Caio Fábio: Os 3 tipos de atitude em relação à Bíblia

Pastor da Assembleia de Deus “Vivendo em Cristo” de São Gonçalo (RJ), Elvis Breves (qual o significado deste nome, Jorge Linhares?)  gravou um vídeo no qual aparece comendo algumas páginas da Bíblia.

A ~estratégia~ não é nova. Famosão depois de “cheirar” a Bíblia, o ex-Getsêmani e atual Lagoinha Lucinho Barreto (2 diminutivos é pleonasmo?) declarou que já comeu algumas páginas das Escrituras, citando episódios bíblicos para embasar a “refeição”.

O novo vídeo tem provocado piadas de todo tipo e reações contundentes, como no site Ateus do Brasil: “Pra quem devia estar comendo capim, já é o começo”. Infelizmente, a ~teologia~ macediana parece ter muitos aficionados na gospelândia: “somos como bolo; quanto mais baterem, mais cresceremos”. O líder da Universal finge (como sempre) ignorar que o IBGE já colocou por terra sua asserção.

No fim de semana foi divulgado um vídeo em que Caio Fábio fala sobre 3 tipos de atitudes em relação à Bíblia. Intitulado sagamente “Resposta ao Pastor comedor de Bíblia”, o texto de apresentação diz:

O Espírito Santo, de quem as Escrituras cita, antes de levar o homem a loucuras idiotizantes, veio convencer o homem sobre o pecado, a justiça e o juízo (Jo16.8) trazendo a consciência da centralidade de Jesus Cristo, ao invés de infantes propostas que o jovem que curte uma# dos dias de hoje pode até se interessar, mas NÃO MUDA, E NUNCA IRÁ MUDAR NADA.

Complicado será o que dia em que algum poser pastor em busca de holofotes se inspirar em Isaías e sair peladão por aí balançando suas heresias. #oremos

dica: Felipe Costa, Gerson Freire e Sidnei Carvalho de Souza

Leia Mais

Fim do mundo provoca alta na procura por terreno no céu e Igrejas aumentam o preço

outdor

Por causa do fim do mundo, terrenos no céu estão sendo vendidos por no mínimo 5 mil reais

publicado impagavelmente no G17

O comércio está bastante agitado com a aproximação do fim do mundo. Quem busca por salvação está tendo que enfrentar filas em algumas igrejas para comprar um espaço no céu.

Algumas igrejas estão vendendo salvação por até 5 mil reais a vista. “Não dá para vender parcelado nem fiado porque o mundo acaba sexta-feira”, disse o pastor Erenildo Elvis, que abriu recentemente uma igreja para arrecadar com o fim do mundo.

O pastor garante que o kit salvação é confiável. “Com a tecnologia de hoje, assim que o fiel paga os 5 mil pela salvação, imediatamente envio o nome dela por e-mail lá para o céu e pronto”, disse.

Na manhã desta terça-feira, cerca de 241 mil pessoas compraram o Kit Salvação e estão mais aliviadas com o fim do mundo. “Vendi moto, computador velho e até o colchão pra comprar a salvação”, disse o dono de casa Sebastião Silva.

Leia Mais

Meus dias com o Elvis

Marília César

Levou menos de 24 horas para eu me apaixonar.

Seu olhar amoroso, seu jeito alegre e manso. A liberdade de ir chegando e se deitando a meus pés. De fazer de meus chinelos um suave travesseiro. A soma de todos esses afetos, entregues gratuitamente, derreteu meu coração de imediato.

Se você estiver precisando derrubar as defesas de alguém, experimente deitar-se mansamente a seus pés. Sem pedir nada. Sem dizer palavra.

O cãozinho foi um pedido de minha filha mais velha. Ela chorou durante meses, dizendo que o queria. Era mais que querer, ela dizia. Ela precisava de um cachorrinho. Ela usou todos os argumentos. Todas as amigas tinham. Um cãozinho é um animal tão fofinho, ela disse. Ela queria muito ter um.

Resisti o quanto pude. Animais dão um trabalho danado. Dão despesa. Nos tornam cativos, não podemos viajar.

Ela continuou chorando e implorando.

Queria um filhote de golden retriever, que viu na revista e creu que era o cão de sua vida. Eu também adoro essa raça, respondi, já meio amolecida. É um dos mais bonitos. Faz vista. Dizem que gosta de criança.

Fomos sondar o preço nas pet shops. Seis parcelas de trezentos reais. Disse pra ela que não ia dar. Filhote a peso de ouro. Ela chorou de novo. Disse que eu nunca fazia nada que ela queria. Chantageou-me. Chorou mais um pouco.

Até o dia em que recebi aquele e-mail. A amiga de uma amiga estava doando filhotes. A foto estava no blog da moça. Abri correndo quando li que não eram filhotes quaisquer, mas sim da raça border collie, outra de minhas favoritas. Cachorro inteligente. Uns dizem que é o mais inteligente de todos.

Abri o email em casa pra ela checar a mercadoria. Ela olhou os pequeninos e os achou bonitinhos. Não pareceu muito entusiasmada. Expliquei que, além de ser de uma boa raça e bonitos, eram de presente. Custo zero. Ela se interessou.

Parei de falar no assunto para deixar que decidisse por si. Não sabia direito se era fogo de palha, se era só modismo de criança.

Ela me ligou no trabalho, no dia seguinte, perguntando se era hoje que o cachorrinho viria. Entendi que ela queria mesmo o bichinho.

Liguei para a dona.

Quinta-feira, sete da noite, meu fusquinha na marginal Pinheiros, cercado de caminhões furiosos por todos os lados. A mais velha e a mais nova no banco de trás, excitadas, na aventura de ir buscar o cãozinho.  160 quilômetros de congestionamento em horário de pico. O que a gente não faz por amor, eu pensava. (mais…)

Leia Mais