Atari enterrou milhões de cartuchos de ‘E.T’ no deserto

Lenda de que empresa de games teria enterrado milhões de cartuchos em 1983 se prova verdadeira

Murilo Roncolato, no LINK

Não era lenda. Por muito tempo a história de que a Atari havia enterrado em 1983 mais de 8 milhões de cartuchos do game correu no mundo, mas não havia evidências que pudessem comprová-la. Até esta semana.

Em dezembro de 2013, a empresa Fuel Entertainment conseguiu direitos exclusivos de escavação no aterro, localizado no deserto de New Mexico, nos EUA. O objetivo era gravar um documentário. Tempos depois, se uniu à Microsoft, o que resultou na gravação de uma série de documentários chamada Atari: Game Over, a ser transmitida exclusivamente pela Xbox Live, produzido por Jonathan e Simon Chinn, (O Equilibrista) com Zak Penn (Os Vingadores, X-Men 2) na direção.

O resultado, para alegria de todo gamer da velha guarda, foi positivo. Os tais cartuchos estavam realmente lá. A história completa foi contada pelo João Coscelli, no Modo Arcade, mas, em resumo, a Atari enterrou 8,5 milhões de cartuchos do jogo E.T. Mesmo para a época, tratava-se de um game muito ruim e mal feito (veja por você mesmo no vídeo). Tanto é fato, que apenas 1,5 milhão foi de fato vendido.

Para não ter de lidar com o estoque imenso restante, foi tudo para debaixo da terra – fato nunca confirmado pela Atari. É o fim de uma lenda.

 

FOTO: Reprodução/Microsoft
FOTO: MicrosoftFOTO: AP
FOTO: AP

Leia Mais

Calendário para nerds

Nerd-Dreams-calendar-550x777

Publicado originalmente no Oddity Central

Os nerds (ou geeks) são um grupo peculiar que ama tecnologia. Um grupo de três nerds confessos contratou um fotógrafo para criar um calendário especial que deve agradar outros  fãs de vídeo games. O calendário de 2013 chamado de “Sonhos Nerds” foi colocado à venda na Alemanha, mas está disponível aos geeks de todo o mundo pela internet, claro.

Aparelhos icônicos como o Atari, Commodore C64 ou NeXT Cube são vistos nas mãos de garotas atraentes, que não precisam tirar a roupa para chamar atenção. Cansados ​​de não ver seus interesses contemplados por fabricantes de calendário, eles pensaram cuidadosamente cada foto,  explica Henning Schneider, um dos criadores da ideia As modelos foram escolhidas em uma agência de Frankfurt e posaram com aparelhos antigos usando óculos e se vestindo  como personagens de vídeo game, como Lara Croft. Caso o comprador não entenda a imagem, cada uma delas oferece um código QR que leva a um site com mais explicações. Interessado?

Nerd-Dreams-calendar3-550x777
x
Nerd-Dreams-calendar5-550x777

Leia Mais

Chinês contrata ‘assassino virtual’ para derrotar filho viciado em games

Pai afirmou que objetivo era fazer com que rapaz procurasse emprego. Xiao Feng, de 23 anos, era derrotado toda vez que entrava para jogar.

Pai precisou contratar 'assassinos' para que filhofosse forçado a parar de jogar (Foto: Ng Han Guan/AP)
Pai precisou contratar ‘assassinos’ para que filho
fosse forçado a parar de jogar (Foto: Ng Han Guan/AP)

publicado no Planeta Bizarro

Morador da província de Shaanxi, na China, um pai estava cansado de pedir para que seu filho jogasse menos videogame e fosse atrás de um trabalho. Como não obteve sucesso na conversa, o homem decidiu contratar um “assassino virtual” para que derrotasse sem parar o filho.

Xiao Feng, de 23 anos, começou a perceber que era insistentemente vencido no jogo por pessoas muito mais fortes do que ele, e que não deixavam ele se divertir, de acordo com o jornal chinês “People’s Daily”. O jovem acabou descobrindo o plano do pai ao conversar com diversas pessoas na web, que contaram o objetivo de sua missão.

O pai, descrito como “bem intencionado” entre os amigos de Feng, afirmou que o objetivo inicial era que o rapaz perdesse o interesse no jogo, e achasse uma vocação. O filho já vinha apresentando problemas na escola por causa dos jogos, e não consegue se manter em nenhum emprego.

O jornal não especifica se Xiao finalmente arrumou um emprego ou se o pai do gamer parou de pagar os assassinos.

Leia Mais

Olimpíadas: fotos em múltipla exposição permitem ver os movimentos dos atletas

Foto obtida com múltipla exposição na esgrima feminina, na disputa entre a alemã Carolin Golubytskyi e a italiana Elisa Di Francisca (Foto: Fabrizio Bensch / Reuters)

Ricardo Setti, na Veja

Usando múltipla exposição, ou longa exposição, fotógrafos recriaram — com resultados surpreendentes e belos –lutas, jogos, apresentações e performances de atletas nas Olimpíadas de Londres, que terminam hoje.

As fotos permitem que se visualize cada lance, cada passo, cada golpe, cada movimento de uma só vez.

Confira:

A atleta britânica Zoe Smith compete no levantamento de peso para mulheres até 58 quilos (Foto: Laurence Griffiths / Getty Images)
A foto com múltipla exposição permite que se vejam as diversas fases do salto da ginasta britânica Katherine Driscoll (Foto: Brian Snyder / Reuters)
O ginasta russo Denis Ablyazin na barra horizontal (Foto: Mike Blakev / Reuters)
Performance de cheerleaders no intervalo da partida de basquete entre Brasil e Canadá (Foto: Mike Segar / Reuters)
A chinesa Wang Yihan contra sua compatriota Li Xuerui numa partida de badminton (Foto: Toru Hanai / Reuters)

(mais…)

Leia Mais