“Um cara morreu na minha frente na manifestação de Ribeirão Preto”

Publicado originalmente no lol Esporte

eu tava lá com meus amigos, nos eramos os ultimos do “grupo”. de repente chega uma land rover preta encostando na gente e, em vez de dar a volta como todos os outros carros, o cara começou a avançar na gente. o povo ficou puto e começou a mandar o cara dar a volta, discussoes e discussoes.

eu tava na direita do carro (nao tinha noçao do que ele iria fazer), de repente o cara avança com TUDO pra esquerda, passando em cima de todo mundo na frente e ainda virou pro outro lado pra pegar mais gente. por alguma chance bizarra eu nao fui pego pelo carro…é uma sensaçao muito estranha

ribeirao1ribeirao2

Alexsandro Ishisato de Azevedo, o motorista do Land Rover.
Alexsandro Ishisato de Azevedo, o motorista do Land Rover.

Leia Mais

Tornado em Oklahoma: John Piper, Papa Francisco e a ateia

No início de 2012, John Piper cunhou uma frase que circulou bastante nas redes sociais: “Uma das maiores utilidades do Twitter e do Facebook será provar no Último Dia que a falta de oração não era por falta de tempo”. O conferencista e escritor costuma usar as redes para espalhar suas convicções e também para alfinetar gente cujo pensamento é diferente dos seus, como no caso do celebérrimo “farewell Rob Bell”.

Com quase 500 mil seguidores no Twitter, Piper deu uma bola fora no microblog após o tornado que devastou Oklahoma. Em vez de consolar as famílias, ele tuitou um trecho do primeiro capítulo do livro de Jó: “Seus filhos e suas filhas estavam num banquete, comendo e bebendo vinho, quando, de repente, um vento muito forte atingiu a casa, que desabou, e todos morreram”.

tuitejpA repercussão foi tão negativa que ele apagou o tuíte e tentou se explicar (em vão) em outro post. Um pouco mais à frente nas Escrituras, texto bíblico adverte: “A palavra proferida no tempo certo é como frutas de ouro incrustadas numa escultura de prata” (Provérbios 25.11 -NVI). #dica

Postura bem diferente teve o Papa Francisco. Ele também usou o Twitter, no entanto o fez para manifestar solidariedade às pessoas atingidas pelo tornado: “Uno-me a dor das famílias que perderam seus entes queridos, muitos deles crianças, no tornado em Oklahoma. Oremos por eles”, escreveu o Papa em sua mensagem em inglês e espanhol.

papa

Um âncora da CNN também protagonizou um momento constrangedor durante a cobertura da tragédia. No final da entrevista com uma sobrevivente da cidade de Moore, Wolf Blitzer perguntou se ela agradecia a Deus pela decisão correta tomada numa fração de segundo e que a livrou junto com a filhinha de 19 meses. Meio sem graça, Rebecca Vitsmun respondeu que era ateia. E completou: “Nós estamos aqui, e eu não culpo ninguém por agradecer ao Senhor”. Pano rápido.

dica do Nelson Costa Jr.

Leia Mais

Por que alguns pais são deixados para criar os filhotes sozinhos

Cesar Grossmann, no Hypescience

Um fato estranho na natureza tem desafiado os biólogos há mais de um século. Darwin, em 1871, havia notado que, na maior parte dos animais, é a fêmea que cuida dos filhotes, enquanto os machos ficam competindo entre si por elas.

A explicação evolutiva é que as fêmeas investem quantidades significativas de energia na produção dos ovos (no caso dos mamíferos, no nascimento), e assim é de interesse delas garantir a sobrevivência de suas crias.

Mas, em algumas espécies, existe uma reversão nos papéis dos sexos, com machos cuidando dos filhotes em vez das fêmeas. Um estudo recente aponta que talvez a razão para isto seja a disparidade entre o número de fêmeas e machos.

cavalo

Depois de mais de vinte anos de investigação, o grupo de pesquisadores da Universidade de Bath e Veszprém , da Hungria, determinou que, nestas espécies, há claramente uma taxa muito maior de machos do que fêmeas, comparado com as espécies em que as fêmeas cuidam dos filhotes.

Segundo o professor Tamás Szekely, os modelos matemáticos sugeriam que o comportamento dos animais era influenciado pelo ambiente social, e as observações na natureza confirmam estas predições.

Segundo ele, “quando existem muitos machos na população, é mais difícil encontrar fêmeas, o que faz com que os machos permaneçam com suas parceiras e cuidem da cria. Só que as fêmeas geralmente usam esta vantagem a seu favor, abandonando o macho com o filhote”.

Para completar o quadro, nas espécies em que os papéis são trocados, as fêmeas também são maiores e assumem o papel masculino de competirem entre si por outros machos.

Apenas entre os mamíferos a troca de papéis não é comum, já que os machos não podem produzir leite, o que torna difícil que assumam sozinhos a criação dos filhos. Uma das espécies mamíferas em que as inversões de papéis já foram observadas são os humanos.

Leia Mais

Facebook bloqueia uso de “Guarani-Kaiowá” no sobrenome de usuários

Membros da rede aderiram o nome indígena como forma de manifestar apoio à aldeia homônima, que em 2012 chamou atenção do público por luta contra fazendeiros

publicado no IDGNow

Desde segunda-feira (7/1), o Facebook passou a banir o uso do termo “Guarani-Kaiowá” no perfil dos usuários da rede. As informações são de Vânia Carvalho, um dos membros da rede que foi obrigada a apagar o nome alternativo do seu perfil, sob o risco de ter a conta suspensa.

“Me sentia feliz e orgulhosa em assinar o nome Vânia Carvalho Guarani Kaiowá Munduruku Awá no Facebook, uma forma de, publicamente, declarar o apoio aos Povos Indígenas, de demonstrar a indignação com o massacre diário que essas populações vem sofrendo”, disse a usuária, em um post no blog Portal de Agroecologia da Amazônia. “O Facebook está impedindo as pessoas de permanecerem com sobrenomes indígenas, embora aceite nomes como ‘bolinha’, ‘machão’, ‘fofinha’”, completa.

 

guarani-kaiowa2

Rede social obriga usuária a retirar termo do perfil

Além de Vânia, outros membros da rede também inseriram o complemento indígena ao nome verdadeiro do usuário. A manifestação na página teve início no final do ano passado como forma de protesto à ordem judicial, que determinava a retirada dos índios Guarani-Kaiowá da aldeia que habitavam, no Mato Grosso do Sul, para que fazendeiros pudessem reaver as terras ocupadas.

Mesmo depois de suspensa a liminar em outubro do ano passado, membros da plataforma social mantiveram seus nomes como forma de apoio à comunidade indígena.

Vale lembrar que a política de uso do Facebook permite ao usuário utilizar apelidos ou nomes de solteiro, por exemplo, como forma alternativa para o nome de usuário. Variações do nome completo também podem ser utilizados (como por exemplo Carol, em vez de Carolina). Termos relacionados a conteúdo ofensivo ou sugestivo e ainda caracteres especiais, não são permitidos.

Além disso, a rede social limita o número de vezes em que um indivíduo pode alterar o nome real – se tentar uma mudança diversas vezes, a opção para digitar um novo nome é desabilitada do perfil.

Leia Mais

Leopardo se arrepende de matar babuíno por causa de filhote

Jovem fêmea leopardo mata a fêmea de um babuíno e aparentemente “se arrepende” ao ver um filhote nas costas da caça. Em vez de comer o filhote, a leopardo tenta cuidar dele durante a noite.

A cena foi registrada pela equipe da National Geographic em 2006, enquanto filmavam o documentário “Eye of the Leopard” (Olho do leopardo, em tradução livre).

Segundo matéria publicada no HypeScience, o bebê babuíno não resistiu e “a fase de ‘ama de leite’ da jovem leopardo durou apenas uma noite. No outro dia, a natureza seguiu seu curso, e a fêmea babuíno foi devorada pelo leopardo”.

dica da Maria Clarice Batista Emerich

Leia Mais