Silas Malafaia faz piada com violência doméstica e recebe críticas na internet

Malafaia fez comentários polêmicos sobre a violência doméstica (foto: Reprodução/Twitter)
Malafaia fez comentários polêmicos sobre a violência doméstica (foto: Reprodução/Twitter)

Publicado no Extra

Uma “piada” feita pelo pastor Silas Malafaia no Twitter repercutiu mal. Durante o debate com os candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff e Aécio Neves, na noite da última terça-feira, na TV Bandeirantes, Malafaia compartilhou inúmeras mensagens na rede social. Em uma delas, brinca com um tema delicado: a violência doméstica.

Ao falar sobre a postura do candidato Aécio Neves, para quem faz campanha no Twitter, Malafaia comparou a atitude do tucano em relação à Dilma com uma agressão: “Estou desconfiado que vão aplicar a lei Maria da Penha contra Aécio por bater em mulher kkkkkkkkk”.

As mensagens continuaram: “Já esta saindo uma ordem de prisão a caminho da band contra Aécio por espancamento a mulher,pede pra ele não matar DILMA kkkkk”.

Rapidamente, o assunto tomou conta das redes sociais. Homens e mulheres reagiram às mensagens polêmicas, acusando o pastor de usar um tema delicado e sério para falar sobre política.“O falso profeta @PastorMalafaia não tem ideia de como esse tweet é perigosíssimo”, escreveu um homem. Uma usuária chamou atenção do pastor e pediu para que ele leia a Bíblia. “Pastor, eu fico realmente assustada que um homem de Deus do seu naipe se renda à tamanha baixeza de espírito ao tuitar” e “Eu recomendaria que o senhor seriamente voltasse a dar uma lida na querida Bíblia, antes de dar um testemunho tão horrível” foram as duas mensagens direcionadas pela mulher a Malafaia.

A reportagem tentou entrar em contato com Silas Malafaia, mas o celular dele estava desligado.

Usuários do Twitter reagiram às mensagens de Malafaia (foto: Reprodução/Twitter)
Usuários do Twitter reagiram às mensagens de Malafaia (foto: Reprodução/Twitter)

 

Leia Mais

Lego anuncia fim de parceria com a Shell após campanha do Greenpeace

Shell_LEGO

publicado no G1

Uma campanha elaborada pela organização Greenpeace que pedia à marca Lego, famosa pelas peças de brinquedo homônimas, que rompesse sua parceria com a petroleira Shell – empresa que quer explorar petróleo no Ártico – fez o presidente da fabricante de bonecos anunciar que não vai mais realizar ações ligadas à companhia de energia.

A ONG divulgou na internet um vídeo parodiando o filme “Uma aventura Lego”, lançado este ano. A peça (veja acima), que já teve 5,9 milhões de cliques no YouTube, mostra bonecos de várias coleções do Lego em um ambiente que simula o Ártico. Em um dos trechos do filme, um vazamento de petróleo afoga os personagens – uma menção ao risco de um possível desastre que a exploração de óleo no Oceano Ártico poderia causar.

Além disso, o Greenpeace criou uma petição on-line para pedir o fim da parceria com a Shell. Segundo a ONG, mais de 1 milhão de pessoas participaram.

A repercussão fez o presidente do Grupo Lego, Jørgen Vig Knudstorp, divulgar uma nota nesta quarta-feira (8). Nela, ele anuncia que a empresa está determinada a deixar um “impacto positivo na sociedade e para o planeta, que será herdado pelas crianças” e, por isso, não iria renovar o contrato de copromoção com a Shell quando ele terminasse.
“O contrato de copromoção a longo prazo com a Shell, firmado em 2011, tem o objetivo de levar peças de Lego para as mãos de muitas crianças. Vamos honrá-lo, como faríamos com qualquer contrato”.

Knudstorp aproveitou o texto para criticar o Greenpeace, que, segundo ele, “usou a marca Lego para atingir a Shell”. “Acreditamos firmemente que o Greenpeace deve ter uma conversa direta com a Shell (…) e que a marca nunca deveria ter se tornado parte da disputa entre a ONG e a empresa”, complementa a nota.

De acordo com o jornal americano “The Wall Street Journal”, a Shell informou que não comenta seus contratos, porém, alega que a parceria com a Lego foi um sucesso.

Para o Greenpeace, “o resultado é uma vitória também para milhões de pessoas que se importam com a proteção do Ártico. Com isso, o objetivo da Shell de operar na gélida região em 2015 fica cada vez mais difícil, mas não impossível”.

Leia Mais

Guitarrista do AC/DC está internado em casa de repouso com demência

Malcolm Young (foto: Divulgação)
Malcolm Young (foto: Divulgação)

Publicado por EFE [via UOL]

Malcolm Young, guitarrista, letrista e cofundador da lendária banda AC/DC, e que havia anunciado sua saída do grupo nesta semana, foi internado em uma casa de repouso em Sydney, na Austrália, com demência, informou nesta sexta-feira (26) a imprensa local.

“Se você está em um quarto com Malcolm, sai um momento e retorna minutos depois, ele já não te reconhece. Perdeu completamente a memória imediata. Sua mulher, Linda, o pôs sob cuidado em período integral”, disse uma fonte próxima à família do músico ao jornal “Sydney Morning Herald”.

No último mês de abril foi anunciado que o músico de 61 anos sofria uma doença séria, mas sua natureza se manteve em segredo, e por isso não participaria da gravação do álbum “Rock or Bust”, que será lançado em novembro deste ano.

Seu sobrinho Steve, que o substituiu nessa gravação, ocupará o lugar de Malcolm Young na turnê mundial que o AC/DC realizará em 2015 e na qual estarão os outros membros do grupo: Angus Young, Brian Johnson, Phil Rudd e Cliff Williams.

Próxima turnê pode ser a última

Em abril, o vocalista do AC/DC, Brian Johnson, falou pela primeira vez sobre os rumores ao jornal “The Telegraph”. Sem citar nomes, ele confirmou que um integrante estava com uma “doença debilitante”, mas voltou a confirmar que a banda iria se reunir para compor um novo álbum.

“Nós definitivamente vamos nos reunir em maio em Vancouver”, disse Brian na época. “Vamos pegar nas guitarras, dedilhar, e ver se alguém tem alguma música ou ideias. Se acontecer alguma coisa , vamos gravar”.

“Eu não gostaria de dizer qualquer coisa sobre o futuro. Eu não estou descartando nada. Um dos meninos tem uma doença debilitante, mas eu não quero falar muito sobre isso. Ele é muito orgulhoso e privado, um cara maravilhoso. Nós somos amigos por 35 anos.”

Mesmo descartando o fim, Brian sinalizou que a próxima turnê, marcada para este ano em comemoração aos 40 anos da banda, pode ser realmente a última da carreira. “Isso seria uma ótima maneira de dizer adeus”, disse Johnson. “Nós gostaríamos de fazê-lo. Mas está tudo no ar no momento”.

 

Leia Mais

70 anos depois, mulher recebe cartas de amor enviadas por marinheiro durante a II Guerra Mundial

cartas-amor-segunda-guerra-3

publicado no Hypeness

Em tempos de Whatsapp e outros dispositivos de mensagens instantâneas, escutar histórias como essa é sensacional: Dorothy Bartos, aos 85 anos, acaba de receber cartas de seu amigo e admirador secreto quase 70 anos após o término da Segunda Guerra Mundial.

Já fazia duas semanas que algumas cartas dirigidas a Dorothy Bartos chegaram na casa de Martha Rodriguez, em Chicago. As cartas eram de um marinheiro da base da Marinha de San Diego, datadas de 1945, perto do fim da guerra.

O jornal Chicago Tribune informou sobre as cartas na esperança de conseguir rastrear seu destinatário, e não demorou muito para conseguir. O filho de Dorothy, Bartos Carlberg, confirmou toda a história e contou ao jornal que a mãe havia vivido no endereço que hoje é de Martha.

Martha fez questão de entregar as cartas para Dorothy, que hoje tem 85 anos de idade e vive agora em um asilo em Whitewater, no estado de Wisconsin. Ela era uma adolescente na época, que trocava cartas com Al Fragakis, que havia conhecido em Chicago, antes de ele ir para o exército a serviço.

Ao escutar o que a carta que dizia – “apesar de tudo, você foi a ultima garota com quem eu saí e eu estava de certa forma discutindo comigo mesmo por não ter nem se quer tentado te beijar” -Dorothy responde com uma piada e diz: “nós éramos amigos, não estávamos dando uns pegas ou qualquer outra coisa”.

Veja o vídeo dessa história que, afinal, era de amizade:

cartas3

cartas2

cartas

Leia Mais

Homens mentem mais do que mulheres, afirma estudo

Síndrome de Pinóquio: homens mentem mais do que mulheres, diz estudo (foto: Walt Disney Pictures)
Síndrome de Pinóquio: homens mentem mais do que mulheres, diz estudo (foto: Walt Disney Pictures)

Publicado no Extra

É oficial: os homens são mais desonestos do que as mulheres. Pelo menos, é o que afirma um levantamento feito pelo site britânico Paying Too Much, e divulgada pelo jornal Daily Mail. Em média, eles mentem quatro vezes por semana, e elas, três.

O estudo também mostrou os motivos pelos quais ambos os sexos evitam dizer a verdade. Enquanto a intenção das mulheres é, na maioria dos casos, preservar os sentimentos de alguém, os homens mentem para economizar dinheiro e para “vencer” uma discussão.

Eles também são mais propensos a ser desonestos para conseguir algo que querem ou para parecer mais interessantes ou melhores do que realmente são.

A mentira mais comum é dizer “Eu estou bem” quando, na verdade, se está chateado, apontou a pesquisa da qual participaram 2.000 adultos britânicos.

A segunda mentira mais contada é dizer que gostou de um presente quando o detestou, seguida de esconder a verdade sobre o preço de alguma coisa e fingir que está doente.

Outras inverdades citadas foram elogiar a comida mesmo quando está ruim, dizer que alguém ficou bonito com uma roupa que não lhe cai bem e esconder o quanto de álcool se bebeu.

Quase metade dos entrevistados admitiu que já foi descoberto quando falou mentira, geralmente pelo parceiro, pais ou chefe.

Leia Mais