Rapaz encontra mãe que não via há 33 anos três dias após compartilhar foto no Facebook

Alex e a mãe, Angela, aos 18 anos Foto: Reprodução / Facebook
Alex e a mãe, Angela, aos 18 anos Foto: Reprodução / Facebook

Larissa Verdier, no Extra

Em três dias, Alexandro Silva conseguiu nas redes sociais o que ele havia tentado, sem sucesso, durante a vida inteira: encontrar a mãe. O rapaz de 34 anos publicou no Facebook uma foto de Angela Maria da Silva, aos 18 anos, pedindo para as pessoas divulgarem: “Estará ajudando um filho a encontrar a mãe que tanto fez e faz falta até hoje”. Três dias e 5.975 compartilhamentos depois, Alex, como é chamado, se deparou com uma mensagem da irmã caçula que ele sequer sabia que existia. Ao procurar pela mãe, Alexandro acabou encontrando uma família inteira na cidade de Ibiá, interior de Minas.

Os pais de Alex se separaram quando ele tinha menos de 2 anos de idade. A mãe conta que o marido, muito rígido, não a deixou levar o filho para o interior de Minas Gerais, onde ela passou a viver. O menino, nascido em Foz do Iguaçu, ficou com o pai na cidade de Marabá, no Pará, e foi criado pela madrasta. Angela se casou de novo e teve outra filha. Anos depois, quando tentou reencontrar Alex, ele já não vivia mais na cidade do norte do país.

Desde então, Angela sonha em abraçar Alex. Com frequência, ela cobrava da caçula, Elisângela Carvalho, de 30 anos, o resultado das buscas pelo irmão na internet: “Filha, ajuda a mamãe a achar ele”, dizia. Elisângela procurou por Alex no Facebook, em sites de encontros e até escreveu para programas de televisão. Dias antes, a mãe havia havia perguntado mais uma vez.

- Foi engraçado, porque eu passei o dia na casa dela. Aí ela perguntou: ‘Filha, você tem notícias do Alexandro? Não queria morrer sem ver meu filho’ – relembrou Elisângela, recepcionista de um hospital em Ibiá.

Angela Maria está com 53 anos e, segundo a filha, tem uma saúde bastante frágil. Por isso, a notícia de que Alex foi encontrado foi dada com “jeitinho”, para não emocioná-la demais. Mas não teve jeito, é claro:

- Ela desabou no choro – destacou Elisângela.

A filha caçula vive a cerca de 50 quilômetros de distância da mãe. Angela não tem telefone nem internet em casa. Naquela noite, ela não conseguiu dormir. Às 6h já estava na casa da vizinha, ansiosa para conferir a foto do filho no computador.

Elisângela está ansiosa para encontrar o irmão Foto: Reprodução / Facebook
Elisângela está ansiosa para encontrar o irmão Foto: Reprodução / Facebook

O caminho até a família

Até que a montagem da foto publicada por Alex, em São Paulo, chegasse ao Facebook de Elisângela, no interior de Minas, foram necessários 5.975 compartilhamentos. A recepcionista conta que uma amiga do trabalho viu o pedido e compartilhou. Ela achou a moça da foto parecida com a mãe de Elisângela, mas não disse nada com medo de criar falsas expectativas.

- Todo mundo na cidade conhece essa história. Todo mundo sabe que procuramos meu irmão há anos – explicou a recepcionista.

Depois disso, o pedido de Alex chegou também ao Facebook de um ex-prefeito da cidade, que não hesitou em divulgar a história, compartilhada em seguida no perfil que publica imagens históricas da cidade, e depois por outra amiga de Elisângela, do trabalho.

- Quando abri o meu Facebook, às seis da manhã de uma quinta-feira, dei de cara com a foto dele. Nem li o que estava escrito, mas reconheci a foto da minha mãe. Na hora, gritei para o meu marido: ‘Amor, achei o meu irmão!’. Aí eu desabei – contou Elisângela.

A recepcionista deixou um recado para o irmão na rede social, mas ele não respondeu.

- Acho que estava inseguro – justifica. – Acho que ficou meio acanhado também.

Pediu que uma amiga ligasse para o trabalho dele. A chefe de Alex confirmou a história e passou o telefone do rapaz. Os dois conversaram, e Elisângela precisou provar que era mesmo a pessoa que o rapaz procurava: disse o nome do pai dele, avô, data e local de nascimento… Sugeriu que ele ligasse para a mãe no dia seguinte.

- Ela me contou que assim que atendeu o telefone, na casa da vizinha, ele disse ‘Nossa, mãe, você não tem noção do quanto te procurei e de quanta falta você me fez’. Os dois choraram. Agora, ela está eufórica! Me liga a toda hora. A cidade inteira está impressionada. São 33 anos, uma vida toda procurando por ele! Não canso de olhar para a foto do meu irmão – revelou Elisângela.

O reencontro

Angela procurou muito pelo filho Foto: Reprodução / Facebook
Angela procurou muito pelo filho Foto: Reprodução / Facebook

Alex conseguiu o que queria, mas muita gente ainda não sabe disso e continua a espalhar a foto de Angela nas redes sociais. Até agora, já foram quase 30 mil compartilhamentos. Ele fez questão de agradecer, no Facebook, o “empurrãozinho”. “Foi graças aos compartilhamentos que minha irmã, que eu nem sabia que tinha, me encontrou”, escreveu.

Falta pouco mais de 24 horas para Alex finalmente encontrar a família em Minas. Se tudo caminhar conforme o previsto, ele chegará a Ibiá nesta sexta-feira, às 19h.

- Você não imagina como estou doida para encontrar ele, menina! – desabafou Elisângela. – Ele é tão parecido com a gente… e diz que a ficha dele ainda não caiu.

Assim como Alex, Elisângela também cresceu com o pai. A mãe se separou dele quando a recepcionista ainda era bem pequena. Angela ainda tem outro filho, de 36 anos, que foi criado por parentes. Elisângela o conheceu há alguns anos, por coincidência.

- O meu marido adora cavalos, e vive nesse meio. Ele sempre dizia que tinha um rapaz lá que era a minha cara. Um dia, me levou para conhecê-lo. Cheguei até ele, perguntei o nome, e disse a ele que éramos irmãos – contou.

A recepcionista sempre soube que tinha dois irmãos. E garante que não guarda mágoas da mãe por qualquer erro que ela possa ter cometido:

- Eu não a julgo. Nem o Alex.

Leia Mais

Série fotográfica caseira recria diariamente imagens famosas – no Facebook

série-fotográfica-caseira-facebook

Publicado no Blue Bus

Engraçado, barato e criativo, o ‘Face For A Day’ é 1 projeto que consiste em recriar cenas reais ou do cinema de forma barata, simples e engraçada. Tom Mochen idealizou e protagoniza a maioria das fotos, com ajuda de amigos. A série pode ser acompanhada pelo Facebook – onde já tem mais de 3 mil likes – e pra sugerir momentos, é só enviar 1 email pra lá :)

série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook série-fotográfica-caseira-facebook

Leia Mais

‘Tuenti é mais seguro do que Facebook’, diz criador

Executivo garante que rede espanhola que desembarca no Brasil incentiva compartilhamento de conteúdo apenas entre ‘amigos de verdade’

Zaryn Dentzel, fundador da rede social Tuenti (Divulgação/Tuenti)
Zaryn Dentzel, fundador da rede social Tuenti (Divulgação/Tuenti)

Publicado na Veja

“A privacidade e a intimidade ganharão relevância à medida que os usuários tenham consciência do seu valor”, diz Zaryn Dentzel, de 30 anos, fundador do Tuenti. A rede social que acaba de chegar ao Brasil foi lançada na Espanha em 2006 e possui 15 milhões de usuários em todo o mundo. O diferencial, segundo o empreendedor, está na segurança dos dados dos cadastrados. Há pelo menos duas razões para isso: o Tuenti não permite que os perfis de usuários sejam indexados por buscadores a privacidade máxima é padrão na configuração das contas. Ainda de acordo com o fundador, a startup incentiva o compartilhamento de conteúdo apenas com amigos próximos: “O usuário pode conversar com qualquer contato, mas só compartilha fotos e informações pessoais com os amigos de verdade”, diz. O modelo de negócio adotado pelo Tuenti para a publicidade também difere do mercado de redes sociais. O serviço apenas vende espaços para anúncios na versão web e na linha do tempo do usuário no formato de um banner. Portanto, não são exibidos posts patrocinados, como ocorre nos similares. Na entrevista a seguir, Dentzel conta como pretende enfrentar a supremacia do Facebook no Brasil.

Porque você decidiu trazer o Tuenti para o Brasil? Queremos apresentar uma alternativa a outras plataformas e acreditamos que há um espaço interessante no mercado para um serviço que aposta na privacidade como um diferencial. O Tuenti é uma rede social e um serviço multiplataforma de mensagens instantâneas que funciona na versão web e também em aplicativos. Trata-se, dessa forma, de uma ferramenta de comunicação social privada, segura e gratuita, disponível em doze idiomas para Android, iPhone, Blackberry, Windows Phone e Firefox OS. Os usuários podem desfrutar de uma plataforma social e de um chat graças ao serviço “cross-platform”, que inclui também recursos na nuvem.

Qual é a principal diferença entre o Tuenti e o Facebook? O Tuenti inclui as melhores funcionalidades de mensagem instantânea e rede social. O serviço é focado na privacidade e na simplicidade e supera, nesse sentido, limitações importantes de outras ferramentas. O Tuenti é muito mais privado e seguro do que o Facebook. Além de ser multiplataforma, todas as conversas e todas as informações não dependem de um único computador ou de um telefone – você pode começar uma conversa no smartphone e terminá-la em um PC. Essa é uma grande vantagem em relação à maioria dos serviços de mensagens instantâneas.

Por que você acha importante compartilhar alguns conteúdos apenas com amigos próximos? A privacidade e a intimidade ganharão relevância à medida que os usuários tenham consciência do seu valor. Oferecemos um produto mais completo, melhor e mais atrativo, que aposta precisamente na privacidade e na relação com os amigos próximos. Na realidade, ninguém tem milhares de amigos e os amigos dos amigos não precisam ter acesso ao que você compartilha. Nossa abordagem desde o início do Tuenti segue esse princípio: o usuário pode conversar com qualquer contato, mas só compartilha fotos e informações pessoais com os amigos de verdade.

Divulgação/Tuenti
Divulgação/Tuenti

Quais são suas expectativas em relação ao Tuenti no Brasil? O país é a segunda maior comunidade no Facebook. Como isso pode ajudar o Tuenti a se tornar uma rede social relevante por aqui? No setor de internet, o produto é chave. Estamos apresentando uma alternativa que poder ocupa um espaço interessante no mercado, principalmente se levarmos em conta que nosso diferencial é a privacidade. O boca a boca é uma grande ferramenta que funciona muito bem quando um serviço atende às necessidades do usuário. Isso agrega valor ao produto. Começamos com o pré-lançamento, há alguns meses, e nosso objetivo é explicar como vemos o futuro da comunicação social e como a nossa ferramenta pode ajudar nesse novo cenário.

Quem são seus principais investidores? O Tuenti foi lançado em 2006. Ao longo de nossa história, tivemos muitos investidores, mas desde 2010 a Telefónica se tornou nosso maior e principal investidor. Trata-se de um sócio estratégico de grande relevância. As duas companhias são de comunicação e isso nos ajudará a crescer.

Quantos brasileiros estão cadastrados no Tuenti? A rede possui mais de 15 milhões de usuários na versão web e 6 milhões na versão mobile em todo o mundo. Embora seja verdade que o Tuenti já possua milhares de cadastrados no Brasil, ainda é cedo para pensar em resultados. O público ainda não conhece a ferramenta e a chegada do serviço ao país vai despertar o interesse dos brasileiros.

Leia Mais

MPDF investiga promotor que reagiu com ofensas à rejeição da PEC 37

Lotado em Brazlândia, ele postou no Facebook ‘mensagem’ para o Brasil.
Procurado pelo G1, Dario Cruvinel informou que não quer comentar o caso.

promotor-xingamento

Publicado no G1

A Corregedoria-Geral do Ministério Público do Distrito Federal abriu inquérito administrativo disciplinar para apurar a conduta do promotor de Justiça Dario Cruvinel por postar mensagem ofensiva ao Congresso Nacional e aos delegados de polícia após a rejeição da PEC 37, que dava exclusividade às polícias nas investigações criminais. O projeto de emenda constitucional foi votado nesta terça-feira (26) e recebeu 430 votos contra, 9 a favor e duas abstenções.

Na postagem, inicialmente o promotor diz que quer mandar uma mensagem para o país e profere um xingamento. Depois, ele diz que o recado é para o Congresso Nacional e para os delegados de polícia.

O MP informou que não aprova nem compactua com a postura supostamente praticada pelo promotor na rede social. De acordo com o órgão, há indícios de falta de respeito aos “deveres de urbanidade” e de decoro pessoal. Procurado pelo G1, Cruvinel disse por meio da secretaria-geral da Promotoria de Brazlândia, onde está lotado, que se absteria de comentar o caso com a imprensa.

G1 procurou ainda representantes da Associação de Delegados de Polícia do DF e da Associação do Ministério Público do DF, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

O texto da chamada PEC 37 previa competência exclusiva da polícia nessas apurações, impedindo o Ministério Público de promover investigações criminais por conta própria. Com a decisão da Câmara dos Deputados, a proposta será arquivada.

Leia Mais

Facebook testa salas de bate-papo semelhantes às do UOL

Recurso permite que pessoas desconhecidas conversem em um mesmo lugar

facebook-sala-de-bate-papo

Publicado no Olhar Digital

Facebook deverá adicionar salas de bate-papo à rede social. A informação é do site TechCrunch, que diz ter fontes “relacionadas ao assunto”. Segundo o veículo, a empresa confirma que o recurso, batizado de “Host Chat”, já está em testes.

O funcionamento seria semelhante ao Chat do UOL, popular no Brasil no final dos anos 90.  Usuários poderiam entrar em ambientes específicos e bater papo com amigos e desconhecidos.

Um dos grandes diferenciais do Host Chat seria a possibilidade de qualquer pessoa entrar em uma conversa sem precisar de convite. Quando a sala de bate-papo é criada, o chat aparece no News Feed dos amigos e, então, todos podem participar.

No entanto, o dono da conversa pode limitar a privacidade, escolher quantos poderão entrar na conversa e ainda poderá expulsar as pessoas que desejar.

A novidade faz parte da estratégia da companhia para ganhar relevância entre serviços de mensagem como WhatsApp, Hangouts e iMessage. A ideia é promover o relacionamento dos usuários para que eles passem mais tempo dentro do site.

Leia Mais