Arquivo da tag: cinema

42 fotos de trás das câmeras que mudarão a forma como você olha para os filmes

publicado no Entenda os Homens

Nunca mais havia trazido série de fotos e posts com esse tipo de material, não é? Mas hoje trouxe um material que todo cinéfilo ou curioso da 7ª arte iria curtir olhar – ou não. Trata-se de imagens de bastidores de gravações ou cenas sem adesão de efeitos especiais ou simplesmente flagras interessantes sobre o que acontecia enquanto as câmeras estavam paradas.

Atores como Johnny Depp, Leonardo Di Caprio, Uma Thurman, Lucy Liu, Heath Ledger, Bill Murray, John Travolta e Bruce Willis e diretores como James Cameron, Steven Spielberg e George Lucas são vistos entre descontração, ensaios e brincadeiras. Divirtam-se com estes registros e, quem sabe, boa sessão em seguida:


1 – Star Wars: O Império Contra-Ataca – Carrie Fisher e Peter Mayhew mostrando que a Princesa – Leia e o Chewbacca são melhores amigos.

1

2 – Kermit e Piggy visitam Mark Hamill e Yoda no set do distante planeta Dagobah, da série Star Wars.

2

3 – As gêmeas Lisa Burns e Louise Burns do filme O Iluminado.

3

4 – O director Stanley Kubrick tirando uma selfie com sua filha, enquanto Jack Nicholson olha eles tirando a foto.

4

5 – Os Muppets, o filme

5

6 – Johnny Depp e Winona Ryder no set de Edward – Mãos de Tesouras

6

7 – Titanic

7

8 – Ainda em Titanic, o diretor James Cameron provando que a Rosa poderia ter saldo o Jack.

8

9 – O “dono” da clássica Fantástica Fábrica de Chocolate

9

10 – Hannibal Lecter desfrutando de algo entre as gravações.

10

42 fotos de trás das câmeras que mudará a forma como você olha para os filmes

Salve pessoal, tudo tranquilo?

Nunca mais havia trazido série de fotos e posts com esse tipo de material, não é? Mas hoje trouxe um material que todo cinéfilo ou curioso da 7ª arte iria curtir olhar – ou não. Trata-se de imagens de bastidores de gravações ou cenas sem adesão de efeitos especiais ou simplesmente flagras interessantes sobre o que acontecia enquanto as câmeras estavam paradas.

Atores como Johnny Depp, Leonardo Di Caprio, Uma Thurman, Lucy Liu, Heath Ledger, Bill Murray, John Travolta e Bruce Willis e diretores como James Cameron, Steven Spielberg e George Lucas são vistos entre descontração, ensaios e brincadeiras. Divirtam-se com estes registros e, quem sabe, boa sessão em seguida:


1 – Star Wars: O Império Contra-Ataca – Carrie Fisher e Peter Mayhew mostrando que a Princesa – Leia e o Chewbacca são melhores amigos.

1

2 – Kermit e Piggy visitam Mark Hamill e Yoda no set do distante planeta Dagobah, da série Star Wars.

2

3 – As gêmeas Lisa Burns e Louise Burns do filme O Iluminado.

3

4 – O director Stanley Kubrick tirando uma selfie com sua filha, enquanto Jack Nicholson olha eles tirando a foto.

4

5 – Os Muppets, o filme

5

6 – Johnny Depp e Winona Ryder no set de Edward – Mãos de Tesouras

6

7 – Titanic

7

8 – Ainda em Titanic, o diretor James Cameron provando que a Rosa poderia ter saldo o Jack.

8

9 – O “dono” da clássica Fantástica Fábrica de Chocolate

9

10 – Hannibal Lecter desfrutando de algo entre as gravações.

10

11 – Uma Thurman e Lucy Liu demonstrando grande amizade em Kill Bill Volume 1.

11

12 – Diretor Steven Spielberg dando um banho no E.T. no set de seu filme.

12

13 – Leonardo di Caprio fazendo uma pausa do ponto de vista do diretor.

13

14 – Heath Ledger treinando a última cena do Coringa no filme Batman: O Cavaleiro das Trevas

14

15 – Coringa de Heath Ledger sem maquiagem

15

16 – Bill Murray no set de O Fantástico Senhor Raposo ou Raposas e Fazendeiros

16

17 – Filmagem do clássico “roar” do leão da MGM

17

18 – R2D2 dando uma pausa para lanchar no set de Star Wars

18

19 – Chewbacca sendo flagrado

19

20 – Gravação do clássico japonês Godzilla

20

21 – Set com as miniaturas do filme De Volta para o Futuro

21

22 – Rupert Grint, Daniel Radcliffe, Alan Rickman, Mike Newell provando que Harry  and Snape realmente se deram bem em Harry Potter e o Cálice de Fogo

22

23 – Ainda em Harry Potter, os inimigos Voldemort e Dumbledore provando que são amigos quando as câmeras não estão gravando

23

24 – Diretor Joss Whedon com seus Vingadores

24

25 – Kirsten Dunst provando que existia tecnologia no filme de Maria Antonieta 

25

26 – Gandalf e seus dublês em Senhor dos Anéis

26

27 – Diretor Steven Spielberg literalmente na boca de sua criação em Tubarão

27

28 – Gandalf (Sir Ian McKellen) protegendo-se da chuva no set de Senhor dos Anéis

28

29 – Set do filme Spartacus. Vítimas? Não não, eles estavam relaxando entre as gravações.

29

30 – Diretor George Lucas e o ator Amrish Puri fazendo uma pausa durante as gravações de Indiana Jones e o Templo da Perdido

30

31 – Set de Star Wars

31

32 – Ensaio do clássico Cantando na Chuva

32

33 – Como foram feitos os efeitos do T-Rex de Jussaric Park III

33

34 – Atriz Maggie Smith descansando entre as gravações de Harry Potter, incrivelmente ela estava fazendo quimioterapia durante as gravações.

34

35 – Mais uma do set de Star Wars, desta vez do Retorno do Jedi

35

36 – Set do filme As Aventuras de Pi

36

37 – John Travolta e Bruce Willis em um momento de descontração nas gravações do filme Pulp Fiction

37

38 – Como foram realizados os efeitos especiais do filme Inception – A Origem

38

39 – Diretor Joel Coen no set do filme O Grande Lebowski

39

40 – Por trás das câmeras do clássico O Mágico de Oz

40

41 – Robert De Niro brincando com a claquete em Touro Indomável

41

42 – Diretor Zack Snyder com o gigante Leonidas, personagem interpretado pelo ator Gerard Butler.

42

Fotos mostram filmes Antes e Depois dos Efeitos Digitais

CinePop-11-650x400

Publicado no Cine Pop

O ano era 1975, quando Tubarão, de Steven Spielberg se tornou o primeiro blockbuster da história. Coincidentemente, ou não, o filme fazia uso de muitos efeitos técnicos, para criar o visual do vilão mecânico que movia a trama. Em 1977, Star Wars, de George Lucas, chegava para mudar de vez o jogo, nos transportando completamente para uma nova dimensão. Um mundo novo e mágico era criado do zero. No ano seguinte, em 1978, não menos importante para história técnica da sétima arte, o cineasta Richard Donner fazia você acreditar que um homem podia verdadeiramente voar, em Superman – O Filme.

Com a chegada da década de 1980, os blockbusters se consolidaram na indústria do cinema criando o que conhecemos de Hollywood. Daí seguiram verdadeiros clássicos modernos adorados, cujos efeitos especiais eram necessários para a trama. Filmes como Indiana Jones, De Volta para o Futuro, E.T. – O Extraterrestre, Poltergeist, Tron: Uma Odisseia Eletrônica, Os Caça-Fantasmas, O Exterminador do Futuro, Gremlins e tantos outros. Os chamados efeitos práticos (tudo o que é criado fisicamente e usado durante as filmagens) já começavam a dar lugar ao Chroma Key – efeitos colocados durante a pós-produção.

Na realidade, a técnica citada não é nova e era muito utilizada nos filmes de Alfred Hitchcock, por exemplo – no geral apenas sobrepondo imagens, com uma localidade externa. No fim da década de 1980 e início da década de 1990, os efeitos visuais criados por computadores já eram uma realidade. Cenários, objetos, localidades e personagens eram criados artificialmente pelas máquinas e inseridos em cena posteriormente. Assim, dinossauros voltavam à vida, robôs de metal líquido se desfaziam e recompunham-se, e encontros atemporais de personalidades falecidas eram possíveis.

Na década passada, ainda existia certa resistência, no sentido de que os filmes “virtuais” eram a minoria. Jogo que foi mudado com a chegada da nova década, na qual a tecnologia paira em tal patamar onde é difícil encontrar uma superprodução que não faça uso de cenários que não estão verdadeiramente lá. O fundo verde se tornou uma realidade tão presente no cinema atual de Hollywood quanto qualquer outro elemento pertencente a um filme. A praticidade veio junto com a artificialidade, e os profissionais da velha guarda, que valorizam mais os efeitos práticos, são cada vez mais raros. Nos EUA, é difícil encontrar um ator que ainda não tenha atuado com uma tela verde e precisado fingir um encontro com algo ou alguém que não está presente, ou estar em um lugar o qual apenas imagina.

O processo da captura de movimento também é uma realidade moderna e inovadora, na qual o ator é usado apenas como molde para a criação virtual. A atriz Zoe Saldana não aparecia em carne e osso na mega produção Avatar, por exemplo, embora seja a segunda em destaque na trama. O mesmo ocorre com o veterano na técnica, Andy Serkis, muito mais um ator virtual do que real. Há muito se fala em trazer atores de volta à vida para novas produções. A ideia é usada como tema central no importante O Congresso Futurista. Imaginem assistir a um novo filme estrelado por Audrey Hepburn ou Marilyn Monroe. Ou ao menos suas cópias digitais. Enquanto isso não acontece, veja abaixo imagens de produções recentes que usaram a técnica da já essencial tela verde.

CinePop-16

O macaco Caesar do reboot de Planeta dos Macacos é mais um personagem icônico criado por Andy Serkis, e computadores, é claro.

CinePop-14

O exterior da nave é todo criado em computador, na ficção Prometheus, de Ridley Scott.

CinePop-13

Outra cena toda criada apenas no computador, em Os Vingadores.

CinePop-9

Um helicóptero cai, ou será? O efeito foi usado em Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer.

CinePop-7

A captura de movimento cria robôs com movimentos bem reais, realizados por atores, no remake de RoboCop, do diretor brasileiro José Padilha.

CinePop-51

Outro exemplo de filme adulto que utilizou fundo verde foi Caçadores de Obras-primas, filme dirigido por George Clooney.

CinePop-8

Nem só os blockbusters utilizam a técnica. The Homesman, faroeste dirigido por Tommy Lee Jones, criou um cenário diferente para uma cena.

CinePop-10

Nenhum ator foi explodido realmente durante as filmagens de Os Vingadores.

CinePop-6

O astro Hugh Jackman não precisou levar um corte no rosto de verdade, em Wolverine – Imortal.

CinePop-42

Muitos não sabem, mas o tigre Richard Parker é uma criação digital, no filme As Aventuras de Pi.

 

CinePop-22

A eletrizante cena da ponte, no sucesso Godzilla.

La Vita

lavitaYago Licarião, no Retalhos e Frestas

Viver é um filme ruim sem trilha sonora. Não, não sou nem estou desacreditado da vida, tampouco quero desmerecê-la. É que grandes produções hollywoodianas e filmes estrangeiros excêntricos possuem algo em comum: sua capacidade de amplificação.

Dentro da película, mesmo cenas simples do cotidiano estupefazem com um bom ângulo e saturação. Já a nossa vida, se gravada, certamente não faria nenhum sucesso. Não bateríamos recordes de ingressos, tampouco teríamos indicações para Cannes. Mesmo filmes biográficos necessitam de boa direção e roteiro para poder funcionar. Gandhi e Mandela não viviam seus personagens vinteequatrohoraspordia.

Na vida real, não toca ‘don’t let me down’ quando estamos tristes, nem sapateamos na chuva após sair com um grande amor. Enquanto filmes flanqueiam em preto e branco, a vida corre pelo cinza.

Sou aficionado por cinema. Vivo o drama, conheço personagens, encosto a cabeça no travesseiro e continuo pensando em como elas seriam de verdade. Adoro idealizações, e as acho necessárias. Contudo, não sou imaturo ao ponto de acreditar em contos de fadas. Sei que minha história de amor não será tão perfeita quanto comédias românticas de sessão da tarde, e não vou enfrentar a morte, a minha ou de outrem, com um sorriso no rosto e fé inabalável.

Aceito ser um filme ruim e não comercial, desde que minhas cenas silenciosas façam sentido para alguém. A vida tangível é muito mais que frases de efeito e bons figurinos. Nosso final não precisa ser grandioso nem arrebatar o público. Temos caneta e papel, mas a beleza maior é poder construir um enredo em conjunto, onde cada um se intromete nas histórias alheias. Somos todos parte de um grande filme, com nossas narrações imperfeitas e repletas de intromissões.

Antes de comover multidões, almejo manter acesa a chama dos que estão ao meu redor. Mesmo com a fraca atuação, anseio compartilhar momentos bons e ruins ao lado de gente humana, e pouco importa se esqueçamos as falas . Sei que a crítica vai odiar, mas quem se importa?

Mulher pede divórcio após marido não gostar de ‘Frozen: Uma Aventura Congelante’

frozen_7-650x400

Publicado no Cinepop

Ao que parece, nem todo mundo sonha em construir um boneco de neve falante… Uma mulher no Japão entrou com a papelada do divórcio após seu marido admitir que não gostou da animação ‘Frozen: Uma Aventura Congelante’.

Segundo o site Kikonsha no Hakaba, a mulher de 29 anos foi aos cinemas várias vezes sozinha para assistir a animação e se encantou com a obra da Walt Disney. Ele inicialmente resistiu ao seu pedido, mas percebendo que ela não iria deixá-lo em paz, cedeu e topou assistir ao sucesso de bilheteria.

Quando o marido revelou que não gostou do longa , sua esposa preferiu pedir o divórcio, após seis anos de casamento:

“Se você não é capaz de entender o que faz desse filme algo maravilhoso, há algo muito errado em você como ser humano. Eu quero o divórcio”, afirmou a querente.

Let it go…

Assista ao trailer do filme “separa casais“: