Arquivo da tag: dias

Prefeitura na PB decreta ‘luto oficial’ em dias de jogos da Seleção Brasileira

Prefeito disse que foi utilizado modelo relacionado a morte de ex-gestor.
Decreto foi corrigido para “ponto facultativo”.

Taiguara Rangel, no G1

Decreto de "luto oficial" (foto: Reprodução/Famup)

Decreto de “luto oficial” (foto: Reprodução/Famup)

A prefeitura da cidade Montadas, no Agreste da Paraíba, decretou “luto oficial” nos dias de jogos da Seleção Brasileira. O objetivo é encerrar o expediente mais cedo para acompanhar a participação brasileira na primeira fase da Copa do Mundo 2014. A decisão foi publicada no Diário Oficial dos Municípios desta segunda-feira (16), retroativa ao dia 11 de junho.

Em seu artigo 2º, o Decreto 005/2014 determina que “adotem-se as medidas pertinentes para o cumprimento do Luto Oficial nas repartições deste município”.

No entanto, segundo o prefeito Jairo Herculano de Melo (PSB), já foi publicada uma correção alterando o decreto para “ponto facultativo” nas mesmas datas e horários do “luto” anterior. A confusão aconteceu devido a um modelo relacionado à morte de um ex-gestor municipal, explicou o prefeito.

O chefe do executivo já avisou que pretende continuar liberando os servidores municipais para assistir aos próximos jogos, caso o Brasil avance na competição. “Vamos manter o mesmo procedimento, horário de funcionamento só pela manhã, decretando o ponto facultativo à tarde para os jogos da seleção durante toda a copa”, assegurou Jairo Herculano.

O feito foi atribuído pela gestão a um equívoco da equipe jurídica municipal, que somente após a publicação notou que o modelo de documento, com objetivo de alterar o horário do funcionamento da administração municipal, foi utilizado há cerca de 20 dias, para lamentar a morte do ex-prefeito Luiz Avelino Gomes – ocorrida no último dia 6.

O decreto do gabinete determina o início do expediente no executivo municipal de Queimadas às 8h, com encerramento às 14h, nos dias 12 (Brasil x Croácia, na abertura da copa), 17 (Brasil x México) e 23 (Camarões x Brasil). A falha ainda “exclui” na sequência de determinações um inexistente artigo 3º.

“Assim que a publicação foi ao ar é que a gente percebeu. O funcionário usou um modelo padrão, digitou em cima dele e esqueceu de deletar o restante. Já publicamos hoje a correção de publicação, decretando ponto facultativo. O luto foi há uns 20 dias e foi um lapso do pessoal jurídico na hora da digitação”, garantiu o prefeito.

Em 9 dias, Delúbio arrecada mais dinheiro que ONGs

Ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, deixa o trabalho no escritório da CUT O Globo / Jorge William

Ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, deixa o trabalho no escritório da CUT O Globo / Jorge William

Campanha do PT para petista pagar multa supera doações à Pastoral da Criança em 2013

Bruno Góes, Marcelle Ribeiro, Tatiana Farah, André de Souza e Flávia Pierry, em O Globo

RIO, SÃO PAULO, BRASÍLIA, TERESINA e PORTO ALEGRE — Para ajudar o mensaleiro Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido, a pagar a multa aplicada pelo Supremo, o PT organizou uma grande mobilização nacional e arrecadou, em curtíssimo espaço de tempo, mais dinheiro do que importantes ONGs, como a Pastoral da Criança e o Greenpeace. Em apenas nove dias, Delúbio recebeu R$ 1,013 milhão em doações (R$ 112,6 mil por dia). O Greenpeace Brasil, por exemplo, arrecadou, durante todo o ano de 2012, R$ 8,8 milhões (ou R$ 24 mil por dia), menos de um quarto da média diária atingida pelos petistas.

A Pastoral da Criança, organismo de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fundada pela médica sanitarista e pediatra Zilda Arns, recebeu, entre outubro de 2012 e setembro de 2013, R$ 877.579 em doações individuais, captadas pelas Associações de Amigos da Pastoral da Criança. Menos, portanto, do que Delúbio e seus companheiros juntaram em nove dias. A conta não inclui as doações de empresas.

Para isso, integrantes da Direção Nacional do PT e dos diretórios nos estados mandaram milhares de e-mails para militantes cobrando ajuda para o companheiro, além de falar com sindicalistas e outras pessoas ligadas ao partido.

Segundo o coordenador do setorial jurídico do PT, Marco Aurélio de Carvalho, na noite de quarta-feira a conta-corrente criada para receber doações tinha cerca de R$ 440 mil, menos que o necessário para quitar o débito judicial de Delúbio, de R$ 466.888,90. Foi aí que a mobilização aumentou, os e-mails foram disparados, e o partido conseguiu uma virada no montante arrecadado, com a doação de cerca de 2 mil pessoas. Na quinta-feira, menos de 24 horas depois, mais R$ 573 mil tinham pingado na conta. Nesta sexta-feira, Delúbio pagou a multa.

O PT e a advogada Maria Leonor Poço Jakobsen, responsável pela coordenação da campanha de arrecadação para Delúbio, dizem que as doações foram todas de pessoas físicas, de valores entre R$ 10 e R$ 30 mil — esta feita pela família do também mensaleiro José Genoino, que repassou uma parte da sobra de arrecadação das doações feitas para o ex-presidente do PT.

— Houve depósito de R$10, de R$ 5 mil… O extrato da conta tem cerca de 60 páginas tamanho A4 — disse Maria Leonor, afirmando que doações de pessoas jurídicas não foram aceitas pelos organizadores da campanha. Os sindicatos também não doaram dinheiro para o mensaleiro.

Delúbio arrecadou, em nove dias, 10,2% do que o próprio PT recebeu em 2012 de seus filiados: R$ 9,95 milhões ao longo de 12 meses (R$ 27.177,05 por dia). Nesse ritmo, o próprio PT leva 37 dias, sete horas, nove minutos e 32 segundos para arrecadar com seus filiados o que Delúbio conseguiu em apenas nove dias. Em 2012, a maior parte das contribuições foi de parlamentares e ocupantes de cargos de primeiro escalão: R$ 7,8 milhões. Os filiados que ocupam cargos de confiança no governo repassaram R$ 2,1 milhões. Os dirigentes do partido, R$ 26.200. Os demais filiados deram apenas R$ 20.600.

Cartas de dirigentes do PT, como o presidente do partido em São Paulo, Emídio Souza, e o presidente nacional, Rui Falcão, estavam publicadas no site do partido pedindo apoio a Delúbio. Nesta sexta-feira, mesmo após a conta ter sido encerrada, ainda havia pessoas tentando fazer depósitos, que foram recusados pelo banco. Carvalho disse que não se surpreendeu com o valor arrecadado.

— Nós estamos muito satisfeitos, porque a nossa militância é uma militância muito aguerrida e realmente mostrou que sabe fazer a diferença. Solidariedade e companheirismo são os dois grandes valores que nortearam todo esse processo — disse Carvalho, coordenador do setorial jurídico do PT.

Apesar da grande mobilização petista, o comando da campanha de doações coube a uma filiada ao PCdoB. A advogada Maria Leonor disse que é amiga do ex-tesoureiro petista e que o conhece, politicamente, da militância sindical. Ela atua como defensora dos bancários, embora o Sindicato dos Bancários de São Paulo afirme não tê-la em seu quadro de funcionários. Faz parte também do conselho de administração do Instituto Nacional de Pesquisa e Defesa do Meio Ambiente (INMA), uma ONG comandada pelo ex-deputado goiano Aldo Arantes, do PCdoB, com sede em Brasília. Ela disse que fez a campanha porque o julgamento no STF violou vários princípios do Direito:

— Agora, o que sobrou vamos doar para os outros companheiros.

Assim, após o pagamento de impostos, os recursos excedentes irão para o ex-ministro José Dirceu, condenado a pagar uma multa de R$ 676 mil (em valores da época, que ainda serão corrigidos pela Justiça) pelo crime de corrupção ativa. O que sobrar irá para o deputado e ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP), multado em R$ 370 mil (também em valores da época) por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. Ele ainda tem um recurso a ser analisado e que pode levar à absolvição pelo crime de lavagem. Nesse caso, a multa seria reduzida para R$ 250 mil.

A mobilização pelos mensaleiros petistas continua. Numa lojinha dentro do diretório do PT do Rio, camisetas com as fotos de José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares com os punhos erguidos são vendidas a R$ 20 cada uma. “Não aceitamos a humilhação, preferimos a dignidade e a luta”, diz a inscrição abaixo da fotografia. Segundo a assessoria do PT, a vestimenta “é uma produção independente de um grupo de militantes, que pediu para deixá-las na lojinha do partido”. A renda arrecadada, segundo o partido, não será revertida para os condenados pagarem as multas.

“A legislação partidária proíbe que partidos políticos utilizem seus recursos para questões particulares”, diz a assessoria do PT-RJ.

No Piauí, a presidente regional do PT, Regina Sousa, confirmou que a campanha de arrecadação foi orientada pela assessoria jurídica do PT nacional através de e-mails e das redes sociais:

— Ninguém nos estados ficou responsável, todo mundo divulgou e pediu contribuições. Todo mundo fez a campanha divulgando nos meios e nas mídias sociais, ligando para os outros. Ninguém sabe quanto foi arrecadado em cada estado.

Segundo ela, os doadores foram orientados a se identificar, respeitando a legislação que exige declaração das doações no Imposto de Renda:

— O depósito é identificado, tem que botar o CPF e o número da conta. Foi um coisa bem organizada, a gente fez um apelo aos filiados, aos simpatizantes, e as pessoas responderam. (Colaboraram Efrém Ribeiro e Flávio Ilha)

Após trabalhar 3 dias seguidos, jovem morre na Indonésia

Reprodução de imagem do perfil de Mita Diran no LinkedIn: jovem teria morrido após trabalhar 3 dias seguidos

Reprodução de imagem do perfil de Mita Diran no LinkedIn: jovem teria morrido após trabalhar 3 dias seguidos

Publicado na Exame

São Paulo – Após ter supostamente trabalhado por três dias seguidos, Mita Diran, então redatora da agência Young&Rubicam da Indonésia, morreu neste final de semana.

O pai dela, Yani Sarizal, que é diretor de criação de outra agência, teria confirmado, via mensagem de texto, que ela entrara em coma por excesso de trabalho.

Uma hora depois, uma colega de Sarizal afirmou que a jovem também teria ingerido a bebida energética Kratingdaeng, uma espécie de versão tailandesa do Red Bull. O coração de Mita não teria resistido à combinação, segundo informações de imagem publicada no site Venusbuzz.

No sábado,  às 8h47 da manhã, a jovem postou na rede de microblogs Twitter a seguinte mensagem: “30 horas de trabalho e ainda sigo forte”.

Ontem, o braço indonésio da Y&R divulgou, em sua conta no Facebook , uma nota lamentando a morte da funcionária: “Mita era uma redatora talentosa com um sorriso gentil e que sempre irá viver em nossos corações”.  Segundo o comunicado, a agência seria fechada hoje.

Segundo informações de sua página no LinkedIn, Mita trabalhava há 1 ano e 8 meses no grupo. Antes disso, havia atuado como escritora freelancer.

Em agosto, um estagiário  do Bank of America também teria morrido por excesso de trabalhoem Londres. O jovem de 21 anos sofria de epilepsia e teria virado pelo menos três noites trabalhando.

Entregues à morte todos os dias

Ed René KivitzDon't kill Christians

As coisas mudam quando colocadas em perspectivas. Para o obeso, o pão é tentação. Para o faminto, salvação.

Acabo de chegar de viagem. Volto de alguns dias de imersão no mundo muçulmano, quando tive a sagrada oportunidade de conviver com pastores leigos da igreja clandestina, que sobrevive e prevalece ilhada em uma nação de milhões de habitantes islâmicos.

Trago na bagagem algumas impressões. Acredito que serão necessárias algumas noites mal dormidas e a frequência aos joelhos no chão para assimilar o que consegui discernir entre aqueles heróis da fé que jamais se imaginam como tais.

O tempo com os pastores foi dedicado ao estudo da Bíblia e às conversas. Entre uma história e outra, perguntas e mais perguntas. Aos poucos fui percebendo que todas as minhas observações, comentários e respostas partiam de textos bíblicos. Fizemos um passeio pelo Novo Testamento, de Jesus nos Evangelhos às Epístolas Paulinas. Versículo após versículo, as palavras da Bíblia Sagrada foram ganhando vida e relevância. Em determinado momento me dei conta de que os grandes filósofos que sustentam a cultura ocidental eram ilustres desconhecidos e assim deveriam permanecer – pelo menos por enquanto, e sabe Deus quanto tempo é esse por enquanto. Mesmo os teólogos de primeira grandeza sucumbiam diante das simples e literais palavras dos apóstolos em suas cartas às igrejas dos primeiro século.

Para perguntas a respeito da natureza e missão da Igreja, autoridade espiritual – presbíteros e bispos, dons espirituais, ministérios e vocação, testemunho e martírio, disciplina de irmãos em pecado, o papel da mulher na família, respeito às autoridades civis – no caso o rei e o governo orientado pela Irmandade Muçulmana, e principalmente o discipulado de Jesus de Nazaré, bastavam a mera citação dos textos bíblicos correspondentes para que luzes intensas fossem acesas e brilhassem na consciência daqueles irmãos que arregalavam os olhos como que enxergando tudo o que lhes era necessário sem quaisquer comentários de esclarecimento – ou distorção, como queiram.

À sombra de uma das maiores Mesquitas do mundo, construída ao longo de uma década e ao custo de 500 milhões de euros (isso mesmo, aproximadamente 1 bilhão e meio de reais), permaneci horas numa roda de conversa revisitando os textos bíblicos fundantes da fé cristã com alguns poucos irmãos que, por amor a Cristo, enfrentam a morte todos os dias, e andam pelas ruas como ovelhas destinadas ao matadouro.

É impressionante como as questões de vida ou morte têm a capacidade de nos fazer identificar o essencial e imprescindível.

Não demorou para que eu olhasse desde lá distante para o meu mundo que ficara em São Paulo, e para a chamada igreja evangélica brasileira. Vergonha e culpa invadiram meu coração. Então, novamente me converti ao Evangelho de Jesus Cristo – não existe conversão sem senso de culpa, e todo genuíno arrependimento se faz acompanhar da vergonha. Trouxe comigo o coração lavado na água pura da palavra de Deus. Ao pisar de novo em casa, respirei fundo e agradeci a Deus por mais uma vez poder dizer que “não me envergonho do Evangelho”.

fonte: Facebook