Assembleia de Deus espera eleger mais de 5.600 vereadores em outubro

Culto do pastor Abner Ferreira, da Assembleia de Deus em Madureira, no Rio
Culto do pastor Abner Ferreira, da Assembleia de Deus em Madureira, no Rio

Denise Menchen e Fabio Brisolla, na Folha de S.Paulo

Igreja que mais cresce no Brasil e com a maior representação na bancada evangélica do Congresso, a Assembleia de Deus tem como meta eleger um vereador em cada uma das 5.565 cidades brasileiras.

Para isso, a igreja cita o Censo. Dos 42 milhões de evangélicos, 12 milhões são da Assembleia, 4 milhões a mais do que em 2000.

Essa parcela já encontra ressonância política. Dos 76 deputados federais da Frente Parlamentar Evangélica, 24 são da Assembleia de Deus.

“Temos igrejas em 95% das cidades. Isso favorece a divulgação dos candidatos”, diz o pastor Lélis Marinhos, presidente do conselho político nacional da Convenção Geral das Igrejas Assembleia de Deus no Brasil (CGIADB).

As ações dos mais de 100 mil pastores da Assembleia estão subordinadas a duas organizações: a CGIADB e a conhecida como Ministério de Madureira, no Rio de Janeiro.

As duas seguem a mesma doutrina e adotam estratégias eleitorais separadas, mas atuam em bloco no Congresso.

O investimento na política é parte de uma transição em curso na Assembleia. “Antes, ouvir rádio ou ver TV era pecado. Hoje entendemos que são veículos extraordinários para pregar o evangelho”, diz o pastor Abner Ferreira, da Convenção Nacional.

As concessões de TV e rádio estão na pauta dos parlamentares da bancada. Outra prioridade é lutar contra temas criticados pela doutrina, como o aborto.

“A Assembleia de Deus atrai fiéis com o discurso da austeridade, da defesa da família”, diz o cientista político Cesar Romero Jacob, autor do “Atlas da Filiação Religiosa”.

foto: Daniel Marenco/Folhapress

Leia Mais

Malafaia chama Bial de ridículo por programa favorável à união gay

Silas Malafaia e Pedro Bial
Malafaia acusou Bial de enganar a sociedade

Paulo Roberto Lopes, no blog Paulopes

Silas Malafaia (foto) e o seu site Verdade Gospel atacaram a TV Globo e o apresentador Pedro Bial (foto) por promoverem “de maneira explícita e tendenciosa” a união entre homossexuais no programa “Na Moral” de quinta-feira (19) à noite.

“Fica aqui o nosso protesto veemente pela propaganda ostensiva, ridícula, usando até criança para falar bem da causa gay”, disse o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

O programa mostrou uniões bem sucedidas entre gays e entre lésbicas. Um deles foi o dos cabeleireiros Vasco da Gama Filho, 41, e Júnior de Carvalho, 48, que em 2006 em Catanduvas (SP) adotaram Theodora. A garota atualmente com 11 anos disse ao Bial estar feliz com seus pais e que na escola não sofre preconceito.

O programa também entrevistou familiares de duas lésbicas e apresentou cenas da festa da união civil entre as duas.

Malafaia disse que Bial mostrou que continua fazendo o “papel de medíocre e ridículo” já demonstrado no Big Brother.

“Agora, para mostrar que é mais ridículo ainda, vem fazer programa de uma verdadeira propaganda de união gay, enganando a sociedade ao mexer no emocional das pessoas, quando na verdade, por trás das câmeras, estas relações são terrivelmente problemáticas”, disse. “Vamos ver as consequências nas gerações futuras de crianças sendo criadas por casais homossexuais.”

O Verdade Gospel não se conformou como o fato de o Bial ter afirmado que “a moral está mudando” e que agora “o que importa é o amor”. Acusou o apresentador de mentir ao afirmar que a metade da população brasileira é favorável à união civil entre homossexuais.

Malafaia reconheceu que “o mundo não é igreja”, mas disse que não poderia deixar de se indignar quando princípios divinos são “quebrados” com o propósito de fazer “apologia a algo terrivelmente condenado por Deus”.

“É inaceitável que um veículo de comunicação desta grandeza venha fazer uma apologia tão ridícula ao casamento gay”, disse, pedindo que os “cidadãos” enviassem protesto à Globo.

Com informação do Verdade Gospel e do vídeo do programa.

trecho revelador da manifestação malafaica:

Por muito tempo, nos meus programas de TV (quem me acompanha sabe disso), profetizei para Deus destruir a Globo. De uns 4 anos para cá (quem me acompanha em congressos sabe), eu passei a ter um outro discernimento. Passei a profetizar que nós vamos ter espaço na Rede Globo. E se o diabo já tem usado, então, que Deus possa nos abrir portas para usarmos este veículo para a Glória de Deus.

ou “seje”: ele no fundo (ou no raso?) acredita que a vênus platinada precisa instituir uma espécie de sistema de cotas, abrindo espaço p/ ele tornar-se garoto de programa global. na moral…

Leia Mais

Membro do Parlamento israelense rasga Bíblia e joga livro no lixo

Publicado originalmente no Extra

Ao receber uma Bíblia de presente, o membro do Parlamento israelense Michael Ben-Ari (da União Nacional) rasgou o Novo Testamento em pedaços e, em seguida, jogou o livro católico no lixo. De acordo com o site israelense NRG, os exemplares foram distribuídos aos 120 membros da Knesset por Victor Kalish, diretor-executivo de uma editora cristã especializada na distribuição de textos religiosos em Israel.

Kalish enviou as Bíblias juntamente com uma carta explicando que se tratava de uma nova edição com 90 mil referências. “Este é um precioso fruto da cooperação entre as Sagradas Escrituras e entre os crentes ao redor do mundo, que lança luz sobre o Antigo Testamento e ajuda a compreendê-lo”.

A reação causou alvoroço. De acordo com o site, Ben-Ari teria dito que “o livro abominável promoveu o assassinato de milhões de judeus durante a Inquisição”.

– Essa é uma provocação missionária muito feia da Igreja. Não há dúvida de que o livro e seus remetentes pertencem ao lixo da história – afirmou.

Com a reação violenta, Tzipi Hovotely, membro do partido governista do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, enviou um pedido ao presidente da Knesset instando-o a proibir a distribuição de materiais missionários.

Leia Mais

O $how tem que parar: Protesto na Marcha para Jesus em SP

Publicado originalmente no YouTube

No dia 14 de julho de 2012, o Movimento pela Ética Evangélica Brasileira e os irmãos da Intervenção na Marcha se reuniram num protesto pacífico pela volta da pregação do Evangelho segundo ele é, conforme os ensinos de Jesus e seus apóstolos. Foram levantadas faixas com versículos bíblicos e frases que remetiam ao combate da corrupção e do comércio na igreja.

Porém, como sempre isso desagradou a muitos, que estão conformados com este mundo. Mas estivemos lá e a Palavra foi levada, mesmo a troco de agressões (um dos participantes tomou um soco nas costas), pisadas nos pés, ameaças e afins, todos esses atos nada dignos de pessoas que se dizem seguidoras de Cristo.

Falando em seguidores, muitos ali seguiam ao líder da Marcha e aos artistas gospel que se apresentaram no palco principal.

Em meio ao oba-oba gospel lá estávamos. Se apenas uma pessoa leu nossas mensagens e refletiu sobre elas, deixando o Espírito Santo falar ao seu coração, tudo foi válido.

Leia+

O $how tem que parar: Protesto na Marcha para Jesus em BH

Leia Mais

Homens de Deus não devem se casar com mulheres mais velhas ou de raça diferente, segundo bispo Edir Macedo

“O rapaz que deseja fazer a Obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele”,  diz Edir Macedo em seu artigo publicado no site Arca Universal.

Tiago Chagas, no Gospel+

Relacionamentos e as diferenças entre homem e mulher, idade, raça e a complexidade que os envolve foram tema de um artigo do bispo Edir Macedo para a sessão de comportamento do site da Igreja Universal do Reino de Deus.

O texto trata das diferenças de idade e raça entre homem e mulher, e dá recomendações explícitas sobre o que deve ou não ser feito quando o assunto é casamento. Macedo afirma que “o rapaz que deseja fazer a obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele [...]para não se deixar influenciar por ela”. O líder da Universal abre exceções para homens “suficientemente” maduros, mas ressalta que essa “diferença não deve ultrapassar dois anos”.

“Muitas pessoas não gostam quando fazemos estas colocações”, afirma Macedo. Entre os argumentos usados pelo bispo para justificar sua postura, estão a possibilidade de traição quando a esposa envelhecer ou a probabilidade de ela tornar-se “mandona” com o passar do tempo: “Para evitar este ou outros transtornos, oriundos da diferença de idade (a do marido inferior à da esposa), é preferível que não haja qualquer compromisso de casamento”.

Sobre a diferença de raça e cor, Macedo é enfático ao afirmar que “não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco”, e justifica sob o argumento de missões: “os pais não terão como evitar que aconteçam rejeições ou críticas por parte dos coleguinhas nas escolas nos países onde eles poderão estar pregando o Evangelho”.

O bispo Edir Macedo afirma que não tem opinião pessoal contrária à miscigenação, mas que a orientação para que os fiéis procurem esposas de sua raça visa uma melhor aceitação por sociedades estrangeiras, que não estão acostumadas com a realidade brasileira.

A igreja, diz o bispo, busca “alertar sobre esta situação não porque tenha qualquer objeção quanto ao casamento envolvendo mistura de raça ou cor. Não, muito pelo contrário! Temos vários homens de Deus casados com mulheres de raças diferentes. Não teríamos absolutamente nada a comentar a este respeito, mas temos visto este tipo de problema acontecendo com as crianças dentro das nossas igrejas, em outros países”, justifica-se.

Confira abaixo a íntegra do artigo “Homem de Deus quanto à idade e à raça”, do bispo Edir Macedo, para o site Arca Universal:

O rapaz que deseja fazer a Obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele, salvo algumas exceções, como por exemplo aquele que é suficientemente maduro e experiente na vida para não se deixar influenciar por ela. Mesmo assim, a diferença não deve ultrapassar dois anos.

Muitas pessoas não gostam quando fazemos estas colocações; entretanto, temos visto que quando a mulher tem idade superior à do seu marido, ela, que por natureza já tem o instinto de ser ‘mandona”, acaba por se colocar no lugar da mãe do marido.

E o pior não é isto. A mulher normalmente envelhece mais cedo que o homem, e quando ela chega à meia-idade, o marido, por sua vez, está maduro mas não tão envelhecido quanto ela. E a experiência tem mostrado que é muito mais difícil, mas não impossível, manter a fidelidade conjugal.

Para evitar este ou outros transtornos, oriundos da diferença de idade (a do marido inferior à da esposa), é preferível que não haja qualquer compromisso de casamento. Devemos crer que Deus tem reservado para cada servo uma serva, de acordo com as suas aspirações, que por sua vez vão ao encontro das aspirações dela.

Por esta razão, não é bom que o rapaz se afobe e se case com a primeira que aparecer, só porque quer fazer a Obra de Deus e precisa de uma esposa. Não! Se ele não confia que Deus irá lhe suprir com a sua outra metade, como vai confiar que Ele fará a Sua Obra por seu intermédio?

Quanto à raça

Não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco.

É preciso que ambos estejam conscientes quanto aos riscos de traumas ou complexos que as crianças poderão absorver durante os períodos escolares, e, a partir daí, carregarem-nos por toda a vida.

Infelizmente, os pais não terão como evitar que aconteçam rejeições ou críticas por parte dos coleguinhas nas escolas nos países onde eles poderão estar pregando o Evangelho.

O homem de Deus precisa estar sempre preparado para servir a Deus onde quer que Ele assim determine, e, assim, nem sempre estará em um país onde não haja esse tipo de situação. Portanto, é necessário que o casal examine também esta questão, antes de qualquer compromisso mais sério.

O homem de Deus não pode simplesmente dizer: “Ela tem o Espírito de Deus e eu também. Nós nos amamos e vamos nos casar”. Não! Não deve ser apenas isto! Ele tem o futuro totalmente comprometido com uma missão de extrema importância, e não pode ser limitado. É preciso que haja uma avaliação esmerada quanto aos passos no presente.

Procuramos alertar sobre esta situação não porque a Igreja Universal do Reino de Deus tenha qualquer objeção quanto ao casamento envolvendo mistura de raça ou cor. Não, muito pelo contrário!

Temos vários homens de Deus casados com mulheres de raças diferentes. Não teríamos absolutamente nada a comentar a este respeito, mas temos visto este tipo de problema acontecendo com as crianças dentro das nossas igrejas, em outros países.

Procuramos, portanto, trazer à baila esta situação a fim de evitarmos transtornos no futuro do homem de Deus e na obra que está reservada para ele.

Leia Mais