Conteúdo marcado como esperança

O dia em que conversei comigo mesmo

O dia em que conversei comigo mesmo
Ricardo Gondim Em meio à névoa ruça do banheiro me deparei com um vulto. Ele apareceu refletido no espelho; parecia marcado por rugas prematuras. Fechei a torneira do chuveiro com pressa. Tomado por uma coragem súbita, questionei o homem. – Quem é você? O que faz aqui? – Eu sou você, respondeu com autonomia. – Preciso lhe falar. Perturbei-me com o seu aspecto. Ele se parecia com a imagem que guardei […]

Esperança, teimosia desvairada

Esperança, teimosia desvairada
Ricardo Gondim Na década de 1950, fomos devidamente advertidos de que as formigas saúvas acabariam com o Brasil. No década de 1960, espalhou-se o pavor de que os comunistas viriam, desde a União Soviética, comer nossas criancinhas. Nos anos 1970, especialistas profetizaram o fim do petróleo mundial, e que as economias entrariam em colapso. Em 1980, criou-se a paranoia da camada de ozônio – o buraco sobre a Antártida seria […]

O peso desnecessário da religião

O peso desnecessário da religião
Ricardo Gondim Sinto dor de lembrar o dia em que João e eu corremos juntos. Ele estava com 25 anos de idade e eu, com quase o dobro. Magro, João não precisava se esforçar para manter o meu ritmo. Com fôlego sobrando, ele começou a me contar sobre a sua depressão. Perguntei-lhe se identificava alguma causa para a tristeza que lhe abatia. Medo de fracassar, retrucou entre um passo e […]

Quem educa quem

Quem educa quem
Marina Silva Os indícios preocupantes que já anunciavam um segundo mandato da presidente Dilma ainda mais divorciado das necessidades reais do Brasil e do povo brasileiro, infelizmente, já estão se confirmando – e por suas próprias palavras e ações. O discurso de posse, a escolha de alguns ministros, as primeiras medidas tomadas ou anunciadas, tudo transmite contradição, ausência de sentido e a noção de um grande equívoco. Quem esperava o […]

Em 2014 deu tudo errado, por isso deu tudo certo

Em 2014 deu tudo errado, por isso deu tudo certo
Mariliz Pereira Jorge, na Folha de S.Paulo Faço o mesmo que milhões ao me preparar para a virada do ano. Compro roupa nova, calcinha da cor do meu maior desespero. Deixo mentalmente a vida ruim para trás e visualizo um futuro cheio de motivos para comemorar. Pulo as sete ondas, brindo, passo a noite celebrando um presente novinho em folha. Como se o futuro finalmente tivesse vindo ao meu encontro. […]