Prostitutas também são filhas de Deus

Na madrugada desta segunda-feira em Copacabana, a Dolce Vita Disco, à esquerda, e o Bar Balcony. (foto: Júlio Guimarães/UOL)
Na madrugada desta segunda-feira em Copacabana, a Dolce Vita Disco, à esquerda,
e o Bar Balcony. (foto: Júlio Guimarães/UOL)

Mário Magalhães, no UOL

Na missa das seis horas do domingo, quando a noite caíra sobre a Baixada Fluminense, Sabrina rezou a Ave-Maria e o Pai Nosso numa igreja local. Como não fez a primeira comunhão, embora tenha sido batizada, a moça de 25 anos não comungou nem se confessou.

Já na madrugada de hoje, segunda-feira, a universitária aluna de Letras perambula por Copacabana, a poucas centenas de metros do palco de onde o papa Francisco abençoará os fiéis na sexta. Com área de 3.115 metros quadrados e oito metros acima da areia da praia, o tablado se colore com o azul das luzes artificiais, que só não brilham mais porque a lua cheia ilumina generosamente a semana que começa.

Mais perto ainda de Sabrina, a menos de cem metros, ergue-se a décima estação da Via-Sacra que será encenada diante do papa e uma multidão de católicos e curiosos. Ainda mais pertinho, na mesma calçada, está fechada a loja de souvenires da Jornada Mundial da Juventude.

Devota de Santo Antônio, de quem espera de presente um casamento para toda a vida, a exuberante mulata Sabrina não serpenteia entre as mesas do Bar Balcony atrás de marido ou de graças divinas. Garota de programa, ela procura um cliente.

Foi para o Balcony que migrou parte das mulheres de vida árdua depois que o Estado do Rio liquidou a Help, em janeiro de 2010. Templo da prostituição na zona sul carioca, a boate dará lugar à nova sede do Museu da Imagem e do Som. “Vamos recuperar uma área degradada da cidade”, anunciou na época o governador Sérgio Cabral, com dicção puritana.

Além do Balcony, com suas mesas e cadeiras espalhadas pela calçada da avenida Atlântica, dois estabelecimentos vizinhos atraem clientela com cacife para desembolsar centenas de reais por uma horinha de saliência. A Dolce Vita Disco promete: “Venha curtir uma noite inesquecível no melhor ponto de Copacabana”. O Kalabria Club fulmina eufemismos: “Suas noites com mais prazer”.

As três casas situam-se ou são grudadas à praça do Lido, escancarada para o mar. Ali fica a churrascaria Carretão, mas, com o perdão da vulgaridade, são outras as carnes que seduzem as legiões de turistas que acorrem até lá. Moradores dos edifícios protestam contra a gritaria das brigas noite adentro que lhes perturbam o sono. Sem contar a assuada decorrente das batidas policiais em busca de menores de idade e drogas ilícitas.

O Balcony não descansa: está aberto 24 horas por dia. O “breakfast buffet”, com panquecas, xaropes, bacon, ovos mexidos e outras comidas do gosto de estrangeiros, inicia às quatro horas da manhã e termina às dez.

Sexo ecumênico

“Sei que vivo em pecado”, murmura a mineira Mel, sobre saltos arranha-céu, ao lado do bar. Evangélica, ela imagina que seria feliz se vivesse como freira católica. Na virada do sábado para o domingo, quando se deitou com um angolano, um chinês e um paulista, um de cada vez, embolsou R$ 750.

Nos seus tempos de atendente de telemarketing, amargava um salário mínimo mensal. O marido, que acalenta gays em uma sauna, fatura R$ 70 a cada 15 minutos de ereção. Ela tem 20 anos, ele 22.

“Se o papa passar e olhar para mim, eu vou gritar ‘come on’”, brinca Mel, estampando o sorriso enfeitado por aparelhos nos dentes e fazendo com um dedo indicador o sinal de quem chama Chico para conhecê-la melhor.

Duas décadas atrás, outra evangélica labutava nas madrugadas do Lido, antes mesmo do ocaso da Help. “Cheguei a sair com o primeiro-ministro de certo país”, testemunhou Wilma Ribeiro em livro. Hoje a antiga prostituta é pastora da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte.

O pastor Marcos Feliciano, igualmente evangélico, foi filmado pregando que os católicos adoram Satanás e têm o corpo “entregue à prostituição”. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados talvez mudasse de opinião se passeasse pelo ecumenismo do sexo pago em Copacabana.

A balzaquiana Júlia, uma tentadora mistura de sangue alemão, africano e indígena, filiou-se à Igreja Católica por 15 anos, à Assembleia de Deus por seis e no momento flerta com o ateísmo. “Ou é céu ou o inferno”, ela contrapõe. “Não dá para servir a dois deuses ao mesmo tempo. Agora, estou no inferno.”

Mas seu inferno está longe do vermelho, pois não morre no prejuízo quem exige R$ 500 antes de subir com os clientes a um quarto dos dois hotéis do Lido onde eles deixam mais R$ 80 ou R$ 100 pela hospedagem: “Sou como o cinema, cobro antes”. Como as outras, jura não pagar um centavo para gigolô.

Com o desembarque do hermano Francisco, Júlia sumirá de Copa. Teme que manifestantes tementes a Deus se voltem contra o pecado que mora ao lado do palco do papa. “Podem confundir as coisas e haver um protesto contra nós.” Ela ignora que o cardeal Jorge Mario Bergoglio celebrou missa com prostitutas e ex-prostitutas em Buenos Aires. Nada lhe falei porque só vim a saber há pouco, informado pelo meu velho chapa Rodrigo Bertolotto.

Júlia se lembra de que há dois meses um táxi parou, e o passageiro mandou o motorista convocar uma garota de cabelo curtinho e seios mirrados, “que mais parece um menininho de 12 anos”, mas é mulher e maior. Mais tarde, a jovem rameira confidenciou: o freguês era um padre. “Eu é que ainda quero ‘fazer’ um padre”, fantasia Júlia.

Ela e as companheiras de ofício, em meio aos perfumes adocicados que exalam, gargalham da recomendação do Vaticano contra camisinha. “Iria morrer todo mundo”, Júlia prevê.

‘De dia, é papa. De noite, é puta’

Seu nome de batismo, como o de todas as personagens mencionadas, é outro. Júlia é mãe de quatro filhos. Bruna, uma magrinha espelicute de 23 anos, de dois. Bruna se enfureceu com a visita do papa, que estaria afugentando o macharéu. Como ela também roda sua bolsa na pista, isto é, batalha na rua calçada com pedras portuguesas, queixa-se das grades que isolarão a avenida: “Vão me prejudicar. Quero que o papa se…”.

Sabrina, a mulata que não está no mapa, não tem do que lamentar. Fisgou um freguês que veio ao Rio para a jornada. Algumas garotas contam que os peregrinos passam pelo Balcony, olham demoradamente para elas, mas não sucumbem à tentação. Logo um taxista diria temer os próximos dias, porque os forasteiros têm pouco dinheiro e andam de transporte coletivo.

Uma prostituta aparentada da Dona Redonda confirma que desde a quinta-feira o movimento murchou. Mas o baixote leão-de-chácara da Dolce Vita nega, contrariado: “É que estamos na baixa temporada. Em agosto, com as férias na Europa, esquenta. Não tem nada a ver uma coisa com a outra. De dia, é papa. De noite, é puta”.

Por volta da uma e meia da manhã, elas são mais de 50 no Balcony. Chamam muito mais a atenção do que as TVs exibindo rugbi, baseball, lutas e futebol para a gringolândia. As mais formosas aguardam a abordagem, pois “se for em cima deles já se desvaloriza”, ensina Júlia. Ao redor da mesa onde bebemos Coca-Cola, sentam-se libaneses, americanos, noruegueses e brasileiros.

Milena, 28, veio de metrô para o batente. Ela viajava no vagão de um grupo de homens participantes da Jornada Mundial da Juventude. Quando entraram duas mulheres de short curtinho, os marmanjos contorceram os pescoços para admirar os traseiros.

“Hipócritas”, esperneou Milena, ameaçando um barraco.

Besteira dela. Afinal, como as garotas de programa, os peregrinos também são filhos de Deus.

O Bar Balcony, a poucas horas da chegada do papa Francisco ao Rio. (foto: Júlio Guimarães/UOL)
O Bar Balcony, a poucas horas da chegada do papa Francisco ao Rio. (foto: Júlio Guimarães/UOL)

Leia Mais

Igreja de Itaipu corta 334 árvores para missa campal

Vice-prefeito de Niterói diz que ação foi lamentável e nega ter dado autorização

Grande área que fica dentro do terreno da Paróquia São Sebastião de Itaipu está sendo desmatada O Globo / Hudson Pontes Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/igreja-de-itaipu-corta-334-arvores-para-missa-campal-9022009#ixzz2YxcUKthK  © 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Grande área que fica dentro do terreno da Paróquia São Sebastião de Itaipu está sendo desmatada O Globo / Hudson Pontes

Publicado no O Globo

A remoção de 334 árvores da Mata Atlântica causou constrangimento na prefeitura de Niterói e reações indignadas de ambientalistas. Uma denúncia levou fiscais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) a flagrarem, na última segunda-feira, o desmatamento de um terreno da Paróquia de São Sebastião de Itaipu, na Região Oceânica de Niterói. Ao órgão ambiental, a igreja justificou que precisava limpar a área para celebrar uma missa campal durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A paróquia se prepara para receber 800 peregrinos.

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, disse ontem que o episódio é “lamentável” e negou que a prefeitura tenha dado autorização para o corte num terreno às margens do Parque Estadual da Serra da Tiririca, uma unidade de conservação estadual:

— Um evento destinado à juventude deveria ter caráter educativo e, portanto, compromisso com o meio ambiente e com o futuro. É óbvio que a supressão contraria a legislação.

Ainda ontem, o secretário de Meio Ambiente de Niterói, Daniel Marques, reforçou que não havia autorizado qualquer desmatamento:

— Multamos (os responsáveis), bem como obrigamos que eles façam medidas compensatórias. Agimos.

O GLOBO não conseguiu contato com o padre Casimiro nem com o advogado que representa a paróquia, Rafael Bueno Curi. Eles apresentaram à chefia do Parque da Tiririca, após a inspeção do Inea ao terreno, um termo de compromisso ambiental firmado entre a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Niterói e a paróquia. No documento, a igreja se compromete a replantar a área e recuperar toda a restinga da Praia de Itaipu.

O diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Inea, André Ilha, afirmou que o órgão ambiental “jamais daria autorização” para o corte.

— É uma área de amortecimento do Parque da Tiririca. A gente não autorizaria de jeito nenhum. É um fragmento de Mata Atlântica. Vamos autuá-los. Precisamos saber se houve ou não autorização.

Esta não é a primeira polêmica envolvendo meio ambiente e a JMJ. A pedido da Arquidiocese, a Fundação Parques e Jardins chegou a autorizar, no último dia 5, a retirada de 11 coqueiros na Praia do Leme, junto a um dos palcos montados para a Jornada. O prefeito Eduardo Paes acabou vetando a supressão.

Leia Mais

Como enlouquecer seu parceiro em 15 lições

midia-indoor-casa-homem-mulher-relacionamento-comportamento-uniao-casamento-briga-separacao-discussao-separar-divorcio-casal-amante-traicao-trair-tristeza-triste-estresse-1270756783998_615x330

Mônica El Bayeh, no Mulher 7×7

Fim de ano, hora de rever o que foi feito, rever o que não deu certo. Faxinar, arrumar a casa e a alma para que o Ano Novo, ao chegar, encontre as coisas em melhor estado. Ou que, ao menos, não leve um susto e saia correndo. Para os que estão no período de entressafra, entre um namoro e outro, essa época é boa para renovação. Tomei a liberdade de compilar alguns conselhos, com base no que venho observando por aí. Para vocês, uma lista de atitudes infalíveis para tirar seu parceiro do sério:

1- Force contato diário. Ligue várias, várias vezes até que ele atenda. Afinal, o amor de vocês tem que ser prioridade! Não poupe os ¨eu te amo¨. Já comece a partir do segundo encontro. Isso mostra que você não tem medo de se envolver. Envie mensagens, muitas, ao longo do dia! Mostre o quanto você pensa nele. Caso ele demore a responder, não deixe barato: exponha todo seu ressentimento. Afinal, amor é coisa séria, não pode esperar, nem ser delegado a segundo plano. Clientes, alunos, família, amigos… nada é mais importante do que a relação de vocês. Insista!

2- Não dê trégua! Exija toda a atenção o tempo todo só pra você. Monopolize. Nada de amigos, videogames, futebol. Tudo besteira. Você em primeiro lugar! Nem permita espaço para dúvidas ou questionamentos. Sufoque o parceiro com seu amor!

3- Ciúme é prova de amor! Ciúme é um sentimento tão lindo. Demonstre sempre o seu. Amarre a cara para aquela amiga do grupo da praia. Bufe três vezes quando encontrar aquela ex. Exija que ele conte todo o seu passado negro e, depois, remoa e acuse. Atenção, se ele, em troca de contar seu passado, quiser que você lhe conte o seu, desconverse. Finja infarto, convulsão, qualquer coisa, mas não conte. Nunca. Homens são perigosos e traiçoeiros… Essas mulheres com quem ele convive e que chama de amigas… Abra o olho. Elas devem saber que ele tem dona e que é melhor se manterem à distância.

4- Manutenção é tudo. Afinal, o produto é seu. Cabe a você cuidar da boa conservação. Em caso de danos ou avarias, você será a maior prejudicada. Imagine só sua situação… Reclame dos cigarros, da bebida, da comida que vai elevar o colesterol. Se achar que alguma coisa vai lhe fazer mal, não vacile: pegue e jogue fora. Repita sempre: é para o seu bem, meu amor! Discuta com os amigos que teimam em lhe influenciar negativamente, conduzindo-o ao mau caminho. Você se importa com ele! Ele vai acabar entendendo e ficará grato por isso.

5- Atropele tudo! Compre logo alianças para comemorar o aniversário de uma semana de namoro. Proponha que vocês as usem como prova de compromisso. Isso é lindo, ele vai ficar até zonzo de tanta emoção. Homens adoram mulheres destemidas. Avance sem dó, nada de dúvidas. Não se deixe intimidar por nada.

6- Família é coisa de criancinha. Família é para bebês que não conseguem se cuidar sozinhos. Ele é adulto. Vocês dois devem se bastar! Quando se ama, o mundo se restringe a duas pessoas. Nada de almoços, festas, reuniões. Se não conseguir impedi-lo, imponha sua presença. Vá junto. Preste atenção, o fato de vocês só estarem juntos há uma semana não deve ser empecilho. Não aceite nunca esse tipo de desculpas. Nem respostas evasivas. Treine seu parceiro para respostas afirmativas e rápidas sempre. Exija!

7- Dê sempre sua opinião. Homens adoram mulheres decididas, com opinião própria. Mostre a sua. Defenda radicalmente seu ponto de vista. Seja enfática, insista, até que todos do grupo concordem com você. Eles vão perceber como você é interessante… Ele vai ficar muito orgulhoso. Se perceber que ele está meio encolhido, quase embaixo da mesa, isso quer dizer que ele deu espaço para que você brilhe sozinha. Só isso. Não pare.

8- Redes sociais são um perigo contínuo. Vasculhe tudo e todas. Deixe recados que mostrem bem quem você é. Sem margem para dúvidas: aquele homem é seu. Marque seu território. Ele curtiu? Compartilhou? Comentou? Exija explicações. Chore alto, de preferência em público. Faça com que ele apague. Mais: cobre a senha. Afinal, vocês são íntimos, já se conhecem há mais de 15 dias… Nada de segredos… No status do Facebook tem que constar o compromisso sério de vocês. Solteiro, nem pensar. Forneça opções: Casado, noivo ou compromisso sério? É importante deixá-lo livre para escolher. Ele vai valorizar a liberdade que você lhe dá na relação.

9-  Quando o celular dele tocar, seja rápida e atenda. Se identifique, informando que você é a namorada dele. Pergunte quem quer falar. Diga que ele não pode atender. Aproveite para vasculhar também. Apague números suspeitos ou de rivais em potencial. Destrua mensagens antigas que possam despertar saudades. Ele precisa da sua supervisão. Sem você, ele não é nada. Futuramente, ele vai te agradecer por isso.

10- Apelidos são muito importantes. Apelidos mostram carinho, abuse deles. Mas não use apelidos antigos dados por outras pessoas. Mesmo que ele insista e diga que gosta. Inove, seja criativa, invente algo inesperado, diferenciado. Isso vai customizar a relação de vocês. Tente algo como Buzuco, Tichucutinho, Duducho, Chucotuco. Chame sempre alto, para ele escutar onde estiver. Principalmente na frente das pessoas mais próximas e queridas. Ele vai adorar, será inesquecível…

11- Escolha você a programação. Não bastar dizer que ama, é preciso provar. Cobre atitude. Um homem que ama realizará com prazer todos os seus desejos. Não abra mão! Se precisar, faça beicinho, amarre cara e não deixe por menos. Exija os filmes que você quer ver, não ceda. Nada de terror, suspense, ação. Não, só vá se for um filme que você goste. De preferência, de amor… Aumenta o clima… Restaurantes, só os seus. Se não gostar de carne, não vá à churrascaria preferida dele nunca. Ele irá entender e cederá com prazer. O importante para ele é você estar feliz. No fundo, ele sabe disso. Talvez ainda não tenha percebido, mas é só uma questão de tempo…

12- Sim, ele quer conhecer seus filhos. Se ele telefonou, é porque está interessado. Então, a hora é essa. Mostre logo o pacotão que ele vai levar. Você é um combo! Um Kinder Ovo, já vem com uma surpresinha! Olha só que legal! Quer melhor que isso? 2 por 1 ! Ele ligou, vão sair pela primeira vez, vão namorar? Leve os meninos. De surpresa, sem aviso prévio. Programa a dois é para os fracos! Imponha logo o time todo. Ele não vai caber em si de tanto contentamento… Que homem solteiro não gostaria de fazer um programinha infantil num sábado à noite? Apresente logo! Esperar para que? Pergunte como ele prefere ser chamado: tio ou papai?

13 – Verdades são fundamentais. Diga todas as verdades sempre! Isso aprofunda a relação e a torna mais autêntica. Acha que ele está meio acima do peso? Diga! Suas piadas não tem a menor graça? Diga logo, esperar para que? Não manda muito bem na cama? Deixou a desejar? Fale! Você é muito preciosa, ele deve estar à sua altura. Informe os quesitos que ainda não estão de acordo com seu padrão de qualidade. Não dê muito tempo esperando que ele se aprimore. Alguns homens podem ser preguiçosos. Ele pode se acomodar. Fique no pé, cobre, não permita que ele esqueça o assunto. Cada vez que ele contar um sucesso, aponte seus defeitos, suas falhas. Nada de autoestima fortalecida. Homens seguros são perigosos.

14- Discuta a relação a toda hora. Discutir a relação fortalece, aproxima o casal. É importantíssimo, uma espécie de faxina no relacionamento. Faça isso pelo menos uma vez por semana. Pince tudo o que não estiver do seu agrado. Ele vai compreender o seu cuidado e te amar muito mais por isso. Fique certa! Essa é a melhor atitude. Homens não assumem, mas adoram mulheres corajosas, que propõem com frequência esse tipo de conversa franca, útil, intensa, apesar de dolorosa.

15- Não libere a presa facilmente. Quando ele tentar sumir, parar de te ligar, não responder mais… não desista. Homens são assim mesmo, ingratos, insensíveis à dedicação feminina. Não deixe que ele fuja. Alfinete, aponte suas dificuldades de se envolver seriamente. Analise, interprete. Diga que ele é infantil, resistente e que não tem coragem de entrar de cabeça numa relação. Diga que ele tem é medo de assumir que te ama. Que ele não sabe o que está perdendo. E só vai perceber quando for tarde demais. Afinal, você é uma pessoa madura, equilibrada, segura de si, pronta para um relacionamento ideal. E ele nunca vai achar outra igual a você… Se tiver sorte!

foto: diHITT

Leia Mais

Minha viagem é pela casa

Fabrício Carpinejar

Aceito a caretice. Extraviei o ânimo para camping. Nada mais desalentador do que espiar o dia por um zíper. Numa oca de pano. Acordar agachado e seguir com a impressão de que fui abandonado toda noite num porão. As costas reclamando da proximidade com a terra e a boca protestando pelo café morno.

Gastei a juventude procurando Woodstock. E só encontrei a lama.

Acampar é trabalhar o dobro para evitar trabalho. O que se desperdiça na preparação e na antecipação dos problemas nunca será recompensado durante a estada.

É aguentar a falta de água quente, conviver em filas de banheiro, rir de piadas sem graça para arrebatar a cumplicidade de estranhos e eliminar o medo de que algum deles seja um psicopata. Nem acredito que percorri 200 metros com um rolo de papel higiênico nas mãos, com cara de Sonrisal, cumprimentando as pessoas para despistar a necessidade.

Não me contento com a precariedade de festejar uma tomada ou uma lixeira.

Larguei o movimento estudantil na primeira excursão. Desertei de um Congresso do DCE. Já tinha pavor de pedir carona, sofri com a ideia de mendigar um colchonete. (mais…)

Leia Mais