Após quatro anos, Gugu Liberato deixa a Record

Gugu confere mensagens no seu celular, no camarim da Rede Record, durante entrevista para o jornal "Folha de S.Paulo" (8/7/2009) foto: Eduardo Knapp/Folha Imagem
Gugu confere mensagens no seu celular, no camarim da Rede Record, durante entrevista para o jornal “Folha de S.Paulo” (8/7/2009) foto: Eduardo Knapp/Folha Imagem

Ricardo Feltrin, no UOL

Tirado do SBT a peso de ouro em junho de 2009 para ser o principal artista da Record, Gugu Liberato não suportou a pressão e o corte de verbas de seu programa, realizados nos últimos meses. Decidiu deixar a emissora do bispo Macedo mais de quatro anos antes do fim oficial de seu contrato.

A crise já havia sido antecipada seis meses atrás por esta coluna.

O “Programa do Gugu” do próximo domingo será o último do apresentador, na emissora. Segundo Ooops! apurou, Gugu não via mais condições de fazer o programa, uma vez que a emissora cortou praticamente toda sua verba de produção. Se continuasse, Gugu teria de fazer um programa exclusivamente de auditório. Procurada, sua assessoria não quis fazer comentários.

A emissora ainda não se pronunciou, mas deve informar que o rompimento entre as partes foi “amigável”. Há controvérsias sobre isso, porém.

Nos últimos meses, Gugu vinha sendo pressionado por bispos da Igreja Universal (ligados especialmente ao bispo-tesoureiro Romualdo Panceiro) a reduzir os gastos de sua atração e até aceitar uma redução no seu salário, estimado em R$ 3 milhões.

A pressão vinha sendo feita de forma objetiva e também reptícia: por exemplo, semanalmente eram ventilados rumores nos corredores da Barra Funda, dando conta do fim do programa ou que Gugu teria aceitado reduzir seu salário. O apresentador chegou ao limite da paciência e optou por aceitar “ser saído”.

Não está descartada uma disputa litigiosa no futuro, uma vez que seu contrato com a emissora estava muitíssimo bem “amarrado” –como se diz no jargão do business.

Gugu foi instado a deixar o SBT com uma série de promessas. Ele teria um programa dominical com uma superprodução, verbas incríveis para fazer externas e também poderia fazer um talk show na RecordNews. Esse talk show foi descartado menos de um ano após a chegada de Gugu à emissora, em junho de 2009.

Especula-se na Record que Gugu será substituído a partir do domingo, dia 16, por Rodrigo Faro. Ainda não está claro se faro simplesmente trocará o sábado pelo domingo ou se fará um novo programa.

Após o programa do próximo domingo, Gugu pretende tirar um período sabático para descansar e viajar com os filhos.

Antonio Augusto de Moraes Liberato, 54 aos, começou a carreira na TV aos 14 anos, como auxiliar de produção do “Domingo no Parque”, apresentado por Silvio Santos. Ele hoje também tem uma produtora e outros negócios. Nas últimas semanas, enquanto era bombardeado por bispos da Universal, foi sondado por pelo menos duas emissoras interessadas em seu passe.

Leia Mais

Estrelas da Record fazem doações em dinheiro à Universal

Ricardo Feltrin, no UOL

Não foi apenas só com o corpinho presente que artistas da Record compareceram a um culto comandado por Edir Macedo no Credicard Hall semanas atrás, como informou o colunista Flavio Ricco, do UOL.

Artistas como Gugu Liberato, Rodrigo Faro (foto) e Ana Hickmann também colaboraram com doações em dinheiro, segundo apurou a coluna Ooops! Faro teria feito uma doação de R$ 30 mil. Gugu, de R$ 10 mil.

Pode-se dizer que não é uma via de mão única, pois existe um vídeo em poder do Ministério Público (jamais exibido), gravado cerca de dois anos atrás dentro de uma Igreja Universal, que mostra um pastor pedindo doações aos fieis em tom de exigência: “Vamos, gente, tem o salário do Gugu para pagar e mais um monte de artistas”.

foto via Digitei

Leia Mais

Edir Macedo reúne Ana Hickmann, Gugu e Rodrigo Faro em culto da Igreja Universal e cobra entrada

Publicado originalmente no RD1

O Bispo Edir Macedo conseguiu reunir estrelas da Record em um culto da Igreja Universal, anunciado como palestra, no Credicard, na semana passada.

Após receberem o convite, por telefone ou e-mail, os artistas foram informados de que teriam que desembolsar o valor de R$ 2500 por pessoa. Por lá, foram registradas as presenças de Rodrigo Faro, Gugu Liberato, Ana Hickmann, entre outros, além de diretores da casa.

Segundo o colunista Flávio Ricco, do UOL, alguns artistas estão inconformados com o valor cobrado pelo que seria uma simples palestra. E muitos acabaram se arrependendo de ter participado do que acabou se transformando em um culto.

dica do Ronaldo

Leia Mais

Simony ameaça processar internauta que chamou sua filha de ‘demônio’: ‘Vai ter que pagar’

Simony e a filha Pyetra
Simony e a filha Pyetra Foto: Montagem

Publicado originalmente no Extra

Um seguidor do Twitter tirou Simony do sério neste domingo. Um rapaz chamado Danilo Santinho criticou seriamente o comportamento de Pyetra, filha da cantora, de 5 anos. Mãe e filha cantaram juntas no “Domingo legal” e acabaram virando assunto no microblog.


Achando graça do que viu na TV, Danilo chegou a chamar a menina até de “demônio”. Ele ainda tentou colocar a menina nos trend topics do Twitter, lançando uma campanha: “Todos nessa campanha #SuperNanyParaPyetra, a filha da Simony”. E também afirmou que seu pai, que é motorista no SBT, já sofreu nas mãos de Pyetra.


Depois, já ameaçado de um processo pela cantora, o internauta se arrependeu e tentou se desculpar. O rapaz voltou atrás e disse que a menina só incomodou o pai por ficar cantando no carro. Danilo insistiu em inúmeros pedidos de desculpas, afirmando ser pobre e trabalhador. Simony não perdoou: “Você passou dos limites. Vai ter que pagar. Já falei com meu advogado e vou até o fim”.

Danilo implora perdão
Danilo implora perdão

Pyetra é filha de Simony com o jogador de futebol Diego de Souza. No ano que vem, a menina planeja gravar o seu primeiro disco.

Leia Mais

A caixa preta das igrejas

Eliakim Araujo, no Direto da Redação

Silvio Santos bateu o martelo e disse que não vende mais as madrugadas do SBT para pregadores religiosos, mesmo que paguem milhões. Bispos e pastores estavam de olho naquele horário e ofereceram mundos e fundos para conquistá-lo.  As ofertas partiram de todos, desde o bispão Macedo, em sua louca fixação para derrubar a Globo, até Romildo Ribeiro Soares, mais conhecido por RR Soares,  cunhado de Macedo, que já tem sua TV mas é incansável na busca por mais espaços em outras redes.  Também entrou na disputa um tal Malafaia, aquele que garantiu que iria arrecadar alguns bilhões dos fiéis para ter sua própria TV e deu com os burros n’água.

Silvio, bom camelô, o homem que conseguiu dar a volta até na CEF, passando-lhe o mico preto do banco Pan-Americano antes que ele explodisse, deve ter pensado: “pera lá, se esses caras querem tanto esse espaço é porque algum faturamento eles vão ter lá na frente”.  Não sei se ele pensou exatamente assim ou simplesmente decidiu preservar sua TV da catequese massacrante dos nossos respeitados bispos, pastores e apóstolos, mas o fato é que decidiu encerrar as negociações.

Penso que é preciso algum tipo de fiscalização para que todos saibam o que está por trás dessa dominação evangélica nas TVs brasileiras. De onde vem essa dinheirama toda?  Vem de dízimos e do valor obtido com doações, mesmo que envolvam imóveis, veículos e doações, sobre os quais não incide imposto de renda. Ao pé da letra, significa dizer que todos os contribuintes brasileiros estão trabalhando em favor da construção desses impérios, não apenas os fiéis das igrejas.  Essa é uma caixa preta que precisa ser aberta e convenientemente explicada.

Sobretudo a Record, cujos diretores estavam na posse de Dilma desmanchando-se em salamaleques com a presidente, merece ser olhada com cuidado. Algo está errado ali.

Lemos nos jornais que a rede do bispo desembolsou 38 milhões de reais para tirar José Datena, da Band, onde dava religiosos 6 pontos de audiência ou menos.    Estreou na Record com 12 pontos. Uma maravilha, pensou a bisparada. Mas foi só a ilusão do primeiro dia, a chamada audiência de curiosidade. Como ele não apresentou nada de novo, uma semana depois ele estacionou nos sete a oito pontos. Muito pouco para tão pesado investimento.

É até aceitável que a empresa contrate e pague salários milionários a quem ela queira, quebrando a cara ou não, o que não aceitável é que a massa trabalhadora de TV seja punida com medidas radicais de economia para ter dinheiro no fim do mês para pagar as estrelas.

As colunas de TV informam que a emissora do bispo cortou 50% dos salários do pessoal de produção, aqueles que tocam a TV por trás das cameras.  Assim, um produtor que ganhava 5 mil reais passou para 2.500 e um auxiliar de produção caiu de 2.500 para 1.300 por mês. Isso da forma mais radical possível, do tipo pegar ou largar.

Ainda mais ridícula foi a informação de que o próprio presidente da Record, o decorativo Alexandre Raposo, empenhado em reduzir as despesas da emissora, encarregou-se pessoalmente em sair apagando as luzes e desligando aparelhos de ar condicionado. Todas essas medidas de economia foram tomadas após a contratação do Datena.

Ora, uma emissora que paga mensalmente 3 milhões ao Gugu, um milhão ao Datena, 1 milhão ao Justus – que voltou para a Record depois de fracassar no SBT -, não tem o direito de economizar em cima daqueles que realmente colocam a emissora para funcionar.  Alguma coisa está errada em sua administração. São jornalistas, repórteres, produtores, cinegrafistas, operadores de câmera, enfim alguns milhares de funcionários que fazem a máquina andar e que não mereciam essa perda repentina em seus salários, já normalmente aviltados.

Devo dizer que não tenho nada contra os profissionais que são contratados a peso de ouro,  meu protesto é contra a política de sacrifício de muitos em benefício de poucos.

Como a Record é administrada por religiosos, teoricamente todos homens de Deus, fica aqui um apelo para que façam um exame de consciência em suas orações diárias, antes de dormir: corrijam a iniquidade cometida com aqueles que não têm voz nem mídia a seu favor e querem apenas um salário que lhes permita viver com dignidade.

Leia Mais