Arquivo da tag: carros

Dirty Old Car – Criando arte com a sujeira dos carros

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-7 (1)

Publicado no Marte é para os fracos

Scott Wade apresentou seu trabalho ao mundo em 2010, com sua série “Dirty Old Car”, ele criar incríveis desenhos nos vidros dos carros, usando a poeira acumulada nesses vidros.

Ele recentemente lançou uma nova série com mais alguns incríveis trabalhos, inspirado em elementos da natureza, personagens de filmes e figuras famosas, seu trabalho é realizado em estúdio e também em eventos em shoppings com acompanhamento do público onde os carros estão devidamente empoeirados para que o artista possa desenvolver seu trabalho.

Veja também essa entrevista, onde ele conta um pouco de sua história. Para conhecer mais do trabalho do Scott Wade acesse o site Dirtycarart.

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-1

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-4

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-5

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-14

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-15

Dirty-Car-Art-Scott-Wade-18

Mais ciclistas na rua não significa mais acidentes

mais-ciclistas-ruas-menos-acidentes-560w

Publicado no Planeta Sustentável

Prega o senso comum que os ciclistas, ao pedalarem em ruas onde passam carros, só atrapalham o trânsito e aumentam o risco de acidentes. A realidade pode ser bem diferente. Estudo da Universidade do Colorado em Denver, nos Estados Unidos, mostra que o aumento do número de bicicletas nas estradas reduz a ocorrência de colisões e outros acidentes de trânsito e, por tabela, torna o tráfego mais seguro.

O ponto de partida dos pesquisadores foi criar funções de performance de segurança para bicicletas (SPFs, em inglês) na cidade de Boulder, que tem uma das mais altas taxas de ciclismo no país – 12% de sua população usa a magrela nos seus deslocamentos diários.

Essas funções modelam a relação matemática entre a frequência de acidentes e seus principais fatores. Apesar de existir uma série de SPFs para veículos, não há nenhuma para bicicletas.

Os autores criaram a função de segurança para Boulder estudando acidentes em cruzamentos por toda a cidade, focando especialmente nos locais onde mais de dois terços das colisões acontecem. Eles compararam os dados de acidentes com a contagem de bicicletas nas vias.

A avaliação demonstrou que o risco de acidente é relativamente alto em interseções com menos de 200 ciclistas por dia. Ou seja: a chance de colisão diminuía quando mais ciclistas passavam por uma determinada rua.

“Alguns estudos trabalham com a hipótese de que quando os motoristas esperam ver um número significativo de ciclistas na rua, eles mudam seu comportamento”, disse o coautor do estudo Wesley Marshall, professor de engenharia civil da Universidade de Denver no Colorado. “Eles são mais propensos a olhar po cima do ombro para ver se um ciclista vem vindo antes de fazer uma curva, por exemplo”.

Outra hipótese é de que os ciclistas também podem ser atraídos para áreas mais seguras. “Na verdade, nós estamos começando a achar que as cidades com um alto nível de bicicleta não são apenas mais seguras para os ciclistas, mas para todos aqueles que estão na estrada. Melhorar as ruas para melhor acomodar as bicicletas pode aumentar a segurança para todos “, disse o pesquisador.

Artista desenha carros com borra de café

Publicado no Jornal do Carro

A arte se manifesta de maneiras misteriosas. Para Adrian Mitu, a inspiração surgiu por meio da borra de café no fundo de uma xícara. O artista romeno viu no material geralmente descartado uma possibilidade de transformação e de criar imagens incríveis, como a Lotus de Ayrton Senna, um Dodge Challenger 1970 ou seu próprio Opel Adam.

Ele usa a técnica da Aquarela, dissolvendo a borra em água para atingir o tom, contraste e sombreado desejado, mas assume que a ideia surgiu na verdade da preguiça de levantar e pegar seu kit de cores um dia. O artista criou uma página no Facebook para divulgar seu trabalho.

aqua-relief-coffee-paintings-5

aqua-relief-coffee-paintings-3 aqua-relief-coffee-paintings-1

 

Papa vai a garagem ver se padres estão usando carros ‘modestos’

Pontífice afirma que clérigos católicos devem usar as economias com os pobres e não com ostentação.

Padre colombiano decide vender carro luxuoso

Padre colombiano decide vender carro luxuoso

Publicado no Estadão

O papa Francisco protagonizou nesta quinta-feira, 11, uma visita-surpresa à garagem do Vaticano para verificar se os clérigos católicos estão atendendo a seu pedido para que usem carros “modestos”.

A visita do papa à garagem não era esperada, disse uma fonte vaticana, mas se segue a recentes comentários do pontífice sobre o que vê como a ostentação material de certos religiosos. “Meu coração dói quando vejo um padre usando o último modelo de um carro”, declarou o papa no fim de semana. Na ocasião, ele pediu aos clérigos católicos que usem “carros mais modestos” e dediquem as economias aos pobres.

Antes de ser eleito papa, quando era um cardeal em Buenos Aires, Francisco circulava de ônibus pela capital argentina. Ele defende que a Igreja Católica dê mais atenção às parcelas mais pobres da população.

Após a declaração do papa, o padre colombiano Hernando Fayid decidiu vender seu carro, um Mercedes Bens conversível. Fayid afirmou a uma emissora de televisão local que o automóvel foi um presente de seu irmão.

“Um cara morreu na minha frente na manifestação de Ribeirão Preto”

Publicado originalmente no lol Esporte

eu tava lá com meus amigos, nos eramos os ultimos do “grupo”. de repente chega uma land rover preta encostando na gente e, em vez de dar a volta como todos os outros carros, o cara começou a avançar na gente. o povo ficou puto e começou a mandar o cara dar a volta, discussoes e discussoes.

eu tava na direita do carro (nao tinha noçao do que ele iria fazer), de repente o cara avança com TUDO pra esquerda, passando em cima de todo mundo na frente e ainda virou pro outro lado pra pegar mais gente. por alguma chance bizarra eu nao fui pego pelo carro…é uma sensaçao muito estranha

ribeirao1ribeirao2

Alexsandro Ishisato de Azevedo, o motorista do Land Rover.

Alexsandro Ishisato de Azevedo, o motorista do Land Rover.