Arquivo da tag: homens

Ator que fez Laranjinha, Darlan Cunha ‘prega’ na igreja após ser acusado de agredir namorada menor de idade

Darlan Cunha 'prega' em culto em igreja Batista da Barra (foto: Instagram)

Darlan Cunha ‘prega’ em culto em igreja Batista da Barra (foto: Instagram)

Publicado originalmente no Extra

Depois de ser acusado pela namorada, uma menor de 16 anos, de agressão, o ator Darlan Cunha, o Laranjinha, da série de TV e do filme “Cidade dos homens”, voltou a procurar ajuda religiosa. Fiel há três meses da igreja Batista da Barra da Tijuca, a mesma do jogador Léo Moura, o ator foi assistir a um culto acompanhado de amigos, neste final de semana. Darlan também foi convidado a pregar, dando o seu testemunho de vida.

Em seu perfil no Instagram, o jovem postou duas fotos da ida à igreja. “Na volta da vida vitoriosa” e “Eu no culto depois de um final de semana tremendo”, dizem as legendas das imagens.

Em 13 de junho, Darlan Cunha foi acusado pela namorada de agressão e cárcere privado, através de uma denúncia feita pela mãe da jovem, a manicure Ruth, na delegacia da Gávea.

Menos de um mês depois, a própria namorada enviou uma carta ao Ministério Público desistindo da acusação. No documento, ela dá uma nova versão ao fatos, afirmando que machucou o olho acidentalmente após uma discussão com o namorado.

Agora, resta aguardar o posicionamento do juizado, que pode retificar a denúncia e livrar Darlan das acusações.

Darlan Cunha participa de culto em igreja Batista da Barra (foto: Instagram)

Darlan Cunha participa de culto em igreja Batista da Barra (foto: Instagram)

‘Tivemos travesti que hoje é casado e tem filhos’, diz diretor de ONG

Clínica cristã em Minas diz que já atendeu quatro mil homens

clínica-cura-gay

O diretor e ex-usuário de drogas Hernan Benfica, prefere evitar pacientes homosexuais O Globo / Hans von Manteuffel

Publicado no O Globo

Com a promessa de “tratar a homossexualidade” e o vício em álcool e drogas, ao longo dos dez anos de sua fundação, completados em junho, a ONG cristã Ele Clama, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, informa ter atendido mais de 4.000 homens, a maioria moradores de rua idosos e jovens viciados em crack e cocaína. Na última semana, O GLOBO visitou a comunidade e constatou as ofertas, que incluem a “cura” para gays.

Responsável pela coordenação geral da entidade, Gilberto Santos afirmou que até um travesti mudou de vida após uma temporada no local:

— Nós tratamos de tudo, do viciado em droga até aqueles quem têm desvio de comportamento e de caráter. Tivemos aqui um caso de um travesti que tinha até peito de silicone. Hoje essa pessoa está casada e tem filhos.

Atualmente, disse Santos, só um interno demonstra “trejeitos” de gay:

— A questão da homossexualidade a gente vai percebendo no dia a dia. Tem um aluno que notamos algo de estranho. Ele acabou abrindo o jogo. Disse que já teve relacionamento com outro homem, mas que sofria muito com isso. Percebemos que ele frequentava a academia só para ficar vendo os outros alunos. A gente chegou perto e deu uns toques para ele evitar o desejo carnal.

Sem contar com profissionais para acompanhamento médico e psicológico, a comunidade faz os tratamentos com base em fé, obediência e respeito aos fundamentos do cristianismo.

— O evangelho pode mudar a vida de qualquer pessoa — disse o coordenador da ONG, que já tem filial em Maués, no Amazonas, e Angra dos Reis, no Rio.

Só uma técnica de enfermagem voluntária auxilia nos trabalhos. De acordo com Santos, a entidade mantinha um convênio com a prefeitura de Contagem, que não foi prorrogado no fim de 2012. A fonte de renda vem supostamente de doações e do comércio dos produtos fabricados no local. A entidade conta com 31 internos.

Em Minas, são três unidades Ele Clama: um sítio para acolhimento na Serra da Moeda, em Nova Lima, e duas chácaras em Contagem, que contam com fábricas de vassouras, marcenaria, padaria e uma confecção onde os abrigados podem trabalhar. Fundador da entidade, o ex-jogador de basquete Carlos Eduardo Braga, o Kaká, que já foi campeão carioca juvenil pelo Tijuca Tênis Clube, foi procurado por telefone e por meio de sua assessoria de marketing, mas não retornou aos pedidos de entrevista. Por e-mail, uma assessora disse que ele está na comunidade de Maués, onde a “comunicação é precária”.

Em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana de Recife, a Instituição Social Manassés abriga 40 internos com dependência química. Segundo o Conselho Federal de Psicologia, lá “os homossexuais são evitados, mas, quando aceitos, recebem trabalho para alterar a orientação sexual”. O coordenador da Manassés, Herman Benfica, disse que respeita opções sexuais, mas que, em princípio, rejeita pacientes gays.

— A gente não pode mudar o sexo de ninguém. Se ele quer ser gay, tenho que respeitar a opção dele. Mas, aqui, ele vai ouvir a pregação da Bíblia. Se vai se sentir incomodado, o problema é dele — disse Benfica, aluno de Psicologia na Faculdade Guararapes. — Já passaram milhares de pacientes por aqui. Mas preferimos rejeitar os homossexuais. Temos 40 homens que estão tentando se curar do vício. Eles participam de atividades de manutenção da casa, de lazer e de três cultos por dia. Se colocarmos um homossexual, desestrutura tudo. Não permitimos essas práticas na clínica, que é evangélica. Agora, se algum paciente homossexual aceitar as normas da casa, poderemos recebê-lo. Se vai se libertar da homossexualidade vai depender dele.

Potencial candidato republicano a senador quer proibir sexo oral nos EUA

O procurador-geral do Estado da Virgínia, Ken Cuccinelli, propõe retomar lei que proíbe sexo oral e anal para proteger crianças

O procurador-geral do Estado da Virgínia, Ken Cuccinelli, propõe retomar lei que proíbe sexo oral e anal para proteger crianças

Publicado originalmente na Folha de S.Paulo

Ken Cuccinelli, procurador-geral do Estado da Virgínia, nos Estados Unidos, lançou uma proposta nesta sexta-feira para retomar uma lei que proíbe modalidades de relação sexual diferentes da vaginal.

Em campanha para concorrer ao Senado pelo Partido Republicano, Cuccinelli defende que a lei –chamada de Crimes Contra a Natureza– seja restabelecida para, ele diz, combater crimes ligados ao abuso sexual de crianças.

Cuccinelli chama a legislação de “lei anti-predadores de crianças”. Embora já existam na legislação da Virgínia crimes para punir o estupro e a molestação de vulneráveis, ele diz que só a retomada da antiga legislação pode proteger o público infantil.

Diversos Estados americanos mantiveram leis como essa, alguns até o ano de 2003, quando a Suprema Corte dos EUA julgou o caso “Lawrence versus Texas” e tornou inconstitucionais todas as legislações que criminalizavam formas sexuais.

A intenção de Cuccinelli é amplamente combatida por grupos defensores dos direitos civis porque a lei poderia ser usada para criminalizar relações sexuais entre adultos, e não apenas aquelas envolvendo crianças.

Além disso, ele teria combatido um projeto de lei em 2004 que propunha eliminar da legislação os crimes ligados ao sexo entre adultos e deixar apenas aqueles relacionados a prostituição, atentado ao pudor e pedofilia.

Os Centros de Controle de Doenças americanos estimam que 82% dos homens e 80% das mulheres com idades entre 15 e 44 anos admitem praticar sexo oral.

Outra pesquisa, do Kinsey Institute, revela que praticamente todos que mantém relações vaginais também praticam sexo oral.

dica do Fabio Martelozzo Mendes

Homens lutam cobertos de azeite em tradição centenária na Turquia

Cidade de Sarayici sediou 652ª edição do campeonato de ‘Kirkpinar’. Modalidade anual conta com atletas sem camisa cobertos com o óleo.

publicado no G1

Competidores cobertos de azeite de oliva participam da 652ª edição do histórico campeonato de luta “Kirkpinar” em Sarayici, na Turquia.

Na modalidade, os desafiantes passam azeite da cabeça as pés, ficam sem camisa e utilizam calças de couro especiais durante os combates. As lutas, que envolvem dois homens por vez, são realizadas da mesma forma há mais de 650 anos.

A cada ano, mais de três toneladas de azeite são aplicadas nos competidores do torneio centenário.

Jovens competidores se enfrentam durante torneio 'Kirkpinar' (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Jovens competidores se enfrentam durante torneio ‘Kirkpinar’ (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Tradição ocorre há mais de 650 anos na Turquia (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Tradição ocorre há mais de 650 anos na Turquia (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Competidor celebra após vencer uma das lutas do Kirkpinar (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Competidor celebra após vencer uma das lutas do Kirkpinar (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Coberto de azeite, lutador aguarda início do combate em Sarayici, na Turquia (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Coberto de azeite, lutador aguarda início do combate em Sarayici, na Turquia (Foto: Gurcan Ozturk/AFP)

Continue lendo

Cerveja faz bem ao coração

cvja1

Carol Castro, na Superinteressante

Lá na Grécia, cientistas recrutaram 17 homens não fumantes para uma difícil tarefa: beber 400 mL de cerveja em uma ou duas horas. Antes e depois de beberem, os voluntários passaram por testes para avaliar como estavam as células endoteliais (serve para checar se o sangue passa com facilidade pelas artérias), que recobrem o interior dos vasos sanguíneos, e a rigidez da valva aórtica (para ver se os vasos sanguíneos estão relaxados ou endurecendo).

E, olha só, as artérias ficaram mais flexíveis e o fluxo do sangue melhorou. Eles até tentaram repetir o teste com cerveja sem álcool e vodka. Mas não deu certo. Só funciona mesmo com cerveja. Os pesquisadores acreditam que a combinação entre álcool e os antioxidantes da bebida ajuda a proteger contra doenças cardíacas.

Vale sempre levar a parte chata: exagerar nas bebidas alcoólicas não faz bem nenhum. Só traz malefícios. Mas pode tomar dois copinhos por dia sem remorso: segundo a pesquisa, beber um pouco mais de meio litro de cerveja por dia diminui os riscos de infarto e derrames em até 30%.