Mara Maravilha alfineta Val Marchiori: “Sou crente, mas não demente”

eliana-e-mara-maravilha2

Diego Falcão, no Na Telinha

A cantora Mara Maravilha é a convidada especial do “Programa Eliana” deste domingo (19). Mara participa do quadro “Rede da Fama” e ao lado de Eliana, ela relembra a época em que comandava programas infantis.

Mara fala de todas as polêmicas que envolveram seu nome,  desde a macumba que teria feito à Angélica, até em não querer que seu pai biológico receba sua herança.

Ainda no quadro, a cantora fala sobre a socialite Val Marchiori com quem já teve alguns desentendimentos no passado. Eliana pergunta para Mara Maravilha se ela aceita Val como amiga. Mara responde: “Sou crente, mas não demente.”

Leia Mais

Suspeito de matar 39 pessoas em GO é calado e frequenta igreja evangélica

Juliana Coissi, na Folha de S.Paulo

O homem apontado como responsável por esganar, esfaquear e atirar em 39 pessoas em Goiânia desde 2011 é descrito pela família como alguém calado, de poucos amigos e que não costuma sair à noite.

Tiago Henrique Gomes da Rocha relatou à polícia que namora desde agosto e passou a frequentar a Assembleia de Deus. Foi levado à igreja pela moça, uma jovem bonita de cabelos compridos, como algumas das 15 mulheres mortas neste ano por um motociclista na cidade.

A mãe de Rocha não sabia que ele tinha uma companheira, segundo o advogado do suspeito, Thiago Huascar Santana Vidal.

O suspeito tem um irmão mais novo e mora com a mãe, funcionária pública, e o padrasto. Segundo o delegado Douglas Pedrosa, o vigilante disse que nunca conheceu o pai –a identidade, de fato, não traz o nome dele.

Questionado sobre se sofreu abusos na infância, ele negou. Também negou aos policiais ser homossexual –pergunta feita por ter matado homens que achava serem gays.

Disse que essa é sua primeira namorada.

O jeito calado o acompanha desde a infância. À polícia ele contou que chegou a ser perseguido na escola, na adolescência, por ser muito quieto. Disse ainda nunca ter feito tratamento psicológico.

O vigilante concluiu o ensino médio e trabalhou entre 2011 e 2013 em uma empresa de segurança privada. Foi nela, segundo relato à polícia, que furtou a arma calibre 38 utilizada nos crimes. Ele não respondeu se tinha porte de armas regularizado.

Depois de ficar desempregado neste ano, voltou há quatro meses a trabalhar como vigilante, à noite. Ele cumpria o turno da noite em um hospital da capital goiana.

142891030

Leia Mais

Funkeira que substituiu Gracyanne Barbosa em campanha é evangélica e perdeu a mãe aos 12 anos: ‘Criei meu irmão e cuidei do meu pai’

Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)

Publicado no Extra

Para conversar com Rafaela Felizardo foi preciso esperar que ela saísse da igreja. Isso porque a funkeira, que no palco abusa da sensualidade, é evangélica e assiste ao culto semanalmente na Assembleia de Deus em São João de Meriti, onde mora. Ela conta que por lá todos a conhecem e respeitam seu trabalho, mas que ela precisa se adaptar. “Vou com roupas mais comportadas, claro. Mas todos sabem que sou do funk e me recebem muito bem”, diz ela.

Rafaela Felizardo (foto: Divulgação)
Rafaela Felizardo (foto: Divulgação)
A moça, que diz ter 25 anos mas admite que oficialmente é a idade não é bem essa, mora com o pai, Paulo César, depois que o irmão, Daniel, se casou. “Sinto que minha missão foi cumprida”, comenta ela, que criou o irmão desde os três anos, quando a mãe dele morreu, vítima de acidente vascular cerebral (AVC). “Ganhei uma responsabilidade imediata e tive que aprender tudo rápido. Criei o meu irmão e tive que cuidar do meu pai, que sempre foi uma criança grande”.

 

Rafaela Felizardo (foto: Divulgação)
Rafaela Felizardo (foto: Divulgação)
Solteira, ela agora sonha em constituir a sua família. Rafaela morou durante cinco anos com um ex e eles chegaram a ficar noivos, mas ele, muito ligado à igreja, quis que a funkeira deixasse a carreira na música para se dedicar ao lar. “Eu sempre fui independente e não gostaria de viver em função dele. O tempo dele com Deus foi diferente do meu”, avalia ela, que sonha com a maternidade. “Tenho muita vontade de ser mãe, mas estou construindo o meu nome e ainda preciso trabalhar muito antes de ter um filho”.

Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)

Desde fevereiro, a loira lidera o grupo Rafaela e as Malvadas, e se apresenta com quatro dançarinas. Para subir no palco, gosta de estar impecável. Por isso malha todos os dias, faz dieta (”imagina comer ovo, frango e batata doce todo dia”), cuida do cabelo, faz as unhas e frequenta clínicas de estética. “Felizmente eu já conquistei alguns patrocínios. Já gastei muito dinheiro para cuidar do corpo”, comemora ela, que já foi dançarina de Valesca na Gaiola das Popozudas, e aproveitou para fazer um desabafo.

Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
“Muitas pessoas acham que temos algum problema, mas isso nunca aconteceu. Os comentários surgiram porque eu também tinha o cabelo loiro e comprido, mas eu a admiro muito e considero uma guerreira”, elogia Rafaela, que após sair da Gaiola fundou, junto com outras dançarinas, a Jaula das Gostosudas. “Escolhemos o nome parecido porque achamos que assim o público ia lembrar, mas foi uma atitude imatura, hoje não faria igual”.

Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
“Muitas pessoas acham que temos algum problema, mas isso nunca aconteceu. Os comentários surgiram porque eu também tinha o cabelo loiro e comprido, mas eu a admiro muito e considero uma guerreira”, elogia Rafaela, que após sair da Gaiola fundou, junto com outras dançarinas, a Jaula das Gostosudas. “Escolhemos o nome parecido porque achamos que assim o público ia lembrar, mas foi uma atitude imatura, hoje não faria igual”.

Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)
Rafaela Felizardo (foto: Reprodução/ Instagram)

Leia Mais

Porque não voto em Marina

Rogério Brandão Ferreira, no site da Ultimato

Não voto nela e digo porque:

Marina, todos sabemos, não tem nada de semelhante com o PSDB de FHC e Aécio que trouxe em dado tempo boas melhorias para a economia do Brasil.

Marina que se distanciou do PT, também se assemelha pouco a Lula. Que também contribuiu bastante para a sociedade brasileira, especialmente na questão de redistribuição de renda.

Marina é cristã confessa, evangélica, crente.

A ênfase de seu programa está na sustentabilidade. Ou seja a conjugação harmônica e quase impossível do trinômio economia, ecologia e social, visando a segurança das futuras gerações.

Para atingir esse fim, ela se mostra não somente programática, mas também pragmática.

Marina é poço de contradições. Uma mulher de fibra, humilde na origem e no caráter, foi alfabetizada no Mobral. Tem um tom de voz agradável, um olhar intrigante de alguém que já foi candidata à freira, companheira de Chico Mendes e o pessoal das CEBs e depois chegou a ministra do meio ambiente, já foi tanto empregada doméstica como senadora do Brasil.

Temo que os que não votam nela, não o fazem por desejarem o pior para o Brasil, mas por ignorarem as riquezas contidas no coração dessa pessoa da Amazônia brasileira.

Não voto em Marina porque na cidade onde moro, na Alemanha, não tem local de votação. Porque se tivesse, eu iria lá correndo votar.

Leia Mais