Arquivo da tag: g1

Cinco cardeais brasileiros têm chance de assumir papado, diz dom Darci Nicioli

Monsenhor Darci Nicioli diz que decisão do Papa Bento XVI está prevista no direito canônico (Foto: Divulgação/Santuário Nacional)

Monsenhor Darci Nicioli diz que decisão do Papa
Bento XVI está prevista no direito canônico
(Foto: Divulgação/Santuário Nacional)

 Bispo auxiliar de Aparecida diz que aceita decisão com “dor no coração”.

Carolina Teodora, no G1

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Aparecida e ex-reitor do Santuário Nacional, monsenhor Darci Nicioli, de 53 anos, afirmou nesta segunda-feira (11) que a decisão do Papa Bento XVI de renunciar ao cargo “dói no coração”.

Segundo ele, cinco cardeais brasileiros são candidatos a ocupar o posto –dom Raymundo Damasceno, atual arcebispo de Aparecida e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Cláudio Hummes, de 78 anos, arcebispo emérito de São Paulo, Odilo Scherer, de 63 anos,  atual cardeal arcebispo de São Paulo, dom João Braz de Aviz, de  66 anos, que mora em Roma e é prefeito das congregações dos religiosos em Roma, e dom Geraldo Majella Agnelo, atual arcebispo de Salvador (BA).

“Todos os cardeais com menos de 80 anos são candidatos e podem votar na escolha do novo Papa, mas sabemos que depende do espírito santo. Por isso, vamos rezar muito para que seja nomeado o melhor cardeal”, afirmou Nicioli ao G1. Ao todo, o Brasil tem nove integrantes no Colégio Cardinalício do Vaticano, mas quatro deles já ultrapassaram a idade limite. De acordo com o Vaticano, a Igreja católica poderá ter um novo Papa para as festas da Páscoa, no próximo dia 31 de março.

“A decisão do Papa Bento XVI está prevista no direito canônico. Nós aceitamos com dor no coração, mas entendemos e aceitamos o desejo do Santo Papa”, disse. Em comunicado, Bento XVI, que tem 85 anos, afirmou que vai deixar a liderança da Igreja Católica Apostólica Romana devido à idade avançada, por “não ter mais forças” para exercer o cargo.

Memória
No dia 11 de maio de 2007, o Papa Bento XVI chegou de helicóptero a Aparecida e circulou pelas ruas da cidade no ‘papamóvel’. Ele sorriu, acenou para os fiéis e até baixou o vidro do veículo e ficou hospedado no seminário Bom Jesus.

No dia seguinte, foi à Fazenda Nova Esperança em Guaratinguetá (SP), onde abraçou crianças e jovens e rompeu a segurança para chegar mais perto de quem foi lá para prestar uma homenagem.

O gesto surpreendeu quem achava que ele era um Papa muito sério. No dia 13 de maio, último da visita ao Brasil, ele fez uma missa campal em Aparecida para milhares de pessoas. Antes de deixar Aparecida, ele abriu a Conferência dos Bispos da América Latina e Caribe.

‘Vim para fazer diferença’, afirma passista que teve perna amputada

Passista da Nenê de Vila Matilde (Foto: Raul Zito/G1)

Passista da Nenê de Vila Matilde (Foto: Raul Zito/G1)

Ela é veterana no carnaval: ‘vi que no samba tenho mais oportunidade’. Haone disse que terminou namoro para desfilar pela Nenê da Vila Matilde.

Roney Domingos, no G1

A estudante Haone Thinar, de 20 anos, é uma veterana do carnaval de São Paulo. Ela não se deixa abater pela condição de amputada. No carnaval 2012, desfilou como passista da Nenê de Vila Matilde.  “Vi que no samba tenho mais oportunidade. Queria mostrar que, apesar de ser deficiente, não preciso deixar de ser passista, vim para fazer diferença no mundo”, disse a jovem.

Nos anos anteriores, ela desfilou pela Mancha e Vai-Vai. A estudante conta que mantém uma rotina na qual não se deixa prender por barreiras: já fez capoeira e freqüenta bailes funk. Ela teve a perna amputada aos nove anos por causa de um câncer, mas mesmo assim não desistiu dos sonhos e já cursou teatro.

Estudante do 3º ano de ensino médio, ela trabalha como atendente no DER. Se pudesse deixar um exemplo, falaria diretamente para as garotas que enfrentam problemas parecidos. “Menina é mais vaidosa, acha que quando perdeu um membro, perdeu a vida. As pessoas dão risada de mim, mas eu sou mais eu. Vou atrás dos meus objetivos”, disse.

Haone terminou um relacionamento de 5 meses na véspera do carnaval porque o namorado não queria que ela desfilasse. “Terminei por causa do carnaval, ele tem ciúmes. Ele pediu para escolher e eu falei que ficaria com o carnaval”, disse.

A mãe, Sandra Silva, de 42 anos, já não se surpreende: “sempre falei para ela nunca se deixar abater por ninguém”, disse.

Homem tenta roubar restaurante e fica preso na chaminé em SC

Caso ocorreu na madrugada desta quarta (6), em Balneário Piçarras. Jovem de 24 anos foi levado para o pronto socorro e depois para delegacia.

chamineJanara Nicoletti, no G1

A Polícia Militar atendeu uma ocorrência, no mínimo, inusitada no Norte de Santa Catarina. Um jovem de 24 anos que tentava furtar um restaurante em Balneário Piçarras, acabou entalado na chaminé do forno da cozinha. O caso aconteceu em um bar da Rua João de Deus Carvalho, bairro Santo Antônio, no início da manhã desta quarta-feira (6).

Por volta das 5h30, testemunhas informaram à Polícia que um homem estava entrando no estabelecimento pelo teto. “Ao chegarem no local, eles constataram que o rapaz estava preso na chaminé”, contou o soldado da PM, Jorge Germano da Cunha.

Os Bombeiros foram acionados para resgatar o jovem que se feriu ao tentar sair sozinho. Depois de retirado da chaminé, ele foi encaminhado pelos socorristas para uma unidade de Pronto Atendimento. Depois, foi conduzido para a delegacia onde prestou depoimento. “Ele já possuía antecedentes criminais por furto, ameaça, calúnia e violência doméstica”, comentou Cunha.

Beijar várias bocas no carnaval pode trazer doenças, diz médico da UFSCar

Beijo na boca pode transmitir várias doenças  (Foto: Fábio Rezende)

Beijo na boca pode transmitir várias doenças
(Foto: Fábio Rezende)

Pela boca, podem ser transmitidos desde resfriado e gripe, até hepatite B. Mesmo que a pessoa não esteja com o sintoma, pode contaminar a outra.

Suzana Amyuni, no G1

O beijo na boca pode transmitir desde uma simples gripe ou resfriado, até doenças mais graves como hepatite B e turbeculose. O alerta para o período do carnaval, época em que as pessoas beijam vários parceiros desconhecidos, é do clínico geral e professor do departamento de medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Bernardino Geraldo Alves Souto. “Se estiver com sangramento, o risco aumenta ainda mais”, afirmou.

Segundo Souto, as doenças podem ser transmitidas pela cavidade oral ou nasal. “As viroses respiratórias podem ser transmitidas pelo beijo na boca. Gripe, meningite, tuberculose, herpes é muito frequente e também a mononucleose, uma doença que começa com frebre, ínguas pelo corpo, e pode evoluir para hepatite ou inflamaçãoo no baço”, explicou o professor.

O ambiente escuro e úmido é propício para o desenvolvimento de várias bactérias. De acordo com o cirurgião dentista Silvio Segnini, só na boca há mil bactérias diferentes. “Sem contar as que são desconhecidas. E o mau hálito pode ser um indicativo dessas bactérias ou de alguma afecção na garganta”, falou Segnini. A má conservação dentária é outro fator que amplia a probabilidade de transmissão.

Entretanto, observar o aspecto da pessoa a ser beijada nem sempre é suficiente para evitar o risco. “Isso porque algumas doenças podem ser transmitidas mesmo se não estiverem na fase aguda. Claro que se for na fase aguda, a transmissibilidade é maior, mas, por exemplo, se o vírus da gripe estiver na pessoa um dia antes do beijo, ela não vai ter sintoma e pode transmiti-lo”, afirmou.

Assim também é com o herpes e com a mononucleose, conhecida popularmente como doença do beijo.”A pessoa que transmite essas doenças pode não estar com sintoma naquele momento. A mononucleose pode levar de uma semana a seis meses para ser curada, a resposta ao tratamento é variável”, disse Souto.

Aglomeração
Para o professor da UFSCar, o ideal é evitar locais fechados. “Se a aglomeração tiver que acontecer, é bom que seja em lugares ventilados, porque quanto mais fechado o local,  maior é o risco de transmissão de doenças”, orientou Souto.

Excesso
Outra atitude que pode ajudar a evitar a transmissão de doenças é fugir dos excessos. “Beijar qualquer um o tempo todo facilita a transmissão, há que se evitar o excesso”, recomendou. “Aliás, qualquer tipo dele, inclusive o de bebida, até porque, o fator agravante do carnaval é que com muita bebida ou droga a pessoa perde a capacidade de administrar o próprio comportamento e extrapola, então isso deve ser evitado”, completou o professor.

Doenças
Entre as doenças que podem ser transmitidas pelo beijo na boca, estão gripe, resfriado, faringite, amigdalite, hepatite B, mononucleose, herpes labial, turbeculose e meningite.

Igreja Metodista do Rio brinca com nome de bloco carnavalesco para atrair fiéis

igreja3

Bloco Suvaco de Cristo passa pela rua em que fica a igreja. Foliões desfilaram no último fim de semana.

Publicado originalmente no G1

A Igreja Metodista, localizada na Rua Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, brincou com o nome do bloco Suvaco de Cristo para atrair mais fiéis. No último fim de semana, 25 mil foliões desfilaram no bloco pelas ruas do bairro. A apresentadora Cynthia Howlett, madrinha e porta-bandeira do bloco há 12 anos, animou o público. Vinte e uma pessoas foram presas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) por urinarem nas ruas.

Foto: Gabriel Barreira/G1

dica do Thiago Ferreira de Morais