O que a igreja teria que aprender com o Carnaval?

carnavalHermes C. Fernandes, no Cristianismo Subversivo

Seria lícito tomar o desfile do Carnaval como analogia de nossa caminhada cristã? Certamente, a maioria dirá que não. Afinal de contas, o Carnaval é a festa pagã por excelência, onde, além de toda promiscuidade, entidades pagãs são homenageadas. Eu poderia gastar muitas linhas tecendo críticas justas a esta festa em que tantas famílias são desfeitas, e inúmeras vidas destruídas. Porém hoje, quero pegar a contramão.

Por que será que os cristãos sempre enfatizam os aspectos ruins de qualquer manifestação cultural? Se vivêssemos nos tempos primitivos da igreja cristã, como reagiríamos ao fato de Paulo tomar as Olimpíadas como analogia da trajetória cristã neste mundo? Ora, os jogos olímpicos celebravam os deuses do Olimpo. Portanto, era uma festa idólatra. Os atletas competiam nus. Sem contar as orgias que se seguiam às competições. Sinceramente, não saberia dizer qual seria pior, as Olimpíadas ou o Carnaval.

Porém Paulo soube enxergar alguma beleza por trás daquela manifestação cultural. A disposição dos atletas, além do seu preparo e empenho, foram destacados pelo apóstolo como virtudes a serem cultivadas pelos seguidores de Cristo.

E quanto ao Carnaval? Haveria nele alguma beleza, alguma virtude que pudesse ser destacada do meio de tanta licenciosidade? Acredito que sim. Embora jamais tenha participado, talvez por ter nascido em berço evangélico tradicional, posso enxergar alguma ordem no meio do caos carnavalesco.

Destaco, em primeiro lugar, a criatividade dos foliões, principalmente dos carnavalescos na composição das fantasias, dos carros alegóricos, e do samba-enredo. É notória sua busca pela perfeição. Diz-se que o desfile do ano seguinte começa a ser preparado quando termina o Carnaval. É, de fato, um trabalho árduo que demanda muito empenho. Se houvesse por parte de muitos cristãos uma parcela da dedicação encontrada nos barracões de Escolas de Samba, faríamos um trabalho muito mais elaborado para Deus. Buscaríamos a excelência, em vez de nos contentar com tanta mediocridade. Tomemos por exemplo as composições musicais. Basta ouvir algumas estrofes para perceber o trabalho de pesquisa que envolve a composição de um samba-enredo. Sem contar as rimas ricas, as melodias marcantes, e a ousadia criativa das baterias. Enquanto isso, composições que visam louvar a Deus estão cada vez mais pobres, tanto do ponto de vista melódico, quanto do ponto de vista lírico. Não aguento mais temas repetitivos, tais como chuva, fogo, anjos e etc.

O desfile começa com a concentração. É ali que é dado o grito de guerra da Escola, seguido pelo aquecimento dos tamborins. A concentração equivale à congregação. Nosso lugar de culto (comumente chamado de “templo” ou “igreja”) é onde nos concentramos e aquecemos nosso espírito. Porém, a obra acontece lá fora, “na avenida” do mundo.

Gosto quando Paulo fala que somos conduzidos por Cristo em Seu desfile triunfal. O apóstolo compara a marcha cristã pelo mundo às paradas triunfais promovidas pelo império romano. Era um espetáculo cruento, no qual os presos eram expostos publicamente, acorrentados e arrastados pelas ruas da cidade. Era assim que Roma exibia sua supremacia, e impunha seu poder. Paulo toma emprestada a figura deste majestoso e horroroso evento para afirmar que Cristo está nos exibindo ao Mundo como aqueles que foram conquistados por Seu amor.

Muitos cristãos acreditam ingenuamente que a guerra se dá na concentração. Por isso, a igreja atual é tão em-si-mesmada, isto é, voltada para dentro de si. Ela passou a ver-se como um fim em si mesmo.

A avenida nos espera!

Encabeçando o desfile vai a comissão de frente, seguida pelo carro abre-alas. Compete aos componentes dessa comissão a primeira impressão. A comissão de frente da igreja de Cristo é formada pelos que nos precederam, que abriram caminho para as novas gerações. Não podemos permitir que caiam no esquecimento. Também são os missionários, que deixam sua pátria para abrir caminho em outros rincões. Grande é sua responsabilidade, e alto é o preço que se dispõem a pagar para que o Evangelho de Cristo chegue à populações ainda não alcançadas. Paulo fazia parte da comissão de frente da igreja primitiva. Escrevendo aos Coríntios, ele diz que sua missão era“anunciar o evangelho nos lugares que estão além de vós, e não em campo de outrem” (2 Co.10:16). Em bom português, o apóstolo dos gentios preferia pescar em alto mar, e não no aquário dos outros.

A Escola de Samba é dividida em alas, cada uma com fantasias e carro alegórico próprios. Porém, o samba-enredo é o mesmo. O que é cantado lá na frente, é sincronicamente cantado na última ala da Escola. A voz do puxador do samba, bem como a batida harmoniosa da bateria, ecoando por toda a avenida, garantem esta sincronia. Não pode haver espaços vazios entre as alas. Há harmonia até nas cores das fantasias. Ninguém entra na avenida vestido como quiser. Imagine se as variadas denominações que compõem o Corpo Místico de Cristo se relacionassem da mesma maneira, respeitando cada uma o espaço da outra, porém dentro de uma evolução harmoniosa.No meio do desfile encontramos o casal formado pelo mestre-sala e pela porta-bandeira. Eles exibem orgulhosamente o pavilhão da Escola. Seus gestos e passos são cuidadosamente combinados, para que a bandeira receba as honras devidas. É triste verificar o quanto a bandeira do Evangelho tem sido chacoalhada, pois os que a deveriam ostentar, são os primeiros a desonrá-la com seu mal testemunho. Enquanto que os cristãos primitivos se dispunham a pagar com a própria vida para que seu testemunho de fé fosse validado e o nome de Cristo fosse honrado.

Ao término do desfile chega o momento da dispersão. É hora de partir, levando a certeza de que todos deram o melhor de si. Alguns saem machucados, com os pés sangrando, com as forças exauridas. Mas todos saem alegres, esperançosos de que sua escola seja a campeã. Aprenderam a sublimar a dor enquanto desfilam. Ignoram o cansaço. Vencem os limites do seu corpo. Tudo pela alegria de ver sua escola se sagrando campeã. Mas no fim, chega a hora de tirar a fantasia, descer dos carros alegóricos, cuidar das feridas nos pés. Mesmo assim, ninguém reclama. Todos exibem no rosto um sorriso de contentamento.

Semelhantemente, todos estamos a caminho do fim do desfile. O momento da dispersão está chegando, quando deixaremos este corpo, nossa fantasia, e seremos saudados pela Eternidade. Que diremos nesta hora? Não haverá novos desfiles. Terá chegado o fim de nossa trajetória? Não! Será apenas o começo de uma nova fase existencial. Deixaremos nossas fantasias, para nos revestirmos de novas vestes celestiais. Falaremos como Paulo em sua carta de despedida a Timóteo:

“…o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” (2 Tm.4:6b-8).

Aproveitemos os instantes em que estamos na avenida desta vida, celebremos a verdadeira alegria, infelizmente ainda desconhecida por muitos foliões, e que não terminará em cinzas.

Leia Mais

Valeria Valenssa, ex-globeleza, quer distância do carnaval e prega em culto evangélico: ‘Realizei e o ciclo fechou’

Valeria Donner no culto Foto: / Arquivo pessoal
Valeria Donner no culto Foto: / Arquivo pessoal

Publicado originalmente no Extra

Às vésperas do carnaval não tem como esquecer a eterna Globeleza Valeria Valenssa. Mas a realidade é outra. Atualmente, a mulher de Hans Donner assina o sobrenome do marido, virou evangélica e este ano vai curtir o feriado em Búzios. A mudança de comportamento é visível quando ela é questionada se não sente saudades da folia.

“É uma festa linda, mas hoje tenho esta alegria durante todo o ano no meu coração. Era um preparo muito puxado e durante os 15 anos de Globeleza, realizei e o ciclo fechou. Hoje, me dedico a minha família”, diz a mulata, que chegou a recorrer a cirurgia plástica para afinar a silhueta quando foi dispensada da Globo em 2004.

Na época, a Globo decidiu buscar uma nova Globeleza depois que Valeria teve seu segundo filho e estava 10 kg acima do peso. Com a cirurgia, ela perdeu 12 num período de dois meses, mas não teve jeito. Foi aí que resolver recorrer à Igreja Evangélica. Valeria é mãe de João Henrique e José Gabriel.

Valeria Donner virou evangélica depois de perder o posto de Globeleza Foto: Arquivo pessoal
Valeria Donner virou evangélica depois de perder o posto de Globeleza Foto: Arquivo pessoal

Leia Mais

Após lipo e UTI, candidata a Miss AM 2013 deixa concurso para evangelizar

Luciana Souza deixou o concurso e agora evangeliza em igrejas de Manaus (Foto: Arquivo pessoal)
Luciana Souza deixou o concurso e agora evangeliza em igrejas de Manaus (Foto: Arquivo pessoal)

Marina Souza, no G1

A candidata a Miss Amazonas, Luciana Souza, de 21 anos, que foi parar na UTI após fazer uma lipoaspiração, abandonou o concurso de beleza. A jovem diz acreditar que passou por um milagre divino e agora cumpre agenda contando o seu depoimento em igrejas evangélicas de Manaus. Em entrevista ao G1, Luciana falou sobre os dias que passou no hospital, o medo que sentia de morrer e como foi deixar o concurso.

Em dezembro, a jovem foi internada na UTI por insuficiência respiratória após passar por uma cirurgia de lipoaspiração. Ela ficou hospitalizada por 11 dias. “Foram os dias mais difíceis que já passei em toda a minha vida, mas minha mãe sempre foi muito ligada a Deus e estava me dando toda a força”, contou.

Segundo Luciana, nos dias na UTI, a fé foi essencial para sua cura. “Minha mãe chegou na UTI e eu disse ‘mãe, eu vou morrer’. Na mesma hora, ela falou que eu não ia partir porque Deus tinha um propósito para a minha vida. A partir desse momento, passei a orar todos os dias e o medo de morrer foi embora”, relatou.

Após sair do hospital, veio a decisão: a candidata, que já havia participado do concurso e ficou em 4º lugar em 2012, escolheu abandonar o Miss Amazonas 2013. “Eu acredito que Deus tenha outros planos para mim. Nada do que aconteceu foi simples, mas acho que teve seu propósito. Entendi como um recado de Deus. Era como se ele me falasse que tudo tem uma hora de parar, e que tem planos maiores para a minha vida”, disse.

Para o futuro, a jovem destacou que é preciso “seguir os traços que Deus fez para sua vida”. “Quando a gente recebe um milagre desses é preciso compartilhar a história. Muitos pensam que Deus não escuta nossas orações, mas ele escuta sim. Acho que posso mudar outras vidas com minha história”, falou Luciana.

Luciana já participou de três cultos, e está com a agenda lotada para evangelizar em igrejas nas próximas semanas. “Me perguntaram se fiquei triste por sair do concurso. Não estou triste, estou mais alegre porque ganhei uma nova vida”, contou.

Apesar das complicações, Luciana disse que não se arrependeu de ter feito a lipoaspiração. “Todo mundo pensa que fiz a cirurgia para o concurso, mas, na verdade, era um sonho meu que  alimentava desde os meus 15 anos. Como eu estava no concurso, foi uma ‘forcinha’ a mais para fazer”, confessou. E ela completou: “tinha que ter acontecido isso. Deus tem um plano para tudo. Se essa foi a forma que ele encontrou para me avisar e mostrar o plano maior que tem pra mim, eu aceitei”. No entanto, cirurgias plásticas não estão mais nos planos da jovem. “A mulher nunca está satisfeita. Eu queria ter a tal da cinturinha, ela já está aqui, então estou satisfeita. Não preciso mais passar por isso”.

Questionada sobre o papel do concurso em sua vida, a acadêmica de Direito e Letras elogiou o Miss Amazonas. “A jornada de candidata exige muito, mas amadureci bastante com todo o processo. No dia 22, vou estar lá acompanhando a escolha da nossa representante. Não tenho uma favorita, vou torcer para quem brilhar mais”.

Luciana Souza mandou ainda um recado para as jovens de todo o país. “Eu queria dizer para todo mundo que é muito importante ter um sonho. Apoio as meninas que sonham em ser miss. É bom ter um objetivo, mas sempre devemos colocá-los perante a Deus para ver se são os mesmos dele para nós”, finalizou.

O concurso Miss Amazonas 2013 elege na terça-feira (22), em Manaus, a beldade que representá o estado nacionalmente. A Miss Brasil 2012, Gabriela Markus, tem presença confirmada no evento.

Luciana já participou de três cultos e deverá continuar indo a igrejas (Foto: Arquivo Pessoal)Luciana já participou de três cultos e deverá continuar indo a igrejas (Foto: Arquivo Pessoal)

dica do João Marcos

Leia Mais

Homens são detidos por assalto à igreja evangélica em Goiânia

1

Publicado originalmente em O Popular

Três homens foram detidos nesta sexta-feira (11), suspeitos de roubarem cerca de R$ 100.000,00 em espécie, um relógio da marca Rolex avaliado em R$ 35.000,00 e jóias de fiéis que estavam na Igreja Assembléia de Deus – Ministério Fama, em Goiânia.

O assalto aconteceu a 20 dias atrás e hoje, através de denúncia anônima, policiais militares conseguiram localizar a residência de dois dos ladrões, no Setor Recanto do Bosque, além do mentor do crime e receptador de alguns objetos roubados que estava em sua casa na Vila Santa Helena.

Um dos assaltantes, era membro da igreja e trabalhava na mesma fazendo encadernação de bíblia. O relógio foi retirado do pulso do pastor, as jóias dos fiéis que lá estavam e o dinheiro estava no cofre da instituição.

Os detidos, parte do dinheiro roubado (R$ 18.000,00) e o relógio Rolex foram levados para o 3º Distrito Policial, no Setor Fama.

dica do Givaldo Corcinio
Imagem: Google

Leia Mais