Cão fica 11 dias sem comer deitado na cova do dono na Índia, diz socorrista

Tommy, deitado sobre a cova do dono, Bhaskar Shri, 18, morto em acidente de carro (Reprodução/NY Daily News)
Tommy, deitado sobre a cova do dono, Bhaskar Shri, 18, morto em acidente de carro (Reprodução/NY Daily News)

Publicado no UOL

Um cachorro mostrou sua lealdade em Chennai, no sul da Índia, mesmo após a morte do dono, um adolescente de 18 anos. O cão passou 11 dias junto à cova dele, sem comida ou água, segundo relato de uma mulher que o resgatou.

Bhaskar Shri, 18, morreu no último dia 2 de agosto em um acidente de carro. Shri, funcionário na construção civil, tinha adotado o cachorro, que batizou de Tommy, há dois anos, e o levava diariamente ao trabalho.

Tommy foi salvo por Dawn Williams, que trabalha na Cruz Azul, ONG que resgata animais. “Eu vi o cão marrom deitado em uma cova recente em uma tarde enquanto caminhava, isso na primeira semana de agosto. Naquela época, eu não fiz nada”, conta Dawn.

“Mas em 13 de agosto, estava no local de novo em uma missão de resgate diferente e o vi. Ele estava sentado no mesmo local e na mesma posição. É como se ele não tivesse se mexido durante semanas.”

Dawn encontrou o cão em péssimas condições. “Ele estava faminto e estou certa de que tinha lágrimas nos olhos. Dei a ele água e biscoitos, mas ele nem se mexia. Então, com meus colegas, passei pela vizinhança e perguntei se alguém conhecia o cão. Foi quando me disseram que se chamava Tommy e guardava o túmulo do dono”, lembra.

A funcionária da Cruz Azul encontrou a mãe de Bhaskar. Assim que viu a mulher, Tommy correu em sua direção. Ela contou que o cão havia desaparecido desde a morte do filho e ficou feliz em poder levá-lo para casa. “Ela disse que o cão era um amigo leal e que cuidaria dele para lembrar de seu próprio filho”, disse Dawn. (Com NY Daily News)

Leia Mais

Cadela enterrada viva no RS apresenta melhoras e doações chegam a R$ 8.000

Lucas Azevedo, no UOL

A cadela Bela Vitória, resgatada de uma cova no fim de semana, no interior do Rio Grande do Sul, apresenta melhoras. O animal foi encontrado por um casal apenas com a cabeça para fora, em um buraco na terra, num terreno baldio no centro de Vera Cruz (a 168 km de Porto Alegre), no vale do Rio Pardo, região central do Estado. Devido à grande repercussão, doações para a ONG que acompanha o animal já chegam R$ 8.000.

O cão já se alimenta sozinho, mas ainda não levanta. Sua dieta é controlada e balanceada, uma mistura de ração pastosa e sólida para filhotes –estão sendo dados grãos pequenos porque ela ainda tem dificuldade para engolir.

Segundo a veterinária Juliana Saueressig, que atende o animal em uma clínica na cidade, ela praticamente não possui tecido muscular, continua desnutrida e sofre de uma grave infecção. “O seu quadro precisa melhorar, ela tem que ganhar massa muscular. Quando estiver melhor, passará por uma cirurgia para a retirada do olho direito, vazado. Mas para isso ela precisa suportar uma  anestesia.”

Se comparada ao sábado (8), quando foi encontrada, Vitória já está muito melhor. Mantém a cabeça erguida e, nesta quinta-feira (13), tentou se arrastar para fora da gaiola.

O caso ganhou repercussão no início da semana. A cadela sem raça definida foi encontrada na tarde de sábado por um casal, vizinhos do local, o loteamento Belo Horizonte. Eles chamaram o Corpo de Bombeiros, que desenterrou o animal e o levou a uma clínica veterinária. Os soldados gravaram o momento do resgate.

Os veterinários que cuidam do caso acreditam que o animal deve ter ficado de dois a três dias sem comer. Entretanto, para os especialistas, Vitória possuía um dono que a privava de alimento e água. “Do jeito que ela foi encontrada, estava há muito mais tempo sem água e comida. Certamente ela tinha uma pessoa como dono que não oferecia alimento para ela. Até os cães de rua se viram, encontram o que comer. O que não parecia ser o caso dela. Realmente era falta de oferta de alimento”, afirma a veterinária Juliana.

A Polícia Civil está empenhada em identificar o possível dono de Vitória e o responsável por enterrá-la viva. Testemunhas estão sendo ouvidas.

Muito fraca, Bela Vitória ainda não late. Quem quiser ajudar o cão, pode entrar em contato com a clínica veterinária na qual ela se encontra, pelo telefone 51 3718 2848 ou com a Associação Mãos e Patas, no número 51 9995-2033.

Leia Mais

Enterro do Bentley de Chiquinho Scarpa é “pegadinha”

A cova na casa de Scarpa, nos Jardins: repercussão internacional (foto: reprodução/Instagram)
A cova na casa de Scarpa, nos Jardins: repercussão internacional (foto: reprodução/Instagram)

Publicado na Veja SP

Marcado para as 11h desta sexta-feira (20), o comentado enterro do Bentley de Chiquinho Scarpa é pegadinha. Ele não vai sepultar de fato o automóvel, avaliado entre 1,2 e 1,5 milhão de reais, como anunciou ao longo desta semana, desde que publicou uma foto com a cova nas redes sociais. O caso foi destaque até na imprensa internacional.

O plano é aproveitar a imprensa presente (mais de vinte veículos haviam confirmado a participação na cobertura até ontem, segundo sua assessoria de imprensa) para fazer um discurso politicamente correto e desvendar, enfim, a história. Ele planeja fazer um discurso no qual lembrará que algo precioso, por mais valor que tenha no mundo, não vale nada debaixo da terra. E promoverá, então, a semana da campanha de doação de órgãos e tecidos, que acontece de 23 a 27 de setembro, uma parceria entre o governo federal e a Associação Brasileira dos Transplante de Órgãos.

Leia Mais

Criador do ‘The Voice’ leva a fé para nova minissérie

    Getty Images    Executive producer Mark Burnett
Getty Images
Executive producer Mark Burnett

John Jannarone, no The Wall Street Journal [via Valor Econômico]

Mark Burnett fez fama por ser a força por trás de programas de reality TV de grande sucesso, como “Survivor” e, mais recentemente, “The Voice”. Agora, ele está voltando sua atenção para outro tipo de TV: uma série bíblica.

Burnett está prestes a terminar uma minissérie de 10 horas, “The Bible” (A Bíblia), baseada em histórias como a da arca de Noé e Daniel na cova dos leões. A série, que deve ir ao ar no início do ano que vem no History Channel, é o primeiro trabalho de Burnett em programas de TV com roteiro pré-escrito.

É também um projeto que toca fundo no coração de Burnett. Nos últimos dois anos, esse ex-paraquedista militar de 52 anos diz que se tornou profundamente religioso, uma transição que ele atribui a Roma Downey, sua esposa desde 2007. “Foi só quando conheci Roma que realmente compreendi a minha fé, e isso vem sendo uma mudança dinâmica para mim”, disse Burnett.

Ele também dá à mulher o crédito da ideia da série. “Minha esposa tinha a sensação de que há muita coisa por aí que parece estar difamando a Bíblia”, disse ele. “Roma disse que deveríamos filmar a verdadeira história.”

Nos últimos anos, Burnett e Downey fizeram amizade com o famoso televangelista Joel Osteen, pastor de uma igreja de Houston, no Texas, que é a sede da maior congregação dos Estados Unidos. Osteen está dando assessoria a Burnett na série.

“Ele veio [à nossa igreja] várias vezes e nós fomos jantar na sua casa e coisas assim”, disse Osteen.

Mark Burnett e a esposa, Roma Downey, estão produzindo ‘A Bíblia’. A série foi filmada este ano no Marrocos. Durante a produção, Downey passou quase seis meses ininterruptos no país. Burnett voltava de avião para a Califórnia semanalmente para produzir a edição americana “The Voice”, viagem que leva até 30 horas em cada sentido.

O projeto de US$ 20 milhões, financiado pelo History Channel e pela Hearst Corp., dona de 50% do canal, ocorre num momento em que o gênero reality show dá sinais de já ter chegado ao pico.

Desde a estreia de “Survivor”, em 2000, na rede americana CBS Corp., a televisão do país foi inundada por reality shows sem roteiro prévio, desde “Extreme Makeover”, da rede ABC, mostrando cirurgias plásticas, até “Here Comes Honey Boo Boo”, da TLC, estrelando uma criança candidata a um concurso de beleza.

Burnett tem atualmente cinco reality shows no horário nobre em três redes de TV nos EUA, a maior presença na carreira do produtor. O que mais se destaca é “The Voice”, na NBC, rede da Comcast Corp. A série “Survivor” já está agora em seu 13º ano.

Embora o público de “Survivor” nos EUA seja hoje menor que o máximo de quase 30 milhões que atingiu em 2001, ainda consegue uma saudável média de 12 milhões de espectadores e continua sendo o programa de maior audiência em seu horário, segundo a Nielsen.

Burnett disse que está havendo um excesso de programas de reality TV, em especial nos canais a cabo. “Os programas da TV a cabo [...] não podem ser todos sobre gente que tem um emprego estranho sendo seguida pelas câmeras”, disse ele.

Ele disse acreditar que as redes muito dependentes de reality shows vão se afastar dessa fórmula. “A TV a cabo está evoluindo”, disse. “Aposto que daqui a cinco anos um terço dos programas da TV a cabo terá algum tipo de roteiro, com narrativa.”

No ano passado, ele vendeu para a Hearst uma participação de 50% na maioria dos seus negócios, incluindo programas como “The Voice”, fazendo com eles uma sociedade em que Burnett vai criar programas de TV.

Embora preferisse não dar detalhes sobre outros planos para programas com roteiro, ele disse que “A Bíblia” não será uma iniciativa isolada. “Estamos desenvolvendo ativamente uma tonelada de material roteirizado nesse momento [...]. Meu instinto me diz que provavelmente vamos acabar fazendo mais programas roteirizados do que reality shows nos próximos 10 anos.”

A Hearst espera que “A Bíblia” agrade a muita gente. Nos EUA, “há um grande número de cristãos, talvez 60 milhões ou mais, que vão à igreja toda semana”, disse Scott Sassa, presidente de entretenimento e distribuição da Hearst.

Leia Mais