Facebook pode melhorar capacidade cognitiva de idosos

Pesquisa americana mostrou melhora de 25% no resultado de testes cognitivos após oito semanas de uso da rede social

Facebook pode melhorar capacidade cognitiva de idosos, além de promover interações sociais (Thinkstock)
Facebook pode melhorar capacidade cognitiva de idosos, além de promover interações sociais (Thinkstock)

Publicado originalmente na Veja

Resultados preliminares de uma pesquisa realizada na Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, mostram que fazer parte do Facebook pode melhorar em 25% a capacidade cognitiva de pessoas acima de 65 anos. Apresentada no Encontro Anual Internalcional da Sociedade de Neuropsicologia, no Havaí, a pesquisa teve como base a hipótese de que tanto o aprendizado de coisas novas quanto as relações sociais podem ajudar a manter a função cognitiva dos idosos.

Estudo  — Participaram da pesquisa 42 pessoas, de 68 a 91 anos, que não utilizavam o Facebook. Elas foram divididas em três grupos de 14 integrantes cada. O primeiro grupo recebeu um treinamento para usar o Facebook.  Eles se tornaram amigos na rede social apenas das pessoas que participaram do mesmo treinamento e foram instruídos a fazer, no mínimo, uma publicação por dia.

O segundo grupo foi ensinado a usar um diário online (www.penzu.com), no qual as publicações são privadas e não há interação social. Eles também deveriam fazer pelo menos uma publicação por dia, com no máximo cinco frases, para simular o tipo de mensagem mais curta que é geralmente feita no Facebook. Para o último grupo, foi dito que eles estavam na lista de espera para o treinamento, de modo que não participaram de nenhuma atividade.

Antes de participar de qualquer um dos treinamentos, os voluntários responderam a questionários e testes neuropsicológicos que avaliaram variáveis sociais, como nível de solidão e apoio social, bem como habilidades cognitivas. Os testes foram repetidos ao fim do estudo, oito semanas depois. Enquanto o grupo que usou o Facebook apresentou uma melhora de 25% no resultados dos testes, nenhuma alteração foi encontrada nos outros dois grupos.

Complexidade — De acordo com Janelle Wohltmann, pesquisadora responsável pelo estudo, mais análises serão necessárias para determinar se o aspecto social do Facebook influenciou a melhora do desempenho cognitivo. Ela acredita que a complexidade do site, em comparação com o diário online, pode ter contribuído. “No Facebook, informações novas são publicadas o tempo todo. Você vê essa informação nova chegar, e precisa focar nela para se livrar da informação anterior, ou mantê-la em mente se quiser voltar e checar alguma coisa depois. Então você tem que atualizar constantemente o que está sob sua atenção”, diz.

A autora afirma que a rede social pode ser uma alternativa para os jogos online que costumam ser indicados para aumentar a capacidade cognitiva de idosos, além de ser uma oportunidade para eles ficarem mais próximos de seus familiares. Ela alerta, no entanto, que é importante ter uma pessoa que os ensine não só a usar a ferramenta, mas outras informações importantes, como as de segurança do perfil.

Leia Mais

Mulher de 104 anos é obrigada a mentir idade em conta no Facebook

Rede social impede que ela coloque sua data de nascimento real. Ela nasceu em 1908, mas site muda data para 1928

publicado no Tecnologia Games

A norte-americana Marguerite Joseph pode ser perdoada por mentir sua idade no Facebook. O motivo é que a mulher de 104, segundo sua neta, não consegue publicar sua idade real na rede social, já que o sistema do Facebook a impede.

Gail Marlow disse que toda a vez que ela tenta colocar a data de nascimento da avó, que nasceu em 1908, o Facebook muda automaticamente a data para 1928. Então, há dois anos, a moradora do estado de Michigan mente a idade na rede social.

Emissora entrevistou mulher de 104 anos que não consegue publicar sua idade real no Facebook (Foto: Reprodução)Emissora entrevistou mulher de 104 anos que não consegue publicar sua idade real no Facebook (Foto: Reprodução)

Marguerite está totalmente cega e tem dificuldades para escutar, mas a neta lê e responde todas as suas mensagens no Facebook.

Gail disse à emissora de TV WDIV-TV que o que mais ela gostaria de ver é “a idade real de sua avó no Facebook, que é impedida de mostrar por conta de uma falha de sistema”.

O Facebook ainda não se manifestou sobre o caso até o momento.

Leia Mais

Empresas ‘alugam’ pernas de adolescentes japonesas para anúncios publicitários

Japonesas alugam penas para fazer propaganda de empresas - Reprodução/Daily Mail
Japonesas alugam penas para fazer propaganda de empresas – Reprodução/Daily Mail

Publicado originalmente no Virgula

Tudo o que elas precisam fazer é usar saias durante oito horas por dia. Para que? Para ganhar uns trocados fazeendo propagandas de empresas que “alugam” suas pernocas como outdoors. Essa é a nova mania entre as adolescentes do Japão.A estratégia de marketing está se mostrando uma forma atrativa e inteligente de divulgar produtos. Segundo reportagem do “Daily Mail”, em novembro de 2012, cerca de 1,3 mil meninas inscreveram suas pernas para que estas servissem de espaço publicitário.O anúncio funciona da seguinte forma: a pequena propaganda é colada nas pernas, geralmente um pouco acima do joelho, e tudo que as mocinhas precisam fazer é continuar sua vida normalmente, passeando pela cidade com vestidos, saias ou shortinhos mais curtos, deixando a chamada à mostra. O trabalho dura cerca de 8 horas.Outra tarefa da função é publicar fotos suas com o anúncio em seus perfis nas redes sociais, como Facebook e Twitter.

Além das empresas japonesas, quem também aderiu à tática foi a banda Green Day, que contratou os serviços das meninas para divulgar seu último trabalho, ¡Uno! ¡Dos! ¡Tré!,  no país.

Conforme Eichi Atsumi, responsável pela empresa que recruta as meninas, as únicas exigências para o cargo são ter mais de 18 anos e, pelo menos, 20 pessoas como seguidoras nas redes sociais da candidata.

Leia Mais

O amor é de Deus

Ariovaldo Ramos

imagem: Internet
imagem: Internet

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.” 1Jo 4.7

a ordem é amar ao outro

o amar ao próximo é o que confere a identidade da gente, o que deixa claro que a gente nasceu de Deus.

o amar ao próximo é que revela que, de fato, temos comunhão com Deus.

esse amar inclui todo o amor, inclusive, o amor que provoca a mais íntima das relações.

o amar encerra em si tanta relevância e revelação, porque o amor procede de Deus.

o amor é a síntese de todas as qualidades que Deus nos emprestou, para que a maldade, proveniente da queda, não fosse o único tom de nossa existência.

o amor vem do Deus Triúno, insiste o apóstolo.

e essa é a definição, a extensão e a limitação do amor:

amor é algo que vem de Deus.

se o que a gente está sentindo, e chamando de amor, não faz o Eterno sorrir para o que está acontecendo em nós, não é amor.

se Deus não sorri para o que está, por causa desse sentimento, sendo provocado por nós, então, não é amor.

o amor é de Deus, e só é amor o sentimento que faz o Senhor sorrir para o que estamos vivendo em relação ao outro, por causa desse sentimento.

fonte: Facebook

Leia Mais