Ex-líder de grupo que defende a “cura gay” se casa com um homem

O americano John Smid, que liderou durante 18 anos o grupo que se dizia capaz de impedir a atração de pessoas do mesmo sexo, acaba de oficializar a união com seu parceiro Larry McQueen

JOHN SMID ENQUANTO ERA DIRETOR-EXECUTIVO DA "LOVE IN ACTION" (FOTO: REPRODUÇÃO MSNBC)
JOHN SMID ENQUANTO ERA DIRETOR-EXECUTIVO DA “LOVE IN ACTION” (FOTO: REPRODUÇÃO MSNBC)

Publicado na Marie Claire

Durante 1990 e 2008, o americano Jonh Smid ocupava o cargo de diretor-executivo do grupo “Love in Action” e considerava a homessexualidade “um pecado”, chegou até a incentivar as pessoas a rezarem para que os gays se distanciassem. Mas eis que, recentemente, o seu discurso caiu por terra. John acaba de oficializar a união com seu parceiro Larry McQueen, informou a agência de notícias The Lone Star Q.

“Eu tinha fé de que algo iria acontecer, mas isso nunca aconteceu. Agora, na minha idade, já não tenho muitos anos restantes, não posso viver mais assim pelo resto da minha vida. Então, eu pensei que não, eu não estou disposto a continuar empurrando algo que não vai ocorrer”, contou.

Por isso, anunciou em sua conta de Facebook: “Conheci McQueen gradualmente, até que chegou um momento em que descobrimos que queríamos conhecer melhor um ao outro por meio de uma relação amorosa. Conforme saiamos, compartilhávamos as mesmas expectativas de vida, filosofias pessoais e nossos valores de fé. Encontramos uma compatibilidade que era confortável e emocionante.” Agora, estão oficialmente juntos.

A proposta mais controversa lançada por ele quando ainda representava a empresa foi divulgada em 2005. Na época, John prometeu criar um programa que poderia mudar a opção sexual de uma criança.

JOHN SMID E LARRY MACQUEEN, SEU COMPANHEIRO (FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK)
JOHN SMID E LARRY MACQUEEN, SEU COMPANHEIRO (FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK)

Leia Mais

Japonês pede namorada em casamento com “maior desenho em GPS do mundo”

01marryme-2
publicado na INFO

Em 2010, um artista japonês chamado Yassan deixou sua namorada em casa e viajou durante seis meses pelo Japão.

Seu objetivo era criar o maior pedido de casamento do mundo.

Equipado com um GPS, o artista (cujo nome real é Yasushi Takahashi) percorreu 7 163 km pelo país, a maior parte deles, a pé.

Quando chegou em casa, enviou os dados do navegador para o Google Maps e mostrou para a amada.

O resultado foi a imagem acima: sua trajetória formou no mapa do Japão a expressão “Marry Me”, ou “Case Comigo”, em português.

O Guinness Book classificou a obra como “o maior desenho em GPS do mundo”, seja lá o que isso signifique.

Além do pedido de casamento, Yassan costuma fazer outros desenhos pelo GPS e já possui um extenso portfólio.

Em 2008, ele largou o emprego para “experimentar o Japão que eu só conheço pelos livros.”

Uma fabricante de botas fez um pequeno documentário que conta a história do maior pedido de casamento do mundo. Assista abaixo.

Yassan’s Proposal – A Walkumentary from this that + the other on Vimeo.

Leia Mais

Mulher finge estar bêbada para ver como homens reagem na rua

Publicado na RedeTV!

Uma bela atriz usando um vestido curto resolveu fazer um experimento nas ruas dos Estados Unidos e fingiu estar bêbada para ver como os homens reagiriam quando ela pedisse ajuda para chegar em casa. O vídeo com o resultado da câmera escondida faz sucesso nesta terça-feira (11) no YouTube.

No ‘experimento social’, como o canal do YouTube onde o vídeo foi postado chamou o vídeo, a atriz quer encontrar um ônibus para chegar em casa mas é convidada pela maioria dos homens a ir até outro lugar.

Confira:

Leia Mais

Casa de gremista acusada de racismo é depredada com coquetel molotov no RS

Torcedora acusada de racismo teve a casa incendiada no RS
Torcedora acusada de racismo teve a casa incendiada no RS

Marinho Saldanha, no UOL

Depois de ter a casa apedrejada e ser alvo de ameaças, a torcedora do Grêmio Patricia Moreira da Silva, flagrada dirigindo insultos racistas ao goleiro Aranha, do Santos, teve sua casa incendiada em Porto Alegre nesta sexta-feira.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e esteve no local por volta das 4h da manhã, e conseguiu controlar as chamas. Segundo o advogado de Patricia, Alexandre Rossato, a torcedora não reside mais no local, e está morando com familiares.

“Na verdade não foi incêndio, e sim um ato de vandalismo. Atearam fogo em, provavelmente, um coquetel Molotov, e arremessaram na casa. Não chegou a pegar, mas poderia ter sido bem pior. É uma situação muito complicada”, disse o advogado.

“Não temos ideia dos autores, mas o que está acontecendo é um absurdo. Estão tendo atos muito mais criminosos do que qualquer crime que ela tenha cometido”, completou.

Um dos irmãos de Patrícia vai prestar queixa na polícia ainda na tarde desta sexta-feira. A torcedora falou à imprensa pela primeira vez no último dia 5, e se disse arrependida dos insultos.

O caso acarretou na exclusão do Grêmio da Copa do Brasil em julgamento realizado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, em uma decisão inédita no futebol brasileiro.

Leia Mais