Camisa e ônibus do Corinthians farão referência aos Simpsons

simpson

Publicado no Estadão

Neste sábado, no Itaquerão, os jogadores do Corinthians que enfrentarão o Sport usarão uma camisa com um detalhe bem diferente. O nome dos atletas estará escrito com mesma letra amarela usada na série de animação Os Simpsons.
Além disso, o ônibus da delegação corintiana, que trocou o preto e branco pelo amarelo, terá um desenho de Homer Simpson vestindo a camisa do Corinthians.
A ação de marketing faz parte da parceria que o clube assinou nesta semana com a Fox, emissora norte-americana que produz a longeva e bem-sucedida série.

Pelo acordo, o Corinthians poderá comercializar produtos com os personagens da série. De acordo com o departamento de marketing do clube, além de receitas extras, o nome do time ganha evidência mundial, num processo de internacionalização da marca.

Outros grandes clubes do mundo já assinaram parcerias semelhantes. Entre eles, o Barcelona (Espanha), o Chelsea (Inglaterra) e o Zenit (Rússia). No Brasil, o Corinthians é primeiro time do País a assinar um acordo desse tipo com a Fox.

Leia Mais

Boatos sobre corte de Maicon chocam Elias e vão acabar na Justiça

Elias teve o nome envolvido em boatos envolvendo a saída de Maicon da Seleção. (foto: Rafael Ribeiro / CBF)
Elias teve o nome envolvido em boatos envolvendo a saída de Maicon da Seleção. (foto: Rafael Ribeiro / CBF)

Danilo Lavieri, Guilherme Costa, Vanderlei Lima, no UOL

O lateral direito Maicon, 33, foi cortado neste domingo (7) do grupo da seleção brasileira nos Estados Unidos. Gilmar Rinaldi, coordenador da CBF, não deu qualquer explicação ao fato no dia. No dia seguinte ao anúncio, fóruns e redes sociais da internet deram inúmeras versões do ocorrido. Quaisquer delas tinham fontes autênticas. E geraram desconforto nas famílias do lateral e de outros jogadores envolvidos. Os boatos podem acabar na Justiça.

Na versão apurada pelos jornalistas do UOL Esporte, o corte foi motivado pelo atraso de Maicon. Mas, dentre as correntes de explicações que circularam em redes sociais, uma chamou mais atenção e até causou irritação. O lateral teria sido supostamente flagrado tendo uma relação sexual com o volante Elias, do Corinthians. A “notícia” nasceu com um texto no Twitter que se espalhou rapidamente, creditado à Rádio Pamplona, do Rio Grande do Sul, e assinada pelo jornalista Leônidas Caravaz. Poderia ser verdade se ao menos um dos dois existisse. Mas a Rádio Pamplona que há no mundo está sediada no Paraguai. O tal Leônidas aparece como uma nova versão de Gunther Schweitzer, “autor” de uma outra mensagem viral. Entre as teorias destes, a venda da Copa de 1998 e de 2014 pela seleção brasileira. O próprio Elias já afirma que vai à Justiça contra a disseminação do boato:

“Difícil, as pessoas sabem, todo mundo me conhece, vocês me acompanham, sabem como eu sou. Minha família, minha mulher, meu filho, é chato pra ele, não entende muito conversei com eles, meu pais, advogados. Então a gente vai até o final, sim”, disse o volante, em Nova Jérsei, nos Estados Unidos.

“É muito ruim as pessoas acreditarem nesses boatos. Quem me acompanha, no dia a dia, sabe do meu caráter. Não tenho nada contra homossexuais, mas eu não sou. Muita gente falou besteira, mas eu e meu pai vamos entrar com ação contra essas pessoas que falaram mal”, completou o volante.

Os boatos que correram principalmente no Twitter chegaram à Europa e ao noticiário de países do centro do futebol. Ainda que aparecessem como piada, incomodaram. A família do volante do Corinthians, que não foi cortado e permanece com o grupo do técnico Dunga, também tomou conhecimento da história e reforça que pretende encontrar uma resolução. “Quando ele me ligou eu não sabia do que se tratava. Depois eu fui ver que era esse boato e que era uma coisa que tomou proporção muito grande”, relata Eliseu Trindade, pai de Elias, em entrevista ao UOL Esporte. “Já estou conversando com os nossos advogados. Vamos aguardar o decorrer das coisas, mas vamos tomar providências. A internet tem de ter outras finalidades, e não acabar ou destruir uma vida profissional e pessoal de um cidadão. É lamentável isso”.

Segundo Eliseu, Elias ficou surpreso com os boatos. O pai do jogador afirma que a história pode atrapalhar o filho no Corinthians e lembra até o caso da Escola Base, em São Paulo, que em 1994 teve os proprietários envolvidos em uma acusação injusta por abuso sexual de alunos de 4 anos. “Ele não está abalado. É uma coisa mentirosa. Ele está surpreso, mas abalado jamais. Isso lembra situações como os professores da Escola Base, uma escola infantil da Vila Mariana. Por causa de uma denúncia ou de um boato mentiroso, acabou com a vida do casal. Precisamos desfazer esse boato. Até porque estamos tratando de uma torcida muito apaixonada por um clube, e dentro dessa torcida há pessoas, que felizmente são um pequeno número, que consideram isso muito grave. Então, isso pode acirrar os ânimos com esse grupo de radicais e pode até criar uma tragédia”, completou.

Outra versão que correu principalmente pelo Whatsapp, com uma montagem envolvendo um suposto diálogo do atacante Diego Tardelli, do Atlético-MG, com um amigo, apontava que o motivo do corte seria bullying praticado por Maicon no zagueiro David Luiz, do Paris Saint-Germain (FRA). O humorista Mauricio Meirelles, do CQC, da Band, assumiu a autoria da versão da história e até da produção da montagem envolvendo Tardelli. Pelo Facebook, ele criticou que o que era para ser uma piada tenha sido interpretado como verdade.

Até agora, tudo isso também desagrada Maicon. Em contato com o UOL Esporte, Manoel Sisenando, pai do lateral, disse não ter conhecimento sobre as versões alternativas que explicam o corte: “Não acompanho nada disso porque eu conheço meu filho. Se ele saiu da seleção foi coisa pensada. Ele não faria nada para prejudicar a vida dele. Eu conheço ele. Todo mundo acompanhou o Maicon a vida toda”, falou.  A irmã e assessora do lateral direito da Roma (ITA), Erla Carla, não gostou da repercussão de uma das versões: “Estão botando coisas absurdas que tenho vontade de rir de tão nervosa. Sobre a sexualidade dele. As pessoas perderam a noção. Meu irmão é muito macho”, falou Carla, que disse que só o irmão poderá se manifestar sobre o caso.

Leia Mais

Motel de São Paulo cria suíte temática para torcedores do Corinthians

corin1Publicado no UOL

O motel Classe A, localizado no bairro da Mooca, zona leste de São Paulo, criou uma suíte especial para torcedores do Corinthians. O quarto tem decoração em preto e branco, camisa oficial do time enquadrada e grito da torcida ecoando na garagem.

“Pensei em unir as duas paixões em um só lugar: a paixão pelo Corinthians unida à paixão pelo parceiro ou parceira. Vi que seria uma combinação explosiva”, disse, em nota, o dono do motel, Robson Marinho.

Os clientes que quiserem conhecer a suíte precisam pagar R$ 162 pelo período de três horas.

O tratamento diferenciado começa logo na garagem. Quando um carro é estacionado, um sensor dispara o grito da torcida para o casal. Na parede, a inscrição “Eternamente dentro dos nossos corações” dá as boas-vindas, assim como o símbolo do Corinthians.

A suíte tem cadeira erótica, banheira de hidromassagem, sauna e TV, além de outros equipamentos. A cabeceira da cama é decorada com uma imagem da torcida e a frase “Não para, não para, não para”, numa referência a um dos cantos mais populares dos corintianos.

Uma camisa oficial enquadrada é outro destaque da decoração. Marinho afirma que tomou cuidado até com a fiação do quarto. “Exigi que toda a fiação elétrica fosse nas cores preta e branca. Não há um só fio verde dentro da suíte.”

A suíte foi inaugurada há pouco mais de uma semana e, segundo o dono, já rendeu momentos curiosos. Uma das camareiras do motel, torcedora do São Paulo, se negou a arrumá-la. Em outro episódio, um casal discutiu porque a mulher, corintiana, queria usar a suíte temática, e o homem, não.

Marinho diz que pretende criar mais suítes temáticas de outros times de futebol.

corin2

Leia Mais

Fox leva Homer ao treino do Corinthians

Personagem do seriado Os Simpsons participa de ação para divulgar a estreia do episódio que tem como tema a Copa do Mundo no Brasil

Personagem admira a cidade de São Paulo no episódio do seriadopublicado no meio&mensagem

Os jogadores do Corinthians terão um reforço especial no treino que será realizado na tarde nesta quinta-feira, 29. Em uma ação de marketing, o canal Fox levará o personagem Homer Simpson para bater uma bola com os atletas do time. 

A visita de Homer é uma ação do canal para divulgar a estreia do episódio dos Simpsons em homenagem à Copa do Mundo do Brasil. “You Don’t Have to Live Like a Referee” (“Você Não Precisa Viver Como um Árbitro”) será exibido no domingo, 8 de junho, a partir das 20h. 

No episódio, que já foi lançado nos Estados Unidos, a família de Homer vem ao Brasil mais uma vez e o protagonista acaba tendo a missão de apitar um jogo da Copa do Mundo, na Arena Corinthians. Os personagens também passeiam por alguns pontos turísticos da cidade de São Paulo. 

Há 12 anos, o famoso seriado também trouxe seus personagens ao Brasil em um episódio que se passou no Rio de Janeiro. Na ocasião, muitos fãs da série criticaram a maneira como o País foi abordado, acusando os roteiristas de incluírem piadas preconceituosas e sequências desrespeitosas aos brasileiros.  

Leia Mais

Obra do Itaquerão gerou aumento de abuso infantil em Itaquera, conclui CPI

foto: Rogério Gomes
foto: Rogério Gomes

Vinícius Segalla, no UOL

O bairro de Itaquera, na zona leste da capital paulista, onde está instalado o recém-construído estádio do Corinthians – palco da cerimônia de abertura da Copa do Mundo –  registrou aumento de casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes no período de construção da arena.

A conclusão é da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que foi instalada no ano passado na Câmara dos Vereadores de São Paulo. O relatório final do trabalho dos parlamentares traz depoimentos de meninas moradoras de uma favela do bairro que tratam abertamente dos abusos ocorridos.

Depoimentos de um grupo de meninas, prestados no início do mês de abril a um comitê de defesa dos direitos da criança atestam que o canteiro de obras do estádio fez intensificar a exploração na região.

“A gente colheu depoimentos de meninas que foram vitimizadas durante o período [de construção do estádio, iniciado em 2011]. É fato que existe e existiu a exploração sexual naquele momento e nas imediações do Itaquerão”, destaca a vereadora Patrícia Bezerra (PSDB), relatora da CPI que apurou a exploração infantil no município.

Em um dos depoimentos, a menina B., de 13 anos, conta que foi assediada e abusada sexualmente por um dos trabalhadores do canteiro de obras do Itaquerão e que engravidou.

“Um rapaz sempre dava em cima de mim na rua quando eu passava. Isso começou a me incomodar por ele ser bem mais velho. Meu pai sabia que ele dava em cima de mim e não fazia nada. Ele foi tentando se aproximar várias vezes. Até que um dia saí com ele e fui abusada. Engravidei. Depois de um tempo ele disse que me assumiria. Meu pai não se importou muito. Até parece que para ele isso foi bom, porque era uma boca a menos para alimentar. Pode ter sido bom para ele, não para mim”, disse a menina, moradora de uma comunidade próxima ao Itaquerão.

A Prefeitura de São Paulo reconhece a região do estádio como um dos pontos vulneráveis a esse tipo de crime e acionou uma rede de proteção, que inclui assistência social, conselhos tutelares e escolas, para que a prática de abuso sexual infantil não seja repetida durante a Copa do Mundo, que começa no próximo dia 12, exatamente no Itaquerão.

A medida integra a Agenda de Convergência, estratégia do governo federal, por meio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, no enfrentamento à violação dos direitos da criança e do adolescente durante grandes eventos.

“Essa ação mobiliza os atores sociais das redes locais e foi implantada na capital paulista. Não só lá na região de Itaquera, mas em outros pontos de concentração onde as pessoas vão assistir aos jogos”, informou Fábio Silvestre, coordenador de políticas para crianças e adolescentes da Secretaria Municipal de Direitos Humanos.

De acordo com Silvestre, a prefeitura reforçou também a campanha de divulgação do Disque Direitos Humanos – Disque 100, que recebe esse tipo de denúncia.

Avisos em aeroportos

A Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SDH) irá pregar nos principais portos, aeroportos e terminais rodoviários das 12 cidades-sede da Copa do Mundo do Brasil cartazes em inglês e espanhol convidando os turistas estrangeiros a denunciar casos de abuso ou exploração sexual infantil de que tenham conhecimento durante sua estada no país.

Além dos cartazes, serão distribuídos adesivos e folders aos turistas nos principais pontos de aglomeração de pessoas durante o Mundial de futebol, como entorno dos estádios, locais onde serão realizados eventos relacionados à Copa e centros hoteleiros.

A ação faz parte da campanha “Entre em Campo pelo Direito das Crianças”, executada pela SDH em parceria com conselhos municipais dos direitos da criança e do adolescente e entidades da sociedade civil. Quem banca o projeto é a Fundação Itaú Social.

De acordo com a secretária Nacional de Direitos Humanos, Angelica Goulart, além da divulgação e distribuição dos cartazes e adesivos, a ação inclui a criação, em cada cidade-sede da Copa, de espaços temporários de abrigo para crianças em situação de vulnerabilidade ou que tenham sofrido qualquer tipo de violência.

Leia Mais