Conteúdo marcado como esperança

Frei Betto: É hora de esperança

Frei Betto: É hora de esperança
Com meros protestos não sairemos dessa depressão cívica. Há que ter propostas Frei Betto, em O Dia Online A Operação Lava Jato presta excelente serviço à nação. Leva corruptores à cadeia e traz à luz bilionárias somas de recursos públicos destinadas a favorecer interesses privados. Mas por que a Lava Jato é um samba de uma nota só? Será que houve corrupção apenas no governo do PT? E por que […]

Desesperança brasileira

Desesperança brasileira
Frei Betto, em O Dia O brasileiro anda desesperançado. A frustração se mescla ao rancor. Ninguém sabe dizer o que será deste país nos próximos anos. Diante da falta de perspectiva histórica e de protagonismo alternativo, o debate político baixou do racional para o emocional. Haja palavrão e carência de razão! A terceirização ameaça esgarçar ainda mais os direitos trabalhistas (e se não ameaça, como afirmam seus defensores, por que […]

O dia em que conversei comigo mesmo

O dia em que conversei comigo mesmo
Ricardo Gondim Em meio à névoa ruça do banheiro me deparei com um vulto. Ele apareceu refletido no espelho; parecia marcado por rugas prematuras. Fechei a torneira do chuveiro com pressa. Tomado por uma coragem súbita, questionei o homem. – Quem é você? O que faz aqui? – Eu sou você, respondeu com autonomia. – Preciso lhe falar. Perturbei-me com o seu aspecto. Ele se parecia com a imagem que guardei […]

Esperança, teimosia desvairada

Esperança, teimosia desvairada
Ricardo Gondim Na década de 1950, fomos devidamente advertidos de que as formigas saúvas acabariam com o Brasil. No década de 1960, espalhou-se o pavor de que os comunistas viriam, desde a União Soviética, comer nossas criancinhas. Nos anos 1970, especialistas profetizaram o fim do petróleo mundial, e que as economias entrariam em colapso. Em 1980, criou-se a paranoia da camada de ozônio – o buraco sobre a Antártida seria […]

O peso desnecessário da religião

O peso desnecessário da religião
Ricardo Gondim Sinto dor de lembrar o dia em que João e eu corremos juntos. Ele estava com 25 anos de idade e eu, com quase o dobro. Magro, João não precisava se esforçar para manter o meu ritmo. Com fôlego sobrando, ele começou a me contar sobre a sua depressão. Perguntei-lhe se identificava alguma causa para a tristeza que lhe abatia. Medo de fracassar, retrucou entre um passo e […]