Estudante cria prato comestível para quem não gosta de lavar louça

Publicado no Estadão

Um estudante iraniano inventou um aparelho que pode significar o fim do trabalho de lavar louça após as refeições.

O aparelho transforma massa de pão em pratos e vasilhas comestíveis nos mais diversos formatos, com diâmetro de até 40 centímetros. Os pratos são comestíveis e contém fibras.

O aparelho fabrica pratos e tigelas que podem armazenar vários tipos de alimentos. O projeto é do estudante de design industrial Saeed Rahiminejad, de 26 anos,que mora em Teerã.

O aparelho batizado de Bake.A.Dish (asse a louça) foi premiado pelo laboratório de design da Electrolux.. Os pratos feitos de massa de pão podem ser usados até para alimentos líquidos, como sopas.

bake3

O aparelho transforma farinha em água em pratos comestíveis ricos em fibras (Foto: Divulgação)

O estudante está agora à procura de financiamento para ajudar a colocar o seu conceito em produção.

“O produto ajuda a personalizar a louça, e funciona como uma alternativa mais sustentável para a louça descartável e ainda acrescenta mais fibras à dieta diária”, afirmou o estudante em entrevista ao Dailly Mail.

“O prato comestível é personalizado de acordo com nossas necessidades e adicionam uma quantidade controlada de fibras e carboidratos na alimentação, para que ela se torne mais saudável”, acrescenta ele.

A massa de pão, basicamente farinha e água, é assada com energia coletada por painéis solares. O estudante diz que o processo contém um segredo para impedir que a massa amoleça com o líquido contido nos alimentos.

A máquina pode ser controlada por um aplicativo de telefone móvel, que calcula o tamanho da tigela ou do prato de acordo com a quantidade de calorias que a pessoa deseja consumir.

bake4

Leia Mais

Estudante com leucemia mobiliza doações de sangue pelo Facebook

Publicado no R7

Ele foi diagnosticado com a doença no fim do ano passado

O estudante de Direito Marcus Vinícius Nery, 20 anos, mobilizou uma grande doação de sangue pelo Facebook. Ele tem leucemia e precisa de 28 bolsas de sangue por dia. O jovem foi diagnosticado com a doença no final do ano passado.

Um evento foi criado na rede social e mais de 4.000 pessoas já confirmaram a doação. Segundo o irmão do estudante, Pedro Nery, mais de 100 pessoas doaram em menos de 24 horas e desde que o evento foi criado, mais de 400 já compareceram ao hospital.

Nery vive em Recife, em Pernambuco, e as doações ocorrem no Instituto de Hematologia do Nordeste. Ele deve receber sangue por pelo menos 45 dias.

O tipo de câncer dele não requer transplante de medula óssea. Ele está internado em um quarto no Real Hospital Português para receber sangue e depois deve continuar o tratamento em casa. O hospital informou que serão necessárias mais de 1.200 bolsas.

Leia Mais

Cinco coisas que preciso fazer antes dos 40 anos

Arte de Van Dongen

Publicado por Blog do Carpinejar

Por um golpe do acaso, reencontrei minha agenda de estudante da 8ª série. Estava dentro da caixa dos troféus e medalhas de futebol, na garagem.

Cometi o erro de abri-la. Não se mexe em arquivos impunemente. Não dá para passar os olhos e deixar por isso mesmo. Somos absorvidos, tragados pela curiosidade da comparação. Os cinco minutinhos destinados ao assunto se transformam em dez horas. Nem notamos o dia migrar para a noite. Interrompemos uma encomenda urgente, apagamos reuniões, desaparecemos para a família, seduzidos pela nossa caligrafia desgovernada e antiga.

O que me espantou é que havia uma cartinha presa com clipe nas costas do volume: Cinco coisas que desejo fazer antes dos 40 anos.

(Em tempo, completo 40 anos em outubro. Não duvido que não tenha programado meu corpo a procurar a agenda perto do aniversário. Foi um alarme posto na memória para soar num prazo de vinte e sete anos.)

Mas por que 40, e não 30? Juntei as pontas e identifiquei que era a idade de meus pais na época.

Eu gargalhei quando li o que esperava de mim em 2012:

1) Saltar de paraquedas.
2) Não casar.
3) Conhecer Tóquio.
4) Aprender francês e italiano.
5) Ser milionário com a indústria de cinema.

Tive 100% de fracasso. Não cumpri nenhuma das alternativas. Assinei o atestado de incompetência perante aquele adolescente disposto a ganhar o mundo.

E me deu orgulho. Fiquei orgulhoso da decepção. Ri emocionado de minha invalidez estratégica, da minha nulidade profética.

Foi um sinal de saúde. Quem cumpre objetivos é neurótico.

É bobagem elaborar metas para atingir em determinada idade. Felicidade não se planeja, felicidade se descobre.

Ingenuidade congelar lista de intenções como se a vida não nos transformasse dia a dia.

O que vale alcançar objetivos como uma maratona turística? Para quê?

Nosso legado é o que falamos aos outros, não o que aparentamos ser. Todos os desejos terminam, no fundo, iguais porque não temos a coragem da simplicidade.

Amigos não admitem morrer sem visitar as pirâmides, por exemplo. Eu não quero morrer sem visitar meu pai ou minha mãe.

Ainda que eu tivesse apenas uma semana de vida não mudaria meu temperamento. Felicidade é improvisar, é estar disposto não sabendo o que vai acontecer.

Não troco em nada o inventário do que realizei nestas quatro décadas.

(X) Dois filhos
(X) Casado
(X) Vinte livros
(X) Lê espanhol e desenha inglês
(X) Apartamento financiado.

Não é mais verdadeiro?

Leia Mais

Em propaganda, hospital na Suécia oferece vagas a enfermeiras sensuais

Publicado originalmente no Opera Mundi

O diploma em enfermagem e uma vasta experiência na profissão podem não ser credenciais suficientes para se obter um emprego em um hospital da Suécia. O Hospital Geral do Sul de Estocolmo entrou em uma polêmica no país nórdico após veicular um anúncio publicitário procurando enfermeiras sensuais – e com senso de humor. As informações são do jornal The Local.

“Você será motivada, profissional e terá senso de humor. E, claro, você será atraente como uma estrela de TV com belos quadris. Se você for estudante de enfermagem, você será bem-vinda para um emprego temporário de verão no setor de emergência do Södersjukhuset (nome do hospital em sueco)”, diz o anúncio.

Oficialmente, no entanto, os diretores da instituição afirmam que o anúncio foi apenas uma maneira de chamar atenção. “Todos sempre escrevem ‘Procura-se substitutas durante o verão’. Nós queríamos um título mais atraente”, afirmou o diretor de efermagem do hospital, Mats Glaser, ao jornal Focus, da associação de enfermeiros local.

Segundo Glaser, “está claro” que o hospital não levará a aparência das pessoas em consideração como critério de contratação. “Queremos que as pessoas fiquem curiosas e tenham imaginação”, disse a enfermeira Elizabeth Gaufin à edição local do jornal Metro News.

“Acho que as pessoas entenderam que o que escrevemos foi apenas para chamar a atenção, sem qualquer repercussão negativa, diz o gerente de enfermagem Jorgen Andersson ao The Local. “Claro que ser bonita não é critério. Fizemos um anúncio e obtivemos um ótimo retorno. Mas queremos uma enfermeira que seja qualificada e boa em sua profissão, independente de sua aparência”.

Os comentários dos leitores do The Local, no entanto, não demonstram o mesmo grau de otimismo pela aprovação. Muitos consideraram o anúncio desrespeitoso, sexista e discriminatório. Outros, de bom humor, escreveram que procurar estagiárias bonitas é desnecessário, já que estão na Suécia.

Leia Mais

Estudante gaúcha teria ofendido piauienses e vai parar nos TTs

Publicado originalmente no Brasil Portais

Se a intenção era ganhar seus 15 minutos de fama, ela conseguiu. Se não for um fake (perfil falso) criado por algum preconceituoso, a estudante de Administração e webdesigner Sophia Fernandes, de 18 anos de idade, disparou várias ofensas contra os piauienses, os cearenses e todos os nordestinos de uma maneira geral.

Através do Twitter, com o perfil @SophiaOfDreams (http://twitter.com/SophiaOfDreams), ela se identifica como de Porto Alegre-RS, taurina e torcedora do Grêmio. Na noite desta quarta-feira e por quase toda a madrugada desta quinta-feira (08/12) ela discutiu com alguns piauienses que se sentiram ofendidos e respondeu de maneira pejorativa.

Tudo começou quando ela postou várias notas em seu Twitter destilando seu veneno contra os nordestinos. Seria mais um caso de ‘xenofobia’ na Internet, que de uns tempos para cá tem causado revolta de pessoas nascidas nos estados mais pobres do Nordeste brasileiro. Um grupo de piauienses resolveu tomar as dores e respondeu a gaúcha pelo Twitter.

Ela não fugiu da briga e rebateu: “Fico puta quando vem esse povo medíocre do Piauí querendo falar merda só porque eu falei a verdade… aliás, o Piauí é no Brasil? Hahaha”. Entre outros tweets postados por ela, Sophia Fernandes falou de como a população piauiense é pobre e detonou: “Cadê vocês cortadores de cana, raladoras de mandioca (povo do Piauí) e cabeças de bosta (povo do Ceará)?”.

LBERDADE DE EXPRESSÃO VERSUS #INSULTOPIAUIESE
Para finalizar, ela disse que não teme os vários perfis que disseram que pretendem processá-la acusando de preconceito: “Processa aí. Cadê a liberdade de expressão dessa bosta de república que vocês chamam de Brasil? Pro inferno mendigos”. A polêmica ganhou destaque entre os assuntos mais vistos na Internet. Nos TTs (Trendig Topics do Twitter) a hastag #insultopiauiense chegou a liderar em todo o País. A Lei de número 7.716/89 diz: “A injúria por preconceito foi acrescentada ao Código Penal pela Lei nº 9.459, de 13 de maio de 1997, consistindo na utilização de elementos referentes à raça, cor etnia, religião ou origem, para ofender a honra subjetiva (auto-estima) da vítima. Vem prevista no art. 140, § 3º, do Código Penal, cominando pena de 1 a 3 anos de reclusão, e multa”.

dica do Walisson Figueiredo

a intolerância covarde se reproduz na sombra do anonimato. quem está por trás (opa!) disso prestou 1 serviço duplamente útil ao mostrar até onde pode chegar a imbecilidade humana e produzindo indignação coletiva contra esse tipo de preconceito.

Leia Mais