Arquivo da tag: Igreja Universal

Record quer Wagner Moura como Edir Macedo em superprodução

Wagner Moura em cena de A Busca, filme de 2013; ele volta aos cinemas em maio com Praia do Futuro

Wagner Moura em cena de A Busca, filme de 2013; ele volta aos cinemas em maio com Praia do Futuro

Daniel Castro, no Notícias da TV

Após inaugurar o Templo de Salomão, em junho deste ano, a Record e a Igreja Universal do Reino de Deus vão juntar esforços para levar a vida do bispo Edir Macedo para os cinemas. A Record Entretenimento, braço de licenciamento da emissora, já trabalha no projeto de um filme contando a história de Macedo, ex-bancário que fundou a igreja e se tornou dono da rede de TV e de uma fortuna estimada em US$ 1,1 bilhão.

Previsto para chegar aos cinemas em 2016, o filme será baseado principalmente nas três recentes biografias de Edir Macedo: O Bispo e Nada a Perder 1 e 2, todas escritas por Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record.

O filme será uma megaprodução. Para interpretar Edir Macedo, a Record quer o ator Wagner Moura. Para dirigir o filme, já convidou José Padilha, mas o diretor de Tropa de Elite e do novo Robocop recusou, alegando falta de tempo devido a outros compromissos já assumidos.

A Record espera fazer pelo menos 5,1 milhões com o filme do bispo Macedo, o que colocaria o longa-metragem entre os dez mais vistos de toda a história do cinema nacional.

Bispos da Record deixam barba crescer para pagar promessa

Com barba espessa e longa, o bispo Edir Macedo visita obras do Templo de Salomão no último dia 29

Com barba espessa e longa, o bispo Edir Macedo visita obras do Templo de Salomão no último dia 29

Daniel Castro, no Notícias da TV

Barba está na moda na Record. Desde que o dono da emissora, o bispo Edir Macedo decidiu cultivar uma comprida barba, há cada vez mais barbudos na Record. A “moda” tem adeptos principalmente na alta cúpula da rede e segue uma motivação religiosa: trata-se de um “voto” a Deus pelo término das obras do Templo de Salomão, obra faraônica da Igreja Universal na zona leste de São Paulo.

Vice-presidente artístico e de programação da emissora, o bispo Marcelo Silva aderiu ao novo visual. Mesma iniciativa teve seu antecessor no cargo, o também bispo Honorilton Gonçalves, que atualmente faz pregações na Bahia. Também estão cultivando barba o vice-presidente de jornalismo, Douglas Tavolaro, e o vice-presidente executivo, Marcus Vinicius Vieira.

O “voto” é na Igreja Universal o equivalente à promessa na Igreja Católica. A construção do Templo de Salomão está saindo caro para a Record. Segundo fontes na emissora, por causa do investimento na obra, a Igreja Universal reduziu o aporte de dinheiro na Record, levando a cortes de gastos de produção, terceirização de serviços, redução de salários e demissão de mais de 1.000 funcionários.

Em construção desde 2010, o templo é uma réplica ampliada da lendária igreja construída pelo bíblico rei Salomão em Jerusalém, há mais de 2.500 anos, com o interior e o altar cobertos de ouro.

O templo de Edir Macedo está sendo erguido no bairro do Brás, na zona leste de São Paulo. Com 74 mil metros quadrados de área construída e 56 metros de altura, o equivalente a um prédio de 18 andares, comportará 10 mil pessoas sentadas. Será maior do que a Catedral da Sé, em São Paulo, e duas vezes mais alto do que a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

O projeto da igreja segue “orientações bíblicas” e incorpora elementos para “resgatar a atmosfera da época vivida por Salomão”, como madeira, pedra e cobre, que “serão usados em larga escala na área da nave”. Edir Macedo decidiu não revestir seu templo com ouro, mas importou pedras de Israel.

O templo já tem 86% das obras concluídas. A inauguração será neste ano _com fé em Deus e na barba dos bispos da Record.

O bispo Marcelo Silva, novo todo-poderoso da Record, fala no lançamento da programação de 2014, em março

O bispo Marcelo Silva, novo todo-poderoso da Record, fala no lançamento da programação de 2014, em março

dica do Fernando Passarelli

Igreja Universal é condenada a devolver mais de R$ 74 mil a fiel arrependida

Justiça considerou que valor concedido a pedido de pastor comprometeu o sustento da doadora

montagem: Internet

montagem: Internet

Publicado no Último Segundo

A Igreja Universal do Reino de Deus terá de devolver a uma fiel arrependida uma doação de mais de R$ 74 mil, em valores de 2004, a serem corrigidos, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) do dia 3 de dezembro, divulgada nesta terça-feira (17). O ministro Sidnei Benetti manteve decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) que considerou que houve queda no padrão de vida da doadora.

A fiel alegou que foi pressionada pelo pastor por meio de ligações e visitas a sua casa a doar o valor, obtido em seu trabalho como contadora, em duas parcelas, no ano de 2003. Depois disso, entrou em depressão, perdeu o emprego e passou por dificuldades financeiras. Ela entrou com processo em 2010 para anular a doação.

Para a igreja, a fiel tinha capacidade de reflexão e discernimento e, como o ato estava vinculado ao contexto religioso, ficaria impossibilitada a intervenção estatal no caso.

O TJ-DF apontou violaçãodo artigo 548 do Código Civil, que configura nula a doação de todos os bens sem reserva parte ou de renda para suficiente para a subsistência do doador. A decisão afirma que “dos autos se extrai um declínio completo da condição da autora, a partir das doações que realizou em favor da ré, com destaque para a última, que a conduziu à derrocada, haja vista que da condição de profissional produtiva, possuidora de renda e bens, passou ao estado de desempregada, endividada e destituída da propriedade de bem imóvel”.

A igreja alegou ao STJ que não se tratava de doação universal porque a fiel manteve um imóvel, um carro e parte da renda do trabalho. Porém, o ministro Sidnei Beneti, considerou que, haveria necessidade de reexaminar as provas do processo, o que não é permitido em caso de recurso especial e decidiu manter a determinação anterior.

dica do Ed Brito e do Eduardo Silva

Funcionários da Igreja Universal trabalham dobrado e sem água

Pastores durante transmissão da programação da Igreja Universal na Rede 21, na manhã desta terça (12)

Pastores durante transmissão da programação da Igreja Universal na Rede 21, na manhã desta terça (12)

Márcia Pereira, no Notícias da TV

Desde a última quinta-feira (7), os funcionários da IURD TV, produtora de TV da Igreja Universal do Reino de Deus, estão trabalhando mais do que o dobro de suas cargas horárias para implantar a programação religiosa na Rede 21, do Grupo Bandeirantes.

A Igreja Universal substitui desde o final de semana a Igreja Mundial, de Valdemiro Santiago, na Rede 21. As duas igrejas travam uma guerra pela disputa de fiéis, e a Universal, de Edir Macedo, vem ocupando todos os espaços eletrônicos da Mundial. Além da Rede 21, a Universal tomou o espaço da Mundial na Band (das 3h às 6h).

No dia 7 de novembro, os funcionários da IURD TV foram pegos de surpresa com a determinação de colocar a programação no ar em apenas 48 horas. A IURD TV começou a transmissão no sábado (9) na Rede 21, sem fazer alarde. Para isso, editores e produtores chegaram a trabalhar mais de 15 horas seguidas. Em geral, esses profissionais cumprem jornada de seis a oito horas por dia.

A Igreja Universal transmite, agora, 22 horas diárias na Rede 21. Ao todo, a IURD TV produz 83 horas de programação todos os dias, somando as 24 horas de programas na internet com os horários comprados em diferentes emissoras, como Record, Rede TV!, Rede 21, Band e Gazeta. No entanto, a sua equipe não aumentou e todo trabalho é feito em dois estúdios e três ilhas de edição.

As instalações também continuam as mesmas. Há a promessa de melhoria quando as atividades da produtora religiosa passarem para o Templo de Salomão, no Brás (região central de São Paulo).

O Templo de Salomão será a nova sede da Igreja Universal na capital paulista e está sendo construído há três anos. A estimativa é que o projeto seja concluído em junho do ano que vem.

Economia

Além disso, fontes ouvidas pelo Notícias da TV se queixaram de falta de água para beber nas instalações da produtora, mesmo com o calor que está fazendo em São Paulo nos últimos dias (acima de 30 graus). A empresa, por contenção de despesas, teria parado de comprar galões de água para os funcionários beberem. Quem tiver sede, precisa levar a própria água.

PAC – Programa de Aceleração do Credo

José Américo (segundo, da esq. para a dir.), em cerimônia na Câmara para celebrar o Dia do Pastor

José Américo (segundo, da esq. para a dir.), em cerimônia na Câmara para celebrar o Dia do Pastor

Anna Virginia Balloussier, no blog Religiosamente

O governo Fernando Haddad (PT) fez um aceno aos religiosos na sexta passada, 25, nada por acaso o Dia do Pastor. Começou ali seu “PAC – Programa de Aceleração do Credo”, como bradava um líder evangélico no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo (o de gravata com estampa de pombas e bigodinho à Clark Gable).

O pacote de benesses incluiria abrandar a Lei do Psiu para cultos barulhentos (menos igrejas multadas) e facilitar construção e regularização de templos (mais igrejas liberadas).

Nada saiu do papel ainda, mas o discurso do presidente da Casa, vereador José Américo (PT), foi animador para o segmento. Diante de plateia de pastores, fazendo as vezes de “pagador de promessas”, Américo quitou parte da fatura pelo apoio de evangélicos a Haddad nas eleições.

Foram três parcelas:

1) Fazer uma “diferenciação” na Lei do Psiu, usada para multar igrejas que ultrapassem o limite de ruído permitido (entre 50 e 70 decibéis, nas zonas residenciais, industriais ou mistas).

Em 2011, a revista “sãopaulo”, da Folha, mediu o barulho feito por uma igreja evangélica na rua das Palmeiras, no centro paulistano: 92 decibéis (na mesma pesquisa de campo, a parte de cima do Minhocão oscilou entre 85 e 95 decibéis).

José Américo pediu “mais tolerância” e afirmou que não dá para tratar “boate, roda de samba, pagode e vigília do mesmo jeito”. Muito barulho por tudo ou por nada? A conferir.

2) Liberar a construção de templos religiosos nas chamadas “vias locais” –geralmente ruas menores, mais residenciais, com velocidade máxima de 30 km/h.

A proposta mexe com questões como ruídos e interferências no trânsito da região.

Segundo Américo, essa ideia será abordada no Plano Diretor, que teve sua primeira audiência pública no sábado (27).

3) Regularização de templos. O vereador estimou, num “cálculo conservador”, que metade deles está irregular (ressaltando não ter dados a mão, chutou que a cidade tem cerca de 10 mil igrejas evangélicos e até 3.000 católicas).

Jogou na roda a seguinte alternativa: inserir as igrejas numa lei sancionada por Haddad em setembro, que prevê isenção do Habite-se e anistia para estabelecimentos irregulares de até 5.000 m² (que teriam dois anos para se ajustarem à lei).

O petista defende alvarás provisórios para lugares que não apresentem, por exemplo, riscos de segurança. Diz que a medida beneficiaria sobretudo o templo da periferia, “que está irregular porque foi construído a duras penas”.

E criticou: “O governo multa e depois vai fazer média com eles [religiosos]”.

Dostoiévski e a Igreja Universal

José Américo, católico, sublinha: tem um pastor no seu time de assessores. Ao presidir a cerimônia em homenagem aos líderes, elogiou programas de recuperação de dependentes em drogas tocados por entidades religiosas.

Para tanto, citou Dostoiévski (em seu último romance, “Os Irmãos Karamazov”), que por sua vez parafraseara o Evangelho de João: “Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto”.

No mesmo dia, o plenário da Câmara Municipal foi tomado por obreiros da Igreja Universal, que recebiam homenagem à parte. A igreja do bispo Edir Macedo é conhecida por evitar aproximações com outras linhas evangélicas –Macedo já pregou contra a arte de misturar vinhos).

O pátio da Câmara ficou lotado de auxiliares da igreja que não conseguiram lugar no plenário e tiveram de assistir ao ato solene pelo telão: um batalhão de saia no joelho e terninho azul-marinho (para elas) e camisa branca e calça do mesmo azul, mais a gravata pontilhada de corações vermelhos com a pomba branca no centro, símbolo da Universal  (para eles).

Seriam os “Jesus Blocs”, segundo uma mocinha de coque preso por um palito com –de novo ela– uma pomba na extremidade.

Obreiros da Igreja Universal lotam plenário da Câmara Municipal para receber homenagem

Obreiros da Igreja Universal lotam plenário da Câmara Municipal para receber homenagem