Claudia Leitte se emociona ao ser ‘entrevistada’ por Baby do Brasil

Ida Sandes, no G1

‘Anos 70′ é o tema da artista para carnaval de Salvador deste ano.
Cantora do extinto grupo Novos Baianos fez perguntas a Claudinha.

Símbolos marcantes da década de 1970, como o Tropicalismo, a Disco Music e a Copa do Mundo,  vão inspirar o figurino da cantora Claudia Leitte no carnaval deste ano, além da decoração do camarote e do hotel temático da artista.

Na passagem de Baby do Brasil por Salvador, em dezembro do ano passado, o G1 BA convidou a ex-integrante dos Novos Baianos, grupo emblemático da década de 70, para perguntar qual a influência do período na vida de Claudia.

Apesar de ter nascido em 1980, ela conta como a década de 1970 serviu de inspiração e revela que Baby foi uma das suas principais referências para a folia em 2013. “A palavra que melhor define o período de 70 é a liberdade. Tem ainda as referências dos Mutantes, Caetano, Gil, mas você [Baby], tem sido destaque. Você [Baby] tem sido alvo e fonte de inspiração da maior parte das minhas pesquisas para esse carnaval. Você define exatamente isso que eu usei para definir o movimento como um todo: liberdade. Liberdade de expressão, liberdade para fazer música em qualquer lugar, sem muita preocupação com nada e é isso que a gente busca. O resgate para o nosso trio, todos os dias, todos os anos”, afirmou.

Com vestido branco, Claudia Leitte comandou a festa com milhares de pessoas em Copacabana (Foto: Rodrigo Gorosito/G1)
Com vestido branco, Claudia Leitte comandou a festa com milhares de pessoas em Copacabana (Foto: Rodrigo Gorosito/G1)

Claudia Leitte conta também uma história curiosa sobre o dia do seu nascimento, no Rio de Janeiro, após a pergunta de Baby, natural da cidade de Niterói. “No último mês de gestação a minha mãe queria voltar para a Bahia, porque ela é baiana e o meu pai é do carioca. A bolsa da minha mãe rompeu na vinda dela para Salvador, meu pai acionou a família inteira no aeroporte e eles foram buscar a minha mãe e o meu pai lá. A descida do avião no Rio de Janeiro foi forçada, e meu tio tem uma clínica em São Gonçalo foi buscar a gente. Meu pai atravessava a ponte Rio-Niterói, a minha mãe em trabalho de parto, mas disse que não sentia nada, que só tinha a ruptura da bolsa. No meio do caminho os policiais pararam o meu pai porque ele estava em alta velocidade, e aí colocaram dois batedores na frente, dois batedores atrás e eu fui nascer em São Gonçalo, em grande estilo. E com cinco dias de nascida a minha mãe decidiu vir para a Bahia e desde então eu moro na Bahia”, contou Claudia.

Emocionada, ela não poupa elogios a Baby. “Ela é genial, eu amo Baby. Do Brasil não, do mundo”, finaliza.

Assista ao vídeo aqui.

Leia Mais

A indústria da salvação

Show de Damares: estrela da música religiosa, ela vende dez vezes mais discos que as rainhas do axé Ivete Sangalo e Claudia Leitte
Show de Damares: estrela da música religiosa, ela vende dez vezes mais discos que as rainhas do axé Ivete Sangalo e Claudia Leitte

Paulo Vasconcellos, no Valor Econômico

A maior praça de Guapimirim, cidade de 50 mil habitantes na subida da serra do Rio, a 60 quilômetros da capital fluminense, ficou pequena numa noite de sexta-feira de novembro, para o show da cantora Damares em homenagem aos 22 anos do município. Nona colocada na lista dos dez artistas que mais venderam discos no ano passado, com 400 mil cópias do CD “Diamante”, ela costuma desfilar no palco um cardápio musical variado no ritmo, do pop ao forró, e trivial nas letras, recheadas de substantivos como fornalha, salvação e vitória. Entre uma canção e outra, faz orações com a voz carregada de dramaticidade. A plateia vibra. Alguns não escondem as lágrimas. O cachê, de R$ 25 mil a R$ 50 mil, ainda está longe dos R$ 250 mil cobrados por cantores sertanejos mais estelares, mas trata-se de um nicho novo que garante ao menos dois shows por semana, em geral pagos pelas prefeituras do interior. Neste mês, fez espetáculos em Rolim de Moura e Porto Velho, em Rondônia, e Chapadinha e Arame, no Maranhão.

A paranaense Damares de Alvez Bezerra de Oliveira, de 32 anos, 1,60 m de altura, cabelos pretos longos como convém a uma seguidora da Assembleia de Deus, é a encarnação de um novo gênero de “pop star” no Brasil: o astro da música religiosa. A lista é farta. Reúne tanto católicos quanto evangélicos. São artistas que só perdem na vendagem de CDs e DVDs para cantores e cantoras seculares, como Luan Santana ou Paula Fernandes, e deixam para trás nomes do porte de Marisa Monte e Caetano Veloso ou até mesmo estrelas internacionais, como Lady Gaga e Justin Bieber. Ivete Sangalo e Claudia Leitte, que nada. Damares vende muitas vezes mais discos que as rainhas do axé.

Quatro dos vinte escritores que mais vendem livros no país são religiosos – dois deles católicos: o padre Marcelo Rossi lidera a lista

O fenômeno se espalha da música para o cinema, da literatura para as mídias digitais. A venda apenas de discos e livros de conteúdo religioso movimenta mais de meio bilhão de reais por ano. A estatística está longe de refletir o tamanho exato do mercado não só por causa da pirataria, mas porque as gravadoras essencialmente religiosas, entre elas a MK Music, que domina 70% do segmento, não comunicam à Associação Brasileira dos Produtores de Disco (ABPD) quantos CDs e DVDs vendem nas igrejas ou nos portais de comércio que mantêm na internet. A estimativa de especialistas é que pelo menos metade do mercado musical religioso brasileiro esteja à margem dos números oficiais. Ainda assim, a produção de artistas católicos e evangélicos, que representa uma fatia de aproximadamente 20% do faturamento anual de R$ 373 milhões da indústria fonográfica nacional, rende cerca de R$ 75 milhões.

Já a literatura religiosa girou sozinha, no ano passado, R$ 483,7 milhões. É exatamente 10% de todo o mercado editorial brasileiro, que atingiu um faturamento de R$ 4,8 bilhões, de acordo com uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe/USP) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Embora tenha registrado queda de 5,99% no faturamento em 2011, na comparação com 2010, o segmento de livros religiosos acumulou um aumento de 18,9% nas vendas entre um ano e outro, atrás apenas da vendagem dos livros científicos, técnicos e profissionais, que cresceu 33,9%.

Não há milagre. Os evangélicos, que se multiplicam a uma taxa de mais de 6% a cada censo do IBGE, somam 42 milhões de consumidores potenciais e fiéis a tudo o que a igreja produz. É o que explica parte do desempenho de “Nada a Perder”. Primeiro dos três volumes da biografia do bispo Edir Macedo, o livro publicado pela editora secular Planeta vendeu 500 mil exemplares do lançamento, em agosto, ao Natal. Pela velocidade com que sai das estantes das livrarias deve fechar o ano atrás apenas do best-seller internacional “Cinquenta Tons de Cinza”. Cristiane Cardoso, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, é a única que pode ameaçar o reinado literário do empresário religioso. “Casamento Blindado”, que ela escreveu a quatro mãos com o marido e foi publicado pela Thomas Nelson Brasil, já vendeu meio milhão de exemplares.

Padre Marcelo Rossi (à esq.), autor de "Ágape", e o bispo da Diocese de Santo Amaro, d. Fernando Figueiredo: livro já teve 8,4 milhões de exemplares vendidos desde 2010 até o Natal
Padre Marcelo Rossi (à esq.), autor de “Ágape”, e o bispo da Diocese de Santo Amaro, d. Fernando Figueiredo: livro já teve 8,4 milhões de exemplares vendidos desde 2010 até o Natal

Os católicos, que crescem menos a cada censo, mas ainda são mais de 130 milhões de brasileiros, reagem com estrelas da Renovação Carismática. De acordo com o acompanhamento do portal Publishnews sobre o mercado editorial, 4 dos 20 escritores que mais vendem livros no país são religiosos – 2 deles católicos. O padre Marcelo Rossi lidera a lista, com 8,4 milhões de exemplares de “Ágape” vendidos até o Natal desde que foi publicado, em 2010, pela também secular Globo Livros. “Agapinho”, versão infantil das reflexões do autor sobre passagens bíblicas, atingiu em um ano a marca de 800 mil exemplares vendidos. O padre Fábio de Mello, com 380 mil exemplares de “Tempo de Esperas” (Planeta), é o 18º do ranking. E, seguindo a máxima de que a união faz a força, o disco e o DVD “Ágape Amor Divino”, de Rossi, Mello e convidados, venderam juntos, até a semana passada, 700 mil exemplares, em apenas seis meses desde o seu lançamento. (mais…)

Leia Mais

Globo confirma 2º The Voice Brasil

Bárbara Sacchitiello, no Meio & Mensagem

Nova temporada do reality show musical deverá acontecer em julho de 2013

Na empolgação da última edição da primeira temporada do The Voice Brasil, a Globo já aproveitou para anunciar a segunda edição do reality show. Em julho de 2013, irá ao ar a segunda edição do programa cujo objetivo é revelar a nova grande voz de sucesso do País.

A primeira experiência da Globo com o The Voice Brasil – formato da Endemol que já foi sucesso em diversos países – foi considerada bem sucedida, sobretudo pela grande repercussão que a atração gerou nas redes sociais. A última etapa desta edição, exibida ao vivo na tarde desse domingo, 16, rendeu uma média de 15 pontos no Ibope, na Grande São Paulo e consagrou a candidata Ellen Oléria como a vencedora do The Voice Brasil.

Para a nova temporada, a Globo deve escalar o mesmo time de jurados, formado pelos cantores Carlinhos Brown, Daniel, Lulu Santos e pela cantora Claudia Leitte. O apresentador do programa é o jornalista Tiago Leifert.

Leia Mais

Com 39% dos votos, Ellen Oléria é a vencedora do “The Voice Brasil”

16.dez.2012 - Ellen Oléria canta "Taj Mahal", de Jorge Ben Jor, na final do "The Voice Brasil"
Ellen Oléria canta “Taj Mahal”, de Jorge Ben Jor, na final do “The Voice Brasil”

Publicado originalmente no UOL

Ellen Oléria venceu a primeira edição do reality musical “The Voice Brasil” neste domingo (16). A cantora ganhou R$ 500 mil, um contrato com a gravadora Universal, um carro e irá se apresentar com Claudia Leitte no réveillon do Copacabana Palace.

Na final, os técnicos tiveram que escolher um dos candidatos que restaram em suas equipes. Após quatro candidatos serem eliminados, o público votou no vencedor.

Lulu Santos disse que seu coração era de Késia, mas que Maria Christina tinha crescido muito na competição.

“Entre a cabeça e o coração eu fico dividido. Sempre tomei minha decisão com o coração, mas hoje será com a cabeça e a Maria Christina já tem uma rede em volta dela”, revelando seu voto.

Do time de Daniel, Liah Soares foi escolhida para a final. “Vou fazer como o Lulu e saber separar as coisas. Vou votar com a certeza que esta etapa é para Liah”, disse o técnico.

Emocionada, Claudia Leitte escolheu Ju Moraes de sua equipe para continuar no programa: “Estou muito orgulhosa, as duas arrasaram. A pessoa que eu escolho sabe o que ela quer, a outra ainda está descobrindo o seu caminho”, falou a cantora ao anunciar seu voto.

Da equipe de Carlinhos Brown, Ellen Oléria foi para a final. Não estou aqui para julgar sua voz porque isso já foi decidido por Deus. O Brasil se rendeu ao “pah”, mas eu vou ficar com a Ellen”, falou o músico a Ludmillah Anjos.

Final

Ellen Oléria, Ju Moares, Liah Soares e Maria Christina foram as escolhidas pelos técnicos para se apresentar novamente na última parte do programa.

As cantoras se apresentaram novamente em uma segunda parte de programa.

Os técnicos também se apresentaram na final do programa. Daniel convidou Alma Thomas e Carol Marques para sua apresentação. Claudia Leitte chamou Ana Rafaella para cantar “Bem vindo amor”, música que escreveu em homenagem ao marido Márcio Pedreira, que estava assistindo a performance com o filho Davi em seu colo.

Carlinhos Brown convidou o músico Sergio Mendes e Mira Callado para cantar “Mas que nada”. Lulu Santos foi o único técnico a trazer representantes masculinos dos candidatos do reality, dividindo os vocais de “Sossego” com Marquinhos OSócio e Gabriel Levan.

Ellen foi a venceu o programa com 39% dos votos do público. Segundo Tiago Leifert, mais de 10 milhões de votos foram computados e o programa já garantiu uma nova edição para 2013.

no vídeo abaixo, Ellen Oléria e Emicida quebram tudo.

Leia Mais

Aniversário de pai de Claudia Leitte é comemorado com bolo duvidoso

publicado originalmente no Yahoo! Notícias

Claudio Inácio, pai de Claudia Leitte, completou 54 anos neste sábado, dia 11. A família, que comemorou o aniversário junto com o Dia dos Pais, surpreendeu-se na hora de cortar o bolo.

Como o pai de Claudinha é todo animado e adora fazer brincadeiras, a cantora mandou preparar um bolo especial para ele. E com um formato um tanto quanto duvidoso!

“Celebração do aniversário do meu pai lindo! Olha essa farra! Rindo muito!”, escreveu no Twitter, orgulhando-se da ideia que teve.

Eita…

E aí, você comeria um bolo desse?

Leia Mais