Não, Mujica não estava de sandálias esperando ser atendido em um hospital público

Jose Mujica

 

Publicado no Brasil Post

Está circulando nas redes sociais desde ontem uma foto do presidente do Uruguai, Jose “Pepe” Mujica, usando sandálias e sentado em um banco com um olhar abatido.

A legenda diz que a foto foi tirada enquanto Mujica esperava atendimento em um hospital público do Uruguai. Somente na página da rádio mexicana Más 94, a foto teve quase 60 mil curtidas e mais de 100 mil compartilhamentos. Só que a história não é bem essa.

Na verdade, a foto de Mujica de sandálias foi tirada em dezembro do ano passado durante a posse de Mario Bergara como ministro de Economia.

Na época, o Uruguai vivia uma tremenda onda de calor, o que levou Mujica a se vestir de forma mais casual e adotar as “sandálias da humildade”. Os ministros ficaram surpresos com a informalidade na ocasião, mas não tanto quanto os internautas que compartilharam a imagem pensando que um presidente realmente espera horas para ser atendido na rede pública como qualquer mortal. Infelizmente, não foi dessa vez.

Leia Mais

Redes de fast food nos EUA aceitam desafio de fazer lanches iguais aos das fotos

McDonald’s, Burger King, Jack in the Box e Wendy’s participaram das provocações feitas pelo canal do Youtube Mediocrefilms

LANCHES FICAM PARECIDOS COM AS IMAGENS PRODUZIDAS EM ESTÚDIO (FOTO: REPRODUÇÃO / YOUTUBE)
LANCHES FICAM PARECIDOS COM AS IMAGENS PRODUZIDAS EM ESTÚDIO (FOTO: REPRODUÇÃO / YOUTUBE)

Publicado na Época Negócios

Não é nenhuma novidade que as refeições de fast food não são nada parecidas com as mostradas em suas propagandas. Mas um canal de vídeos do Youtube, o MediocreFilms, resolveu pedir aos gerentes de grandes lanchonetes que tentassem fazer lanches parecidos com os dos anúncios divulgados e o resultado foi, digamos, positivo. O canal registrou tudo em um vídeo (em inglês).

O MediocreFilms visitou quatro locais: o McDonald’s, o Burger King, a Jack in the Box e a Wendy’s. Primeiro, o comediante e ator Gregory Charles Benson, que apresenta o vídeo, pede a comida como um consumidor tradicional. Depois, ele a compara com o anúncio divulgado na internet e volta ao balcão para perguntar se um novo lanche, igual ao da imagem que está na caixa do produto, pode ser feito. Todos os funcionários topam o desafio.

Depois de pedir um Big Mac parecido com o da propaganda na maior e mais famosa rede de fast food do mundo, o apresentador pergunta ao vendedor, que ri com a situação, se alguém já havia feito o mesmo pedido e ele responde que não.  “Eu nunca ouvi isso antes”, afirmou o funcionário do McDonald’s. O sanduíche feito na segunda tentativa é mais parecido com a imagem que ilustra a comida na caixa de papelão.

As provocações também foram aceitas e tiveram ótimos resultados na redes Burger King, Jack in the Box e Wendy’s. No Burger King, o vendedor afirmou só cumprir ordens e que as imagens publicitárias não se parecem em nada com o que eles fazem no dia a dia. Ao fazer a refeição semelhante ao do comercial para Benson, a funcionária da Jack in the Box afirma: “Apenas para você”. A vendedora da rede Wendy’s justificou o visual do primeiro lanche oferecido ao apresentador afirmando que a imagem nem sempre é o que importa para o cliente, já que os lanches servem para matar a fome. Veja:

Leia Mais

Marcha para Jesus leva 500 mil pessoas ao Centro do Rio de Janeiro

A Marcha para Jesus reuniu 500 mil pessoas, no Centro (foto: Extra / Fábio Guimarães)
A Marcha para Jesus reuniu 500 mil pessoas, no Centro (foto: Extra / Fábio Guimarães)

Priscila Belmonte, no Extra

Pela primeira vez na Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 500 mil pessoas no Centro do Rio, a médica Jacqueline Fonseca, de 30 anos, não se conteve de tanta felicidade ao participar do evento religioso. Acompanhada por parentes, ela contou que só agora teve a chance de ir, porque trabalhava nos fins de semana.

- Desta vez, eu não podia faltar. Essa festa é maravilhosa. É a chance que nós, evangélicos, temos de mostrar que somos felizes, mesmo sem beber e fumar, como qualquer outra pessoa.

A estimativa de público, o mesmo do ano passado, é da Polícia Militar. A marcha começou às 15h e teve o apoio de oito carros de som, que seguiram da Avenida Passos até a Cinelândia, animando os fiéis, com o tema “Eu sou de Jesus, eu sou campeão”.

Num palco montado na Cinelândia, cantores de música gospel se revezavam. Andre Valadão e Bruna Karla foram alguns dos artistas mais ovacionados pela plateia, que contava com gente de todas as idades. Animada e com as letras na ponta da língua, a multidão, composta por frequentadores e pastores de diversas igrejas evangélicas de diferentes regiões do Estado do Rio de Janeiro, estava vestida com as cores verde e amarela por causa da Copa do Mundo.

Protesto contra investimentos na Copa

Um pequeno grupo de fiéis aproveitou a oportunidade para criticar a realização da Copa do Mundo no Brasil. Com cartazes nas mãos, eles mostravam seu descontentamento. O publicitário Nilton Nalin, de 53 anos, que frequenta a Igreja Pentecostal Mundial do Reino de Deus, era um deles.

- O governo deveria priorizar saúde e educação, em vez de fazer tanto estardalhaço por causa de um evento esportivo. Não sou contra a realização do Mundial, só acho que essa não deve ser a maior preocupação do governo num momento como esse – disse.

Leia Mais

Universidade Federal Fluminense vai apurar denúncia de festa com ritual satânico, drogas e orgias

Evento foi realizado por universitários em unidade de Rio das Ostras, RJ.
Imagem mostra crânio humano usado em suposto ritual de magia negra.

Crânio humano foi usado em suposto ritual de magia negra em festa na UFF de Rio das Ostras (foto: Reprodução/Facebook)
Crânio humano foi usado em suposto ritual de magia negra em festa na UFF de Rio das Ostras
(foto: Reprodução/Facebook)

Júnior Costa, no G1

A reitoria da Universidade Federal Fluminense, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio, anunciou nesta sexta-feira (30), que vai abrir sindicância urgente para investigar denúncias sobre uso de drogas e álcool no pólo da unidade. Denúncias também relataram orgias e rituais satânicos no evento, divulgado nas redes sociais com o título de “Xereca Satânik – A Festa”, em que foram convidadas mais de duas mil pessoas.

Imagens registradas por alunos durante a festa que aconteceu na última quarta-feira (28), mostram mulheres mascaradas e nuas. Em uma delas, a genitária de uma mulher estaria sendo costurada.

Em outras fotos mulheres aparecem nuas num suposto ritual de magia negra, inclusive, com uso de um crânio humano. Um estudante da instituição, que pediu para não ser identificado, contou que as bebidas alcoólicas usadas na festa ficaram armazenadas dentro do novo anexo da UFF.

“A festa ocorreu ao lado do prédio novo chamado multiuso. O diretor do pólo permitiu o armazenamento de bebidas dentro da universidade. O uso de drogas é praticamente liberado. Precisamos de uma intervenção urgente”, disse.

O G1 procurou a direção do pólo, mas nenhum pronunciamento foi feito. O reitor da UFF, Roberto Salles, informou à reportagem do G1 que além da abertura de uma sindicância, proibiu os diretores do pólo de se pronunciarem sobre as festas que acontecem dentro da instituição. Concluiu, afirmando que todas as informações serão apuradas e os responsáveis punidos.

O G1 não conseguiu contato com a organização do evento. No convite, na rede social, o evento foi divulgado como uma “Festa de confraternização do Seminário Corpo e Resistência e – 2° Seminário de INVESTIGAÇÃO & CRIAÇÃO do Grupo de Pesquisas/CNPq Cultura e Cidade Contemporânea”.

Leia Mais

Adolescentes “sem nada para fazer” encontram bebê raptado de hospital

A pequena Victoria tinha 16 horas de vida quando foi levada dos braços da mãe. Um grupo de quatro adolescentes descobriu, graças ao Facebook, o paradeiro da mulher que a raptou

Publicado na Época

Victoria, de volta aos braços dos pais. Pelo Facebook, a mãe agradeceu às "quatro pessoas maravilhosas" que descobriram o paradeiro de sua filha (Foto: Reprodução/Facebook)
Victoria, de volta aos braços dos pais. Pelo Facebook, a mãe agradeceu às “quatro pessoas maravilhosas” que descobriram o paradeiro de sua filha (Foto: Reprodução/Facebook)

No Canadá, o rapto de um bebê foi solucionado graças ao tédio da adolescência e a uma foto compartilhada no Facebook. Tudo começou na segunda-feira (26). Naquele dia, uma mulher, vestida como enfermeira, entrou na maternidade de um hospital da cidade de Trois-Rivières, Québec. Pegou um bebê, saiu sem levantar suspeitas e embarcou em um carro vermelho com o adesivo “bebê à bordo”. O grande problema? A criança não era filha dela.

A pequena Victoria tinha apenas 16 horas de vida quando foi raptada, deixando seus pais apavorados. Segundo Mélissa McMahon, mãe da criança, a falsa enfermeira tomou Victoria de seus braços, dizendo que a menina precisava ser pesada. Nunca mais voltou. Sem conseguir encontrar a autora do crime, a polícia da cidade decidiu divulgar as imagens da câmera de segurança do hospital, mostrando fotos da mulher e do Toyota que ela dirigia. Um grupo de adolescentes viu as imagens divulgadas pelo Facebook.  Os quatro estavam entediados em casa. Decidiram sair para ajudar nas buscas. “Nós não tínhamos nada para fazer aquela noite”, disseram. “Saímos para procurar o carro vermelho”.

"Como detetives, nós somos as melhores" (Foto: Reprodução/ Facebook)
“Como detetives, nós somos as melhores” (Foto: Reprodução/ Facebook)

Os quatro saíram em busca de um carro que se encaixasse na descrição. Ao encontrar o veículo, chamaram a polícia. O palpite dos adolescentes foi certeiro – a dona do carro em questão era a enfermeira falsa. A mulher de 21 anos foi presa e Victoria retornou aos pais.

Entre o rapto e o reencontro, Victoria ficou desaparecido por três horas. Pelo Facebook, a mãe da menina agradeceu a presteza dos policiais, que foram rápidos em divulgar o alerta, e aos quatro adolescentes que encontraram sua filha: “Quatro pessoas maravilhosas, que nós tivemos a chance de conhecer, identificaram aquela mulher graças ao Facebook. São a única razão de Victoria estar nos meus braços nesse momento”.

Os quatro amigos  – Sharelle Bergeron, Marc-Andre Coté, Charlène Plante e Mélizanne Bergeron – ficaram efusivos. Sharelle Bergeron chegou a publicar uma foto no Facebook, abraçada às duas amigas, comemorando o sucesso de sua investigação: “Como detetives, nós somos as melhores”. “Salvar a vida da bela Victoria, WOW! Charlène Plante,Mélizanne Bergeron, Marc-André Côté, nós trabalhamos bem e podemos sentir orgulho”.

Leia Mais