Preservativos pequenos atrapalham luta contra Aids em Uganda

thumb-32800-camisinha-resized

publicado na INFO

Os legisladores de Uganda receberam uma enxurrada de reclamações de que os preservativos vendidos no país do leste da África são muito pequenos, e advertiram que este problema é um obstáculo na luta contra a Aids.

O deputado Tom Aza, membro do Comitê Parlamentar para HIV/AIDS, insistiu que apenas um tamanho não é adequado para todos, e em uma recente viagem pelas zonas mais afetadas pelo vírus revelou que alguns homens “têm órgãos sexuais maiores e, portanto, deveriam receber preservativos maiores”.

“Quando se trata da ação, quando eles têm atividade sexual, naturalmente, com a pressão, explode”, declarou à NTV Uganda.

“Alguns jovens se queixam de que as camisinhas que recebem são muito curtas, seus órgãos não cabem nelas”, disse Merard Bitekyerezo.

Outra integrante do comitê, Sarah Netalisile, afirmou que o problema do tamanho “expõe nossos homens e mulheres mais jovens, e todos os que utilizam preservativos, a contrair HIV”.

A NTV afirmou que os legisladores pedirão camisinhas melhores e maiores.

A Aids aumentou em Uganda depois de anos de retrocesso, provocando a morte de 80.000 pessoas a cada ano.

Cerca de 1,8 milhão de pessoas vivem atualmente em Uganda com o vírus do HIV, e um milhão de crianças ficaram órfãs depois que seus pais morreram devido à Aids.

Leia Mais

É possível treinar o cérebro para desejar comida saudável

d2e10cd28896f2b2a524ca07119d1f34

publicado no Vi na Internet

É possível fazer seu cérebro preferir brócolis à batata-frita. Esse é o resultado de um estudo publicado no dia 1o de setembro no suplemento online Nutrition&Diabetes, da revista científica Nature. De acordo com os cientistas, há comprovação empírica de que é possível deixar de gostar de guloseimas e preferir alimentos mais saudáveis, informa o Estadão.

Os pesquisadores analisaram os hábitos alimentares de 13 pessoas com obesidade ou sobrepeso. Metade não mudou a alimentação, já o restante cortou mil calorias diárias, adotou uma dieta balanceada (mais fibras e proteínas e menos gorduras) e contou com o acompanhamento de um grupo de apoio.

No início do estudo, todos os participantes foram submetidos a uma ressonância magnética enquanto viam imagens de comidas gordurosas e açucaradas. A área do cérebro ligada à recompensa e prazer foi ao delírio. O cenário foi diferente seis meses depois: quem se engajou na dieta havia perdido 6kg (os outros perderam 2kg) e havia prazer quando expostos à comida saudável.

Basicamente, a pesquisa dá verniz científico a uma suposição do senso comum. Não há predisposição para gostar de açúcar e gordura. Se você consegue fazer a dieta por um tempo, se acostumará a comer melhor. Isso também se aplica às crianças: ao recompensar uma boa ação com comida calórica, você cria uma vínculo ruim para a saúde dela. Qual sua comida preferida?

Leia Mais

Eike Batista: ex-bilionário quebra o silêncio e fala sobre o bloqueio de suas contas

noticia_92729

publicado no Administradores

US$ 1 bilhão negativo. Esse é o valor que Eike Batista diz ser seu patrimônio, de acordo com suas contas, caso vendesse todas as ações de suas empresas. De sétimo homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 30 bilhões, Eike Batista diz hoje pertencer à classe econômica mais numerosa do país: a classe média.

Em entrevista à Folha, Eike diz ter sido um baque gigantesco voltar a fazer parte do grupo econômico que representa 54% dos brasileiros. “Nasci como um jovem de classe média e você voltar para isso…é um negócio para mim, sabe, é óbvio que é um baque gigantesco na família”, disse.

Suas contas foram bloqueadas pela Justiça para quitar danos causados pela suposta manipulação do mercado financeiro e negociação de ações com base em informação privilegiada. A investigação do MPF diz que, desde 2012, o empresário sabia das avaliações que apontavam a inviabilidade comercial dos reservatórios de petróleo. “As ações não eram minhas. Eram de credores e eram para pagar dívida com eles”, diz ele.

“O mercado é Darwinista”, afirma Eike Batista. Sobre a transferência recente de bens para membros de sua família, Eike afirmou que apenas começou a dividir os seus ativos com os filhos, baseando-se em um planejamento familiar, classificando tal coincidência [o bloqueio de suas contas logo após a transferência de bens para os filhos] como um “acidente”.

Mesmo com tropeços e prejuízos com a OGX e outras empresas do seu grupo, o empresário mineiro afirmou que ainda acredita no potencial do Brasil e vai continuar a dedicar o seu tempo na conclusão dos seus atuais projetos. “Na OGX, o que é petróleo? Você fura um poço e pode encontrar um campo de 10 bilhões de barris, ou não. A industria é assim”, disse Eike, que completou: “A companhia sobreviveu, está de pé, e virou uma “corporation”.

Quando perguntado sobre as busca de sócios para dar continuidade aos negócios e evitar a falência, ele revelou que firmou parcerias com o grupo norte-americano EIG, o Mubadala, de Abu Dhabi, e com o grupo alemão E.ON, responsável pela Eneva, join-venture com a EBX.

Ele relatou também que foi recentemente até a Coreia e ao Oriente Médio para continuar a busca por parcerias. No entanto, sobre possível sociedade com a brasileira Petrobrás, Eike disse que não esperou em momento algum que a estatal fosse entrar como sócia, porque, segundo ele, “a Petrobrás tem investimentos tão maciços que não vai entrar em nenhum projeto”.

Sobre o bloqueio de suas contas pelo MPF, Eike foi direto: “Não cabe a mim opinar sobre a justiça. Quem tem que opinar é o dr. Sérgio [advogado]“, disse ele.

O agora ex-bilionário relatou ainda que não ofereceu apoio e nem conversou recentemente com nenhum candidato à Presidência da República, e foi ríspido ao ser questionado sobre qual presidenciável sente mais simpatia. “Sou um brasileiro que constrói coisas pro Brasil. Eles que me agradeçam pela infraestrutura fantástica que eu dei ao país”, disse Eike.

Eike finalizou revelando o porquê de ter ficado em silêncio por todo esse tempo. “Por isso [pela má fase e pelas notícias que andam circulando na imprensa] que a gente está falando, está na hora de falar. Fiquei um ano parado para reestruturar tudo isso [a situação], e estamos falando agora”, disse ele.

Leia Mais

Coca-Cola apresenta “The Happiest Thank You”

coca

publicado no Brainstorm9

A história do nome na latinha de Coca-Cola já rodou o mundo, inclusive rendendo piada do Porta dos Fundos aqui no Brasil. E apesar de já ter tanto tempo e até parecer batida em alguns momentos, é incrível como essa ação promocional ainda consegue chamar a atenção das pessoas de um jeito especial que só a Coca-Cola é capaz.

Com criação da McCann, The Happiest Thank You já ultrapassou 1 milhão de views em menos de uma semana. A campanha filmada nas Filipinas mostra quatro histórias diferentes: a do motorista de van, a da moça que trabalha em um estacionamento, a do jovem empacotador de supermercado e a do porteiro simpático. Todos os dias, eles tratam as pessoas que usam seus serviços com simpatia e atenção, e recebem seus agradecimentos. O problema é que nenhuma destas pessoas sabe seus nomes e acabam se referindo a eles como “irmão”, “irmã”, “garoto”, “chefe”.

Até a Coca-Cola pintar na área com suas garrafinhas promocionais e o agradecimento vir acompanhado pelo nome de cada um, que eles nem imaginavam que o outro sabia. A frase final diz que “o agradecimento que nos faz mais feliz é aquele com o nosso nome”. E não é que ficou legal?

Leia Mais

Cão salta de paraquedas a mais de 3.950 metros de altitude nos EUA

gfcaf_sdd140912_07

publicado no G1

O cão chamado Riley saltou de paraquedas a mais de 3.950 metros de altitude nos EUA. O animal saltou com seu dono, o fotógrafo Nathan Batiste, de 38 anos, que mora em San Francisco, na Califórnia.

O cachorro da raça Dachshund saltou conectado a Batiste, mas equipado com seu próprio paraquedas. O fotógrafo destacou que Riley não ficou com medo e parecia ter gostado da experiência.
“Foi de longe o salto mais agradável que já fiz, e Riley parece ter amado também. Definitivamente, pretendo levá-lo novamente”, disse Batiste.
Segundo ele, Riley é um cão muito calmo e confiante quando está com ele. “Foi uma experiência mágica que nunca vou esquecer.”

Leia Mais