Arquivo da tag: caras

Cid Moreira: “Rachel Sheherazade é meio agressiva. Foi a forma que ela achou para falarem dela”

Há 45 anos na Globo, o apresentador do ‘Jornal Nacional’ durante 27 anos, revelou o desejo de constar nos quadros de funcionários da emissora até quando completar 50 anos na casa

Cid Moreira (foto: Cesar Alves)

Cid Moreira (foto: Cesar Alves)

título original: “Só Deus vai me aposentar”, revela Cid Moreira

Thiago Azanha, na Caras

Alô. Bom dia“, a voz grave e inconfundível que durante anos se tornou onipresente na casa de todos os brasileiros está do outro lado da linha. Cid Moreira, o próprio, pergunta meu nome e quer saber em que cidade nasci. Responde que também é do interior de São Paulo — Taubaté — e começamos a divertida conversa que durou mais de uma hora como um aprendiz curioso e seu mestre veterano.

Aos 86 anos, Cid fala abertamente sobre a época gloriosa, segundo ele, em que trabalhou na TV Globo — ele ainda tem contrato em vigor –, elogia as recentes mudanças do Fantástico, critica as opiniões de Rachel Sheherazade no SBT e relembra as curiosidades durante a apresentação do Jornal Nacional.

Veja os principais trechos da entrevista:

Fora das câmeras, qual a rotina do senhor? O que gosta de fazer no dia a dia?

Caminho para os 87 anos, vou fazer aniversário em setembro. Continuo o mesmo com a minha idade. Adotei uma alimentação saudável e estou insistindo nela há mais de meio século. Parei de comer carne vermelha quando tinha 30, 31 anos. Procuro me alimentar bastante com frutas. Pratico meus exercícios diários, bato minha bolinha de vez em quando. Já até joguei com o tenista Fernando Meligene para a gravação de um programa na TV.

Do que mais sente falta de estar na TV?

Não sinto falta nenhuma, já estou beirando os noventa. São fases. Vivi várias fases maravilhosas. Quando deixei o rádio, deixei com tristeza. Aí passei para a fase da TV, maravilhosa. Fiz parte do Canal 100, na fase do cinema, que deu ênfase ao futebol. Era um jornal muito popular e aplaudido. Fui narrador durante doze ou treze anos no Canal 100. Gravava, pelo menos, quarenta a cinquenta jornais editados em todo o Brasil. Também tive a fase gloriosa, comercialmente falando, onde mais gravava. Resumo a minha vida profissional em fases, do rádio, comercial, cinema, inclusive em pontinhas no cinema, em tapes de rádios. Já fui até garoto propaganda.

Nunca surgiu o convite para atuar em novelas na TV?

Claro que surgiu o convite para fazer televisão. Tinha uma boa aparência, era um dos homens mais bonitos do Brasil. Mas optei pelo jornalismo. Na época ganhava mais fazendo comerciais do que fazendo novelas na TV. Preferi investir no que estava dando certo. A fase da TV me garantiu a presença no Livro dos Recordes [Cid ficou 27 anos na bancada do Jornal Nacional]. Agora não sei. Estou na fase gloriosa, investindo não só em mim. Estou gravando as mensagens da Bíblia. Tenho saudade das fases que vivi, das pessoas que conheci e que me conheceram. Sou abençoado.

O senhor ainda tem contrato em vigência com a Globo?

Tenho contrato em vigor. Estou há 45 anos na Globo e quero chegar aos 50 anos lá. Sou um dos mais velhos lá.

Por qual motivo deixou a bancada do Jornal Nacional? Foi em comum acordo com a emissora?

Foi uma coisa normal, natural. O programa, por melhor que seja, estica. Tudo no mundo tem começo, meio e fim. Nada é perpétuo. Uma peça na Broadway pode fazer sucesso, mas um dia acaba. Todo mundo tem direito à sua fase. Vou caminhar, se Deus quiser, aos 50 anos na Globo.

Mantém algum contato com os amigos da época de jornalismo, como o William Bonner, Sérgio Chapelin e outros profissionais da Globo?

O William é meu vizinho tanto aqui na Barra da Tijuca quanto na serra. Tenho um estúdio em Petrópolis, a minha atividade é em casa. Eu gravo bastante lá. Só Deus vai me aposentar. Gosto de trabalhar. Isso me distrai. Continuo aprendendo.

Ainda assiste todos os dias ao Jornal Nacional? Mudou muita coisa em relação à sua época?

Sempre assisto. Não gosto de ver certas notícias enquanto janto, mas é impossível evitar isso hoje em dia. Eu faço minha parte física, começo às 18h. Faço meu alongamento, pilates, minha sauna. Chego para a mesa às 20h, 20h e pouco. Vejo o final da novela das 19h, assisto o Jornal Nacional e depois vou ver um filme.

Não gosta de assistir às novelas?

Novela não é minha praia. Mas vi algumas, para não ser mentiroso. Vi uma parte de Avenida Brasil, gostava de algumas atuações. Não tenho o hábito de ver novelas, mas ver filmes.

O que mais gosta de assistir na TV?

Acompanho os jogos de tênis, quando são compatíveis com os horários do Brasil. Não perco o US Open e o torneio de Roland-Garros. Já o futebol eu não gosto, não assisto.

O que achou das recentes mudanças no Fantástico? Gosta deste novo tipo de apresentação, aliado à tecnologia?

Eu acho que tudo evolui. O Fantástico evoluiu muito. Acho o Tadeu Schmidt muito bom. Está ótimo o programa com este formato.

Já tem alguma participação programada para a Copa do Mundo, como fez em 2010 com o bordão da bola “Jabulaaaani”?

Ainda não sei, mas deve aparecer algo.

O que acha dos jornalistas dando opinião nos telejornais, como a Rachel Sheherazade faz no SBT?

Li algumas coisas nos jornais a respeito. Ela é meio agressiva. O ser humano quer aparecer de qualquer maneira. Foi a forma que ela achou para falarem dela.

De alguma forma, os apresentadores de TV também são artistas?

Eles estão querendo. Tudo evolui. Antes era muito formal. Uma vez, quando espantei uma dessas moscas de frutinha no ar, a Playboy fez uma reportagem de sete páginas! No Jô, quando fui dar uma entrevista, estávamos falando sobre esse acontecimento e a tal da mosca voltou. Ele não perdeu a oportunidade e brincou com a situação.

O senhor sempre foi assediado fora da TV?

Sempre fui assediado dentro e fora do Brasil. Uma vez estava em Londres e minha mulher perdeu o chip da máquina fotográfica. Alguém o encontrou em uma estação e procurou o escritório da Globo na cidade para me mandar aquele negocinho minúsculo. Ela achou uma agulha no palheiro! Aí o pessoal do escritório passou meu endereço e ela postou o chip para minha casa no Brasil.

É verdade que o senhor chegou a usar bermudas para apresentar o Jornal Nacional?

Nas minhas palestras, todo mundo me pergunta isso. Mas foi só uma vez. Sempre frequentei Petrópolis, onde costumava jogar tênis. Uma vez, quando estava voltando para o Rio, peguei um temporal e cheguei atrasado à emissora. Não deu tempo para trocar de roupa. Além de tudo, era Carnaval, até isso me favoreceu. Tinha paletó, camisa e gravata para colocar antes de entrar no ar. Levei uma bronca e nunca mais repeti isso. Depois veio a proibição de algumas roupas. Só as mulheres que podem usar saias. Acho injusto [risos]. Todo mundo lá andava de sandália por causa do calor. Era normal esse ambiente mais despojado.

Que outros causos engraçados se lembra da época em que apresentava o programa?

Foi engraçado, mas resultou no afastamento do cameraman. Em um sábado, dia que não tinha muita movimentação na emissora, um cameraman posicionou o equipamento, chegou na bancada, arregaçou a calça e colocou o bundão na mesa. Tive que me conter, estava ao vivo. Fiquei com muita raiva na hora. Foi o cúmulo das brincadeiras. Depois desse episódio ele acabou sendo afastado. Mas hoje é engraçado contar isso.

Outra vez, parei em um posto para assistir o jornal. Duas senhoras se aproximaram de mim e de cara me deram um fora: “Ô, seu Chapelin [companheiro de bancada de Cid no JN]”. Trocou meu nome e me murchou na hora. E ainda continuou: “Posso te pedir um favor? Leia mais depressa as notícias que eu quero ver a novela”.

Uma das capas mais lembradas da revista CARAS é a qual o senhor aparece em uma banheira com as pernas de fora (dezembro/1993). Acha que o jornalismo ainda precisa desse bom humor, de humanizar os jornalistas?

Houve uma época que terminava o jornal com alguma graça. Por isso que chegou a ganhar popularidade. Fazia alguma gracinha com conotação de algo que aconteceu no dia. Aí começou alguma crítica, pelo jornal ser formal. Essa fase durou pouco, mas com grande sucesso. Hoje o jornal está mais descontraído, comentado, esta ótimo. O jornal tem o seu lado sério, seu drama, precisa passar isso, a seriedade. Mas ao mesmo tempo pode brincar, tem que ser humano. Tudo caminha para a naturalidade. Não tem nada mais difícil para o apresentador passar essa naturalidade.

Sobre a capa na banheira, lembro que foi uma entrevista longa, cansativa. Em determinado momento surgiu a ideia de fazer a foto na banheira. A entrevista estava demorada, aí comecei a me exercitar, tenho mania de fazer exercícios. Chega em determinado momento que você esquece que está dando uma entrevista. O fotógrafo aproveitou o momento enquanto treinava o abdome e começou a tirar as fotos. Lembro que teve um problema com a luz, teve um intervalo longo, e ele não quis perder esse lance. Mas a capa se tornou uma enorme polêmica, quase que fui para a rua. [risos]. Hoje não fico mais na banheira!

Que projetos ainda têm em mente?

Pretendo lançar em breve um site com as mensagens da Bíblia. Quero que seja algo que decole, que não caia no esquecimento.

 

Naldo se converte e pode seguir carreira gospel

O cantor recebeu oração do pastor Job Roberto em Minas Gerais e pode dar uma guinada em sua carreira musical

nal11Publicado originalmente na Caras

O cantor Naldo pode deixar de lado a carreira no funk e se dedicar à música gospel em breve.

Por orientação do cantor Thalles Roberto, o marido de Ellen Cardoso passou alguns dias em Passos, no interior de Minas Gerais, nesta última semana e recebeu uma oração especial do pastor Job Roberto da Silva.

Naldo Benny recebendo de Deus em Passos-MG, terrinha do profeta simples e humilde Pastor Job, um homem que tenho o orgulho de ter como PAI. Isso não pode faltar no processo da volta! Eu passei por isso. A mãozada do pastor Job Roberto da Silva na cachola! Homem íntegro e sério com as coisas de Deus! Naldo, conta comigo no processo de volta! Sem Jesus, sem os 3, a vida não tem graça! Te amo negão! Sejam cheios do Espírito Santo“, escreveu Thalles na legenda do vídeo que mostra o momento exato da conversão do funkeiro.

No vídeo, é possível ver o pastor dizendo: “Deus mudará tudo. E você vai ser um cantor de Jesus. Ele está falando a você, que ainda não tá entendendo. Meu filho, chegou a hora, volta. Eu te quero pra mim“. Naldo aparenta estar muito emocionado e chorando. O cantor também já aparece vestindo a camiseta do ministério de Thalles.

Naldo Benny aqui na minha casa para dias de comunhão e oração! Mudança de vida, Aleluia! Nada é melhor pro Pai do que sentir o cheiro do filho voltando! Deus está fazendo coisas maravilhosas na vida desse homem! Naldo, te amo meu irmão, te amo demais, conta comigo no processo, TE AMO! Deus tem promessas poderosas e tamo junto“, disse o cantor gospel em uma foto que aparece segurando as mãos da Naldo.

naldo-e-thallesNaldo, por sua vez, agradeceu o encontro e as orações ao lado do amigo em Minas Gerais. “Thalles Roberto, maravilhoso estar com você, meu irmão, coisas boas que só Deus faz! É ‘nox’ aqui na casa do meu brother em Passos M-G. Que coisa boa negão viver essas experiências, com sua vivência na vida de Deus e com Deus, cada vez ficando mais forte, obrigado pelo seu abraço com fogo do Espírito Santo, e me acolher como irmão. Deus nos abençoe negão”, escreveu o funkeiro em sua conta no Instagram.

Recentemente, Naldo estava a caminho de um show no Rio de Janeiro e disse que o Espírito Santo o encaminhou para o show de Thalles na cidade. No mesmo dia, confirmou-se a gravidez da mulher, Ellen Cardoso. O cantor deu um emocionante depoimento na internet:

O dia havia sido estranho para mim. Ao acordar à noite para ir fazer meu show que seria na Barra da Tijuca, ao passar em frente ao Barra Music no meu carro, senti um mover diferente. Era o ESPÍRITO SANTO, que me fez dar a volta no caminho e, dentro de mim, dizia bem forte: ‘Se for de Deus, vai dar tudo certo’. Entrei no show do meu amigo, talentoso, homem de Deus Thalles Roberto. Foi incrível, e eu com o tempo apertado por conta do meu show. Mas vinha toda hora na cabeça, ‘fique tranquilo, eu estou no comando’. E para quem sabe, isso é Deus falando e ponto final. Contei isso para o povo de Deus, no palco com o Thalles ouvindo tudo. O povo gritando ‘Volta pra Jesus’, e aos gritos, cantando o refrão de ‘Arde Outra Vez’. Não tenho dúvidas, quem me fez fazer o retorno, e ir ao palco cantar ‘Clareia’ com Thalles foi o ESPÍRITO SANTO DE DEUS. Galera, não se assuste com novidades. É chegado o tempo do mestre na minha vida. Quem está comigo é o Deus de Israel, O SENHOR DOS SENHORES. Ae Negão, TE AMO MUITO, Thalles Roberto. Vai preparando o groove, que o papai está no comando. Tamo junto negão. DEUS NOS ABENÇOE. Vou ser papai de novo. Entrego esse novo momento nas mãos do meu mestre, filho é benção. E Deus é Fiel. Vamo NO FLOWW, cheios do ESPÍRITO SANTO“, escreveu.

O funkeiro também se mostrou feliz com a reaproximação do filho, Pablo, após diversos desabafos públicos do jovem pelas redes sociais.

Famosos criticam piadas sobre a morte do músico Champignon: ‘Não existe prêmio para quem julga os outros mais rápido’, diz Leo Jaime

Leo Jaime, Marina Ruy Barbosa e Tico Santa Cruz usam as redes sociais para criticar internautas que fazem piada sobre a morte de Champignon. Junior Lima, que já trabalhou com o músico, lamentou a tragédia

Famosos criticam piadas sobre a morte do músico Champignon: 'Não existe prêmio para quem julga os outros mais rápido', diz Leo Jaime

Famosos criticam piadas sobre a morte do músico Champignon: ‘Não existe prêmio para quem julga os outros mais rápido’, diz Leo Jaime

Publicado por Caras Online

Assim como milhares de fãs, muitos famosos usaram as redes sociais para lamentar a morte do músico Luiz Carlos Leão Duarte Junior, o Champignon, ex-integrante da banda Charlie Brown Jr. Ele foi encontrado morto na madrugada desta segunda-feira, 9, em seu apartamento, em São Paulo.

“Acordei agora com a notícia do Champ!!! To em choque!!!!! Perdi mais um irmão!!!!!!!! Não to conseguindo acreditar!!!! Pqp!!!!”, escreveu Junior Lima. Os dois trabalharam juntos na banda Nove Mil Anjos em 2008 e 2009. “Alguém sabe o porquê?? Se ele deixou algum recado?? O que que aconteceu??? To perdido aqui sem informações!!! NÃO CONSIGO ACREDITAR!!!!!”, lamentou.

Diante da notícia, muitos internautas fizeram piadas sobre o ocorrido. A atriz Marina Ruy Barbosa publicou em seu Twitter trecho da música Dom de Ilusão. “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é….”, e criticou as brincadeiras na web. “Impressionante…. Quanta gente má surge nessas horas né?! Feio ficar brincando com algo tão triste….”.

“Estivemos juntos no último capítulo de Malhação. Ele tentava se reerguer da perda do parceiro. Trollado por muitos. Valeu, Champignon. Obrigado pelas belas canções. Isto é o que vai ficar”, escreveu Leo Jaime. “Um aviso a geral: não existe prêmio para quem julga os outros mais rápido. Defina hipocrisia. Lamentar a morte de conhecidos é hipocrisia? Por quê? Deveríamos lamentar a morte dos desconhecidos? Como?”, continuou o músico diante de críticas de seguidores. “Outro aviso: não existe concurso para ver quem é o maior cuzão das redes sociais. Burrice é a única coisa infinita do universo”.

“Estado completo de Choque com a notícia sobre o Champignon”, escreveu Tico Santa Cruz. “Quanta gente má surge nessas horas de tristeza. Tenho dó de vocês que estão fazendo piadinhas e brincadeiras com algo tão triste”.

A morte de Champignon ocorreu seis meses após a morte de Chorão, seu ex-colega do Charlie Brown Jr. Atualmente ele liderava a banda A Banca.

Veja mais declarações dos famosos:

Giovanna Lancellotti: “Como assim cara ??? agora? to chocada!”

Péricles: “Infelizmente a música perde mais um grande guerreiro pra depressão: Champignon,ex-Charlie Brown Jr, e A Banca, é encontrado morto em casa,e supõe-se que se suicidou. Acordei agora com essa noticia,e nao tenho palavras pra demonstrar minha tristeza em perder esse amigo. Que Deus conforte a sua alma,e cuide da família e de todos os que o amavam”.

Preta Gil: Champignon descanse em paz!!!!! muito muito triste!!!!”

Didi Wagner: Que notícia mais triste. Poxa, Champignon. Você tinha uma vida inteira pela frente”

Dinho Ouro Preto: “Caraca champs que porra é essa? continuo sem acreditar. Tô tentando falar com o Thiago mas não consigo. deve ser algum engano. tô recebendo emails dizendo q é verdade. nossa, que tristeza. nossa bro”.

Morte de Champignon

O baixista Luiz Carlos Leão Duarte Junior, 35, o Champignon da banda Charlie Brown Jr. e A Banca, foi encontrado morto na madrugada desta segunda-feira, 9, com um tiro na cabeça, em seu apartamento no Jardim Caboré, na zona oeste de São Paulo.

Segundo relatos de vizinhos, um tiro foi ouvido por volta da 0h, vindo do apartamento de Champignon, seguido de gritos da mulher do músico, Claudia Campos, e latidos do cachorro do casal. Poucos minutos antes, o casal havia chegado de um jantar com os amigos.

Claudia está grávida de cinco meses e foi levada em estado de choque para um hospital da região. De acordo com relatos do tenente da Polícia Militar Rafael Elias Franco Pinto, o músico foi encontrado caído no chão com uma pistola 380 em uma das mãos e um tiro na boca. O corpo estava em um quarto junto aos instrumentos musicais do baixista.

Morte de Chorão

Em março, Alexandre Magno Abrão, o Chorão, foi encontrado morto em seu apartamento no bairro de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista. Segundo laudo da Polícia Técnico-Científica de São Paulo, Chorão morreu em decorrência de uma overdose de cocaína.

Repercussão

Na manhã desta segunda-feira, 9, a hashtag RIPChampignon já ocupa a primeira posição no Twitter Brasil. Já a hashtag Charlie Brown Jr. está na sétima colocação no Twitter Mundial.

 

Kaká reduz salário a quase um terço e diz que “dinheiro nunca foi prioridade”

Kaká é recepcionado com festa por torcedores na sua chegada à Itália para assinatura de contrato (foto: AP Photo/Luca Bruno)

Kaká é recepcionado com festa por torcedores na sua chegada à Itália para assinatura de contrato (foto: AP Photo/Luca Bruno)

Publicado no UOL

O sonho em voltar à seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo de 2014 pesaram tanto que Kaká parece ter perdido um bom dinheiro ao decidir deixar o Real Madrid para voltar ao Milan.

Os valores oficiais do novo contrato com o time rubro-negro não foram divulgados, mas, de acordo com o jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”, o brasileiro vai receber quatro milhões de euros por temporada, quase um terço do que ganhava no Real Madrid, algo próximo a 11 milhões a cada temporada.

Se não confirma valores, Kaká deixou claro que abriu mão da parte financeira para poder ter mais chances de entrar em campo e tentar colocar fim à instabilidade que passou no time merengue nos últimos quatro anos.

O meia de 31 anos foi liberado de forma gratuita pelo Real Madrid e o contrato será válido por duas temporadas.”Dinheiro nunca foi uma das minhas prioridades e mais uma vez provei isso”, falou o jogador de 31 anos em sua chegada a Milão.

Embora o técnico Luiz Felipe Scolari declare que a escolha de um atleta não está atrelada à titularidade em seus clubes, Kaká teve poucas chances na seleção. Ele participou de amistosos pré- Copa das Confederações, mas não foi relacionado para a competição.

Relutou deixar o time merengue há algumas temporadas por um desejo pessoal de não sair como fracassado ao ser anunciado como uma das caras contratações da história ao custar 65 milhões de euros em 2009.

Chegou a fazer bons jogos na primeira temporada, mas os problemas de lesão e alta concorrência em sua posição o fizeram ser pouco aproveitado pelo ex-técnico do time, José Mourinho.

O português optava pela dupla Özzil e Di Maria na construção das jogadas, e muitas vezes Kaká era preterido também por Modric e Callejon.

Uma possível permanência foi cogitada depois que Carlo Ancelotti, técnico com quem brilhou no Milan, chegou até o time madrileno. Mas foi uma conversa com o próprio que fez Kaká tomar a atitude de pedir para sair.

“Quatro anos se passaram e agora estou de volta. Há 15 dias eu pensei que eu pudesse voltar atrás, eu falei com Carlo Ancelotti e eu percebi que era ideal para mim voltar aqui…nos últimos dias, sonhei sentir novamente no San Siro meu coro, eu não posso esperar”, falou, em entrevista ao site oficial.

Monique Evans: ‘Eu sigo a Jesus, oro muito, leio muito a Bíblia’

Monique Evans diz estar adorando a atenção que tem recebido desde que resolveu procurar um namorado na TV, fala sobre sua depressão e diz acreditar na conversão de Bárbara Evans após deixar A Fazenda

Monique Evans fala sobre a busca de um namorado na TV: Deixei de ser Titia para ser Monique

Monique Evans fala sobre a busca de um namorado na TV: Deixei de ser Titia para ser Monique

Publicado originalmente na CARAS Online

Desde que o programa A Fazenda começou, Monique Evans passa a maior parte do seu tempo em função da filha, Bárbara Evans, que está confinada no reality show. Apesar de todo o suporte que vem prestando à modelo, a apresentadora de 57 anos também tem arranjando um espaço na sua agenda para rever sua vida amorosa.

Monique está participando de um quadro no programa O Melhor do Brasil, da TV Record, em que tentará arranjar um namorado. Em entrevista à CARAS Online, ela falou com franqueza sobre sua depressão, disse que percebeu uma mudança nos olhares dos homens na rua e afirmou acreditar na conversão de Bárbara após o reality show. “A Bárbara está mais desgastada psicologicamente do que eu“, afirmou. Leia abaixo os melhores trechos da entrevista:

- Desde que A Fazenda começou, você tem passado bastante tempo nas redes sociais fazendo campanha para a Bárbara. Como está sua vida nesse período?
Eu mal durmo, mal como, fico o tempo todo acompanhando, com o coração na mão. No dia em que ela brigou com a Denise e a Andressa, ficamos até as 9 horas da manhã pedindo para o diretor do programa mostrar se ela estava bem. Vários fãs dela, que são crianças, viraram a noite, não foram ao colégio no dia seguinte. Muitas mães deles ficaram comigo, deixaram os filhos faltarem na escola, elas são umas gracinhas. Estou pasma com todo esse carinho.

- A entrada da Bárbara em A Fazenda foi uma idéia sua?
Não! Para mim foi uma surpresa. Ela só me contou com tudo assinado e eu chorei por dias, e choro até hoje. Ela sabe o quanto o programa me deprimiu, o quanto estou mal por ele até hoje. Fiquei arrasada com essa história dela ir, porque eu sei o que é aquilo lá.

- Foi o fato de ter sua vida tão exposta que te deixou mal ao sair da Fazenda?
Não, não foi isso. É que você percebe como o ser humano é, me deu medo das pessoas, eu vi um lado delas que me enoja. Ninguém nunca sai normal de lá de dentro.  Sofro até hoje.  Você é humilhada pelos seus concorrentes, a pressão é imensa, o trabalho é brutal, coisa para homem. Lá a Bárbara tem o Mateus, eu estava sozinha, tenho depressão… nunca me recuperei.

- Você acha que a Bárbara foi para lá como uma maneira de vingar o prêmio que você não ganhou?
Não sei… Acho mais que ela sabe como eu estou com essa coisa de não poder trabalhar, eu nunca mais procurei trabalho, só fico dentro do meu quarto. Acho que é uma maneira dela tentar ganhar dinheiro para ter uma grana e se sustentar, uma segurança para ela e para mim. Eu não tenho marido, não tenho pensão. Mas acho que ela vai precisar do dinheiro para um tratamento.

- Como assim?
A Bárbara está desgastada psicologicamente, mais do que eu.  Lá dentro, eu fui massacrada, mas eu tenho religiosidade, nada me atingia. A Bárbara não conhece a palavra, não se converteu, fica mais vulnerável. Eu acho que ela vai sair e vai querer se converter.

- Você tem um apego forte com a religiosidade?
Sim. A igreja que eu freqüentava era em São Paulo era em uma comunidade, bem humilde, com um pastor bem pobrezinho, que vai à casa da gente, prefiro assim.  Eu sigo a Jesus, tento ao máximo seguir os ensinamentos Dele. Não sigo muito denominações, isso não é importante. Oro muito, leio muito a Bíblia, sou batizada há 18 anos.

- Estando tão focada na sua filha, dá tempo de focar na vida amorosa?
Ah, eu não tenho vida amorosa. Já procurei namorado até na Internet. Não sou de sair muito, fico mais em casa. E também, os homens que a gente conhece na noite acham que na primeira saída você precisa transar com eles. Eu não quero isso não, parei de namorar faz quatro anos. Há quatro anos não beijo na boca, não faço sexo.

- Não sente falta?
Olha, sexo nunca foi tão importante na minha vida não, já fiquei anos sem sexo, só dando beijo, e agora nem isso. Me interessa ter alguém se for para namorar, não para uma noite.

- Por quê buscou essa experiência de arranjar um namorado na televisão?
Isso é uma grande brincadeira, eu acho muito divertido. Duas ou três pessoas se inscreveram mais seriamente, e quem sabe dessas três pessoas pode surgir uma coisa, mas faço para rir, me divertir, não tenho grandes expectativas.

- Como tem lidado com essa exposição no dia a dia?

Eu notei uma coisa bem legal, que tem acontecido nas viagens de avião, durante as corridas de táxi e até quando passo na frente de uma obra e estou adorando. Os homens têm me olhado diferente, tem me paquerado, só isso me deixa tão feliz! Acho que eles pensavam que eu era casada. Ninguém me paquerava antes, eu estou amando. Estão me dando atenção.

- Como acontecem essas investidas?
São olhares mesmo, conversas, uma frase ou outra. Antes os homens me chamavam de Titia, agora chamam de Monique, a abordagem é outra, reparam no meu cabelo, olham meu bumbum, eu adoro. Para diferenciar, já sei: se não me chamam de titia, só de Monique, já sei que o interesse é outro. Deixei de ser a Titia para ser a Monique.

- E como tem que ser esse homem que vai te conquistar?
A primeira coisa é que ele tem que estar querendo ter um relacionamento sério. Não quero perder tempo. A mulher, quando amadurece, vai perdendo um pouco esse interesse por sexo, vai dando um valor maior ao companheirismo. Quero namorar, não fazer sexo casual.