo. Nota dez.

Era mais difícil na sua época?
Era, claro. Era mais formal.

O senhor sente vontade de voltar a fazer televisão?
Minha filha, com 87 anos, pelo amor de Deus!

Leia Mais

David matou Golias. Né?

David com a cabeça de Golias em pintura de Caravaggio: será que ele foi o matador mesmo?
David com a cabeça de Golias em pintura de Caravaggio: será que ele foi o matador mesmo?

Reinaldo José Lopes, no blog Darwin e Deus

Essa qualquer moleque sabe, mesmo que ele tenha sido criado numa família não religiosa: quem matou o gigante Golias com uma pedrada lançada por sua funda foi David, certo?

Na Antiguidade, um pessoal estava meio em dúvida, porém. Tipo o pessoal que escreveu um tal de Segundo Livro de Samuel. Na Bíblia.

“Elcanã, filho de Iari, de Belém, matou Golias de Gat; a madeira de sua lança [isto é, da lança de Golias] era como cilindro de tecedeira.”

É só isso — nada de descrição épica ou falas grandiloquentes. Essa passagem aparece numa espécie de apêndice do livro, vários capítulos DEPOIS da história tradicional da luta entre David e Golias que todos conhecemos e amamos, presente no Primeiro Livro de Samuel.

Atenção aos detalhes: 1) O tal Elcanã, um ilustre desconhecido, nasceu em Belém, coincidentemente ou não a mesma cidade natal de David; 2)Não apenas o nome “Golias” é o mesmo, mas o texto diz que ele era de Gat, a mesma cidade de origem do gigante na narrativa sobre David; 3)a descrição da lança “como cilindro de tecedeira” (o que quer dizer que era uma haste bastante grossa, adequada a um gigante) também é igualzinha à que aparece no capítulo anterior.

Desculpaí, mas é o mesmo Golias. Então, quem apagou o homem, David ou Elcanã?

Conclusão consensual entre os principais estudiosos do texto bíblico: muito mais famoso do que seu conterrâneo, David “atraiu” para si a história do feito, o que é um fenômeno comum no caso de heróis de outras culturas. Os autores bíblicos, no entanto, possuíam a tradição paralela da morte do guerreiro e acabaram por registrá-la. Faz muito mais sentido eles “transferirem” o feito de Elcanã para David do que o contrário.

Pense nisso da próxima vez que alguém disser que a Bíblia é 100% infalível em todos os assuntos, da história antiga à cosmologia, que ela nunca se contradiz nem tem pontos obscuros. O exemplo acima é apenas um de inúmeros. Nada contra acreditar na inspiração divina do texto — até porque eu também acredito. Mas não parece sensato achar que essa inspiração não foi moldada por mãos e mentes humanas, e que não é preciso discernimento e trabalho humano para entender as tensões e complexidades do texto.

Leia Mais

Chefe de igreja ucraniana compara Putin a assassino bíblico

Publicado no Terra

 Segundo o patriarca, presidente "derrama o sangue dos irmãos" (foto: B.Rentsendorj / Reuters)
Segundo o patriarca, presidente “derrama o sangue dos irmãos”
(foto: B.Rentsendorj / Reuters)

Neste sábado, Filaert, chefe da Igreja ortodoxa ucraniana, chamou o presidente russo Vladimir Putin de “novo Caim”. Na Bíblia, ele é o personagem que mata seu irmão mais novo e nega o crime perante deus. A afirmação do patriarca foi publicada no site oficial da igreja.

O texto fala, sem mencionar o nome do presidente, de um “dirigente ortodoxo que diz ser irmão do povo ucraniano, mas que, por seus atos, se converteu em um novo Caim, que faz derramar o sangue dos irmãos e enreda o mundo na mentira”.

“Ele diz mentiras evidentes: ao enviar mercenários que matam em nosso país, fala de um ‘conflito interno’ no qual não está envolvido; ao enviar à Ucrânia tropas regulares que são subordinadas suas, diz publicamente que não são”, completa o texto em clara alusão a Putin. Ele ainda pede aos fiéis da igreja que “não tenham medo deste dirigente” e prediz “seu fim próximo”.

O chefe da Igreja ortodoxa ucraniana é conhecido por suas opiniões veementes contra o chefe do Kremlin e “inimigo russo” desde a anexação, em março, da península ucraniana da Crimeia pela Rússia.

Leia Mais

Papiro citando a Santa Ceia pode ser o mais antigo amuleto do cristianismo

Fragmento indica que cristãos adotaram costume egípcio de usar amuletos contra perigos (foto: University of Manchester, John Rylands Research Institute)
Fragmento indica que cristãos adotaram costume egípcio de usar amuletos contra perigos (foto: University of Manchester, John Rylands Research Institute)

Publicado no UOL

Um fragmento de papiro com referência à Santa Ceia pode ser o mais antigo amuleto do Cristianismo. O pedaço de papel foi descoberto por uma pesquisadora entre milhares de papiros mantidos na biblioteca da Universidade de Manchester, no Reino Unido.

A responsável pelo achado, Roberta Mazza, diz que ele provavelmente foi usado dobrado em um pingente como amuleto de proteção. “Foi uma descoberta importante e inesperada. Trata-se de um dos primeiros registros de uso de magia no contexto do cristianismo e o primeiro amuleto com referência à Santa Ceia”, diz Mazza.

O fragmento é provavelmente originário de uma cidade do Egito. Seu texto traz uma mistura de trechos dos Salmos e do evangelho de Matheus. “Na época, cristãos começaram a utilizar passagens da Bíblia como amuleto de proteção”, diz Mazza. “Por isso, este achado marca o início de uma importante tendência”, completa.

Análises de carbono indicam que o papiro data de período entre os anos de 574 e 660. O criador provavelmente transcreveu trechos da Bíblica de que lembrava de cabeça, ao invés de copiá-los. Segundo a pesquisa, há erros de ortografia e palavras que não estão na ordem correta, como estão na Bíblia.

A íntegra do texto diz:

“Temei o que governará sobre a terra.

Saibam nações e povos que Cristo é o nosso Deus.

Pois ele falou e tudo veio a ser, ele mandou, e tudo foi criado; ele colocou tudo sob os nossos pés e nos libertou da cobiça de nossos inimigos.

Nosso Deus preparou uma Ceia Sagrada no deserto para o povo e deu o maná da Nova Aliança para comermos, o corpo imortal do Senhor e o sangue de Cristo derramado por nós para a remissão dos pecados”.

A passagem foi originalmente escrita na parte de trás de um recibo usado para pagamento ou cobrança de imposto. Um texto quase ilegível faz referência à coleta de tributos da vila de Tertembuthis, localizada no interior de Hermópolis, cidade da antiguidade onde hoje está localizada El Ashmunein, no Egito.

“Provavelmente, a pessoa que utilizou as costas do papiro para escrever o texto do amuleto era dessa mesma região”, diz Mazza.

A descoberta será apresentada por Roberta Mazza em conferência internacional. Em seu estudo, ela mostra que cristãos adotaram a prática egípcia de usar amuletos para proteger seu portador e afastar perigos. Segundo a pesquisadora, a prática pode ser verificada ainda hoje, no uso de escapulários e orações em santinhos.

A pesquisa foi publicada na revista especializada Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik.it.

Leia Mais