Conteúdo marcado como crônica

‘Vocês vão se arrepender de querer que eu termine’, diz 2016

'Vocês vão se arrepender de querer que eu termine', diz 2016
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Quem vos fala é o ano que corre. Calma, guardem suas pedras. Sei que não sou benquisto entre vocês. Tenho ouvido a torto e a direito o bordão “acaba, 2016” -praticamente um novo “Fora, Temer”. Sei que pareço tão interminável quanto o interino- mas ao contrário dele, tenho hora pra acabar. E falta pouco. Desistam de me matar antes do fim. Pra começar, um […]

Que tal apertar o botão RESET?

Que tal apertar o botão RESET?
O amor que nos põe desamparados também exige olhar o mundo de outro jeito – e recomeçar Ivan Martins, na Época Todo amor é uma forma de desamparo e perda de si mesmo. De um momento para o outro, nos tornamos vulneráveis. Querer demais o outro nos desequilibra, pondo em evidência a nossa insuficiência como indivíduos. Todos já passamos por isso, em algum momento. Apaixonados, deixamos de ser o que éramos e […]

Festejando no precipício

Festejando no precipício
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Quando pequeno, a primeira coisa que fazia ao comprar uma agenda era escrever em letras garrafais no dia 11 de abril: “MEU NIVER”. Depois ia pro dia 11 de março: “FALTA UM MÊS PRO MEU NIVER”. E depois me esquecia da existência da agenda, até porque não tinha muitos compromissos naquela época. Tenho umas cinco agendas que só contêm essas duas informações fundamentais. O […]

Gentileza, s’il vous plaît

Gentileza, s’il vous plaît
Ricardo Gondim O crítico literário Antônio Candido defendeu a crônica no texto “A vida ao rés do chão”. Ele desmontou a ideia de que a crônica não pertence ao ‘gênero maior’ da literatura. Candido afirma: Já que não se imagina que uma literatura feita de grandes cronistas, dramaturgos e poetas. Nem se pensaria em atribuir o Prêmio Nobel a um cronista, por melhor que fosse. ‘Graças a Deus’, – seria […]

Aquele mamão mofado

Aquele mamão mofado
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Fui reunir as crônicas para ver se lanço um livro novo e ganho um cascalho extra neste fim de ano. Da tela, vinha um estranho cheiro de fruta podre. As crônicas que escrevi ao longo do ano agora apodreciam no monitor como aquele mamão que comprei achando que seria uma boa ideia passar a comer mamão e agora o mamão parece um quadro de […]