Celso Russomanno recebe apoio de igreja evangélica na Zona Sul de SP

Pastor Marcos Galdino, Celso Russomano, Luiz Flávio D’Urso e Renato Galdino, em culto no templo da Assembleia de Deus Ministério Santo Amaro (Foto: Marcelo Mora/G1)

Marcelo Mora, no G1

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, recebeu apoio formal dos pastores da Assembleia de Deus Ministério em Santo Amaro, na Zona Sul da capital paulista, em culto realizado no início da noite desta sexta-feira (7), feriado da Independência.

Renato Galdino, presidente do conselho político da igreja, disse que ele e o pai, o pastor Marcos Galdino de Lima, irão contribuir, como pessoas físicas, com material de campanha: 25 mil adesivos para carros e 296 cavaletes com propaganda (um para cada um dos templos existentes na capital paulista).

Além disso, Renato afirmou que seriam distribuídos 1,2 milhão de cópias de uma carta assinada pelo pastor Marcos Galdino em que ele pede voto aos fiéis da igreja para Russomanno. “Isso será feito fora do templo. E os pastores irão nas casas das pessoas fazer esse trabalho”, afirmou.

Durante o culto, no entanto, o pastor Marcos Galdino pediu aos fiéis presentes no templo voto em Celso Russomano, que havia subido ao altar por volta das 19h30. “Leve esse nome, Celso Russomanno, para mais 100 pessoas. Me dê esse presente. Vamos apostar em mudança”, declarou. O culto serviu para ele festejar seu 57º aniversário.

Em seguida, ele pediu para que os presentes colocassem a mão sobre o coração e dessem 10 abraços na pessoa que estivesse ao lado, enfatizando o número “10”, o mesmo da campanha de Russomanno.

De acordo com a lei 9.504/97, é vedado a partido e candidato receber direta ou indiretamente doação em dinheiro ou estimável em dinheiro, inclusive por meio de publicidade de qualquer espécie, procedente de entidades beneficentes e religiosas.

Ao ser questionado sobre o pedido feito pelo pastor durante o culto, Russomanno evitou fazer qualquer comentário. “Nada a declarar. Só vou responder sobre São Paulo”, disse. O candidato a vice na chapa dele, Luiz Flávio Borges D’Urso, também optou por não fazer comentários.

Russomanno e D’Urso deixaram o templo por volta das 20h55, antes do término do culto. Renato Galdino disse que o pai não havia cometido qualquer irregularidade ao pedir votos ao candidato. “Como pessoa física, ele pode pedir voto dentro e fora do templo. Se tivéssemos recebido um centavo de governo, seria ilegal. Mas não é o caso. O templo, por exemplo, foi construído exclusivamente com o dinheiro dos fiéis”, afirmou.

Russomanno considerou “extremamente importante” o anunciado apoio da igreja à sua candidatura. “Todas as igrejas são bem-vindas no nossa campanha. Todas”, enfatizou.

Leia Mais

Pastores da Universal chefiam a campanha do líder Russomanno

Diógenes Campanha, na Folha de S.Paulo

Integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) comandam a campanha de Celso Russomanno à Prefeitura de São Paulo.

No “núcleo duro” da candidatura estão o presidente nacional da legenda, Marcos Pereira, bispo licenciado da igreja e coordenador da campanha, e o pastor Vinicius Carvalho, presidente estadual do PRB, responsável pela agenda do candidato e também licenciado da Iurd.

Outros dois integrantes da igreja ocupam cargos executivos: o tesoureiro Aildo Rodrigues Ferreira e o jornalista Edson Pedroso, que assumiu a coordenação logística do comitê de Russomanno após deixar o escritório da TV Record em Nova York.

A emissora pertence ao bispo Edir Macedo e abrigou Russomanno em um quadro de defesa do consumidor.

“Ele já estava negociando com a Record antes de vir para o partido”, diz Marcos Pereira, que afirma ter convidado Russomanno para se filiar ao PRB em junho de 2011.

Pereira foi vice-presidente da Record antes de ser presidente do PRB: “Mas também sou professor de direito e mestrando da PUC, a Pontifícia Universidade Ca-tó-li-ca”.

Aliado de Geraldo Alckmin e ex-advogado de Macedo, o deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB paulista comanda o “conselho político” da campanha.

Machado foi procurado por Pereira depois de ter negociado com o PMDB de Gabriel Chalita e o PT de Fernando Haddad. Foi encorajado por tucanos a apoiar do PRB.

Na época, os apoiadores de José Serra quiseram impedir a adesão do PTB a Chalita.

Segundo o Datafolha, Russomanno lidera com 35%. Serra tem 21% e Chalita, 7%.


Editoria de arte/Folhapress

Leia Mais

“Não sou o Menino Malufinho”, diz Russomanno


Celso Russomano prometeu entregar os dois primeiros anos do mandato a Lula e os outros dois a Maluf, caso seja eleito. “Tá bom pra vocês?”, perguntou.

Publicado originalmente no blog da Piauí

TÚNEL DA MARTA – Vestindo suspensórios e um bonezinho, o candidato Celso Russomanno, com um pirulitinho colorido na mão, subiu num banquinho e berrou, chorando: “Eu não sou o Menino Malufinho!”. “O Maluf é feio!”, completou, dando uma lambidinha na guloseima.

A seguir, alegando preocupação com os direitos do consumidor, Russomanno entrou com representação na Justiça Eleitoral pedindo a antecipação das eleições: “Exigimos que seja no próximo domingo. O consumidor tem o direito de ver sua novela em paz. E eu adoro a Mãe Lucinda e prometo tirar aquelas crianças do lixão”, disse o candidato, que lidera as pesquisas de intenção de voto em São Paulo.

O PT também recorreu à Justiça Eleitoral para adiar o pleito. “Não podemos deixar que as eleições atrapalhem o julgamento do mensalão. Vamos votar em dezembro, perto do Natal, em clima de paz e amor”, disse Lula, vestido de Papai Noel, com Fernando Haddad sentado no colo. A seguir, cochichou no ouvido do candidato: “Haddad, você tá bem pesado, meu filho”.

José Serra aproveitou o ensejo e também foi à Justiça Eleitoral. “Precisamos acabar com esse trololó de mandato de quatro anos para prefeito de São Paulo. Não faz sentido numa cidade tão dinâmica. Exigo que seja reduzido para dois anos, sem direito à reeleição”, defendeu o tucano. A seguir, disse que vai se dedicar exclusivamente à família a partir de 2014. “Nem penso mais na Presidência. Se você quiser, lá em casa eu assino até um papelzinho”, disse a uma jornalista. Este Herald apurou que Serra planeja disputar a presidência do Palmeiras em 2014.

Com o cenário eleitoral tão indefinido, Paulo Maluf resolveu também recorrer à Justiça Eleitoral para registrar sua candidatura a prefeito. E anunciou: “Vamos recriar a Paulipetro. Há sinais claríssimos de que o lago do Ibirapuera tem a maior reserva de petróleo da América Latina”.

À tarde, o assessor Adilson Laranjeira soltou uma nota oficial: “Paulo Maluf não tem nem nunca teve lombriga na barriga”.

Leia Mais