Arquivo da tag: DP

Filha de cantor gospel diz à polícia que abusos começaram quando tinha 12 anos

Marcelo Terrinha foi preso na Bahia e apresentado nesta segunda na Baixada Fluminense

Cantor gospel é preso por suspeita de estuprar a própria filha

Cantor gospel é preso por suspeita de estuprar a própria filha

Publicado no R7

A filha do cantor gospel Marcelo Galdino Cordeiro, conhecido como “Marcelo Terrinha”, suspeito de estuprar a garota, disse à polícia que os abusos começaram quando ela tinha 12 anos. Os estupros aconteceram ao longo de um ano — atualmente, a adolescente tem 13 anos. Ele foi preso por policiais da 61ª DP (Xerém).

De acordo com o delegado titular da delegacia, Mário Arruda, após investigações, os agentes localizaram Marcelo na cidade de Lauro de Freitas, na Bahia. Os policiais foram até a Bahia e conseguiram prendê-lo.

Segundo depoimento da vítima, os abusos aconteciam quando ela ia a São Paulo visitar o pai e quando ele a visitava no Rio de Janeiro. Após o ato, segundo a polícia, ele a obrigava a ajoelhar e pedir perdão a Deus pelo que praticaram.

O R7 tentou contato com a equipe do cantor, por meio de seu site, mas até a publicação desta reportagem não havia conseguido retorno.

Assista à reportagem:

dica da Rafamila Almeida

Vítima de pastor Marcos vai à delegacia e afirma que homem encapuzado invadiu sua casa

Vítima suspeita que alguém ligado à igreja esteja tentando intimidá-la Foto: Roberto Moreyra / Roberto Moreyra / EXTRA / Agência O Globo

Vítima suspeita que alguém ligado à igreja esteja tentando intimidá-la Foto: Roberto Moreyra / Roberto Moreyra / EXTRA / Agência O Globo

Rafael Soares, no Extra

Uma mulher que acusa o pastor Marcos Pereira, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, de estupro, procurou ontem a 64ª DP (São João de Meriti) para relatar que um homem encapuzado invadiu sua casa em três oportunidades na última semana. A mulher, que também acusa o religioso de tê-la coagido no curso das investigações, registrou ocorrência e suspeita que o invador seja alguma pessoa ligada ao pastor tentando intimidá-la.

- A primeira vez que essa pessoa apareceu na minha casa foi na madrugada de terça para quarta-feira da semana passada, às 4h. Meu marido estava se preparando para sair de casa e viu esse homem pulando o muro de nossa casa. O homem fugiu. Dois dias depois, vi o mesmo homem, de capuz, no mesmo local. A última vez, nesta terça-feira, às 22h, estávamos chegando em casa e vimos ele no quintal. Ele correu para os fundos do terreno e conseguiu fugir. Chamamos a polícia, que não conseguiu encontrá-lo – conta a mulher, que é moradora do bairro do Éden, em São João de Meriti, próximo à Assembleia de Deus dos Últimos Dias.

Marcos Pereira está preso preventivamente desde o início de maio. O pastor é investigado em três ações diferentes: dois por estupro e um por coação no curso do processo. Dois fiéis da Assembleia de Deus dos Últimos Dias também foram presos, acusados de terem coagido uma vítima que diz ter sido estuprada pelo pastor.

Diário de Pernambuco distorce o que Marina Silva disse sobre Marco Feliciano ontem, em Recife

A ex-senadora foi chamada pelo jornal de “ex-verde e conservadora”

Foto:Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Publicado na fan page de Marina Silva

O jornal Diário de Pernambuco distorce o que Marina Silva disse sobre o deputado Marco Feliciano ontem, em Recife.

Durante palestra na Unicap, Marina repetiu as criticas que tem feito ao deputado desde que ele assumiu a Comissão de Direitos Humanos na Câmara.

No link, matéria do G1 (publicada em 5/4/) sobre o que disse Marina na palestra.

Logo mais, às 15h, Marina Silva comentará sobre este assunto na entrevista que dará, ao vivo, ao programa CBN Total de Pernambuco e que pode ser acompanhada aqui:

Abaixo, o texto publicado no Diário de Pernambuco

título original: Em agenda no Recife, Marina Silva sai em defesa do pastor Marco Feliciano

A ex-verde declarou que o parlamentar estava sendo “hostilizado mais por ser evangélico do que por suas declarações equivocadas”.

A virtual candidata do novo partido Rede Sustentabilidade à Presidência da República nas eleições de 2014, a ex-senadora Marina Silva saiu em defesa do atual presidente da Comissão de Direitos Humanos, o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC). Na noite desta terça-feira (14), diante de um auditório repleto de estudantes na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), a ex-verde declarou que o parlamentar estava sendo “hostilizado mais por ser evangélico do que por suas declarações equivocadas”.

“Não gosto como este debate vem sendo conduzido (legalização do aborto e casamento gay). Hoje, se tenta eliminar o preconceito contra gays substituindo por um preconceito contra religiosos”, defendeu. Segundo ela, Marco Feliciano entra neste “jogo de injustiças”, e claro, pode se tornar uma das vítimas nesta inversão de valores. “Feliciano está sendo mais hostilizado por ser evangélico que por sua declarações equivocadas”, completou, afirmando ainda que gostaria que um ateu fosse julgado pelo que disse e não pelo fato de ser ateu.

Feliciano é acusado de estelionato e o crime será julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar também defende que os gays são pessoas “doentes” . Na Comissão de Direitos Humanos, o religioso colocou em pauta o projeto polêmico que defende a “cura” dos homossexuais. O pastor ainda confrontou o movimento negro ao afirmar, em redes sociais, que os descendentes dos africanos são “amaldiçoados” segundo a Bíblia.

Candidata à Presidência nas eleições de 2010, Marina foi alvo de polêmicas sobre suas pautas conservadoras. A ex-senadora se posicionava contra o casamento gay, a legalizações do consumo da maconha e da prática do aborto. Algumas pautas, inclusive, eram defendidas, na época, por alguns membros históricos do PV, partido em que Marina se desfilou após ser derrotada no primeiro turno das eleições com um saldo de 19,5 milhões de votos (19,4% dos votos válidos).

Na palestra intitulada “Democracia e Sustentabilidade”, a possível candidata também debateu temas sociais e econômicos. Defendeu que além de uma crise mundial, o planeta é vítima de uma “crise civilizatória” pelo qual todos os povos passam, que é fruto da ênfase no fazer e não do ser.

“Não temos em quem se espelhar como modelo de como passar por uma crise civilizatória. Egito, Grécia e Roma passaram por essa crise e não conseguiram superar. A diferença é que hoje a crise da civilização envolve todo o planeta. Mas temos uma vantagem. Desconfio que eles não perceberam que estavam em crise e tentavam apagar o fogo com gasolina. Nós podemos evitar isso”.

Ciclista é atropelado na Av. Paulista e tem braço amputado no acidente

Segundo a polícia, motorista fugiu e jogou braço da vítima em córrego.
Vítima está internada com saúde estável; acidente ocorreu neste domingo.

Três faixas foram bloqueadas na Avenida Paulista após o acidente (Foto: G1)

Três faixas foram bloqueadas na Avenida Paulista após o acidente (Foto: G1)

Publicado originalmente no G1

O ciclista David Santos de Souza, de 21 anos, foi atropelado no início da manhã deste domingo (10), na Avenida Paulista, região central da cidade. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o acidente ocorreu por volta das 5h30, no sentido Paraíso, próximo ao Metrô Brigadeiro. Com o acidente, o braço direito do ciclista foi amputado, segundo o Corpo de Bombeiros.

David está no Hospital das Clínicas com estado de saúde estável. Ele foi socorrido pelos bombeiros e levado para o hospital. A vítima está consciente e segue internada no Pronto-Socorro na tarde deste domingo.

Motorista que atropelou o ciclista na Av. Paulista chega com seu advogado ao 78º DP (Foto: Luiz Claudio Barbosa/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Motorista que atropelou o ciclista na Av. Paulista
chega com seu advogado ao 78º DP (Foto: Luiz
Claudio Barbosa/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Segundo a Polícia Militar, o motorista Alex Siwek, de 22 anos, estudante de psicologia, que atropelou o ciclista, fugiu sem prestar socorro e deixou o local com o braço da vítima, que segundo o motorista ficou preso no carro após o atropelamento. De acordo com a polícia, ele disse que jogou o braço em um córrego na Rua Ricardo Jafet após a fuga.

No início da tarde de domingo, Alex Siwek se apresentou na base do 3º Batalhão da PM, no bairro da Saúde, e foi conduzido ao 78º Distrito Policial, nos Jardins. Além do condutor, outras quatro testemunhas devem depor sobre o caso neste domingo.

“Segundo o que nos foi informado, os policiais militares refizeram, junto com o condutor, o trajeto percorrido após o atropelamento. Isso porque a vítima teve um braço amputado e os médicos afirmaram que seria possível um reimplante caso o membro fosse encontrado. Durante esse percurso, porém, o motorista contou que havia jogado o braço em um córrego na Rua Ricardo Jafet. Isso tornaria impossível a localização do membro”, afirmou ao G1 o investigador Eduardo Belmiro, que atua no 78º DP.

O motorista Alex Siwek comparece com a polícia em região do córrego na avenida Ricardo Jafet, onde ele confessou ter jogado o braço do ciclista que atropelou na Avenida Paulista, na manhã deste domingo (10) (Foto: Adriano Lima/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

O motorista Alex Siwek comparece com a polícia em região do córrego na avenida Ricardo Jafet, onde ele confessou ter jogado o braço do ciclista que atropelou na Avenida Paulista, na manhã deste domingo (10) (Foto: Adriano Lima/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

O advogado do motorista, Cássio Paoletti, que o acompanhava ao 78º Distrito Policial, disse que o cliente não prestou socorro à vítima porque temeu a reação de pessoas que estavam próximas ao local do acidente.

“Segundo ele, ele temia pela conduta dos que estavam ali presentes”, disse o advogado, sobre o fato de o motorista não ter prestado socorro à vítima. Questionado sobre o motivo de o jovem ter se desfeito do braço da vítima, ele disse: “Eu não posso entender. Como ser humano eu estou absolutamente chocado com isso. Eu acredito que foi um lampejo de consciência que o levou à polícia”, disse o advogado Cássio Paoletti.

Mãe do ciclista

Antonia Ferreira dos Santos, mãe do ciclista David Santos de Souza (Foto: Livia Machado)

Antonia Ferreira dos Santos, mãe do ciclista David
Santos de Souza (Foto: Livia Machado)

A empregada doméstica Antônia Ferreira dos Santos, de 51 anos, mãe do ciclista David Santos de Souza, disse que ouviu do filho a afirmação de que ele estava na ciclofaixa quando foi atingido pelo automóvel.

Antônia foi ao 78º Distrito Policial, dos Jardins, onde o motorista que atropelou seu filho presta esclarecimentos. Ao chegar, ela foi recebida com aplausos por cicloativistas que esperam do lado de fora.

No horário em que ocorreu o acidente, a ciclofaixa de lazer da Avenida Paulista ainda estava desativada. As ciclofaixas funcionam aos domingos e feriados nacionais, das 7h às 16h.
A bicicleta da vítima foi levada à delegacia e também pode ajudar a esclarecer o caso.

“Ele está muito assustado. Ele acha que está com o braço, mas sabe que não está. Espero justiça. Vamos procurar um advogado e ver o que vai acontecer. Isso vai ser uma luta muito grande para ele. Ele trabalha escalando prédios e gosta de adrenalina. Vai ser uma coisa muito ruim”, afirmou.

A mãe contou que o rapaz, que trabalha como limpador de vidros, saiu de Diadema, na Grande São Paulo, e se dirigia ao trabalho, em um prédio próximo ao Hospital das Clínicas.  De acordo com ela, o rapaz ia entrar às 6h no trabalho e deve ter saído de casa às 4h. Antônia afirmou que sugeria ao filho que fosse trabalhar de ônibus, mas ele preferia a bicicleta.

Pai do ciclista, o pintor Gerôncio Lopes de Souza, também afirmou que espera justiça. “A gente espera justiça. A gente vê muita gente que fica impune, mas a gente espera que a justiça seja feita.”

Ciclistas se reúnem em frente a delegacia nos Jardins (Foto: Lívia Machado/G1)

Ciclistas se reúnem em frente a delegacia nos
Jardins (Foto: Lívia Machado/G1)

Protestos

Ao retornar à delegacia neste início de tarde, o motorista foi recebido sob gritos de “assassino” e “porco” por um grupo de ciclistas que se reunia em frente ao Distrito Policial. Pela internet, cicloativistas planejam um protesto na Avenida Paulista, a partir das 16h deste domingo. “Não há um organizador. Isso está sendo feito pelas redes sociais”, explicou ao G1 Renata Falzoni, cicloativista e criadora do Night Bikers Club do Brasil.

Daniel Guth, 29 anos, que é consultor da área de mobilidade, está na delegacia desde as 11h30 para protestar. “É um absurdo o que aconteceu. Não foi um acidente, é mais uma tragédia envolvendo um ciclista”, disse. Guth participou, no sábado (9), da sexta edição do World Naked Bike Ride, um protesto que reuniu centenas de ciclistas na Avenida Paulista contra a poluição causada pelos carros e a vulnerabilidade dos cidadãos que escolheram a bicicleta como meio de transporte.

“Essa tragédia é superlativo do que acontece todos os dias com os ciclistas. Isso não é acidente. Do que sabemos, o motorista foi visto em zigue-zague na Avenida Paulista. Que tipo de cidadão é esse que arranca um braço, não presta socorro e percorre 7 km com o braço dentro do carro?”, questiona Renata Falzoni.

“Viemos para marcar presença. É mais uma vítima, mais uma tragédia que diz respeito aos ciclistas. Poderia ser com qualquer um de nós. Não entendo como alguém é capaz de atropelar e não prestar socorro”, afirmou Denise Markman.

Ao som de Charlie Brown, Ana Maria Braga começa programa em “clima de festa”

Ana Maria Braga começou o programa feliz por comemorar o aniversário de Louro José Foto: Francisco Cepeda / AgNews

Ana Maria Braga começou o programa feliz por comemorar o aniversário de Louro José Foto: Francisco Cepeda / AgNews

Publicado originalmente no Terra

Ana Maria Braga cometeu uma gafe logo na abertura do programa Mais Você, da TV Globo, nesta quarta-feira (6). Ao som de Te Levar, da banda Charlie Brown Jr., a apresentadora começou a atração animada e disse: “clima de festa hoje no Mais Você“. Isso porque Louro José comemora seu 16º aniversário.

Pouco tempo depois, ela falou sobre a morte do vocalista da banda, Chorão, ocorrida nesta madrugada e conversou com uma repórter que fazia plantão em frente ao apartamento do artista, em São Paulo.

Aos 42 anos, o músico foi encontrado morto, em casa, no bairro de Pinheiros, na zona oeste da cidade. O motorista de Chorão o encontrou desacordado e telefonou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do cantor às 5h18. O corpo foi encontrado no local e será examinado pela perícia. Inicialmente, o caso seria investigado pelo 14° DP, mas seguirá com o DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa).

As causas da morte ainda são desconhecidas.

dica do Rogério Moreira