Schumacher sai do estado de coma e deixa o hospital, afirma porta-voz

Schumacher sai do estado de coma e deixa o hospital, afirma porta-voz AFP PHOTO/ Vincenzo PINTO/AFP
Foto: AFP PHOTO/ Vincenzo PINTO / AFP

Ex-piloto estava internado após sofrer acidente enquanto esquiava

Publicado no Zero Hora

O ex-piloto alemão de Fórmula-1 Michael Schumacher, 45 anos, “não está mais em estado de coma” e deixou o hospital da cidade de Grenoble, no leste da França, onde estava internado desde 29 de dezembro, quando sofreu um grave acidente de esqui. O anúncio foi feito pelo porta-voz da família.

O local onde o heptacampeão mundial prosseguirá com “o longo processo de recuperação” não foi divulgado no comunicado assinado por Sabine Kehm, que também não revela detalhes sobre o estado de saúde de Schumacher.

O acidente sofrido pelo alemão — em dezembro do ano passado, na estação Méribel, na França —, causou um choque violento contra uma pedra, atingindo o lado direito da cabeça. Ele esquiava acompanhado do filho de 14 anos. Desde então, o ex-piloto se encontrava no hospital para tratamento — ele foi colocado em coma induzido e, a partir de 30 de janeiro, os médicos iniciaram uma fase de despertar, reduzindo progressivamente os sedativos administrados.

Em 17 de fevereiro, a justiça francesa arquivou a investigação sobre o acidente. Foi descartada qualquer responsabilidade de terceiros.

Acostumado à adrenalina das pistas, o ex-piloto sempre procurou esportes de velocidade como hobby, entre eles o esqui. Em 2009, quando caiu em uma prova de Superbike, sofreu lesões nos ombros e braços, que o impediram de retornar à Ferrari. Schumacher é o maior campeão da Fórmula-1, com sete campeonatos mundiais entre 1994 e 2004 e 91 vitórias em GPs.

Leia Mais

Artista fica nua em museu, em frente ao quadro ‘A Origem do Mundo’

Publicado na Folha de S.Paulo

Uma artista causou frisson em Paris no final de maio ao fazer uma performance onde recriava, ao vivo numa performance, o quadro “A Origem do Mundo”, do pintor realista Gustave Courbet (1819-1877).

As informações são da emissora France TV.

A obra mostra a vagina e o abdômen de uma mulher com as pernas abertas. O fato de ser tão explícito gera polêmica até os dias de hoje.

No último dia 29, a artista plástica Deborah de Robertis, de Luxemburgo, resolveu fazer uma performance no Musée D’Orsay, na capital francesa, em frente ao quadro. Imitando-o, ela se sentou em frente à imagem, levantou o vestido e exibiu seu órgão genital.

Reprodução
A artista Deborah de Robertis realiza performance em frente ao quadro 'A Origem do Mundo', em Paris
A artista Deborah de Robertis realiza performance em frente ao quadro ‘A Origem do Mundo’, em Paris

A trilha sonora para a performance foi “Ave Maria”, de Franz Schubert (1797-1828). Ela batizou sua recriação como “o espelho da origem”.

Alguns frequentadores do museu aplaudiram De Robertis, mas os seguranças foram rapidamente até ela para exigir que finalizasse a performance o quanto antes.

Como a artista se negou a atendê-los, um deles ficou em frente a ela, para evitar que fosse vista por mais gente, e o outro pediu às pessoas que deixassem aquela sala do museu.

Depois, a polícia foi chamada pela administração da instituição. De Robertis foi detida para interrogação, mas não será indiciada criminalmente.

Em entrevista à emissora France TV, a artista disse ter sido tratada “como uma princesa” pelos seguranças do museu.

“Um deles me perguntou se eu achei que a cena não poderia ser forte para as crianças. Mas é a intervenção da autoridade que a torna forte, não minha tomada de posição”, afirmou.

Sobre as razões para ter feito a performance, ela disse ser “difícil de resumir em poucas palavras”.

“Eu emprestei meu rosto à ‘Origem do Mundo’, mas acima de tudo minha voz. Na trilha sonora, eu dizia que ‘eu sou todas as mulheres’. É simbólico.”

Deborah de Robertis negou ter sido “exibicionista” com o ato. “Trata-se de uma obra de arte, cujo planejamento acontecia há ao menos oito anos. Não tem nada a ver com exibicionismo, não foi um ato impulsivo.”


Leia Mais

França dará incentivo para quem pedalar até o trabalho

n-BIKE-MULHER-large570Publicado no Brasil Post

A França deu início a um experimento de seis meses de concessão de incentivos para pessoas que forem de bicicleta ao trabalho, aderindo assim a iniciativas de outros governos europeus de estímulo ao uso das bikes com a finalidade de melhorar a saúde da população e reduzir a poluição do ar e o consumo de combustíveis.

Vários países, incluindo Holanda, Dinamarca, Alemanha, Bélgica e Grã-Bretanha, têm esquemas de uso da bicicleta para o trabalho, com diferentes tipos de incentivo, como redução de impostos, pagamentos por quilômetro e apoio financeiro na compra.

Na França, cerca de 20 empresas e instituições, com um total de 10.000 funcionários, se comprometeram a pagar aos empregados 25 centavos de euro (34 centavos de dólar) por quilômetro percorrido de bicicleta, informou o Ministério dos Transportes em um comunicado nesta segunda-feira.

O ministro dos Transportes francês, Frédéric Cuvillier, espera que o sistema de incentivos leve ao aumento de 50 por cento no uso desse meio de transporte para deslocamentos entre casa e trabalho. Atualmente as bicicletas representam 2,4 por cento de todas as viagens de trabalho-casa, ou cerca de 800 milhões de quilômetros, com uma distância média de 3,5 km por viagem.

Na Bélgica, onde um sistema de incentivos de isenção de impostos para bicicletas está em vigor há mais de cinco anos, cerca de 8 por cento de todos os deslocamentos são por esse meio. Na Holanda, país plano, cerca de 25 por cento dos trabalhadores usam bicicletas para ir ao serviço, segundo entidades de ciclismo.

Leia Mais

McDonald’s apresenta sanduíches da Copa

Campanha homenageia as seleções de Brasil, Argentina, Espanha, França, Itália, Alemanha e Estados Unidos

publicado no Administradores

O McDonald’s divulgou a campanha “Favoritos McDonald’s”, que  chega a sua quarta edição com sete sabores que vão incrementar o cardápio da rede até o dia 25 de junho. As novidades homenageiam sete seleções que disputarão o mundial: Brasil, Argentina, Espanha, França, Itália, Alemanha e Estados Unidos.

A cada dia, um sanduíche será vendido. A semana começa com o McBrasil, aos domingos. Na sequência, é oferecido o McEspanha (segunda-feira), McAlemanha (terça-feira), McFrança (quarta-feira), McItalia (quinta-feira), McArgentina (sexta-feira) e McEstados Unidos (sábado).

Todos os sanduíches trazem elementos típicos da gastronomia de cada país, como o polpettone no McItália, o molho chumichurri no McArgentina, o molho mostarda Alemã no McAlemanha, a maionese Oliva no McEspanha e o famoso vinagrete brasileiro no McBrasil.

“Essa ação é um propriedade extremamente querida e muito esperada pelos consumidores do McDonald’s, assim, não poderia faltar no ano da Copa no Brasil. Vamos trazer aos nossos consumidores combinações de sabores deliciosos em uma campanha empolgante que vai contribuir para o clima festivo gerado por um dos maiores eventos esportivos do mundo”, explica  Roberto Gnypek, vice-presidente de Marketing do McDonald’s.

 

Leia Mais

Sexo oral foi a causa do meu câncer, diz o ator Michael Douglas

O ator americano Michael Douglas em Mônaco, acompanhando a Fórmula 1 (foto: Luca Bruno - 25.mai.2013/Associated Press)
O ator americano Michael Douglas em Mônaco, acompanhando a Fórmula 1 (foto: Luca Bruno – 25.mai.2013/Associated Press)

Publicado originalmente na Folha de S.Paulo

O ator Michael Douglas, estrela de filmes como “Instinto Selvagem” (1992) e “Atração Fatal” (1987), afirmou em entrevista ao jornal britânico “Guardian” que seu câncer na garganta foi aparentemente causado por ele ter feito sexo oral em mulheres.

Atualmente divulgando o filme “Behind the Candelabra”, de Steven Soderbergh, no qual interpreta o pianista gay Lee Liberace (1919-1987), o ator, marido de Catherine Zeta-Jones, falou de maneira franca ao diário britânico sobre sua doença, diagnosticada em 2010.

Questionado sobre se arrepender de passar anos fumando e bebendo (causa comum deste tipo de câncer), Douglas, 68, rebateu.

“Não. Sem querer entrar muito nos detalhes, esse câncer em particular é causado pelo HPV [papilomavírus humano, doença sexualmente transmissível], que vem do sexo oral”, afirmou.

“Eu de fato me questionei se o estresse causado pela prisão do meu filho [condenado a 5 anos de prisão em 2010] não ajudou a causá-lo [o câncer]. Mas é, é uma doença sexualmente transmissível que causa câncer. E se você a possui, o sexo oral também é a melhor cura para isso.”

Depois do diagnóstico, Douglas passou por rádio e quimioterapia e perdeu 20 quilos graças a uma dieta líquida.

Ele disse ao “Guardian” que está totalmente curado e que, segundo seus médicos, em 95% das vezes esse tipo de câncer não retorna.

Malesh Kumar, consultor médico do jornal britânico, se disse cético quanto ao sexo oral ser a única causa do câncer de garganta do ator e negou que, uma vez sofrendo da doença, o melhor tratamento seja mais sexo oral.

“Medicamente, isso não faz sentido.”

Kumar confirmou, porém, que o HPV é responsável pelo aumento drástico na incidência do câncer de garganta.

Leia Mais