Imagens que mostram o quanto valem 200 calorias em diversos alimentos

timthumb.phpLuciano Hilton, no Tudo Interessante

Existem certas horas na vida em que precisamos tomar medidas extremas. Quando se decide em fazer uma reeducação alimentar é porque a coisa já está feia, não é mesmo? Nunca é fácil começar uma dieta, pior ainda é mantê-la até o corpo se acostumar à nova rotina.

A lista que você verá a seguir contém vários alimentos do dia-a-dia com uma coisa em comum: cada uma das quantidades expostas equivale a 200 calorias daquele alimento. Com isso, quem está de dieta terá uma noção melhor do tamanho das porções que poderá consumir sem extrapolar, afinal, variar na dieta é também muito importante.

Para os que não estão de dieta, a dica é mais que válida para não sair do peso. Confere só.

75 gramas de um cheeseburguer simples (sem molhos ou outros condimentos)

200_gramas01

52 gramas de uma rosquinha caramelada

200_gramas02

41 gramas de um Snicker (eta perdição)

200_gramas03

385 gramas de maçã

200_gramas04

125 gramas de abacate

200_gramas05

570 gramas de mini cenouras

200_gramas06

200ml de vinagre balsâmico

200_gramas07

588 gramas de brócolis

200_gramas08

53 gramas de açúcar mascavo

200_gramas09

28 gramas de manteiga

200_gramas10

186 gramas de feijão enlatado

200_gramas11

Leia Mais

Babi Rossi diz que ovo é derivado de leite e o primeiro nome de Einstein era Robert

 
Publicado por TV UOL

Convidada de Marcelo de Carvalho no Mega Senha deste sábado, ao lado do grupo Art Popular, a ex-Panicat Babi Rossi cometeu várias gafes ao ajudar a participante do programa a adivinhar as palavras secretas. Além de achar que o primeiro nome de Einstein era Robert, ela disse com certeza que Mickey é um veado e que o ovo é derivado do leite.

Leia Mais

Cerveja com formiga saúva é produzida no Brasil

A formiga traz características cítricas ao sabor da bebida, similar ao capim cidreira

A bebida tem sabor cítrico e frutado (Foto: Divulgação)
A bebida tem sabor cítrico e frutado (Foto: Divulgação)

Publicado originalmente no Terra

Durante a última edição do encontro gastronômico ‘O Mercado’, em Sâo Paulo,  a Lamas Bier, em parceria com o proprietário do Empório Sagarana, Paulo Leite, e o jornalista Marcelo Cury, criaram a Saison Saúva, uma cerveja feita com figos, tucupi negro e formigas saúvas.

A ideia de colocar os insetos na receita veio de Leite, depois de comer as formigas e ter notado características cítricas no sabor, parecido com capim cidreira. A receita deu origem à uma cerveja picante, cítrica e frutada.

A Saison Saúva foi degustada há três semanas no evento de aniversário do Empório Sagarana e teve aprovação entre os idealizadores. Eles já pensam em uma nova receita de cerveja para a próxima edição do “O Mercado”, que deve acontecer ainda em setembro.

Leia Mais

Declaração de cantor do Jota Quest contra baianos será apurada pelo MP

Rogério Flausino disse que ‘baiano não trabalha’, em show no sábado.
Para advogado, fala de artista constitui crime de preconceito

Rogério Flausino se apresentou no Circuito Banco do Brasil em Salvador, no sábado (31) (Foto: Divulgação/Vitor Nomoto/Circuito BB)
Rogério Flausino se apresentou no Circuito Banco do Brasil em Salvador, no sábado (31) (Foto: Divulgação/Vitor Nomoto/Circuito BB)

Egi Santana, no G1

Após dizer que “baiano não trabalha” durante um show em Salvador, Rogério Flausino, vocalista da banda Jota Quest, terá sua declaração investigada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Na quarta-feira (4), um advogado entrou com uma “notícia-crime”, representação contra a frase de Flausino, que foi recebida pela promotora de Justiça Márcia Virgens e encaminhada ao Grupo de Atuação Especial de Combate à Discriminação (Gedis). O Ministério Público protocolou a representação nesta quinta-feira (5).

Segundo Juno Leite, autor da ação, o mecanismo de “notícia-crime” serve para apresentar à Promotoria um fato considerado como crime, nesse caso o de preconceito relacionado à origem. O advogado não esteve na apresentação da banda mineira em Salvador, mas assistiu a vídeos apresentados por familiares que estiveram no show e se disse indignado com a declaração.

“Causa indignação porque o povo baiano, e nordestino, é trabalhador.

Documento protocolado pelo advogado baiano (Foto: Juno Barbosa Leite / Arquivo Pessoal)
Documento protocolado pelo advogado baiano
(Foto: Juno Barbosa Leite / Arquivo Pessoal)

Historicamente, são os operários que colocam o país para andar. A nível de sul e sudeste, quando você fala sobre mão-de-obra, o montante é praticamente daqui do nordeste. Para uns, a declaração pode ter soado como simples piada, brincadeira, mas, a partir do momento em que ele proferiu aquilo, já configurou crime, já consumou, não há o que se falar, não cabe aí o que se retratar”, diz.

De acordo com o advogado, apesar do crime de preconceito prever pena de reclusão de um a três anos e multa, o objetivo não é que o artista mineiro seja detido.

“Não desejo que o Rogério [Flausino] vá preso, seria uma pena de caratér pedagógico, para que as pessoas acordem, abram os olhos e se toquem que esse tipo de ideia está equivocada e atinge a dignidade do baiano. Para quem é baiano e está na luta do dia a dia, isso atinge a dignidade da pessoa. Quando você diz que alguém não trabalha a pessoa a não é digna. O objetivo é combater esse tipo de ideia”, pontua.

Para o advogado, a declaração se agrava por se tratar de uma figura pública, “que, de certa forma, exerce influência nas pessoas”, diz. Após avaliação, o MP pode ou não encaminhar  denúncia à Justiça e o juiz dará ou não parecer farovável à abertura de um processo judicial.

O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do músico, mas não foi atendido até o fechamento desta matéria.

O caso
A banda mineira Jota Quest foi vaiada durante o show que fez no Circuito Banco do Brasil em Salvador, no sábado (31). A reação da plateia aconteceu depois que o vocalista Rogério Flausino disse que os baianos poderiam ficar até tarde na “festa”, porque era sábado à noite. Ele brincou ao comentar que baiano “não trabalha” em qualquer dia da semana, não só domingo.

Depois das vaias, ele se desculpou. Disse que precisava “discutir a relação” e se explicou, dizendo que é mineiro e sempre escuta piadas com queijo. “Eu queria que vocês me perdoassem. Eu amo isso aqui, venho sempre no carnaval. Estou sempre aqui e foi só uma brincadeira”, disse.

Leia Mais

MP denuncia pastor da Assembleia de Deus por estelionato

Concursos_Ministerio-Publico_fachada_HH_041

Publicado no Terra

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos de Niterói, ofereceu denúncia contra o pastor Leonardo da Conceição Almeida Leite, da Igreja Assembleia de Deus, localizada no Morro do Estado, no centro de Niterói, pela prática do crime de estelionato.

Segundo a denúncia, no período entre julho de 2005 e fevereiro de 2011, Leite recebeu R$ 9,9 mil após enganar a aposentada Maria Pereira da Silva Santos, aproveitando-se da fé religiosa da vítima e do fato de ela ser analfabeta.

De acordo com a denúncia, sob o falso pretexto de ajudar a aposentada em questões administrativas e bancárias, o pastor a acompanhava até agências bancárias, acabando por obter, em seu próprio benefício, empréstimos consignados em dinheiro em nome dela, mas sem revelar que era ele o verdadeiro beneficiário. O valor, então, era descontado no contracheque de Maria.

A investigação apurou que a aposentada já conhecia o acusado desde a infância deste e nutria carinho e confiança por ele, ainda mais em razão da condição de pastor evangélico. Porém, ela começou a passar por sérias dificuldades financeiras, o que fez a sua filha desconfiar. Ela constatou diversos descontos no contracheque, detectando que o beneficiário era o pastor da igreja que a mãe frequentava. Na delegacia, o pastor confirmou os fatos.

A pena para o crime de estelionato é de um a cinco anos de prisão. O MP se recusou a oferecer proposta de suspensão condicional do processo, pois, entre outros motivos, o denunciado se aproveitou da fé de uma pessoa analfabeta.

Leia Mais