Em 5 anos, Polícia no Brasil mata o mesmo que a dos EUA mata em 30

polícia-brasil

Publicado em O Povo

Policiais brasileiros mataram, entre 2009 e 2013, a média de seis pessoas por dia no País. Foram por volta de 11.197 óbitos provocados pelos homens da lei em cinco anos. O número supera o de mortes provocadas pela Polícia dos Estados Unidos ao longo de 30 anos: 11.090. Os dados integram o mais recente levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e compõe o 8º anuário de segurança pública.

Ainda de acordo com o levantamento, a tropa mais letal do País é a do Estado do Rio de Janeiro, seguido por São Paulo e a Bahia. Embora continue liderando o ranking de letalidade, o que ocorreu em quase todos os anos pesquisados, a Polícia do Rio reduziu a menos da metade a quantidade desse tipo de homicídio.

Em 2009, os homicídios naquele Estado provocados por policiais em serviço chegaram a 1.048 registros: 54% de todas as mortes praticadas pela Polícia do País naquele ano. Já em 2013, esse número caiu para menos da metade, com 416 registros, o que representa 20% das mortes em intervenção policial. Em 2012, chegou a ficar atrás de São Paulo. Os policiais do Rio mataram 419, enquanto os paulistas mataram 583.

Em 2012, a Polícia Militar paulista enfrentou guerra não declarada com o crime organizado, com baixas dos dois lados, o que elevou os índices de homicídio em todos os tipos.

Para a diretora-executiva do Fórum, Samira Bueno, a notícia positiva do anuário é a redução dos números no Rio: “A única notícia boa desse cenário são os dados cariocas. Desde a implantação das UPPs, o Rio tem tido uma redução expressiva de letalidade”.

São Paulo até poderia receber elogios semelhantes, já que os óbitos por intervenção policial caíram de 566 para 364 em cinco anos, queda de 36%. Esse bom desempenho acaba eclipsado pelo aumento de quase 40% dos homicídios praticados por policiais no horário folga. É impossível a evolução desse tipo de homicídio no Rio porque lá, assim como em outros estados, falta um controle estatal.

Sem controle

A maioria dos estados estava, até pouco tempo, sem controle ao menos das mortes praticadas por policiais de serviço. Apenas 11 das 27 unidades federativas conseguiram apresentar essa contabilidade solicitada pelos pesquisadores do fórum. “A maioria das polícias do País não tem a prática de fazer acompanhamento na letalidade policial. Há uma subnotificação. Sabemos que é bem maior do está registrado”, acrescentou. (das agências de notícias)

NÚMEROS

11.197 mortes foram provocadas por policiais brasileiros de 2009 a 2013

Leia Mais

Homem de 90 anos é preso por dar comida para moradores de rua

Policiais disseram a Abbott: ‘Largue esse prato agora’ - Reprodução/YouTube
Policiais disseram a Abbott: ‘Largue esse prato agora’ – Reprodução/YouTube

Publicado em O Globo

Um homem de 90 anos pode ficar até 60 dias preso por alimentar moradores de rua, devido a uma nova lei que proíbe que grupos humanitários partilhem refeições com o público em Fort Lauderdale, na Flórida.

Arnold Abbott corre o risco de ser multado em US$ 500 e passar um tempo na prisão após ser apreendido por policiais enquanto estava distribuindo refeições para moradores de rua em um parque no domingo. Ele foi preso e acusado juntamente com dois pastores da Igreja Santuário, que prepara centenas de refeições para repartir toda semana em sua cozinha, enquanto os espectadores gritaram aos oficiais “que vergonha!”.

– Um dos policiais se aproximou e disse: ‘Largue esse prato agora’, como se eu estivesse carregando uma arma – afirmou Abbott. – Estes são os mais pobres entre os pobres, que não têm nada, eles não têm um teto sobre suas cabeças. Como você vai mandá-los embora?

Em 1999, o Sr. Abbott processou a cidade de Fort Lauderdale depois que ele foi impedido de alimentar os sem-teto na praia, e o tribunal considerou que a regra era contra a Constituição. A nova lei – que entrou ou deve entrar em vigor em Seattle, Los Angeles, Phoenix, Dallas e Philadelphia – foi aprovada na semana passada.

Ron Book, um lobista da cidade, disse ao jornal norte-americano “Sun Sentinel”: “Tudo o que desestimula a alimentação das pessoas nas ruas é uma coisa positiva.”

Já Abbott planeja processar a cidade novamente e pretende continuar o seu ato de bom coração.

As novas regras exigem que os grupos estejam pelo menos 500 metros de distância de residências e estabelecimentos de alimentação estão restritos a um por quarteirão, mas instituições de caridade têm criticado as regras como formas de implementação de limpeza social.

Michael Stoops, organizador comunitário na Coalizão Nacional para os Sem Abrigo, disse à emissora americana NBC News: “O desenvolvimento econômico e o turismo não combinam bem com as pessoas sem-abrigo e as agências que os servem.”

Abbott fundou o Love Thy Neighbour em memória de sua falecida esposa Maureen, a fim de continuar o trabalho humanitário que ambos fizeram, realizando regularmente a partilha de alimentos no Holiday Park e na praia de Fort Lauderdale.

Leia Mais

‘Empacotador galã’ faz sucesso na web após ter foto postada por cliente

Alex virou celebridade instantânea e ganhou destaques e jornais e TVs.
Apelidado de ‘Alex from Target’, jovem trabalha em loja da rede no Texas.

'Empacotador galã' fez sucesso na web após ter foto postada no Twitter (foto: Reprodução/Twitter/Auscalum )
‘Empacotador galã’ fez sucesso na web após ter foto postada no Twitter (foto: Reprodução/Twitter/Auscalum )

Publicado no G1

Apelidado de “empacotador galã”, um jovem que trabalha em uma loja da rede Target no estado do Texas, no EUA, se transformou em viral no país depois que uma jovem compartilhou uma foto do adolescente  no Twitter.

Com o sucesso nas redes sociais, Alex virou uma celebridade instantânea e ganhou destaques em diversos jornais, como o Washington Post, e programas de TV. Até o show da comediante Ellen DeGeneres procurou o jovem.

A hashtag #alexfromtarget recebeu mais de 809 mil menções no Twitter em apenas 24 horas, de acordo com a imprensa americana.

Leia Mais

Garoto de 10 anos faz sucesso como CEO de marca de cookies

size_810_16_9_mrcory
publicado no PME

Cory Nieves administra uma popular marca de cookies nos Estados Unidos, vendendo os biscoitos a 1 dólar. Cory estima que em um único final de semana possa faturar até mil dólares com os cookies. A diferença desta história para a de outros empreendedores é que Cory tem apenas 10 anos de idade.

Com mais de 30 mil seguidores no Instagram, o garoto já participou do popular programa de TV da Ellen Degeneres. Ele está chamando a atenção do mundo com sua história de empreendedorismo que começou em 2009.

Em uma tarde fria, Cory estava cansado de esperar o ônibus quando disse para a mãe que eles precisavam comprar um carro. Para juntar dinheiro, eles passaram a vender chocolate quente. Empenhado em fazer o “negócio” crescer, o garoto incluiu limonada e biscoitos na barraquinha na porta da sua casa, tudo a 1 dólar.

Caseiros e totalmente naturais, os biscoitos começaram a ganhar mercado e hoje eles são vendidos em um carrinho, em Nova Jersey. Para Cory, o segredo do sucesso está no preparo. “Eles são feitos com amor. E são totalmente naturais, sem nenhum conservante”, disse o garoto em entrevista à rede CBS News.

Para fazer o negócio funcionar, ele conta com a ajuda da mãe na operação, mais precisamente para assar os cookies. “Eu cuido das finanças”, disse Cory. Apesar do sucesso, Cory não precisou comprar um carro para a mãe. Durante sua participação no programa de TV, ele ganhou 10 mil dólares e um carro novo. Quando crescer, quer estudar em Princeton e ter ainda sua própria grife de roupas, segundo a Entrepreneur.

Leia Mais

Mulher liga para a polícia para pedir pizza e atendente percebe pedido de socorro; leia a conversa

pizza

publicado na Marie Claire

Uma mulher ligou para a polícia para pedir uma pizza de pepperoni, mas o que ela queria mesmo era ser socorrida após sofrer violência doméstica. A atendente, do outro lado da linha, percebeu a emergência e enviou uma viatura à casa da vítima. A conversa foi publicada na internet e, também, no jornal “Metro”.
“911 (número da polícia dos EUA), onde é a emergência?”
“123 Main St.”
“Ok, o que está acontecendo?”
“Gostaria de pedir uma pizza.”
“Senhora, você ligou para o 911.”
“Sim, eu sei. Gostaria de pedir uma pizza de pepperoni, com cogumelo e pimenta”
‘Ummm… sinto muito, você sabe que ligou para o 911, né?’
“Sim, você sabe quanto tempo vai levar para chegar?”
“Ok, senhora, está tudo bem aí? Você tem uma emergência?
“Sim, eu tenho.”
“E você não pode falar porque há alguém no local com você?”
“Sim, isso mesmo. Sabe quanto tempo vai demorar?”
“Tenho um policial a pouco metros de sua localização. Há armas na casa?”
“Não.”
“Pode ficar no telefone comigo?”
“Não. Até mais, obrigada”
A atendente, após desligar o telefone, verificou que no endereço já havia sido registrado outros casos de violência doméstica.
Quando os policiais chegaram na casa, descobriram que a mulher havia sido agredida violentamente pelo namorado, que estava bêbado.
Depois do incidente, a atendente falou: “acho que ela foi muito esperta em usar este truque. Definitivamente foi uma das ligações mais memoráveis”.

Leia Mais