Estrelas da Record fazem doações em dinheiro à Universal

Ricardo Feltrin, no UOL

Não foi apenas só com o corpinho presente que artistas da Record compareceram a um culto comandado por Edir Macedo no Credicard Hall semanas atrás, como informou o colunista Flavio Ricco, do UOL.

Artistas como Gugu Liberato, Rodrigo Faro (foto) e Ana Hickmann também colaboraram com doações em dinheiro, segundo apurou a coluna Ooops! Faro teria feito uma doação de R$ 30 mil. Gugu, de R$ 10 mil.

Pode-se dizer que não é uma via de mão única, pois existe um vídeo em poder do Ministério Público (jamais exibido), gravado cerca de dois anos atrás dentro de uma Igreja Universal, que mostra um pastor pedindo doações aos fieis em tom de exigência: “Vamos, gente, tem o salário do Gugu para pagar e mais um monte de artistas”.

foto via Digitei

Leia Mais

Edir Macedo reúne Ana Hickmann, Gugu e Rodrigo Faro em culto da Igreja Universal e cobra entrada

Publicado originalmente no RD1

O Bispo Edir Macedo conseguiu reunir estrelas da Record em um culto da Igreja Universal, anunciado como palestra, no Credicard, na semana passada.

Após receberem o convite, por telefone ou e-mail, os artistas foram informados de que teriam que desembolsar o valor de R$ 2500 por pessoa. Por lá, foram registradas as presenças de Rodrigo Faro, Gugu Liberato, Ana Hickmann, entre outros, além de diretores da casa.

Segundo o colunista Flávio Ricco, do UOL, alguns artistas estão inconformados com o valor cobrado pelo que seria uma simples palestra. E muitos acabaram se arrependendo de ter participado do que acabou se transformando em um culto.

dica do Ronaldo

Leia Mais

Americano diz ter ficado refém em igreja por 4 meses por ser gay

Fernando Moreira, no Page not Found

Um homossexual (foto ACIMA) disse ter ficado refém em uma igreja evangélica da Carolina do Norte (EUA) por quatro meses depois que pastores souberam opção sexual do fiel.

De acordo com reportagem do “Charlotte Observer”, Michael Lowry, de 22 anos, alega ter sofrido abusos físicos e psicológicos no período do “cativeiro” na Word of Faith Fellowship Church. Ele diz ter ficado confinado em um dormitório de 1º de agosto a 19 de novembro do ano passado.

Michael afirma que os abusos eram parte de uma estratégia para expulsar “o demônio” do corpo que a igreja acredita que ser o responsável pela homossexualidade do rapaz.

O jovem, segundo ele alega, também era acompanhado toda vez em que queria ao banheiro. Os pastores temiam que, sozinho, ele se masturbasse.

Um antigo pastor da igreja classificou a acusação de Michael como “mentirosa”.

Reportagem do “Charlotte Observer” mostra que esta não é a primeira vez em que igreja, fundada em 1979, é alvo de acusações. Antigos membros dizem que eles eram obrigados a seguir uma rigorosa cartilha que determina onde morar, onde trabalhar, o que ler, como se vestir e até quando ter sexo com o marido ou a esposa.

dica do Alexandre Melo Franco Bahia

Leia Mais

Pastor faz bolo dentro da igreja, durante culto em MT

Publicado originalmente em O Divisor [via Top News]

O pastor Valter Stehlgens encontrou uma forma inusitada e criativa para explicar um versículo da Bíblia, durante o culto que ocorreu no domingo (21.10), na Igreja Batista do Buriti em Diamantino (180 km de Cuiabá). Ele resolveu fazer um bolo dentro da igreja, enquanto passava a mensagem, em forma de metáforas, que nenhum ingrediente tem mais valor do que o outro e cada um tem sua função.

Ao explicar o trecho bíblico de 1 Corintios 12:12 que diz: “Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também”; o pastor com o auxilio de sua esposa começou retirar ingredientes de trás do púlpito e preparar o bolo ao mesmo instante que pregava, comparando a receita com a igreja.

Cada ingrediente que era agregado vinha seguido de uma justificativa, enquanto os membros diziam o que era para ser adicionado na tigela, ele traçava um paralelo entre os itens e o ser humano.

“Tem gente que tem o coração igual ao ovo com casca, endurecido, que precisa ser quebrado. O fermento faz com que cresçamos; após juntar tudo que está na receita fica homogêneo, os ingredientes se unem e cada um executa a sua função”, explicou.

Depois do “culto gastronômico” chamou os fiéis para literalmente provar da pregação.

Valter Stehlgens fez uso de uma metodologia utilizada por Jesus Cristo que muitas vezes pregava de forma figurativa com preceitos morais, por meio de parábolas para ser compreendido por toda multidão.

dica do Rogério Moreira

Leia Mais

Socorro, meu parente virou crente!

Felipe Costa, no Mero Cristianismo

“Onde foi que eu errei?” É difícil saber… Só queria o bem do meu parente. Afinal de contas, quando um parente se tornar “crente”, esperamos que se torne alguém “bom”, que não roube, não mate, não faça do sexo um brinquedo, seja comprometido com Deus e com o próximo. Não esperava que este meu ente querido se tornasse essa coisa maluca, sem pé nem cabeça, místico e legalista.

Está todo diferente agora. Aprendeu a enxergar o Diabo em tudo. Aprendeu ainda a amarrar, repreender, desenlaçar o laço do Tinhoso e até mesmo a interrogá-lo quando exorciza. E não fala só com o Coisa-Ruim, não. Deu para falar com Deus em línguas estranhas. Tudo bem, acredito que o Criador entenda em qualquer dialeto, mas deu para falar só numa língua aí que só tem três sílabas que são repetidas sem fim. Outro dia me disse que tinha recebido mais meia dúzia de novas línguas. Virou crente poliglota!

Anda também subindo o morro, que insiste de chamar de “Monte”, para falar com Deus. Diz que lá em cima Jesus ouve melhor do que aqui embaixo, pois lá é “ungido”. Acho muito estranho Deus morar em nós, mas só ouvir bem lá no alto do morro. E para piorar a algazarra que fazem lá no morro, ele anda caindo no chão como que hipnotizado tremendo como se estivesse tendo uma convulsão. Espero que não se machuque muito…

Deu agora para ficar a semana toda só na igreja. Não conversa mais com gente que não é crente. Aprendeu que não deve ser contado com os transgressores, assentar-se com os ímpios e evitá-los sempre que não estiver tentando convertê-los. Quando tentei dizer que Jesus andava com esse tipo de gente, me respondeu que para Jesus que é Deus, é fácil e para nós não, porque a carne é fraca e blá, blá, blá… Diz que é tudo gente que vai para o inferno. Me lembro quando ele se enquadrava no quadro que agora pinta para os outros.

Decorou muitos versículos da Bíblia. Muitos dos que decorou usa nas conversas. A grande maioria das vezes usa de maneira á dar autoridade ao seu discurso. Conhece muitos mandamentos e sempre os cita quando fala de alguém que está cometendo algum tipo de pecado. Decorou muito de “isso pode, aquilo não pode”. Morre de medo de não entregar o dízimo na igreja. Gafanhoto que só comia plantação agora come dinheiro também. Mesmo quando está no banco. Acho que ainda não inventaram um inseticida para o devorador virtual.

As músicas que ouve agora são somente as que tocam em sua igreja. Parece que o discernimento sobre a música é o grupo de louvor quem tem. E só eles. Falei de uma música que não tocava na igreja, mas que deveria pelo seu conteúdo espiritual e ouvi um sonoro “Tá amarrado!”, seguido de um “Sangue de Jesus!”. Este último falou cada sílaba tônica por vez. Em seguida me deu uma aula sobre como essas músicas são enganosas, pois seus compositores as escrevem com copos de bebida nas mãos, ou vivem com várias mulheres. Finalizou dizendo que se tocadas ao contrário, eu ouviria gritos do inferno me chamando. Ainda bem que meu parente não ouve a música que eu canto no banheiro.

Recentemente começou a deixar os estudos de lado dizendo que isso não edificava e que deveria apenas aprender da Bíblia, pois ali continha tudo, até mesmo receita de bolo, etc. Parece-me que quando me respondeu, ouvi um discurso gravado e vindo de outra pessoa, mas não quis levar á diante a discussão. Achei que poderia ser perigoso para mim. Sim, perigoso mesmo. Meu parente anda fazendo uma tal de oração contrária, tencionando mover as mãos de Deus a seu favor. Vai que meu parente ora contra mim…

Tudo bem, reconheço a minha culpa. Eu orei pelo meu parente. De joelhos pedi ao Deus Filho interceder por meu parente diante do Pai. Fiz minha parte aqui também. Dei para meu parente um CD com músicas cristãs, levei-o para a comunidade que freqüento e coloquei dentro da minha casa, por um tempo, para que meu testemunho fosse além de minhas palavras. E deu nisso. Embora eu tenha minha parcela de culpa, não sei onde foi que errei…

Leia Mais