Homem mantém seu cão-guia que perdeu a visão e agora os dois compartilham um cão-guia

publicado no Catraca Livre

Depois de 6 anos de companheirismo, Graham Waspe recebe a notícia mais improvável e devastadora: seu cão-guia, Edward, de 8 anos de idade, fica cego depois de desenvolver catarata. A doença, que se tornou inoperável, fez com que Edward tivesse que remover os dois olhos.

O que poderia ser apenas uma trágica história, se tornou uma lição de vida com um final alegre para os dois: seu substituto, Opal,uma “cadela-guia”, ajudaria os dois, Waspe e Edward, a se locomoverem nessa nova jornada.

Com dois anos de idade, a cadela Opal se mostrou a peça que faltava na vida de Waspe e Edward. Graham disse: “Opal tem sido ótima para nós dois. Eu não sei o que faria sem ela”.

Edward é muito famoso na cidade, é bem conhecido nas escolas e grupos comunitários , adora crianças e brincar, e mesmo depois de ter perdido a visão, ficou ainda mais popular e não perdeu a alegria de brincar e ficar rodeado por crianças.

Cao-guia_1

Cao-guia_2

Cao-guia_3

Leia Mais

Cão faz sucesso ao acompanhar dono cantando ‘Trololó’

Gravação mostra cachorro uivando enquanto dono canta.
Vídeo alcançou mais de 15 mil visualizações no YouTube.

Maximus fez sucesso ao acompanhar dono cantando 'Trololó' (foto: Reprodução/YouTube/Rumble Viral)
Maximus fez sucesso ao acompanhar dono cantando ‘Trololó’ (foto: Reprodução/YouTube/Rumble Viral)

Publicado no G1

O cão pastor alemão Maximus fez sucesso na internet ao acompanhar seu dono cantando a famosa canção “Trololó”, do russo Eduard Khil. A gravação mostra o cachorro uivando enquanto seu dono canta.

Leia Mais

Vigilante se despede de cão em vídeo e emociona internautas

Mineiro Marcos Pimenta registrou o momento em que seu cão é sacrificado.
Vídeo já teve mais de 11 mil visualizações na internet.

Marcos Pimenta e Othello trabalharam juntos por quase quatro anos (foto: Arquivo pessoal)
Marcos Pimenta e Othello trabalharam juntos por quase quatro anos (foto: Arquivo pessoal)

Thaís Pimentel, no G1

Othello de Sadonana nasceu e foi criado em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Era respeitado pelos amigos e colegas de trabalho. Passou grande parte da vida trabalhando como vigilante em um condomínio de luxo da capital. Se aposentou aos oito anos e morreu no dia em que completou nove.

O pastor alemão tinha um tumor maligno bem perto do coração e foi sacrificado no último sábado (4). Todo o processo foi filmado pelo dono, o também vigilante Marcos Pimenta, 29 anos, que trabalhou com Othello por quase quatro anos. “Começamos juntos. Aprendi muito com ele. Era um superparceiro. Um grande amigo”, conta.

Vigilante Marcos Pimenta se despede do cão Othello (foto: Arquivo pessoal)
Vigilante Marcos Pimenta se despede
do cão Othello (foto: Arquivo pessoal)

O vídeo foi publicado na internet e já teve mais de 11 mil visualizações. “Eu filmei porque queria ter uma última lembrança do meu amigo. Depois publiquei e marquei no Facebook pessoas que tiveram uma ligação com ele. Mas a história tomou uma proporção tão grande. Estou recebendo mensagens do Acre, de São Paulo, do Rio Grande do Sul. Uma loucura”, disse Marcos.

Uma das pessoas que foram “marcadas” na rede social por Marcos foi o adestrador Max Macedo que treinou Othello. “Ele nasceu aqui comigo. Eu treino cães para vigilância. Quando ele estava pronto foi trabalhar com o Marcos. Os dois ficaram muito apegados. Assim que Othello parou de trabalhar, dei ele para o Marcos”, revela.

“Quando a gente trabalhava junto, era eu que tratava dele. Limpava canil, tirava pelo morto, dava de comer. No trabalho, ele era dócil quando tinha que ser e ágil no momento certo”, explica Marcos.

Segundo o vigilante, Othello mudava de comportamento assim que observava alguma coisa errada. “Uma vez, ele percebeu a entrada de alguns homens em uma obra, que planejavam roubar um ar-condicionado. Afugentou todos. Era muito bom de serviço”, conta.

O pastor alemão ficou pouco menos de um ano na casa de Marcos. Ele sofria de uma grave doença na pele que fez com que perdesse todo o pelo. Assim que Othello terminou o tratamento da dermatite, seu dono percebeu uma alteração no pescoço do cachorro.

Pastor alemão Othello era vigilante ao lado de Marcos Pimenta em um condomínio de BH (foto: Arquivo pessoal)
Pastor alemão Othello era vigilante ao lado de
Marcos Pimenta em um condomínio de BH
(foto: Arquivo pessoal)

“Tinha uma gordura na papada que depois desceu para o tórax. Apareceu um caroço rígido no local. Levei para o veterinário que recomendou uma biópsia urgente. Era um tumor maligno, próximo ao coração. Tudo foi muito rápido. Questão de dias mesmo. Ele já não estava comendo direito. A boca estava inchada. Corri para a clínica. Tinha a possibilidade de cirurgia, mas não havia certeza de plena recuperação. Veterinário disse que ele iria sofrer demais. Aí eu disse ‘pode sacrificar, melhor a alternativa'”, disse o vigilante.

No vídeo, Marcos usa uma braçadeira de adestramento para manter o cão calmo e distraído para que o veterinário fizesse aplicação do medicamento. O concunhado do vigilante, César Augusto, fez a filmagem e também se emociona durante o vídeo. Graças a Othello, Marcos começou a trabalhar com adestramento de cães por hobby. “Eu faço figuração que é uma etapa importante no treinamento. Sempre gostei de animais. Sempre cuidei dos cães da família”, disse.

Hoje, o cão ganhou uma página em sua homenagem “Eterno Othello“. “É para as pessoas conhecerem um pouco da história dele. Outro dia recebi uma mensagem de uma menina que decidiu fazer veterinária por causa do vídeo. Mesmo depois de morto, o Othello está trazendo coisas boas pra mim”.

Eutanásia
O sacrifício animal é previsto pela resolução n°1000, que faz parte da legislação que regulamenta a medicina veterinária no Brasil. Segundo um dos pontos do texto, “a eutanásia pode ser indicada nas situações em que o bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento dos animais, os quais não podem ser controlados por meio de analgésicos, de sedativos ou de outros tratamentos”.

Ainda de acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), são princípios básicos dos métodos de eutanásia “elevado grau de respeito aos animais;
ausência ou redução máxima de desconforto e dor nos animais; busca da inconsciência imediata seguida de morte; ausência ou redução máxima do medo e da ansiedade; segurança e irreversibilidade; ausência ou mínimo impacto ambiental; ausência ou redução máxima de risco aos presentes durante o procedimento; ausência ou redução máxima de impactos emocional e psicológico negativos no operador e nos observadores”.

Leia Mais

Cadelinha criada com gatos pensa que é um felino; veja fotos

cachorro-gato0

publicado na Veja São Paulo

A cachorrinha Tally da raça husky siberiano vive uma crise de identidade. Por ter crescido em uma casa com diversos gatos, ela tem absoluta certeza de que é um felino.

Tally está fazendo sucesso na internet depois que seu dono publicou algumas fotos suas fazendo movimentos comuns entre os bichanos como, por exemplo, sentar com as patas dobradas sob o corpo e se esconder em pequenos espaços como caixas.

“Ela não tem nenhum interesse em interagir com seus iguais. Eu a levo para parques de cães e é muito engraçado, pois ela anda por aí farejando coisas, enquanto um bando de cachorros a segue tentando socializar, mas ela sequer dá bola”, escreveu seu dono.

Confira as poses de Tally como um gatinho:

cachorro-gato1

cachorro-gato2

cachorro-gato3

cachorro-gato4

cachorro-gato5

cachorro-gato6

cachorro-gato7

cachorro-gato8

cachorro-gato9

 

Leia Mais

Hospital ganha prêmio após socorrer cachorro que comeu 43 meias

14247177

publicado na Folha de S. Paulo

Um dogue alemão de 3 anos estava muito mal e com ânsia de vômito quando seus donos o levaram às pressas para a emergência de um hospital de animais de Portland, nos Estados Unidos.

O raio-X mostrou que o animal comeu algo estranho.

Depois de quase duas horas de cirurgia, Dra. Ashley Magee descobriu a causa: o cachorro havia comido 43 meias e uma pela metade.

A representante do hospital DoveLewis, Shawna Harch, disse ao jornal “The Oregonian” que o caso pode ser o mais estranho que já passou pelo hospital.

O hospital participou de um concurso anual promovido pela revista “Veterinary Practice News” em fevereiro e ganhou um prêmio na categoria de raios-X.

O hospital disse que o dogue alemão retornou ao seu lar após a cirurgia e continua vivo. Não há relato sobre o que ele tem comido ultimamente.

14247173

Leia Mais